Fernando Scheller

Quando um livro nos atropela…

22 / setembro / 2016

…É a melhor coisa que pode nos acontecer. Fazemos tudo o mais rapidamente possível e ficamos só aguardando o momento de o trabalho acabar e de terminar de preparar o jantar para poder voltar àqueles minutos preciosos do dia em que não há vozes nem imagens, só letras e imaginação.

Isso está acontecendo comigo enquanto escrevo esta coluna. É que estou quase no fim, bem no finzinho mesmo, da leitura de Tony & Susan, de Austin Wright, lançado há alguns anos pela Intrínseca no Brasil. O livro foi publicado originalmente em inglês em 1993, e eu comprei a versão para o Kindle.

Confesso que não tinha ouvido falar do livro. O que me levou a procurá-lo foi o filme Animais noturnos, baseado em Tony & Susan, que deve chegar às telas no fim do ano, com Amy Adams e Jake Gyllenhaal. A direção é de Tom Ford (sim, o estilista), que já fez bonito no passado com A single man (no Brasil, a produção recebeu um título horrível: Direito de amar).

animais_noturnos

Cena de Animais Noturnos (fonte)

O que mais me chamou a atenção em Tony & Susan foi a sua intertextualidade, que nada mais é do que uma palavra bonita para designar o que Susan, a personagem principal, passa boa parte da trama fazendo e o que o leitor também faz. É isso mesmo: ler.

Tony, na realidade, é o personagem central da obra enviada a Susan por Edward, seu ex-marido. O título do livro: Animais noturnos (que, na minha opinião, deveria estar estampado na capa, pois é bem mais forte do que Tony & Susan). A partir daí, descortina-se um clima de suspense impactante. A conexão do leitor com Susan é direta, pois ela também tenta se livrar do dia a dia para voltar à leitura.

Wright tem uma prosa fluida, mas evita clichês, em especial na descrição das relações entre os personagens, que são elucidadas a partir de informações liberadas aos poucos, como num quebra-cabeça. O próprio “livro dentro do livro” subverte expectativas, pois foge do estilo “desejo de vingança”, que parece ser norma em histórias de suspense.

Animais noturnos, o filme, ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cinema de Veneza deste ano e muitos estão apostando em Amy Adams como indicada ao Oscar 2017 na categoria Melhor Atriz. Tudo o que posso desejar é que o filme faça mesmo jus à sua fonte.

_

Leia mais Fernando Scheller

Assista ao trailer de Animais Noturnos, novo filme de Tom Ford

Assista ao trailer de Animais Noturnos, novo filme de Tom Ford

Objetos cortantes na televisão [Atualizado!]

Objetos cortantes na televisão [Atualizado!]

Adeus, Buenos Aires

Adeus, Buenos Aires

Existe amor em Cabul

Existe amor em Cabul

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *