As ruínas

Scott Smith
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Fernanda Abreu
  • Páginas: 368
  • Gênero: Séries
  • Formato: 16 x 23
  • Lançamento: 09/06/2007

A trama é daquelas que começam com simplicidade para aproximar-se do extraordinário em um crescendo eletrizante. Dois casais de estudantes, Jeff e Amy, Eric e Stacy, passam férias em Cancún, no México. Tomam sol, mergulham e de início acham que o ápice da aventura é lidar com tempestades imprevisíveis e mosquitos insolentes.

Quando conhecem o belo alemão Mathias, um dia, em Cozumel, decidem arriscar-se numa experiência imprevista. Acompanham-no em busca de seu irmão Henrich, que partiu rastreando uma garota por quem se apaixonou. Depois de uma noite juntos, ela retomara seu caminho até um sítio arqueológico onde a esperavam para trabalhar. Deixara, entretanto, um mapa.

Entediados no paraíso, os cinco e mais um grego seguem o mapa e se largam na floresta em busca da escavação, situada perto de uma aldeia maia com cerca de 30 frágeis construções, sem luz nem água corrente, habitada por nativos nada receptivos. Capturados, tornam-se reféns, e vêem-se obrigados a subir um morro, numa trilha que os levará ao extremo do horror, sem a certeza de encontrar Henrich.

Num lugar onde inexistem traços da cultura ocidental e o selvagem domina, os seis são reduzidos ao instinto. Para agravar esta circunstância, há sempre alguém à espreita, um predador que aos poucos toma forma, mexe com os brios de cada um, contrapõe falhas de personalidade, os faz ultrapassar todas as fronteiras íntimas. A emoção mais bruta é testada, o medo mais profundo é exposto. As ruínas é um suspense no qual, mais do que nunca, o real toca o sobrenatural, desafiando a divisão entre certo e errado, primitivo e civilizado, num ritmo que, assegura Stephen King, "nunca esmorece".

Scott Smith

Scott Smith

Scott Smith estudou no Dartmouth College e na Universidade de Columbia. Seu primeiro livro, Um plano simples, foi best-seller internacional. Adaptado para o cinema em 1998, rendeu ao autor uma indicação ao Oscar na categoria de melhor roteiro adaptado. O autor mora em Nova York.

Resenhas

O americano Scott Smith, de 42 anos, recebeu elogios do rei da ficção de horror, Stephen King, por As ruínas (Intrínseca). O thriller, difícil de largar, se passa em uma montanha do México assombrada por uma presença estranha.

Época

As ruínas é um tour de force de terror, um romance que seduz, choca e desafia você a continuar lendo - e nunca afrouxa, nem mesmo na última página.

The Washington Post

Numa viagem de férias ao Caribe, quatro amigos decidem ir até as ruínas maias no interior do México, onde uma equipe de arqueólogos trabalha. Chegando lá, eles vivem dias seguidos de terror, encontram maias que simplesmente os ignoram e não entendem por que não podem ir embora daquela terra. Parece Lost, né? Mas é romance, e com suspense ainda melhor, misturado com relações humanas e fraquezas psicológicas. O autor foi traduzido para 30 línguas e está sempre na lista dos mais vendidos nos EUA.

Super Interessante

Por que ler: Elogiado por autores como Stephen King e Thomas Harris, o terror contemporâneo de Smith foi best-seller nos EUA.

Folha de São Paulo,

Por favor, por favor, deixe que esse seja o romance mais perturbador do ano... Smith (Um plano simples) escreve com acuidade psicológica e beleza verdadeira (...).

Time Magazine