O homem mais feliz do mundo

A bela vida de um sobrevivente de Auschwitz

Eddie Jaku
  • Formato(s) de venda: livro, e-book
  • Tradução: Bruno Casotti
  • Páginas: 224
  • Gênero: Biografias e Histórias Reais
  • Formato: 13,5 x 21 x 1,3 cm
  • Lançamento: 04/08/2021

Mais do que judeu, Eddie Jaku sempre se considerou alemão. Ele sentia orgulho do seu país natal. Mas, em novembro de 1938, tudo mudou: dez nazistas invadiram sua casa e o espancaram quase até a morte. Naquela noite, que ficou conhecida para sempre na história como a Noite dos Cristais, Eddie foi preso e levado a um campo de concentração.

Dali em diante, por sete anos de sua vida, enfrentou diariamente horrores que só quem viveu o Holocausto é capaz de imaginar, nos campos de Buchenwald e Auschwitz e, por fim, na Marcha da Morte nazista. Perdeu familiares, amigos e, sobretudo, o amor que tinha por seu país.

Mas Eddie sobreviveu. E depois das provações que sofreu, jurou sorrir todos os dias que ainda restavam da sua vida. Em uma linda homenagem àqueles que não resistiram, Eddie Jaku conta sua história, compartilha sua sabedoria e leva hoje a melhor vida possível, pois acredita ser “o homem mais feliz do mundo”.

Publicada pouco depois do centenário de Eddie, esta obra poderosa e emocionante é uma lição de esperança que nos mostra que, mesmo após situações tenebrosas, ainda é possível ser feliz.

Leia mais no BLOG

Eddie Jaku

Eddie Jaku

Eddie Jaku nasceu na Alemanha, em 1920, como Abraham Jakubowicz. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi mantido prisioneiro nos campos de concentração de Buchenwald e Auschwitz. Em 1945, escapou da Marcha da Morte ao ser resgatado por soldados Aliados. Em 1950, Eddie se mudou com a família para a Austrália, onde vive desde então. Ele é voluntário do Jewish Museum, em Sydney, desde sua inauguração em 1992, é casado com Flore há 74 anos e tem dois filhos, netos e bisnetos. Em 2019, um ano antes de celebrar seu centésimo aniversário, compartilhou sua trajetória em uma comovente palestra no TEDxSydney, e em 2021 sua biografia venceu o prêmio australiano ABIA Biography Book of the Year.