teste12 livros que podem salvar (ou não) sua pele caso o planeta seja destruído

DiaDaToalha

No Dia da Toalha, os especialistas em sobrevivência da Intrínseca listaram 12 livros que podem ajudá-lo (ou não) a salvar sua pele. Após exaustivas pesquisas, detectamos quatro comportamentos clássicos mediante cataclismos. Mas tenha em mente que nem todos podem garantir sua sobrevivência.

 

Essa é sua chance! Com base em tudo o que você já leu, esse pode ser o seu momento de salvar o mundo! Ainda não leu nada que possa ajudar? Bom, temos algumas dicas…

DiaDaToalha4

1 – Aniquilação, de Jeff VanderMeer: Quem sabe, se você prestar bastante atenção, consiga achar um jeito de não se dar mal. A bióloga da 13ª expedição a Área X precisou se lembrar de todas as suas experiências observando a natureza para (tentar) entender as bizarrices que aconteciam por lá.

2 – Frank Einstein e o motor antimatéria, de Jon Scieszka: Se interessar por ciência é muito importante, mas é preciso ser criativo para aproveitar TUDO que temos em volta. Você pode ser a salvação do seu povo. Ou faça amizade com o Frank, certeza de que ele terá um plano incrível.

3 – Breve história do tempo, de Stephen Hawking: Nunca subestime o conhecimento. Sempre dá para usar física quântica para explicar por que não é uma boa ideia destruir seu planeta para construírem uma rodovia espacial.

 

O mundo vai acabar… E EU COM ISSO? Sério, você já rala demais todo dia. Não tem por que correr atrás de salvar o mundo também. Duvida? Talvez você se identifique com esses livros…

DiaDaToalha5

4 – O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman: Às vezes o melhor é simplesmente ficar na sua. Talvez, se tivesse ouvido Lettie, o protagonista de O oceano, não teria se enfiado numa furada tão grande.

5 – Selva de gafanhotos, de Andrew Smith: Um apocalipse em forma de louva-a-deus canibais e tarados provocado por dois adolescentes. Como sobreviver baseado nessa história? Simples! Faça o contrário de tudo que Austin e Robby fizerem.

6 – Listografia, de Lisa Nola: Talvez não dê tempo de escrever uma biografia inteira para deixar para os arqueólogos aliens que com certeza vão xeretar os destroços do planeta para provar que, apesar de meio ingênua, nossa espécie tinha capacidade artística e cultural. Mas algumas listas devem conseguir exprimir toda a sua individualidade e transformá-lo em um exemplo da raça humana.

 

Xi, não deu… seu planeta já foi destruído… Mas espere! Você conseguiu entrar numa nave e escapar!

DiaDaToalha6

7 – O olho do mundo, de Robert Jordan: Viagens espaciais são LONGAS. Muito longas. Aquele livrinho de 240 páginas não vai dar conta de te distrair. Uma série de livros grandes e um universo complexo é mais garantida. Dica: se precisar economizar espaço na bagagem, leia em e-book.

8 – Silo, de Hugh Howey: O confinamento também pode ser problemático e te deixar meio doido. Pouco espaço, sabe? Faça igual aos habitantes do silo e mantenha seu ambiente limpo. Apresentação é tudo e pode manter sua sanidade mental (por um tempo).

9 – Como o Google funciona, de Eric Schmidt e Jonathan Rosenberg: Okay, okay, não deu pra salvar o planeta. Tudo bem. Se você foi esperto e conseguiu se enfiar uma nave, deve estar pronto para começar seu próprio império de informação em outro lugar.

 

Tá, na verdade o planeta não foi destruído. Mas vai que… Nunca é cedo demais para se preparar para um apocalipse. E nada melhor que aprender com quem já tem experiência no assunto.

DiaDaToalha7

10 – Endgame, de Nils Johnson-Shelton e James Frey: Doze tribos treinam heróis para vencer um jogo criado por seres de outro planeta. Quer um manual melhor que esse de como agradar aqueles que vão destruir o seu planeta? Hora de procurar as chaves, parceiro.

11- Léxico, de Max Barry: Habilidades especiais são muito úteis em caso de apocalipse. Comece a exercitar sua mente. A arte de mover objetos e convencer pessoas será essencial para sua sobrevivência. Afinal, é primordial estar na primeira nave.

12 – O colapso de tudo, de John Casti: Não adianta aprender a sobreviver se os  humanos acabarem com o planeta antes. É preciso estar preparado para outras possíveis catástrofes, o que o manterá vivo para, sabe como é, ver seu planeta dar lugar a uma via expressa.

 

testeKEEP YA WEIRD (ou a arte de fazer livros incríveis)

Por Talitha Perissé*

Austin Szerba cresceu em Ealing, no Meio-Oeste dos Estados Unidos. Como se já não fosse difícil ser adolescente numa cidade pequena, Austin tem que lidar com a confusão de seus hormônios: ele está apaixonado pela namorada, Shann, mas sente algo pelo melhor amigo, Robby Brees. Para piorar, Austin e Robby provocam o apocalipse, com o surgimento de um exército indestrutível de louva-a-deus canibais de um metro e oitenta de altura. Nesse cenário, somente o jovem Austin poderá salvar a humanidade de seu fim.

Memes_1

Pareceu estranho? Ficou confuso? Pois não se desespere. Essa é a trama do livro Selva de gafanhotos, de Andrew Smith.

Na verdade, pode ficar um pouquinho confuso, sim. Confusão é o primeiro estágio da nova relação de amor que você vai criar. São quatro etapas:

1) Ao ler a sinopse:

Memes_2

 

2) Ao começar o livro:

Memes_3

 

3) No meio do livro:

Memes_4

 

4) Ao terminar o livro:

Memes_5 (2)

Os livros de Andrew Smith são considerados “inclassificáveis”, por terem tramas atípicas e personagens muito realistas. Mas, por trás de histórias nada convencionais, existem protagonistas que vivem dramas extremamente reais. Tudo muito bem costurado por uma narrativa poderosa.

link-externoLeia um trecho de Selva de gafanhotos

E Andrew não é o único autor a deixar nossa vida mais esquisita. Na trilogia Comando Sul, iniciada com Aniquilação, Jeff VanderMeer conta a história de uma área misteriosa e isolada onde a natureza predomina. Todas as missões de reconhecimento da região falharam, resultando no desaparecimento dos pesquisadores e na morte de alguns deles logo após retornarem para suas famílias.

Com o objetivo de promover o experimentalismo na literatura YA e celebrar a imaginação nos livros que tanto amamos, Andrew Smith lançou uma campanha denominada KEEP YA WEIRD, convidando todos os leitores a participar!

KeepYAWeird_Logo_square

Funciona da seguinte maneira: cada um deve postar no Twitter os cinco livros mais estranhos e incríveis que já leu, com a hashtag #keepYAweird.

E você? Quais foram os livros mais estranhos que já leu?

Memes_6

 

Talitha Perissé é assistente de Aquisições na Editora Intrínseca e acredita que a comunicação via gifs foi uma das melhores invenções do mundo.

testeLançamentos de março

EstanteIntrinseca_Mar2015_433x319px

A Segunda Pátria, de Miguel Sanches Neto — Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, Getúlio Vargas alia-se ao Terceiro Reich. Neste cenário alternativo, o escritor paranaense desenvolve uma surpreendente história de amor enquanto subverte os fatos para criar um Brasil que não está nos livros de história, mas que nem por isso deixa de ser assustadoramente plausível. [+]
Leia um trecho.
link-externoLeia também: Biografia de um livro

Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty — Em seu novo romance, a autora do best-seller O segredo do meu marido coloca em cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos familiares para nos lembrar das perigosas meias verdades que contamos a nós mesmos para sobreviver. [+]
Leia um trecho

Circo invisível, de Jennifer Egan — O surpreendente romance de estreia de Jennifer Egan, escritora norte-americana que recebeu o Prêmio Pulitzer de Ficção pelo livro A visita cruel do tempo, em 2011, narra a história de uma família marcada pelos extremos dos anos 1960 e aborda os impactos provocados pela morte, pela utopia e pelo tempo. [+]
Leia um trecho

Ordem, de Hugh Howey — No segundo volume da trilogia Silo, a história volta a um período anterior, explicando como o mundo de Juliette foi transformado. O livro revela as decisões, tomadas por alguns poucos poderosos, que foram o estopim das bilhões de mortes que deixaram a humanidade em vias de extinção. [+]
Leia um trecho

A arte de pedir, de Amanda Palmer — Cantora, compositora, ícone indie e feminista, Amanda Palmer é o retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Em A arte de pedir, ela incita o leitor a superar seus medos e reconhecer o valor de precisar e de pedir ajuda. [+]
Leia um trecho
link-externoLeia também: conheça Amanda Palmer

Selva de Gafanhotos, de Andrew Smith — Um mal resolvido triângulo amoroso-sexual, insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo e muita confusão. Engraçado, intenso e complexo, Selva de Gafanhotos fala de um jeito inovador sobre a adolescência. [+]
Leia um trecho

Um brinde a isso, de Betty Halbreich com Rebecca Paley — Há quase 40 anos, Betty Halbreich comanda o departamento de compras personalizadas da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Combinando moda com relatos sobre sua vida pessoal, Betty mostra que o verdadeiro estilo de uma mulher não está impresso nos cortes, tecidos e etiquetas que ela veste, mas na história que tem para contar. [+]

A última dança de Chaplin, de Fabio Stassi — Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. Com 82 anos e desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida. [+]
Leia um trecho

Filhotes submarinos, de Seth Casteel — Depois do sucesso de Cachorros submarinos, o premiado fotógrafo e ativista em defesa dos direitos dos animais Seth Casteel retrata cachorrinhos na primeira fase da vida. São mais de 80 cliques inéditos de filhotes cheios de energia e disposição dentro d’água. [+]
Leia um trecho

Dentista sinistra, de David Walliams — Alfie tem 12 anos e um coração enorme, tão grande quanto seu medo de dentista. Ele não sabe o que fazer quando o obrigam a se consultar com a nova dentista da cidade: uma mulher mais arrepiante que prova de matemática. [+]
Leia um trecho