O connaisseur acidental

Uma viagem irreverente pelo mundo do vinho

Lawrence Osborne
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Adalgisa Campos da Silva
  • Páginas: 296
  • Gênero: Gastronomia e Culinária
  • Formato: 14 x 23 cm
  • Lançamento: 28/10/2004

O sucesso de O connaisseur acidental está no tom excessivamente crítico do autor em relação ao uso do vinho como modismo globalizado, motor de uma indústria de nada menos que 50 bilhões de dólares. Em sua pacata condição de amateur, ele investiga por que, apesar da fabricação de 75 mil vinhos diferentes, estes continuam a ser produtos complexos para poucos iniciados, privilegiados paladares.

Logo no início do périplo por vinícolas, ao beber um Beaucastel, vinho do Ródano (a região do Côte du Rhône), o autor se diverte quando o garçom pergunta se sente um gosto de galinheiro. Em seguida descobre a razão: trata-se do gosto de uma levedura típica do local. Assim, passando pela França, Itália e Estados Unidos, de vinícola em vinícola, ele apura a sensibilidade, reconhece aromas, desfaz preconceitos. Começa até a aceitar a utilização de adjetivos inusitados para se qualificar um vinho, que pode ser simpático, inteligente, aristocrático ou mesmo musculoso.

Osborne conclui que o vinho, antes um mistério, é atualmente um commodity. Por isso conversa tanto com produtores franceses e italianos de arraigada tradição, como com Robert Mondavi, na Califórnia. Considerado o barão mais poderoso do mercado, o americano monitora a qualidade do vinho via computador. Outra surpresa para diletantes é a visita à Enologix, uma firma de consultoria capaz de formar um banco de dados informatizado com as minúcias de uma vinícola - o tipo de tonel, as condições da adega, as castas de uvas, o clima etc. - e então prever o melhor vinho a ser feito em tais condições. São essas pequenas descobertas de bastidores, explicitadas de uma forma espirituosa, generosa e sem esnobismo, que aos poucos transformam Lawrence Osborne num verdadeiro connaisseur - e, com ele, o leitor, que se beneficia de seu estilo inteligente e irreverente para esmiuçar os mais íntimos segredos desta bebida secular.

Lawrence Osborne

Lawrence Osborne

Lawrence Osborne é jornalista, colaborador de publicações como New York Times Magazine, The New Republic e Talk. É autor de Paris Dreambook, The Poisoned Embrace e American Normal. Nascido na Inglaterra, mora em Nova York.

Resenhas

O connaiseur acidental talvez seja o que de mais divertido já se escreveu sobre vinho. Graças a uma perspicácia incrível, podemos nos deliciar com encontros com príncipes, vigaristas e tecnocratas malucos.

Financial Times

Os encontros de Osborne não têm preço. A persona inofensiva e desajeitada do autor permite-lhe fazer as reverências que os poderosos do mundo do vinho exigem, enquanto os encoraja a pontificar e se afundar. O connaisseur acidental é um livro vital para quem gosta de vinho.

The New York Times

Veja recomenda: "Definitivamente, esse não é um guia de vinhos convencional. Sua originalidade está no jeito informal, quase anárquico, com que o autor aborda o tema."

Veja

O livro é um divertido e obrigatório relato das entranhas do mundo das uvas. Parece, numa primeira olhada, um ataque encorpado contra os petulantes - é, a rigor, uma homenagem àqueles que, calmos e seguros, exibem taças com modéstia.

Isto É Dinheiro

(...) um livro essencial para entender como o vinho se tornou um dos fetiches de consumo dominantes do mundo ocidental, com sua própria indústria jornalística, onde tudo é discutido.

CartaCapital

O livro é um consolo para os que, como Osborne, não entendem nada de vinho. Disposto a elucidar os mistérios que fazem com que o vinho deixe seu paladar extremamente inseguro, o jornalista sai pelo mundo visitando vinícolas e tomando porres memoráveis.

Jornal do Brasil, “A semana em revista”

(...) O connaiseur acidental, obra de Lawrence Osborne que a Intrínseca lançou recentemente no Brasil, não é mais um livro sobre vinhos. Portanto, podem erguer as taças - e aqui vale até refrigerante - e brindar o livro desse inglês irreverente e elegante, que conseguiu escrever um livro delicioso sobre vinhos para quem não agüenta mais ler livros sobre vinhos. Tintim!

O Globo,