A unica certeza da vida é que um dia você vai morrer

David Shields
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Beatriz Horta
  • Páginas: 272
  • Gênero: Não Ficção
  • Formato: 14 x 21
  • Lançamento: 04/03/2010

Fascinado e às vezes irritado com o otimismo e a vitalidade sobre-humana de seu pai de, então, 97 anos, David Shields faz uma investigação sobre nossa condição biológica. O resultado é estimulante: emociona e faz rir. Esse livro é uma meditação muito pessoal sobre a mortalidade, e explora nossa existência de "carne e osso" do berço ao esquecimento. Paradoxalmente, essa análise do tema nos leva a uma renovada e profunda apreciação da vida.

Shields explora os "fatos" da vida por meio de sua relação com o pai, e também com a filha de 13 anos. O resultado é mágico e encantador: um tour pela história de nosso corpo físico, que resulta em um retrato terno, e muitas vezes hilariante, de três gerações de uma família. A narrativa leva o leitor a contemplar a brevidade e o brilho da própria passagem pela Terra, e o desafia a pensar a vida de uma forma inesperada e original. A única certeza da vida é que um dia você vai morrer foi best-seller do The New York Times.

David Shields

David Shields

David Shields é autor de oito livros de ficção e de não ficção, entre eles, Black Planet, Remote e Dead Languages. Editor sênior da revista literária Conjunctions, tem ensaios e artigos publicados em veículos como The New York Times, Harpers, The Yale Review, The Village Voice, Salon.com, Slate, McSweeneys e The Believer.

Resenhas

Cativante, desconcertante, esclarecedor, inteligente, desafia qualquer categorização.

The San Francisco Chronicle

Shields é um escritor perspicaz, desaprovador de si mesmo, e muitas vezes hilariante. Ao chegarmos à última página, e ao ponto final, queremos mais.

The Wall Street Journal

Na verdade, essa é uma leitura ousada, até mesmo alegre e jovial. Mas é rigorosa e áspera quando precisa ser, embora também seja perversa e causticamente carinhosa. Além de tudo isso, é confessional.

Salon.com

Shields tem uma escrita limpa e eficiente. Ele costura nessas páginas um retrato impassível e amoroso de seu pai de 97 anos: um homem sem interesse algum em  morrer; contudo, um homem que vai morrer em breve.

Esquire