CUIDAR UNS DOS OUTROS: UM NOVO CONTRATO SOCIAL

Minouche Shafik

Pré-venda

  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Paula Diniz
  • Páginas: 336 páginas
  • Gênero: Ciencias Social - Cultura de Massa
  • Formato: 14 x 21 x 1,9 cm
  • Lançamento: 05/11/2021

Todos os dias, mesmo sem nos darmos conta, participamos do contrato social ao cumprir obrigações como cidadãos. Cuidar de outras pessoas, pagar impostos e usufruir de serviços públicos são elementos do contrato social que nos sustenta e nos une. Atualmente, contudo, o contrato está partido. A mudança nas tecnologias, os novos modelos de trabalho, o envelhecimento populacional e as alterações climáticas nos desafiam a rever nossos deveres enquanto sociedade.

Em Cuidar uns dos outros, a economista Minouche Shafik nos conduz em um passeio pelos estágios da experiência humana — criar filhos, estudar, adoecer, trabalhar, envelhecer — e assim nos mostra como a reorganização social é possível. A partir de exemplos do mundo todo, a autora demonstra que os países podem oferecer a seus cidadãos o mínimo necessário para que tenham uma vida digna. Mas, acima de tudo, o que se evidencia é que precisamos passar a cuidar uns dos outros. Uma sociedade mais generosa e inclusiva compartilha os riscos coletivamente, de forma que todos contribuam ao máximo.

Neste livro, Shafik identifica os elementos-chave para um contrato social mais humanitário, que reconhece nossas interdependências, investe mais nas pessoas e, em troca, espera um retorno maior dos indivíduos.

Com argumentos sólidos, Cuidar uns dos outros nos faz pensar em soluções práticas para desafios atuais e nos indica como podemos construir uma sociedade melhor — juntos.

Minouche Shafik

Minouche Shafik

Minouche Shafik é diretora da London School of Economics and Political Science. Nascida no Egito, emigrou ainda na infância para os Estados Unidos e depois se mudou para o Reino Unido, onde cursou uma pós-graduação em economia. Aos 36 anos, Shafik se tornou a mulher mais jovem a ocupar o cargo de vice-presidente do Banco Mundial e desde então foi secretária permanente do Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido, vice-diretora do Fundo Monetário Internacional e vice-presidente do Banco da Inglaterra, lidando com grandes problemas políticos no mundo todo.