Ei, professor

Frank McCourt
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Rubens Figueiredo
  • Páginas: 272
  • Gênero: Crônicas, Humor e Entretenimento
  • Formato: 16 x 23 cm
  • Lançamento: 27/09/2006

Frank McCourt conta a história de Frank McCourt. Não troca sequer o nome do protagonista, que é ele mesmo, sem maquiagem nem elementos ficcionais. Trata-se de um memorialista, interessado em fazer literatura de si à base de realidade. Ei, professor faz parte da trilogia iniciada com o aclamado As cinzas de Angela, que lhe rendeu vários prêmios e virou filme. Após purgar a infância infeliz e miserável na Irlanda no livro de estréia, o autor revela como se tornou professor de inglês para adolescentes dispersos, mais interessados em riscar iniciais nas carteiras com canivetes do que em aulas.

Os alunos lêem a expressão corporal do professor e o radiografam. Sabem se é novato, covarde, chato ou autoritário. Criam perguntas ardilosas para o mestre perder-se em atalhos menos tediosos do que regras gramaticais. Frank não esconde a insegurança do começo da carreira, a incerteza sobre a vocação docente. Para subverter clichês escolares, inventa novos métodos, conta capítulos de sua vida: nascido em Nova York, foi para a Irlanda antes dos 4, perdeu três irmãos e foi abandonado pelo pai alcoólatra aos 10. A estratégia cria cumplicidade, mas o desvia das lições e desagrada a alguns pais de início.

Ao falar de si, Frank expõe questões que envolvem a arte de ensinar, seus segredos e mazelas. Um dia, ao chamar o pai de um menino problemático ao colégio, presencia um espancamento. Em outro, um adolescente abandona o estudo pela guerra no Vietnã. Ele lamenta, mas sabe que o poder do professor é restrito ao domínio escolar. Pouco a pouco percebe que, apesar da hostilidade de certos estudantes, deve-se unir a eles contra um mundo de diretores de escola, pais e convenções. Com uma narrativa direta e divertida, Frank McCourt traça um corajoso painel sobre grande parte da vida de todos os alfabetizados do mundo em suas salas de aula que são sempre, segundo o autor, lugares de "intenso drama".

Frank McCourt

Frank McCourt

Frank McCourt nasceu em 1930 no Brooklyn, Nova York. Filho de imigrantes irlandeses, foi criado em Limerick, na Irlanda, e voltou para os Estados Unidos em 1949. Foi trabalhador braçal até conseguir vaga como professor do ensino médio em Nova York.

Resenhas

Dotado de humor ácido e ironia refinada, Ei, professor atinge uma profundidade que o tema dificilmente permitiria. O escritor consegue entremear com maestria suas experiências com as reflexões que tece sobre sua personalidade, nada cativante do seu ponto de vista.

Isto é Gente

O escritor tem uma ironia irresistível - é quase impossível não gostar de um sujeito que consegue rir de si mesmo. Pegue o prólogo das memórias (...), é uma amostra do conhecimento de McCourt sobre seu passado e sua personalidade.

Gazeta do Povo,

Mais do que ensinar a ler e escrever, o professor está permitindo que cada um use a linguagem para curar-se de seus traumas. Se são muitas as tentativas didáticas para corresponder aos interesses dos alunos, a principal atitude de McCourt é narrar a sua infância sofrida para que os alunos tenham coragem de contar as próprias histórias. Com esse método nada ortodoxo, que cria problemas para o autor, ele inventa uma pedagogia da narração autobiográfica (...).

Carta Capital

Os numerosos fãs de McCourt vão certamente adorar esse livro, mas também deveria ser leitura obrigatória para todos os professores americanos. E não seria mal se alguns políticos também o lessem.

Publishers Weekly

O humor negro, o tom lírico e o talento para diálogos de McCourt são evidentes nesse livro... As perdas da profissão de professor são os ganhos do público leitor.

Kirkus Review

Outro título de Frank McCourt pela Intrínseca