testeSorteio Facebook – Kit Com amor, Simon [Encerrado]

O filme inspirado no livro Com amor, Simon chega aos cinemas dia 5 de abril e, para comemorar, vamos sortear 5 kits especiais! Cada kit contém: um exemplar do livro, dois ingressos para o filme, dois bótons e um pôster. 

Para participar, compartilhe essa imagem em seu Facebook PUBLICAMENTE e preencha o formulário abaixo!

Atenção:
– Caso a mesma pessoa se inscreva mais de uma vez ela será desclassificada. Atenção: ao terminar de preencher o formulário aparece a mensagem “agradecemos a inscrição”. Espere a página carregar até o final para confirmar a inscrição
– Se você já ganhou um sorteio nos últimos 7 dias no Facebook, você não poderá participar deste sorteio.
– O resultado será anunciado no dia 2 de abril, segunda-feira, em nosso perfil no Facebook. Boa sorte! 😉

Confira o resultado:

teste6 motivos para se apaixonar pelo Simon

Com amor, Simon acompanha um adolescente de 16 anos que vive uma paixão secreta e um dilema: será que é preciso mesmo sair do armário e contar aos pais e aos amigos que é gay?

O filme inspirado no livro estreou no Brasil em abril, então separamos alguns motivos para fazer com que vocês, assim como a gente, se apaixonem pelo Simon:

1.Ele é o maior fã de Harry Potter

A prova de que Simon é gente como a gente é sua obsessão por Harry Potter, e isso gera as melhores conversas.

— Só vou jogar uma veste de dementador por cima da roupa. Acho que você vai sobreviver.

— O que é um dementador?

Ah, não dá.

— Nora, você não é mais minha irmã.

— Então é alguma coisa de Harry Potter — deduz ela.

 

2.Seu cachorro


Ele nomeou seu Golden Retriever (ironicamente) de Justin Bieber. Só isso mesmo. Aproveitem o gif de cachorro.

 

3.Seu senso de humor

Você vai querer ser amigo do Simon.

Leah também gosta de fanfiction slash, o que despertou em mim curiosidade suficiente para procurar algumas na internet no verão passado. Eram tantas opções que nem dava para acreditar: Harry Potter e Draco Malfoy se pegando de milhares de formas di­ferentes, em todos os armários de vassouras de Hogwarts. Escolhi as que tinham uma gramática decente e passei a noite toda lendo. Foram semanas estranhas. Foi nessas férias que aprendi a lavar roupa. Certas meias não devem ser lavadas pela sua mãe.

 

4.Ele e o Blue têm os melhores webflertes.


Fatos científicos comprovam que Simon e Blue são o casal mais fofo do mundo. Simon descobre que outro menino em sua escola é gay, mas não tem ideia de quem seja. E, enquanto os dois não descobrem a verdadeira identidade um do outro, trocam mensagens – e cantadas – ótimas.

PARA: hourtohour.notetonote@gmail.com
DE: bluegreen181@gmail.com
ASSUNTO: Re: Meio formiguinha?

Confesso que gosto de imaginar você criança fantasiando com comida
porcaria. Também gosto de imaginar você agora, fantasiando sobre sexo. Não
acredito que acabei de escrever isso. Não acredito que estou clicando em enviar.
Blue 

 

5.Ele fala coisas maravilhosas


Ao longo da história, Simon levanta várias questões importantes, como por exemplo: por que o padrão é ser branco? Por que o padrão é ser hétero? Por que héteros não têm que sair do armário?

 

6. Ele amadurece tanto ao longo da história! Esse menino é o nosso orgulho <3

 


Saiba mais sobre o livro.
 

 

testeCom amor, Simon chega às livrarias em março com nova capa

A história de um adolescente gay que tenta reunir coragem para sair do armário e viver uma grande história de amor conquistou milhares de leitores no mundo todo. 

Publicado em 2016, Simon vs. a agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli, chega às livrarias a partir de 9 de março com novo título e nova capa baseada no cartaz do filme.

Confira a nova capa:

Com amor, Simon, longa inspirado no livro, chega aos cinemas brasileiros no dia 22 de março e conta com Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner e Josh Duhamel no elenco.

Assista ao trailer:
 

 

 

testeLivros para um carnaval literário

Seja você um folião recluso ou alguém que gosta de curtir o bloco na rua, separamos dicas de leituras incríveis para aqueles (poucos) momentos de descanso durante o Carnaval:

A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson

Poucas épocas do ano pedem tanto o botão do f*da-se ligado quanto o Carnaval, não é mesmo? Em A sutil arte de ligar o f*da-se, Mark Manson usa toda a sua sagacidade e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão.

Saiba seus limites, aproveite a festa, e, para o resto, ligue o f*da-se até a Quarta-Feira de Cinzas!

Leonardo da Vinci, de Walter Isaacson

Filho ilegítimo, à margem da educação formal, gay, distraído e, por vezes, herético, o Leonardo desenhado na biografia de Walter Isaacson é uma pessoa real, extraordinária pela pluralidade de interesses e pelo prazer que tinha em combiná-los.

Depois de conhecer a pessoa por trás das obras de arte, temos certeza que Da Vinci adoraria conhecer o Carnaval brasileiro.

Mais escuro, de E L James

E L James revisita Cinquenta tons mais escuros com um mergulho mais profundo e sombrio na história de amor que envolveu milhões de leitores em todo o mundo.

O relacionamento quente e sensual de Anastasia Steele e Christian Grey chega ao fim com muitas acusações e sofrimento, mas Grey não consegue tirar Ana da cabeça. Determinado a reconquistá-la, ele tenta suprimir seus desejos mais obscuros e sua necessidade de controle absoluto, aceitando a amar Ana nos termos estabelecidos por ela.

 

Me chame pelo seu nome, de André Aciman

A casa onde Elio passa os verões fica em um verdadeiro paraíso da costa italiana. Filho de um importante professor universitário, ele está bastante acostumado à rotina de, em todos os verões, hospedar na casa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e outras tarefas. Quando chega Oliver, o novo hóspede, acontece uma revolução na vida de Elio. Me chame pelo seu nome explora a paixão com delicadeza inigualável, em uma narrativa magnética, inquieta e sensual.

 

Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty, e Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Esse é o Carnaval do poder feminino! Para entrar no clima, indicamos duas leituras com mulheres incrivelmente fortes, cada uma a sua maneira: Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty – que inspirou a premiadíssima série da HBO, Big Little Lies -, e Como eu era antes de você, de Jojo Moyes, que lançou o desfecho da trilogia no último dia 8, Ainda sou eu!

 

Mindhunter, de John Douglas e Mark Olshaker

Um fascinante relato da vida de um agente especial do FBI e da mente dos mais perturbados assassinos em série que ele perseguiu. A história de Douglas serviu de inspiração para a série homônima da Netflix, que conta com a direção de David Fincher (Garota Exemplar e Clube da Luta) e um elenco formado por Jonathan Groff, Holt McCallany e Anna Torv.

 

Ordem Vermelha: Filhos da Degradação, de Felipe Castilho

Que tal viajar para a última cidade do mundo durante o feriado?  Conheça Untherak, seus becos e histórias que farão qualquer bloco superlotado parecer tranquilo. Localizada aos pés do monte Ahtul, ao lado dos Grandes Pântanos, a cidade abriga humanos e kaorshs, gigantes e anões,  gnolls e sinfos que vivem para servir à deusa Una.

Cumprindo sua missão milenar, eles coexistem em relativa paz. Até que a kaorsh Yanisha descobre um segredo capaz de abalar as estruturas do Palácio. Junto com a esposa, Raazi, ela arquiteta um plano tão corajoso quanto arriscado, que terá como cenário o Festival da Morte.

 

Tartarugas até lá embaixo, de John Green

O mais pessoal de todos os livros do autor de A culpa é das estrelas, Tartarugas até lá embaixo é recheado de frases sublinháveis, amizades cativantes, fanfics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses. Um livro sobre as mais incríveis surpresas que surgem ao longo da vida de todos nós.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Extraordinário, de R. J. Palacio

Auggie Pullman é um menino com uma severa deformidade facial que precisa enfrentar o estranhamento e o preconceito de crianças e adultos. O livro, que foi adaptado para os cinemas em 2017, se tornou uma ode à empatia, à tolerância e à gentileza. “Escolha ser gentil”: um mantra, uma atitude, uma mensagem valiosa para a atualidade.

 Simon vs. a agenda Homo sapiens, de Becky Albertalli

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.

testeNovo trailer de Love, Simon com Nick Robinson, Katherine Langford e Jennifer Garner

A 20th Century Fox divulgou mais um lindo trailer de Love, Simon! Com Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner e Josh Duhamel, o filme é inspirado em Simon vs. a agenda Homo Sapiens, romance de Becky Albertalli.

Dirigida por Greg Berlanti, responsável por séries como Arrow, Flash e Supergirl, a história acompanha a vida de Simon, um adolescente de 16 anos que vive uma paixão secreta e um dilema: será que é preciso mesmo sair do armário e contar aos pais e aos amigos que é gay?

 

 

Em entrevista, a atriz Katherine Langford, indicada ao Globo de Ouro por 13 Reasons Why, declarou que acredita que o filme tem uma mensagem muito importante e fará a diferença na vida de muitos jovens.

A adaptação tem estreia prevista para 22 de março.

teste11 filmes e séries que você precisa ver em 2018

O ano mal começou e já temos várias promessas de filmes incríveis para 2018, com títulos de todos os gêneros e para todos os gostos. Se você é cinéfilo de carteirinha, vai passar os próximos 12 meses com os olhos vidrados na tela da TV ou do cinema, e se não é, com certeza vai virar! Separamos alguns filmes e séries inspirados nos nossos livros que estreiam em 2018. Confira:

  1. Me chame pelo seu nome

Um dos filmes mais esperados do ano, indicado a três Globos de Ouro e um dos possíveis candidatos ao Oscar, chega aos cinemas brasileiros no dia 18 de janeiro. A atração entre Elio e Oliver é o centro da narrativa. Os dois se conhecem em um verão na paradisíaca costa da Itália e, ao longo de seis semanas deitados à beira da piscina ou se aventurando pelo vilarejo de bicicleta, a química entre eles se torna inegável. A simplicidade e a sutileza dos olhares e toques, contrastados com a sensualidade vibrante do relacionamento, vão fazer com que você se lembre da intensidade do seu primeiro amor. O livro que inspirou o filme estará disponível nas livrarias a partir do dia 5 de janeiro.

Leia um trecho.

  1. A grande jogada

O filme estrelado por Jessica Chastain e Idris Elba, inspirado na biografia de Molly Bloom, recebeu indicações ao Globo de Ouro e ao Critics Choice Awards. Com pouco mais de 30 anos, Molly ganhou as manchetes dos jornais ao ser presa pelo FBI por operar ilegalmente uma das mais milionárias mesas de pôquer do mundo. Foi em Hollywood que ela começou a promover as mesas pelas quais passariam centenas de milhões de dólares em partidas que aconteciam em luxuosas suítes de hotéis para uma seleta lista de convidados, entre eles atores famosos como Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire e Ben Affleck. Uma história de glamour e excessos perigosos e surpreendentes. A grande jogada chega às livrarias a partir do dia 12 de janeiro e o filme estreia em 1o de fevereiro.

 

  1. A forma da água

O filme com mais indicações ao Globo de Ouro 2017 se passa durante a época da Guerra Fria, em Baltimore, em um centro de pesquisa aeroespacial que acaba de receber um bem precioso: um homem anfíbio capturado na Amazônia. O novo filme de Guillermo Del Toro acompanha uma angustiante história de amor entre o anfíbio e uma das zeladoras do laboratório, uma mulher muda que usa a lingua de sinais para se comunicar com a criatura. No Brasil o filme estreia em 11 de janeiro e o livro terá lançamento mundial em 27 de fevereiro.

 

  1. Baseado em fatos reais

Roman Polanski, diretor dos clássicos O bebê de Rosemary e O pianista, comanda a adaptação para os cinemas desse empolgante thriller que brinca com os limites entre realidade e ficção. Na obra, a escritora Delphine atravessa uma fase de bloqueio criativo e de depressão após o sucesso de seu último livro. Nesse momento, conhece a ghost-writer L., interpretada por Eva Green, uma mulher sedutora e misteriosa que, aos poucos, passa a dominar todas as esferas da vida de Delphine. O filme estreia no Brasil em 11 de janeiro.

 

  1. Touro Ferdinando

Inspirado no clássico infantil, a história acompanha a trajetória de um touro grande e forte, porém inofensivo, que prefere cheirar flores enquanto seus amigos brigam. Um dia, confundido com um animal muito feroz, Ferdinando precisará mostrar que não há nada de errado em ser diferente. No Brasil, Maisa dubla Nina, a menina que cria Ferdinando até ele ser capturado. A animação é dirigida por Carlos Saldanha, criador de Rio e A Era do Gelo, e chega aos cinemas brasileiros em 11 de janeiro.

 

  1. Love, Simon

Simon tem 16 anos e é gay, mas ninguém sabe disso. Ele só não contava que Martin, o bobão da escola, iria chantageá-lo ao descobrir sua troca de e-mails com Blue, o pseudônimo do menino por quem Simon se apaixonou virtualmente. Será que é preciso mesmo sair do armário? Por que, ao contrário dos adolescentes héteros, ele precisa passar por isso? Uma história arrebatadora sobre amadurecimento, amizade e amor. A adaptação do livro que conquistou milhares de fãs no mundo inteiro chega aos cinemas em16 de março nos Estados Unidos, ainda sem data no Brasil. O filme inspirado em Simon vs. a agenda Homo Sapiens conta com Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner e Josh Duhamel no elenco. A produção ficará a cargo da mesma equipe do filme inspirado em A culpa é das estrelas.

 

  1. Cinquenta tons de liberdade

    O terceiro e último filme baseado na trilogia Cinquenta tons de cinza estreia dia 8 de fevereiro nos cinemas. Depois de assumirem um compromisso mais sério, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades à sua frente. Mas a vida dos dois reserva desafios que nenhum deles será capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E Christian precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar dos fantasmas do passado. Para quem está triste com o fim da série, vale conferir Mais escuro, segundo livro na visão de Christian Grey, que chega às livrarias em 19 de janeiro.

 

  1. Aniquilação

Dirigida por Alex Garland, aclamado por Ex-Machina: Instinto Artificial, a adaptação cinematográfica de Aniquilação tem Natalie Portman e Oscar Isaac nos papéis principais. No livro, um grupo de mulheres é enviado na décima primeira expedição a uma região conhecida como Área X, que foi isolada do resto do mundo e onde criaturas e fenômenos bizarros apagaram todos os vestígios da presença humana, exceto um misterioso farol. O filme inspirado no primeiro livro da série Comando Sul, de Jeff VanderMeer, chega ao Brasil em 22 de fevereiro.

 

  1. Mentes sombrias

A história se passa em um mundo apocalíptico. Uma epidemia mata a maioria das crianças e adolescentes da América e os sobreviventes desenvolvem poderes sobrenaturais. Eles são tirados de suas famílias pelo governo e enviados para campos de reabilitação. Interpretada por Amandla Stenberg, Ruby é uma das sobreviventes que consegue escapar com outras crianças em busca de ajuda. O filme tem previsão de estreia para setembro. O livro ainda não tem data de lançamento pela Intrínseca.

 

  1. Objetos cortantes

Com reviravoltas surpreendentes, Objetos cortantes é inspirado no primeiro thriller de Gillian Flynn, que narra o retorno da repórter Camille Preaker, interpretada por Amy Adams, à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. Hospedada na casa da família, com quem não fala há oito anos, a jornalista precisa lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência. À medida que as investigações avançam, Camille passa a desvendar segredos perturbadores, tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta. A minissérie produzida pela HBO estreia em 2018, ainda sem data definida.

 

  1. Big Little Lies

A série Big Little Lies, inspirada em Pequenas grandes mentiras, conta a história de três mulheres que aparentemente têm uma vida comum em uma pequena cidade da Austrália. Madeline é forte e passional, Celeste é dona de uma beleza estonteante e Jane é uma jovem mãe solteira. Os filhos dessas três mulheres estudam na mesma escola, onde acontece uma misteriosa tragédia. Vencedora do Emmy e com várias indicações ao Globo de Ouro, a série da HBO volta para uma segunda temporada em 2018.

testeAssista agora ao trailer de Love, Simon!

 

O primeiro trailer da adaptação do romance de Becky Albertalli foi divulgado! Love, Simon conta com Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner e Josh Duhamel no elenco e estreia em 16 de março nos Estados Unidos. Assista abaixo ou clicando no link.

A adaptação será dirigida por Greg Berlanti, que é responsável pelas adaptações para a TV das séries da DC Comics, como Arrow, Flash e Supergirl. A produção ficará a cargo da mesma equipe do filme inspirado em A culpa é das estrelas.

Em Simon vs. a agenda Homo Sapiens, acompanhamos um adolescente de 16 anos que vive uma paixão secreta e um dilema: será que é preciso mesmo sair do armário e contar aos pais e amigos de infância que é gay? Por que, ao contrário dos adolescentes héteros, ele precisa passar por isso? Uma história arrebatadora sobre amadurecimento, amizade e amor, o livro conquistou milhares de fãs no mundo inteiro.

Leia um trecho!

teste5 livros para ler enquanto Extraordinário não estreia nos cinemas

Extraordinário é um dos filmes mais aguardados do ano! Com Julia Roberts e Jacob Tremblay no elenco, o longa teve sua estreia adiada para 7 de dezembro. Para tentar diminuir a espera de uma forma prazerosa, preparamos uma lista com cinco livros para ler enquanto o filme não chega às telas dos cinemas brasileiros.

 

1) Tartarugas até lá embaixo, de John Green:

O livro inédito de um dos nossos autores favoritos conta a história de Aza Holmes, uma heroína que precisa enfrentar uma batalha contra os próprios pensamentos.

 

Tartarugas até lá embaixo começa com uma investigação sobre o sumiço de um bilionário, mas na verdade nos apresenta uma história tocante de um forte laço de amizade capaz de durar a vida toda e da coragem de uma garota para enfrentar sua maior fragilidade: ela mesma.

 

2) Fantasma, de Jason Reynolds:

Fantasma é daqueles livros que cativam logo nos primeiros capítulos. Nele, nós vamos acompanhar a vida de Castle, um garoto negro, de origem humilde, que descobriu, na dor e no desespero, que correr era algo que ele realmente sabia fazer.

Finalista do National Book Award de 2016 — um dos prêmios literários de maior relevância no mercado — na categoria de literatura jovem, o livro aborda temas como desigualdade, bullying, invisibilidade social, amizade e racismo, além de discutir a importância do esporte na vida dos jovens, tudo isso em uma narrativa verossímil e sensível.

 

 3) Simon vs. a agenda Homo sapiens, de Becky Albertalli:

Os românticos que consideram justa toda forma de amor precisam conhecer e se apaixonar pelo Simon e pelo Blue, dois meninos do ensino médio que se correspondem virtualmente sem saber a verdadeira identidade um do outro. 

Simon vs. a agenda Homo sapiens é uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e dilemas que os adolescentes enfrentam.       

O livro também vai ser adaptado para os cinemas e terá Nick Robinson e Katherine Langford (a Hannah de 13 Reasons Why) no elenco.

 

4) Auggie e eu, de R. J. Palacio:

Como toda história tem dois lados,  Auggie & eu reúne contos extras sobre os personagens de Extraordinário. No livro temos a oportunidade de conhecer o ponto de vista de Julian, Christopher  e Charlotte, crianças que conviveram e tiveram sua vida impactada por Auggie. 

 

5) Para todos os garotos que já amei, de Jenny Han:

É impossível não se apaixonar e se emocionar com a escrita envolvente de Jenny Han. Os dilemas do primeiro amor, as decisões tomadas em uma fases mais importantes da vida, questões relacionadas à família e aos amigos são alguns dos temas abordadas na série.

No primeiro livro da trilogia, vamos conhecer Lara Jean, uma doce menina que guarda suas cartas de amor em uma caixa que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu — uma para cada garoto que amou. São confissões sinceras, sem joguinhos ou fingimentos. Até que, um dia, elas são misteriosamente enviadas aos destinatários e, de repente, a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma.

A história de Lara Jean será adaptada para os cinemas e as gravações já começaram.

testeDe homofobia à gordofobia, Becky Albertalli conquista leitores e Hollywood

Por Pedro Martins*

Depois de conquistar leitores em mais de trinta países com o bem-humorado e poético Simon vs. a agenda Homo Sapiens, Becky Albertalli volta às prateleiras de lançamentos com Os 27 crushes de Molly.

Poxa, crush! Por que não me notas?

Enquanto o maior conflito de Simon era o medo de que descobrissem sua homossexualidade, a questão de Molly é impossível de esconder: ela é gorda. Aos 17 anos, Molly já viveu 26 paixões, mas todas dentro de sua cabeça. Isso porque, temendo a rejeição, ela nunca sequer tentou se declarar para os crushes. No entanto, quando sua irmã começa a namorar, Molly se vê ainda mais solitária. Por sorte, um dos melhores amigos da cunhada é um garoto hipster, fofo e lindo: perfeito para o seu primeiro beijo. Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid. Fã de Tolkien, colega de trabalho e meio esquisito, Molly nunca se apaixonaria por ele, não é mesmo?

“Esse segundo livro foi muito mais difícil. Precisei reescrevê-lo sete vezes”, revela Becky ao blog da Intrínseca. “Ao contrário de Simon, Molly me trouxe questões que eu ainda não superei por completo, e escrever sobre essas coisas que me incomodam fez parte de um contínuo processo de superação.”

Quando viu a capa brasileira de Os 27 crushes de Molly pela primeira vez, Becky conta que não conseguia parar de admirá-la. “Além de ser bonita e de combinar com a capa de Simon, esta é a primeira vez que vejo uma garota parecida comigo numa capa de livro. Pode parecer bobo, mas capas como essa teriam me ajudado de verdade na adolescência”, diz a autora, elogiando o trabalho da designer Aline Ribeiro. “Leitores de outros cantos do mundo, que nem sabem português, estão encomendando a edição brasileira por se sentirem representados.”

Para a autora, a importância da representatividade está na reflexão não distorcida da realidade. “Eu quero ter certeza de que meus livros são lugares seguros e inclusivos para os meus leitores, muitos dos quais pertencem a grupos marginalizados pela sociedade”, explica. “É claro que no mundo existem problemas maiores do que um garoto enfrentando dificuldades com sua sexualidade ou do que uma garota que quer arranjar um namorado e não consegue, mas para mim era muito mais do que isso. Era desesperador me sentir excluída daquele jeito”, relembra a escritora, que antes de se dedicar à escrita trabalhava como psicóloga.

Pelo caminho da representatividade, Becky conquistou leitores como nunca havia imaginado. Publicada em dezenas de idiomas, a autora, que também é fangirl e já escreveu muita fanfic, hoje lida com histórias inspiradas em seus próprios livros. “Eu comecei a ler as fanfics assim que terminei meu último livro do universo de Simon, Leah on the Offbeat, porque agora não tenho mais medo de esbarrar em histórias que pudessem me influenciar”, conta. “Sempre me pedem para escrever um livro do ponto de vista de Blue, mas não é algo válido. Já sabemos de tudo que acontece; não teria suspense algum. Também não tenho interesse em continuar a história de Simon, pois o que me motiva a escrever é a ideia de formar casais. Mas é muito divertido revisitar esses personagens sob a visão dos leitores. Algumas cenas são escritas exatamente como eu as imaginava.”

Em 2016, como recordação de sua visita à Bienal do Livro de São Paulo, a autora levou para casa um exemplar de Simon autografado por seus leitores.

Em paralelo às fanfics, este ano Becky revisitou Simon de outra maneira ainda mais inesperada: nos sets de filmagem. Formalmente, a autora não tem nenhum cargo na produção, mas, à convite da direção, opinou em (quase) tudo: do roteiro à escolha do elenco. “Eles me mantiveram ciente de tudo e, para minha alegria, estávamos em sintonia. Também tive sorte de filmarem na cidade onde moro, Atlanta. Eu estava no set praticamente dia sim, dia não. Nunca me cansava.”

“Para respeitá-los, eu não quis dar dicas aos atores sobre seus personagens, mas todos foram maravilhosos”, acrescenta, orgulhosa. “Nick Robinson (Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros) se transformou em Simon de corpo e alma, e Katherine Langford (13 Reasons Why), por exemplo, já era fã do livro, então a gente conversava muito no set.”

Becky com figurantes no set do filme: “Os estudantes mais legais da Creekwood!”

As filmagens terminaram em abril e, mesmo não tendo assistido ao filme finalizado, Becky já tem uma cena favorita, que, inclusive, não está no livro. Trata-se de quando Simon revela a sexualidade para sua mãe. “Eu nunca me esquecerei daquele momento. Dos produtores aos jornalistas que estavam nos visitando, ninguém conseguia parar de chorar”, relembra, emocionada. “Eu estou tão ansiosa para assistir ao filme que a primeira coisa que faço assim que acordo é checar no meu e-mail se o convite chegou!”

Produzido pela mesma equipe que levou A culpa é das estrelas para os cinemas, Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens deve chegar às telonas em março de 2018. Por enquanto, se você se apaixonou por Simon, conheça Molly, já nas livrarias!

 

*Pedro Martins descobriu a magia da leitura aos oito anos por meio dos livros de J.K. Rowling. Essa paixão o levou a ser gerente de conteúdo do Potterish.com e o empurrou em direção ao jornalismo, possibilitando-o escrever sobre literatura para diversos portais, do britânico The Guardian ao brasileiro Omelete.

testeSe apaixonou por Simon? Em agosto você vai conhecer Molly, no novo livro de Becky Albertalli

Becky Albertalli encantou milhares de leitores com o sensível Simon vs. a agenda Homo Sapiens, romance que chegará ao cinemas em 2018 e que contará com um elenco incrível composto por nomes como Katherine Langford, Nick Robinson, Keiynan Lonsdale e Miles Heizer.

Em agosto, a autora — que participou da última Bienal Internacional do Livro de São Paulo — vai apresentar aos leitores brasileiros outra personagem inesquecível: Molly, uma garota que já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça.

Os 27 crushes de Molly chega às livrarias a partir de 14 de agosto (já em pré-venda) e conta como a menina de dezessete anos acumulou tantas paixões. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que Molly precisa ser mais corajosa, a garota não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então, age com muito cuidado. Para ela, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas.

Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e de quebra se reaproximar da irmã.

Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo?     

Em Os 27 crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.