testeBem-vindo 2012! Veja o que 2011 lhe reservou

Uma lista com os melhores livros publicados em 2011 nos apresenta mais do que uma retrospectiva do ano que se despede, é também um indicativo das expectativas reservadas para o próximo. Além da habitual seleção entre as obras já publicadas, escolhidas conforme a recepção do público e da crítica, as listas internacionais de final de ano são um bom termômetro para medir o impacto do que chegará por aqui. Em meio aos livros destacados por alguns dos veículos de maior prestígio em 2011, estão alguns títulos que publicaremos: The Art of Fielding, de Chad Harbach, presente nas listas do The New York Times e da Amazon; State of Wonder, de Ann Patchett, destaque na Publishers Weekly, no The Washington Post e na revista Time; In the Garden of Beasts (No jardim das feras), de Erik Larson, o 10° livro de não ficção mais vendido nos EUA e indicado na seleção da Amazon; The Night Circus (O circo da noite), de Erin Morgenstern, também entre os 10 mais da Amazon; e Inferno, de Max Hastings, presente na lista da Time.

Última retrospectiva de 2011 — Os melhores títulos publicados

Entre os 50 títulos publicados em 2011, A lebre com olhos de âmbar — relato de Edmund de Waal sobre a trajetória de sua família que tem como ponto de partida uma coleção de netsuquês (miniaturas japonesas entalhadas em madeira) — foi considerado pela crítica nacional um dos melhores livros do ano. Em meio aos personagens dessa história real está Charles Ephrussi, merchant que serviu de inspiração para Marcel Proust na criação do esteta Swann de Em busca do tempo perdido. Proust também é referência em Como Proust pode mudar sua vida, livro do filósofo Alain de Botton, reeditado em 2011, que analisa os ensinamentos presentes na obra e na correspondência do autor francês. De Botton, a propósito, esteve em novembro no país para lançar o inédito e polêmico Religião para ateus, uma defesa ao reconhecimento de conceitos religiosos como importantes aliados para mudanças culturais na sociedade contemporânea.

Grito de guerra da mãe-tigre, da sino-americana Amy Chua, também foi destaque no ano. A professora de Direito da Universidade de Yale chocou a opinião pública ao apresentar os métodos rígidos utilizados na educação das duas filhas, estudantes brilhantes. Mais um relato real, só que direto da zona de conflito, é Guerra, do jornalista Sebastian Junger. Além do livro, sua experiência de quinze meses no Afeganistão, ao lado das tropas americanas, resultou no documentário Restrepo, indicado ao Oscar. Outras disputas norte-americanas, agora nos bastidores da corrida presidencial, foram retratadas em Virada no jogo – Como Obama chegou à Casa Branca, de John Heilemann, colunista da revista NewYork, e Mark Halperin, da Time.

Entre as ficções que se sobressaíram, muitas foram — ou estão sendo — adaptadas para o cinema. É o caso da história do casal Dexter e Emma, personagens do romance Um dia, de David Nicholls, cuja versão cinematográfica estreou recentemente em circuito nacional. Precisamos falar sobre o Kevin, romance de Lionel Shriver vencedor do Prêmio Orange de 2005, entra em cartaz em 27 de janeiro, e a protagonista, Tilda Swinton, está concorrendo ao Globo de Ouro de melhor atriz. Em 2011 publicamos outro livro da autora, Dupla Falta, que explora a relação de um casal de tenistas e as consequências da competição extrema entre marido e mulher. Já a adaptação do thriller O hipnotista é dirigida pelo sueco Lasse Hallström e tem estreia prevista para este ano. No primeiro título da trilogia de Lars Kepler, a única testemunha de um massacre está traumatizada demais para falar e, na tentativa de solucionar o caso, o detetive Joona Linna recorre a um ex-hipnotista.

Em  2011 também tivemos Bienal do Livro no Rio de Janeiro, em que Alyson Noël  lançou Infinito, o sexto e último título da série Os imortais. A autora, que já vendeu mais de 300 mil exemplares no Brasil, embarcou em uma turnê de lançamentos pelas cidades de Brasília, Campinas, Curitiba, Salvador e São Paulo. Ainda para os jovens leitores, foram publicadas duas obras de Rick Riordan, o ex-professor de história que se transformou em fenômeno editorial. As aventuras foram O herói perdido, da série Os heróis do Olimpo, e O trono de fogo, de As crônicas dos Kane.

Fechando o ano, A parisiense – O guia de estilo de Ines de la Fressenge, de Ines de la Fressange e Sophie Gachet, tornou-se o hit do verão. No guia, que já vendeu mais de 300 mil exemplares em todo o mundo, a modelo exclusiva de Chanel nos anos 1980, atual rosto internacional da L’Oréal e ícone da elegância na França conta o que aprendeu sobre estilo e beleza durante décadas de experiência na indústria da moda.

testeEstante Intrínseca

Conheça os títulos que foram lançados em junho pela Intrínseca:

 

Amanhã você vai entender, Rebecca Stead
Lançamento 06/06

Miranda está em meio a um grande enigma. Um estranho pode ter invadido sua casa, seu melhor amigo foi agredido na rua e uma série de bilhetes, que ela não compreende nem sabe quem escreve, alerta sobre a morte de alguém. Alguém que ela poderá ajudar a salvar. Miranda é a protagonista de Amanhã você vai entender, uma surpreendente fantasia ambientada na Nova York do final da década de 1970, que recebeu a Medalha Newbery, prêmio da American Library Association destinado às mais importantes contribuições norte-americanas à literatura jovem. [+]

Leia o primeiro capítulo.

 

Guerra, Sebastian Junger
Lançamento 07/06

Durante quinze meses, Sebastian Junger acompanhou um pelotão de infantaria do exército dos Estados Unidos baseado numa remota área do leste do Afeganistão. A intenção era ao mesmo tempo simples e ambiciosa: transmitir a experiência dos que lutam em um campo de batalha, contar como se sente quem participa de uma guerra. Da vivência resultaram o o livro Guerra, escrito por Junger, e o documentário Restrepo, vencedor do Grand Jury Prize do Festival de Sundance e indicado ao Oscar de melhor documentário de 2010.  [+]

Leia o primeiro capítulo.

 

 

Os pinguins do Sr. Popper, Richard e Florence Atwater
Lançamento 09/06

Originalmente publicado em 1938, Os pinguins do Sr. Popper é um clássico da literatura infantil norte-americana escrito pelo casal Richard e Florence Atwater. Vencedor do Prêmio Newbery Honor de 1939, lançado pela primeira vez no Brasil pela Intrínseca, com ilustrações assinadas por Robert Lawson.

A adaptação cinematográfica da história, Os Pinguins do Papai, protagonizada por Jim Carrey, estreiou em 1° de junho nos cinemas brasileiros. [Assista ao trailer] [+]

Leia o primeiro capítulo.

 

 

Axolotle atropelado, Helene Hegemann
Lançamento 20/06

Romance de estreia da alemã Helene Hegemann, Axolotle atropelado é uma obra feroz que conquistou a crítica literária e se transformou em fenômeno editorial. A narrativa das experiências de uma jovem de 16 anos, radicalmente influenciadas pelo uso de drogas, mescla alucinações e realidade, em uma sucessão de acontecimentos paradoxais e incomuns. [+] Leia o primeiro capítulo.

 

 

 

 

Próximos lançamentos:


Estrela da noite, de Alyson Noël
Lançamento 12/07

No quinto livro da série Os imortais, Haven está certa de que Ever é responsável pela morte de Roman e está determinada a destruí-la. Seu primeiro passo é separá-la de Damen, e, para isso, conta com a arma ideal: um segredo terrível sobre suas vidas passadas, que lançará uma nova luz sobre o relacionamento de Ever e Jude.

Obrigada a enfrentar seus maiores medos com relação ao companheiro que escolheu para a eternidade, Ever é lançada em um combate mortal contra Haven, que poderá significar a destruição de todos. [+]
Leia o primeiro capítulo.

 

Dupla falta, Lionel Shriver
Lançamento 15/07

A vida de Willy Novinsky é o tênis, e amá-la significa amar o seu jogo. Willy conduz à desconcertante incursão psicológica de Lionel Shriver em Dupla falta, que expõe o universo de um casal de tenistas profissionais e a delicada relação em que marido e mulher estão em lados opostos da rede. Originalmente publicado em 1998, nos Estados Unidos, Dupla falta apresenta os sentimentos inconfessáveis que se tornaram a marca da escritora em obras posteriores como Precisamos falar sobre o Kevin — vencedor do Prêmio Orange de 2005 — e  O mundo pós-aniversário. [+]
Leia o primeiro capítulo.

 

Antes que eu vá, Lauren Oliver
Lançamento 19/07

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no colégio. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder. [+]
Leia o primeiro capítulo.

 

 

testeA Guerra de Tim e Tim

Foto de Tim Hetherington do conflito no vale Korengal, Afeganistão.

 

Por Bruno Correia*

Há alguns meses, entramos em contato com Tim Hetherington, fotógrafo que acompanhou Sebastian Junger em algumas de suas incursões ao Afeganistão, para usarmos suas fotos na capa da nossa edição de Guerra. Tudo acertado, autorização cedida, solicitamos a ele o envio da fatura para o pagamento de sua comissão. Gentilmente, ele informou que estaria viajando por um mês, e que quando retornasse nos encaminharia a fatura.

Três semanas mais tarde, soubemos por jornais de todo o mundo que Tim havia sido morto na Líbia, atingido por um morteiro enquanto cobria os conflitos na cidade de Misurata. A notícia nos deixou perplexos: diariamente entramos em contato com fotógrafos, ilustradores e capistas para produzir a arte de nossos livros. Nunca esperamos que pessoas com quem falamos cotidianamente fossem vitimadas em combate. Ao mesmo tempo, Tim nunca deixaria transparecer em seus e-mails o risco de sua próxima — e infelizmente, derradeira — empreitada. Só soubemos que ele estava na Líbia cobrindo os embates entre as forças do presidente Khadafi e insurgentes rebeldes quando vimos a triste notícia.

Lendo Guerra, não pude deixar de lembrar de outro Tim, um piloto de caça australiano que há cinco anos veio de férias ao Rio de Janeiro e se apaixonou por minha melhor amiga. Em 2007, antes de partir para seis meses de combate no Afeganistão, Tim a pediu em casamento. No livro, Sebastian Junger menciona como se comporta o piloto de caça e seu oficial de radar diante do estresse da rotina no front. Segundo uma pesquisa feita durante a Guerra do Vietnã, em uma missão, o nível de estresse do piloto é muito mais alto que o de seu companheiro. Mas, fora de combate, o primeiro consegue “se desligar” da sua tensão, ao passo que o segundo convive diariamente com níveis mais altos de estresse — talvez por sua sobrevivência depender essencialmente da perícia de outro homem. Tim retornou são e salvo, e no começo de 2009 eles se casaram.

Toda a serenidade de Tim não condizia com o que se espera de um piloto de caça (ainda mais com tantos filmes mostrando-os como sujeitos enlouquecidos e viciados em adrenalina). De repente, o livro de Junger me ajudava a entender um pouco daquele homem tão simpático que tanto encantara a minha melhor amiga. Assim como as possíveis motivações que levaram Tim Hetherington para mais um conflito. Em seu relato franco, Junger explica o inegável fascínio que a guerra exerce sobre o homem, porque muitos falham ao retornar à vida cotidiana, e nos ajuda, ao menos, a conceber como funcionam homens como os “Tims”, de certa forma tão próximos do nosso convívio, ao enfrentar as banalidades da vida civil após a sua experiência em guerras.

* Bruno Correia é assistente de direitos autorais da Intrínseca.

testeFora da guerra: Sebastian Junger não cobrirá novos conflitos

Sebastian Junger e Tim Hetherington, no Afeganistão.

 

O jornalista Sebastian Junger, autor de Guerra e codiretor de Restrepo, não mais cobrirá a linha de frente de conflitos. De acordo com entrevista publicada pelo jornal Los Angeles Times, Junger tomou essa decisão após a morte de Tim Hetherington, seu amigo e fotojornalista que o acompanhou ao Afeganistão para as filmagens de Restrepo, ocorrida em abril, na Líbia, durante a cobertura dos combates entre as tropas de Muammar Kadafi e oposicionistas.

 

“A morte de Tim fez com que a cobertura de guerra se revelasse um esforço egoísta”, disse Junger que, casado há seis anos, pretende ter filhos em breve. No entanto, a despeito de sua decisão de afastar-se do front, Junger acredita que a guerra, com sua violência e sua inerente luta pela sobrevivência, para além do interesse jornalístico, constitui uma das narrativas mais fortes, importantes e cativantes do imaginário humano. “Isso é o cérebro masculino, isso é a sociedade humana em vários sentidos”, diz o autor.

 

Com uma prosa vigorosa e nervosa, em Guerra prevalece o aspecto humano e os sentimentos catalisados pelo conflito: o medo, a honra e a confiança desenvolvida entre os soldados. Não à toa, o relato tem sido comparado pela crítica às obras cânones do jornalismo literário, como Despachos do Front, de Michael Herr — retratando a guerra do Vietnã —, e às reflexões de Ernest Hemingway e George Orwell a respeito da Primeira Guerra Mundial e da Guerra Civil Espanhola.

 

Sobre Tim Hetherington, Junger afirma ainda que foi o amigo quem “abriu seus olhos” para a complexidade da experiência visual. Assim, quando organizava o material para o livro, o parâmetro adotado foi a possível forma que Tim usaria para ordenar as informações, de maneira não linear, porém com estruturas mais profundas, capazes de refletir a experiência humana. Empregando esse conceito, o autor separou Guerra em três partes: “Medo”, que aborda as emoções primárias e toda a fragilidade que sobressaem do conflito; “Matança”, que descreve as táticas militares, o jogo político a da sedução da alta tecnologia bélica; e, a terceira e última parte, “Amor”, que explora as relações de afeto e lealdade desenvolvidas entre os soldados, que vão muito além de qualquer ideologia.

 

Durante quinze meses, Sebastian Junger e Tim Hetherington conviveram com um pelotão de infantaria do exército dos Estados Unidos, baseado no vale Korengal, uma remota área do leste do Afeganistão. Das cinco viagens à região, feitas entre junho de 2007 e junho de 2008 resultaram o documentário Restrepo (codirigido por Hetherington), vencedor do Grand Jury Prize do festival de Sundance e indicado ao Oscar de melhor documentário de 2010, e o livro Guerra de Junger, publicado pela Intrínseca em junho.

 

Fonte: Los Angeles Times

 

 

testeEstante Intrínseca

Conheça os títulos que foram lançados em maio pela Intrínseca:

 

Um dia, David Nicholls
Lançamento 11/05

Dexter Mayhew e Emma Morley conheceram-se após a formatura, passaram uma noite juntos e, o dia seguinte, 15 de julho de 1988, os acompanhará pelos próximos vinte anos. Ambos sabem que deverão trilhar caminhos diferentes, mas depois desse encontro não conseguem parar de pensar um no outro. [+]

Esse jovem casal protagoniza Um dia, romance do inglês David Nicholls, que também assina o roteiro da sua adaptação para os cinemas. A comédia romântica, dirigida por Lone Scherfig (Educação), é protagonizada por Anne Hathaway e Jim Sturgess. [Assista ao trailer]

Leia o primeiro capítulo.

 

Os ladrões de cisne, Elisabeth Kostova
Lançamento 02/05

O retrato de uma obsessão e de diferentes amores sob a palheta do tempo. Partindo da investigação de um psiquiatra sobre um novo paciente, Os ladrões de cisne, de Elisabeth Kostova (autora de O historiador) revela habilmente o universo da pintura — muitas vezes, repleto de paixão, criatividade, segredos e loucura — e compõe um thriller que alia as imagens detalhadas de grandes obras de arte a uma intrigante história de amor.[+]

Leia o primeiro capítulo.

 

 

 

Lonely Hearts Club, Elizabeth Eulberg
Lançamento 02/05

Penny Lane Bloom cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. [+]

Leia o primeiro capítulo.


 

 

Razão e sensibilidade e monstros marinhos, Ben H. Winters
Lançamento 03/05

Composto de 60% da obra de Jane Austen e 40% do humor e da aventura de Ben H. Winters, Razão e Sensibilidade e Monstros Marinhos funde o magistral retrato da Inglaterra da Regência – e seu provocante comentário social – às descrições ultraviolentas do embate entre humanos e bestas marinhas. Preservando a estrutura do romance original, inclusive muitas de suas linhas mais famosas, Winter introduz à trama o fenômeno da “Alteração”, responsável pela revolta dos animais marinhos contra as criaturas da terra. [+]

Leia o primeiro capítulo.

 

 

 

Radiante, Alyson Noël
Lançamento 18/05

Riley Blomm, a irmã caçula de Ever, da série Os imortais, é a heroína da nova série de Alyson Noël. Em Radiante, após o acidente que a matou, Riley deixou sua irmã no mundo que conhecemos e atravessou a ponte da vida até Aqui, onde o tempo é sempre Agora. Riley reencontrou os pais, também vítimas do desastre, e Buttercup, o cão da família. Ela então foi chamada perante o Conselho e um segredo lhe foi revelado:  a pós-vida não significa simplesmente uma eternidade de lazer. Riley tem tarefas a realizar.  [+]

Leia o primeiro capítulo


 

 

O herói perdido, Rick Riordan
Lançamento 20/05

Novos e conhecidos personagens do Acampamento Meio-Sangue dividem espaço nesse primeiro volume da série Os heróis do Olimpo. Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson e os Olimpianos com ainda mais aventuras, humor e mistério. Em O herói perdido, três novos semideuses foram resgatados de uma escola para crianças problemáticas e levados ao Acampamento Meio–Sangue, onde se preparam para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia.[+]

Leia o primeiro capítulo.

 

 

 


Próximos lançamentos:


Amanhã você vai entender, Rebecca Stead
Lançamento 06/06

Miranda está em meio a um grande enigma. Um estranho pode ter invadido sua casa, seu melhor amigo foi agredido na rua e uma série de bilhetes, que ela não compreende nem tampouco sabe quem escreve, alerta sobre a morte de alguém. Alguém que ela poderá ajudar a salvar. Miranda é a protagonista de Amanhã você vai entender, uma surpreendente fantasia ambientada na Nova York do final da década de 1970, recebeu a Medalha Newbery, prêmio da American Library Association destinado às mais importantes contribuições norte-americanas à literatura jovem.

Leia o primeiro capítulo.

 

Guerra, Sebastian Junger
Lançamento 07/06

Durante quinze meses, Sebastian Junger acompanhou um pelotão de infantaria do exército dos Estados Unidos baseado numa remota área do leste do Afeganistão. A intenção era ao mesmo tempo simples e ambiciosa: transmitir a experiência dos que lutam em um campo de batalha, contar como se sente quem participa de uma guerra. Da vivência resultaram o documentário Restrepo, vencedor do Grand Jury Prize do Festival de Sundance e indicado ao Oscar de melhor documentário de 2010, e o livro Guerra,  escrito por Junger.  [+]

Leia o primeiro capítulo.

 


 

Os pinguins do Sr. Popper, Richard e Florence Atwater
Lançamento 09/06

Originalmente publicado em 1938, Os pinguins do Sr. Popper é um clássico da literatura infantil norte-americana escrito pelo casal Richard e Florence Atwater. Vencedor do Prêmio Newbery Honor de 1939, será lançado pela primeira vez no Brasil pela Intrínseca, com ilustrações assinadas por Robert Lawson.

A adaptação cinematográfica da história, Os pinguins do papai, será protagonizada por Jim Carrey e tem estreia prevista para julho nos cinemas brasileiros. [Assista ao trailer] [+]

Leia o primeiro capítulo.