Sobre falar merda

Harry G. Frankfurt
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Ricardo Gomes Quintana
  • Páginas: 72
  • Gênero: Não Ficção
  • Formato: 11 x 16 cm
  • Lançamento: 14/09/2005

Produzido a partir de uma palestra proferida pelo autor na Universidade de Princeton, este ensaio já era objeto de culto acadêmico antes da publicação. Uma vez editado, passou de cult a pop, elogiado por leitores em todo o mundo. O texto leve e irônico compõe uma espécie de tratado que redimensiona o lugar do discurso numa época atropelada pelo excesso de informação.

Harry G. Frankfurt esteve sempre atento à importância da verdade e às suas deformações generalizadas na sociedade, até concluir que falar bobagem era a mais grave. Embora seja um sintoma do mundo contemporâneo, ou provavelmente por causa disso, o filósofo decidiu questionar a natureza dessa prática, a seu ver, deselegante, descuidada e comodista.

O autor cita Ludwig Wittgenstein e um diálogo entre ele e uma amiga. O filósofo vai visitá-la no hospital após uma cirurgia nas amídalas, e ela resmunga: "Sinto-me como um cachorro atropelado." Ele se irrita e refuta: "Você não sabe como um cachorro atropelado se sente." A reação pode soar intolerante, mas é um efeito prático do pensamento de Wittgenstein sobre a linguagem, tomado como exemplo por Frankfurt para demonstrar a falta de preocupação com a verdade que há no discurso da amiga. Ela fala sem pensar, sem exatidão. E é essa indiferença em relação ao modo como as coisas realmente são que o autor considera a essência do falar merda.

O livro também contém referências a Santo Agostinho e a um ensaio de sua autoria sobre a mentira. Frankfurt quer mostrar como falar besteira é um inimigo muito pior da verdade do que mentir. Crítico, ele tenta apontar o risco embutido em ato tão rotineiro, sobretudo na vida pública, quando se exigem das pessoas observações inteligentes sobre questões muitas vezes desconhecidas.

Harry G. Frankfurt

Harry G. Frankfurt

Harry G. Frankfurt, renomado filósofo moral, é professor emérito de filosofia na Universidade de Princeton. Entre seus livros incluem-se The Reasons of Love (Princeton), Necessity, Volition, and Love e The Importance of What We Care About.

Resenhas

Frankfurt, de 76 anos, está fazendo milhares de pessoas pensarem sobre o perigo que há por trás de uma das atitudes humanas mais corriqueiras e disseminadas. Lançado no começo do ano nos EUA, o livrinho que acaba de ser publicado também no Brasil chegou ao topo da lista dos best-sellers e já bateu os 350 mil exemplares vendidos no país. E segue em frente com traduções para o alemão, italiano, francês, espanhol, hebraico, turco, coreano e chinês, além do português.

O Estado de São Paulo,

O livrinho foi um sucesso. Chegou ao primeiro lugar na lista de mais vendidos do New York Times e há planos para traduzi-lo em mais de dez idiomas - o que demonstra a amplitude do fenômeno estudado.

O Globo,

É uma pequena obra-prima. (...) Todo momento histórico tem uma obra a traduzi-lo. Sobre falar m... é o retrato do nosso tempo.

Isto é Dinheiro

Para começar, devo dizer: leia-o. Bem-escrito, lúcido, irônico e profundo, é o modelo do que a filosofia pode e deve fazer. É uma pequena e provocativa obra-prima, e acho que não estou falando merda quando digo isso.

The Sunday Times

Com sua relevância para a cultura contemporânea, Sobre falar merda vale a leitura... A análise é precisa e filosófica, com uma intenção clara de se buscar a verdade.

The Michigan Review