testeLivros que você não pode deixar de conhecer na Bienal de São Paulo

BIENAL_JOJO_MOYES

Esperamos todos vocês no nosso estande da Bienal Internacional de São Paulo (F30)! Além da chance de conhecer seus autores preferidos e de encontrar outros leitores, a Bienal é o lugar ideal para descobrir livros incríveis.

>> Veja a programação completa do nosso estande na Bienal

Confira nossa seleção de livros e autores:

 

– Jojo Moyes

jojo_moyes

Se você gosta de romances e de personagens inesquecíveis, precisa conhecer as obras da britânica Jojo Moyes. Autora do sucesso Como eu era antes de você, que inspirou o filme protagonizado por Emilia Clarke e Sam Claflin, Jojo Moyes têm uma legião de fãs no mundo todo e outros seis romances já publicados pela Intrínseca.

 

1IM_red

 

Coleção Como Lidar

livros_como_lidar

Sim, a vida adulta é muito difícil: repleta de contas para pagar, ansiedade com relação a aparência, relacionamentos… Mas não se preocupe, se você não sabe como lidar com os muitos problemas da vida adulta, ainda assim é possível rir um bocado deles.

A Coleção Como Lidar reúne guias simples e ultradidáticos sobre questões clássicas que atormentam uma parcela considerável dos que já atingiram a maioridade: como lidar com os encontros? Como sobreviver à ressaca? Como compreender o hipster? E como funcionam dois seres para lá de enigmáticos: o marido e a esposa?
 

– Série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares

chegadadegráfica

Com fotografias sinistras e uma narrativa emocionante, o sombrio universo criado por Ransom Riggs estreará nos cinemas no final de setembro, com direção de Tim Burton!

Biblioteca de almas, terceiro e último volume da saga, já está nas livrarias. Nele, Jacob e seus companheiros continuam empenhados na batalha pela sobrevivência dos peculiares iniciada em Cidade dos etéreos.

E tem mais! Dia 3 de setembro, dia da Fenda Temporal da srta. Peregrine, a Intrínseca lançará na Bienal Contos peculiares, o livro dentro dos livros. A coletânea de contos, citada ao longo da série, reúne histórias que os jovens peculiares escutam sua protetora contar e recontar.

 

Obras de autores que estarão na Bienal:

 

Simon vs. a agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli

SIMON_FOTO
Simon troca e-mails anônimos com Blue. Eles são dois garotos gays que só confiam um no outro para se abrir e discutir sobre suas identidades, desejos e medos mais íntimos. Durante a troca de mensagens os dois acabam se apaixonando. O livro discute também o que deve ser o padrão. Por que a heterossexualidade é o padrão?  Por que ser branco é o padrão? Simon analisa todos esses estereótipos de um jeito sensível e perpicaz.

Becky Albertalli participa do bate-papo “A diversidade na literatura para jovens adultos” na Arena Cultural, no sábado, 3/09, às 19h. A sessão de autógrafos será no dia seguinte, ao meio-dia, em nosso estande.

 

Os Dois Terríveis ainda piores, de Jory John e Mac Barnett, ilustrado por Kevin Cornell

Mac 3
A dupla mais terrível de Vale do Bocejo está de volta, e agora os dois amigos precisarão ser mais inteligentes e desordeiros do que nunca se quiserem dar fim a um vilão alérgico a brincadeiras e felicidade.

Mac Barnett participa do bate-papo “A importância da ilustração na literatura infantil: a identificação das crianças com as imagens” na quinta-feira, 1/09, às 11h, na Arena Cultural. O encontro será seguido por sessão de autógrafos.

 

Pó de lua nas noites em claro, de Clarice Freire

1IMG_6502_red
Em seu segundo livro, Clarice vira a madrugada ao avesso em palavras e imagens, dedicando uma hora a cada capítulo, da meia-noite ao amanhecer. O livro alterna passagens em prosa e poesia, acompanhando sua personagem durante um longo e mágico passeio pela cidade quase deserta.

Clarice participa de sessão de autógrafos no nosso estande no domingo, 28/08, às 15h.

 

Ilustre Poesia Eu me chamo Antônio, de Pedro Gabriel

ilustre poesia
Desta vez, Antônio procura escapulir do confinamento nos quadradinhos de papel dos guardanapos e ganhar a liberdade. Ao mesmo tempo, explora galáxias, as profundezas do mar e os confins da terra em textos de prosa poética que podem ser lidos como uma espécie de correspondência com o personagem. O senso de humor, a irreverência e o gosto pelos trocadilhos são compartilhados por Antônio e seu poeta.

Pedro Gabriel participa de sessão de autógrafos no nosso estande no sábado, 27/08, às 15h.

 

Gentil como a gente, de Fernanda Gentil

instagrameventogentil
Com leveza e humor, Fernanda Gentil conta uma história de amores vivida por uma família singular e ao mesmo tempo igual à de todo mundo. Mocinha (ou Fernanda?) briga e, com a frequência de eclipses lunares, pede desculpas. Quando quer, sabe ser fofa. E mostra-se craque em entender as diferenças entre o feminino e o masculino, mata no peito, sai de impedimento, bota para escanteio e bate um bolão. Porque o que Fernanda mais quer é fazer e ser feliz. Sem firulas. Gentil. Como a gente.

Fernanda participa de sessão de autógrafos no nosso estande na quarta-feira, 31/08, às 18h.

 

Não se iluda, não, de Isabela Freitas

instagram_NaoSeIludaNao_4

Em seu segundo livro, Isabela Freitas dá sequência às histórias dos personagens de Não se apega, não. Dessa vez, com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão, a protagonista vai em busca daquilo que seu coração realmente deseja, mesmo quando o caminho é acidentado e cada curva parece esconder uma nova surpresa.

Isabela participa do bate-papo “A relação entre a realidade e a fantasia na autoficção” na Arena Cultural na terça-feira, 30/08, às 11h.

 

Tudo tem uma primeira vez, de Vitória Moraes (Viih Tube)

foto_tudotemumaprimeiravez2
Como foi o seu primeiro beijo? E a primeira vez que teve coragem de dizer “eu te amo” para alguém? Ou que vacilou feio com uma amiga? Em Tudo tem uma primeira vez, Vitória Moraes, a Viih Tube, fala abertamente e com muito bom humor sobre os grandes (e primeiros) momentos da adolescência.

Viih autografa seu livro no domingo, 28/08, às 14h no estande da Saraiva.

 

História do futuro, de Míriam Leitão

2IMG_6822
Somente a jornalista mais premiada do país seria capaz de aceitar o desafio de olhar para além do imediatismo do presente e mapear o que está por vir. O resultado é História do futuro, que compila pesquisas, análises, entrevistas e depoimentos para apresentar, de forma acessível, tendências e perspectivas para os próximos anos.

Míriam media o bate-papo “Lutas na ditadura e desafios na democracia” no Salão Ideias na sexta-feira (02/09), às 20h. A sessão de autógrafos acontece logo depois, às 21h, em nosso estande.

 

E tem mais lançamentos imperdíveis!

 

Alerta de risco, de Neil Gaiman

Gaiman 2
Um escritor sofisticado cujo gênio criativo não tem paralelos, Gaiman hipnotiza com sua alquimia literária e nos transporta para as profundezas de uma terra desconhecida em que o fantástico se torna real e o cotidiano resplandece. Repleto de estranheza e terror, surpresa e diversão, Alerta de risco é uma coletânea de contos de terror e de fantasmas, ficção científica e conto de fadas. Um tesouro que conquista a mente e agita o coração do leitor.

 

PAX, de Sara Pennypacker

pax_fundo
Peter e sua raposa, Pax, são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde vai morar por um tempo, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.

 

Loney, de Andrew Michael Hurley

IMG_4668
Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era jovem e visitou o lugar. Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.

testeUma #JojoLover no cinema

Por Nina Lopes*

ME BEFORE YOU

Como eu era antes de você foi lançado pela Intrínseca em 2013. Foram três anos de espera para ver uma das minhas histórias preferidas ser adaptada para o cinema. Revi o trailer inúmeras vezes antes da estreia do filme, ouvi a trilha sonora e assisti a entrevistas com os atores. Até que finalmente chegou o dia.

Chamei os amigos do editorial da Intrínseca, peguei minha pipoca (e meu lencinho), me preparei psicologicamente e esperei Will aparecer na tela. O início é igual ao livro, ou seja, já começa com uma cena impactante. Will está muito bem representado por Sam Claflin. A expressividade no olhar, a amargura que o personagem carrega, a dificuldade de lidar com o destino e com o fato de não poder mais ser ele mesmo, tudo isso está presente no Will do cinema, e é impossível não se comover com sua voz trêmula e seus olhos cheios d’água durante algumas conversas com a Lou. (Sem contar que ele ainda fica l-i-n-d-o com aquela camisa branca com os primeiros botões abertos na cena da praia. É para chorar diante de tanto charme.)

HT_me_before_you_mm_160603_12x5_1600

Emilia Clarke não fica atrás ao interpretar uma Lou otimista, engraçada, estabanada e estilosa. Pode parecer clichê e pouco realista ver uma menina do interior sem muitas ambições ficar feliz com pouco, mas ela é um exemplo de que podemos encontrar nas pequenas coisas motivos para nos levantar felizes todos os dias.

Capa_ComoEuEraAntesDeVoce_FILME.inddSempre vai ficar algo de fora numa adaptação, e, para mim, a riqueza da narrativa de Jojo Moyes é incomparável. Em apenas duas horas de filme não dá para acompanhar todas as singularidades do cotidiano da família Clark, a profundidade do sofrimento de Will e cada motivo que prende Lou àquela cidadezinha inglesa. Não há nada como ler o livro e poder acompanhar os detalhes. Sei que não é possível levar todas as nossas cenas preferidas e todos os diálogos marcantes para o cinema, mas o importante é que a essência dos personagens se manteve fiel. Lou e Will são como um raio de luz na vida um do outro. Nasce um amor sutil entre eles, mas daquele tipo que provoca grandes mudanças. E o filme permite que essas grandes mudanças alcancem um público ainda maior.

É preciso enxergar além do que parece apenas uma história de amor feita para nos emocionar. No fim, entre tantas outras coisas, Como eu era antes de você me mostrou que devemos aprender a respeitar escolhas individuais, principalmente as de quem amamos. Só assim levaremos uma vida com mais amor e seremos mais felizes em um mundo tão plural.

*Nina Lopes é editora assistente no setor de ficção da Editora Intrínseca e é dessas que se apaixonam pelos personagens dos livros que lê.

testeAssista ao clipe exclusivo de Como eu era antes de você

frame

Amanhã a história de Lou e Will, os inesquecíveis personagens de Jojo Moyes, chega aos cinemas de todo o Brasil! E em parceria com a Warner Bros., temos uma surpresa para vocês, leitores: UMA CENA EXCLUSIVA DO FILME.

Com roteiro adaptado pela própria Jojo Moyes, Como eu era antes de você é protagonizado por Emilia Clarke (Game of Thrones) e Sam Claflin (Jogos Vorazes). No romance mais famoso da autora que já vendeu 950 mil exemplares somente no Brasil, Louisa Clark é uma jovem alegre e espontânea que se vê obrigada a repensar toda sua vida. Já Will Traynor sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois.

Como eu era antes de você está disponível em duas edições, com capa original e com capa inspirada no pôster do filme.

capas_como_eu_era

Para todos os leitores que ficaram com o coração apertado após conhecer a história de Lou e Will, Jojo Moyes lançou este ano Depois de você.

depoisdevcgrandeNa sequência, Lou ainda não se recuperou dos acontecimentos de Como eu era antes de você. Ela está morando em um flat em Londres e trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, cai do terraço. O terrível acidente a obriga a voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.

Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

 

Aproveite e conheça os outros romances de Jojo Moyes publicados pela Intrínseca:

livros_jojo

testeLançamentos de maio

EstanteIntrinsecaMar16_DestaquesBlog

Confira sinopses e trechos dos livros que publicaremos neste mês:

 

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas2

Destinos e Fúrias, de Lauren Groff — Aos 22 anos, Lotto e Mathilde são jovens, perdidamente apaixonados e destinados ao sucesso. Eles se conhecem nos últimos meses da faculdade e antes da formatura já estão casados. Seguem-se anos difíceis, mas românticos. Uma década depois, o caminho tornou-se mais sólido. Ele é um dramaturgo famoso e ela se dedica integralmente ao sucesso do marido. A vida dos dois é invejada como a verdadeira definição de parceria bem-sucedida.

Porém, nem tudo é o que parece, e em um casamento essa máxima se faz ainda mais verdadeira. Se em “Destinos” somos seduzidos pela imagem do casal perfeito, em “Fúrias” a tempestuosa raiva de Mathilde se revela fervendo sob a superfície. Em uma reviravolta complexa e emocional, o que começou como uma ode a uma união extraordinária se torna muito mais. [Leia +]

 

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas6

Como eu era antes de você (capa filme), de Jojo Moyes — Depois de emocionar milhares de leitores no mundo todo, o irresistível romance de Jojo Moyes chega aos cinemas com roteiro adaptado pela própria autora e com Emilia Clarke (Game of Thrones) e Sam Claflin (Jogos Vorazes) nos papéis de Lou e Will.

Lou Clark, uma jovem cheia de vida e espontaneidade, perde o emprego e é obrigada a repensar toda sua vida. Will Traynor sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois. [Leia +] >> Ouça a trilha sonora de Como eu era antes de você

 

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas7

A última carta de amor, de Jojo Moyes Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta a sua casa com o marido, descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com o amante.

Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Envolvida com um homem casado, Ellie fica obcecada em reunir os protagonistas desse amor proibido.

Com personagens realisticamente complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor, primeiro livro de Jojo Moyes publicado pela Intrínseca, entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda das personagens Ellie e Jennifer. [Leia +] >> Nossa editora Rebeca Bolite conta os bastidores da publicação do livro

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas

O oráculo oculto, de Rick Riordan — Como você pune um deus imortal? Transformando-o em humano, claro! Depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, Apolo é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York.

Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Sem seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus. [Leia +]

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas10

Porcelain, de Moby — Havia diversas razões para Moby jamais deslanchar como DJ e músico na cena club nova-iorquina. Aquela era a Nova York das boates Palladium, Mars, Limelight e Twilo, a cidade do hedonismo desenfreado regado a drogas, e lá estava Richard Melville Hall, descendente distante do autor de Moby Dick, um garoto branco, pobre e magrelo de Connecticut, cristão devoto, vegano e totalmente careta. Ele encontrou seu espaço e alcançou o sucesso, que logo se mostrou efêmero e cheio de complicações. No desfecho da década de 1990, frente a um fim iminente, acabou criando o álbum que viria a ser o início de uma nova fase espetacular: Play, que vendeu milhões de cópias no mundo todo. [Leia +] >> Moby apresenta sua autobiografia para os leitores

 

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas9

Garoto21, de Matthew Quick Finley utiliza o basquete para aliviar suas preocupações, enquanto Russ não quer mais se aproximar de uma bola. Depois de sofrer um grande trauma, ele fica em estado de negação e passa a se considerar um alienígena de passagem pela Terra.

Com a missão de ajudar Russ a se recuperar, Finley tenta convencer o garoto a voltar a jogar, mesmo que isso signifique perder o próprio lugar na equipe. Uma emocionante história sobre esperança, amizade e redenção, com a prosa sensível e inteligente de Matthew Quick. [Leia +] >> Qual personagem de Matthew Quick você é? 

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas8

Como mentir com estatística, de Darrel Huff — Publicado pela primeira vez em 1954, o livro de Darrell Huff foi saudado como pioneiro em conjugar linguagem simples e ilustrações para explicar de que maneira o mau uso da estatística pode maquiar dados e abalizar opiniões. Indispensável para quem se vê bombardeado diariamente, seja pela mídia ou pela timeline do Facebook, por infográficos e estatísticas que se pretendem verdades incontestáveis.

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas5

Os afetos, de Rodrigo Hasbún — Com elementos biográficos, históricos e ficcionais e narrado por diferentes personagens, Os afetos compreende um período de cinquenta anos da vida dos integrantes da família Ertl. Na polifonia da qual participam não apenas pai, mãe, filhas, mas também amantes e maridos, Rodrigo Hasbún reconta, à margem do idealismo, a convulsão política que abalou a América Latina na década de 1960, explorando as dificuldades que surgem ao se tentar conciliar as consequências das próprias decisões, tanto políticas quanto sentimentais. [Leia +]

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas3

Ted Talks — O guia oficial do TED para falar em público, de Chris AndersonPalestras perfeitas, inspiradoras e de grande alcance. Um orador que sobe no palco e acerta no alvo. Assim são as Conferências TED, e este é o guia definitivo do TED para que você também possa fazer palestras inesquecíveis.

Desde que assumiu o comando do TED em 2001, Chris Anderson tem mostrado o poder que as palestras curtas, francas e cuidadosamente elaboradas do programa têm de compartilhar conhecimento, despertar empatia, gerar empolgação e promover sonhos. Feita da maneira certa, uma apresentação é capaz de eletrizar um auditório e transformar a visão de mundo da plateia — seu impacto pode ser mais poderoso que o de qualquer informação escrita. [Leia +]

EstanteIntrinseca_Maio16_BLOG_PáginasInternas4

Frank Einstein e o turbocérebro, de Jon Scieszka — No terceiro livro da série Frank Einstein, Frank (um gênio mirim, cientista e inventor), Klink (uma inteligência artificial automontada) e Klank (uma inteligência artificial praticamente automontada) constroem um artefato inédito: um mecanismo capaz de turbocarregar as ondas cerebrais, potencializando a velocidade, a força e até mesmo a memória de qualquer pessoa. Tudo isso porque uma grande amiga, Janegoodall, precisa de uma forcinha para entrar no time de beisebol da cidade. [Leia +]

teste10 livros para o Dia das Mães

Confira nossas sugestões de presentes:

dia_das_maes_1

Como eu era antes de você, de Jojo Moyes Lou Clark, uma jovem cheia de vida e espontaneidade, perde o emprego e é obrigada a repensar toda sua vida. Will Traynor sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois.

Depois de emocionar milhares de leitores no mundo todo, o irresistível romance de Jojo Moyes chega aos cinemas em 16 de junho com roteiro adaptado pela própria autora e estrelado por Emilia Clarke (Game of Thrones) e Sam Claflin (Jogos Vorazes). [Leia +] 

Leia também:  Assista ao trailer e confira a trilha sonora do filme
Conheça a nova capa do livro inspirada no cartaz do filme

Alucinadamente feliz: Um livro engraçado sobre coisas horríveis, de Jenny Lawson  Longe de ser uma pessoa comum, Jenny Lawson se considera uma colecionadora de transtornos mentais: depressão altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é.

Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e resolve revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. Mesmo ciente de que às vezes pode acabar uma semana inteira sem energia para se levantar da cama, ela resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade. [Leia +]

Toda luz que não podemos ver, de Anthony Doerr —  Marie-Laure, cega aos seis anos, vive em Paris com o pai, chaveiro responsável pelas fechaduras do Museu de História Natural. Na Alemanha, o curioso órfão Werner se encanta pelo rádio.

Uma história arrebatadora contada de forma fascinante. Com incrível habilidade para combinar lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, o premiado autor Anthony Doerr constrói, em Toda luz que não podemos ver, um tocante romance sobre o que há além do mundo visível. [Leia +]

dia_das_maes_2

Eu sou o Peregrino, de Terry Hayes  Uma mulher é brutalmente assassinada em um hotel decadente de Manhattan, seus traços dissolvidos em ácido. Um pai é decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita. Na Síria, um especialista em biotecnologia tem os olhos arrancados ainda vivo. Restos humanos ardem em brasas na cordilheira Hindu Kush, no Afeganistão. Uma conspiração perfeita, arquitetada para cometer um crime terrível contra a humanidade, e apenas uma pessoa é capaz de descobrir o ponto exato em que todas essas histórias se cruzam.

Romance de estreia do renomado roteirista britânico Terry Hayes (Mad Max 2 e Mad Max 3: Além da Cúpula do Trovão), Eu sou o Peregrino é uma narrativa ágil, com ritmo alucinante, cujos personagens são construídos de forma primorosa em toda a sua complexidade psicológica. Uma jornada épica e imprevisível contra um inimigo implacável. [Leia +]

É isso que eu faço: Uma vida de amor e guerra, de Lynsey Addario — Após os atentados de 11 de Setembro, a fotojornalista Lynsey Addario foi chamada para cobrir a invasão americana ao Afeganistão. Nesse momento, ela fez uma escolha que se repetiria muitas vezes depois: abrir mão do conforto e da previsibilidade a fim de correr o mundo confrontando com sua câmera as mais duras verdades.

As imagens captadas pelas lentes de Lynsey parecem buscar sempre um propósito maior. No livro, ela retrata os afegãos antes e depois do regime talibã, os cidadãos vitimados pela guerra e os insurgentes no Iraque, expõe a cultura de violência contra a mulher no Congo e narra a ocasião do próprio sequestro, orquestrado pelas forças pró-Kadafi durante a guerra civil na Líbia. [Leia +]

dia_das_maes_3_b

O amor segundo Buenos Aires, de Fernando Scheller Com largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, Buenos Aires é o lugar perfeito para histórias de amor inesquecíveis. A capital argentina é cenário e, ao mesmo tempo, personagem do primeiro romance de Fernando Scheller, repórter do jornal O Estado de S. Paulo.

É por amor que Hugo deixa o Brasil rumo à capital argentina. Embora o relacionamento com Leonor não sobreviva, seu fascínio pela cidade resiste à dor da separação e à descoberta de que sofre de uma grave doença. Hugo cria laços com o arquiteto Eduardo e com a comissária de bordo Carolina, que evidenciam o poder regenerador das amizades verdadeiras. Ele se reaproxima de seu pai, Pedro, que troca a rotina de um casamento desgastado por uma vida em que é possível encontrar profundos afetos. [Leia +] Leia também: Colunas de Fernando Scheller publicadas no blog

Uma pergunta por diaTodos os dias criamos uma imensa quantidade de registros em celulares, redes sociais e aplicativos. No entanto, quase nunca temos o hábito de retornar a eles. Às vezes podem parecer só besteiras, mas quantos desses relatos não mostrariam nosso crescimento e nossas mudanças em todos esses anos?

Uma pergunta por dia convida a registrar suas respostas a uma variedade de questões, das mais simples às mais complicadas, como “Para onde você quer fazer sua próxima viagem?” ou “Escreva a primeira linha da sua autobiografia”. Em cada página há espaço para cinco respostas, uma por ano, ao longo de cinco anos. Com o passar do tempo, quando voltar a um dia já anotado, o dono do diário encontrará seus pensamentos anteriores, num exercício divertido e construtivo de recordar e refletir. [Leia +]

Operação Impensável, de Vanessa Barbara — Neste romance, vencedor do Prêmio Paraná de Literatura em 2014, Vanessa Barbara acompanha os cinco anos de relacionamento entre Lia e o programador Tito, um amor pontuado por e-mails espirituosos, vocabulário próprio, muitas sessões de cinema e longas e disputadas partidas de jogos de tabuleiro. Com toques de humor ácido, ela desvenda a lenta desintegração de um casamento. O afeto e a cumplicidade dão lugar à desconfiança, a um clima de tensão e de ameaças implícitas. Como na Guerra Fria, objeto de pesquisa da dissertação de mestrado de Lia, não há um confronto bélico declarado, embora algo sempre pareça prestes a explodir. [Leia +] Leia também: Colunas de Vanessa Barbara publicadas no blog

dia_das_maes_4

A sexta extinção, de Elizabeth Kolbert — Ao longo dos últimos quinhentos milhões de anos, o mundo passou por cinco extinções em massa. Hoje, a sexta extinção vem sendo monitorada, e a causa não é um asteroide ou algo similar, e sim a própria raça humana. Vencedor do Prêmio Pulitzer de Não Ficção de 2015, A sexta extinção explica de que maneira o ser humano tem alterado a vida no planeta como absolutamente nenhuma espécie fez até hoje. Para isso, Kolbert apresenta trabalhos de dezenas de cientistas em diversas áreas e viaja aos lugares mais remotos em busca de respostas. [Leia +]

Miniaturista, de Jessie Burton — Após um casamento arranjado com um ilustre comerciante de Amsterdã, Nella Oortman recebe um extraordinário presente: uma réplica de sua nova casa em miniatura, capaz de ajudá-la a desvendar os segredos — e perigos — da família. Eleito o melhor livro de 2014 pelo Observer e traduzido para 32 idiomas, Miniaturista é uma magnífica história de amor e obsessão, traição e vingança, aparência e verdade. [Leia +]

testeNovo trailer e trilha sonora de Como eu era antes de você

me-you-movie

Faltam menos de dois meses para a estreia de Como eu era antes de você nos cinemas! Para tentar diminuir a ansiedade, preparamos uma playlist com as músicas do filme. Ed Sheeran, X Ambassadors e Jack Garratt são alguns dos nomes confirmados na trilha sonora.

Na adaptação do romance de Jojo Moyes, Emilia Clarke, de Game of Thrones, dará vida à personagem Lou e Sam Claflin, de Jogos Vorazes, interpretará Will. Matthew Lewis, de Harry Potter, Charles Dance, também de Game of Thrones, e Jenna Coleman, de Doctor Who, são outros nomes do elenco.

Como eu era antes de você conta a história de Louisa Clark, uma jovem do interior sem muitas ambições que, quando vê a cafeteria em que trabalha fechar as portas, é obrigada a se tornar cuidadora de um tetraplégico. O livro, lançado em 2013 pela Intrínseca, acaba de ganhar uma nova capa inspirada no pôster do filme!

Assista ao vídeo dos atores divulgado no site da revista Entertainment Weekly.

testeDivulgado trailer de Como eu era antes de você [ATUALIZADO!]

635899220250054218-MBY-03124r

Os leitores apaixonados por Como eu era antes de você já podem comemorar! A espera por novidades sobre a adaptação está chegando ao fim. O primeiro trailer e o pôster oficial do filme — que estreia nos cinemas em junho — foram divulgados pela autora Jojo Moyes.

[Atualizado] Confira o trailer estendido de Como eu era antes de você, com introdução dos atores Sam Claflin e Emilia Clarke!

Como eu era antes de você conta a história de Louisa Clark, uma jovem do interior sem muitas ambições que, quando vê a cafeteria em que trabalha fechar as portas, é obrigada a se tornar cuidadora de um tetraplégico.

Emilia Clarke, conhecida por interpretar Daenerys, da série Game of Thrones, dará vida à personagem Lou. A atriz conta que devorou o livro nos intervalos de gravação de Exterminador do futuro: Gênesis e que desejava muito ser escalada para o elenco.

A adaptação terá ainda Sam Claflin, de Jogos vorazes, Matthew Lewis, de Harry Potter, Charles Dance, de Game of Thrones, e Jenna Coleman, de Doctor Who. Ansiosos?

Depois de você, continuação de Como eu era antes de você, chega às livrarias em 15 de fevereiro.

635899375879521036-MBY-TRL-88540r

635899377487267342-MBY-TRL-88662

testePara ler sem vergonha de chorar

Jojo Moyes fala ao blog sobre seu processo criativo, o que a inspira a escrever e porque decidiu escrever uma sequência para Como eu era antes de você

Por Vanessa Corrêa*

Jojo Moyes, Meet the Author

Se Jojo Moyes não chorar enquanto escreve um livro, é sinal de que não está fazendo um bom trabalho. Autora do best-seller Como eu era antes de você, a escritora inglesa é especialista em criar histórias centradas em mulheres fortes que enfrentam situações-limite.

Pode ser a perspectiva da morte do homem que ama (em Como eu era antes de você), a ameaça de soldados inimigos durante uma guerra (em A garota que você deixou para trás) ou a dificuldade de criar dois filhos sozinha e sem dinheiro (em Um mais um). As heroínas de Moyes passam por todo tipo de obstáculo e muitas vezes sentem suas forças se esgotarem, vivendo momentos de grande sobrecarga emocional. Confira abaixo a entrevista exclusiva que ela concedeu ao blog:

“Eu sempre choro enquanto escrevo uma cena emocionante. Se eu não chorar, sei que a história não está funcionando. Depois de escrever me sinto menos afetada pelos problemas dos personagens, mas apenas quando a história está fluindo bem. Se não estiver, posso ficar muito mal-humorada”, explica Moyes.

A julgar pelo sucesso de seus últimos livros, a escritora passa por um longo período de bom humor. Com 12 obras publicadas, mais de nove milhões de cópias vendidas pelo mundo e ao menos dois romances sendo adaptados para o cinema, é difícil acreditar que Jojo Moyes quase desistiu da carreira de escritora.

Formada em jornalismo, ela trabalhou na imprensa britânica durante dez anos antes de se dedicar integralmente à literatura, em 2002. O sucesso só veio em seu oitavo livro, Como eu era antes de você, que conta a história de Louisa, uma garota que não sabe bem o que quer da vida e acaba se tornando cuidadora de Will, jovem empresário que, após ficar tetraplégico em um acidente, não vê mais razões para viver.

Centrado no difícil tema da eutanásia, o livro vendeu mais de três milhões de cópias e emocionou pessoas em todo o mundo. É comum encontrar em fóruns de leitores na internet depoimentos de pessoas contando como choraram durante quase toda leitura ou como sofreram com as dificuldades enfrentadas por Will e Louisa.

Nem mesmo os críticos saíram incólumes das cenas mais emocionantes da história, como atesta a jornalista Liesl Schillinger, que escreveu uma resenha do romance para o jornal The New York Times. “Quando terminei de ler, não queria escrever a crítica; queria reler o livro. O que pode parecer perverso, se você considerar que na maior parte das últimas cem páginas eu estava me desfazendo em lágrimas”, escreveu Schillinger.

A história de Louisa e Will será levada para o cinema em 2016. O filme tem direção da britânica Thea Sharrock e terá como protagonistas Emilia Clarke, uma das estrelas de Game of Thrones, e Sam Claflin, de Jogos Vorazes.

emilia-clarke-me-before-you-12

Bastidores da adaptação cinematográfica de Como eu era antes de você

Responsável pelo roteiro do filme, Moyes conta que escrevê-lo foi um processo difícil, mas que ela amou. “É uma arte muito diferente — você tem que aprender a pensar de outra forma e realmente levar em conta o que o público está vendo a cada momento. Tive sorte porque Thea Sharrock e o estúdio, MGM, viram a história essencialmente do jeito que a vejo, então não tivemos nenhuma dessas brigas espetaculares que acontecem na indústria do cinema.”

Além da adaptação cinematográfica, Como eu era antes de você ganhou uma sequência, Depois de você, que será lançada pela Intrínseca em fevereiro. Moyes tomou a decisão de continuar a história por conta da reação dos leitores ao primeiro livro.

“Desde o dia em que Como eu era antes de você foi publicado as pessoas me mandam e-mails e mensagens nas redes sociais para falar sobre os personagens, especialmente sobre Lou, me perguntando o que ela fez após o fim da história. Essas questões e o trabalho no roteiro do filme fizeram com que ela nunca saísse da minha cabeça como outros personagens saem, e me vi fazendo a mesma pergunta: o que ela teria feito em seguida? Louisa passou por algo grandioso, e deixei o final em aberto. Um dia acordei com uma ideia e então soube que tinha que escrever a continuação”, diz Moyes.

Louisa pode ser a personagem que passou mais tempo na cabeça de Moyes, mas, segundo sua melhor amiga, a escritora se parece mais com Jess, protagonista de Um mais um. Talvez por ser tão batalhadora quanto a personagem, que mesmo sem dinheiro faz de tudo para dar uma vida melhor para seus dois filhos, ou por ser uma otimista incorrigível, que sempre acredita que as coisas ficarão bem.

Moyes, no entanto, vê um pouco de si em cada personagem que cria. “Você só pode escrever sobre um personagem se for capaz de realmente se colocar no lugar dele”, declara, acrescentando que se considera tão desastrada quanto Louisa. “Estou sempre caindo e dizendo as coisas erradas.”

A história de Jess e seus filhos, Tanzie e Nick, e sua jornada rumo à Escócia acompanhados do atormentado Ed, retratadas em Um mais um, também será levada aos cinemas. O elenco e a data de estreia do filme ainda não estão definidos, mas o roteiro foi escrito pela própria Moyes.

Foto_livros_jojo_facebook

Ela conta que normalmente demora entre um e dois anos para escrever um livro e não segue uma rotina fixa de trabalho. “Eu costumava acordar às seis da manhã para escrever antes que as crianças levantassem para ir à escola, mas agora elas também despertam mais cedo. Por causa disso não tenho mais uma rotina — escrevo toda vez que posso, e, quando entro em pânico por sentir que estou com o trabalho atrasado, viajo por alguns dias para outro lugar de modo a me dedicar totalmente à escrita, sem distrações. Costumo fazer isso três ou quatro vezes por ano. Felizmente minha família não se importa — deve ser melhor do que ter uma escritora rabugenta em casa!”, brinca ela.

Entre suas inspirações literárias, Moyes cita Liane Moriarty, autora de O segredo do meu marido e Pequenas grandes mentiras, Marian Keyes, Nora Ephron e George R.R. Martin, criador da saga que inspirou a série Game of Thrones.

Atualmente a escritora trabalha em outro roteiro, mas tem dedicado a maior parte do tempo ao marido e aos três filhos. “Os últimos três anos foram bastante caóticos, por isso prometi a eles que em 2016 iria diminuir um pouco o ritmo”, conta Moyes, que mora com a família em uma fazenda em Essex, na Inglaterra.

Quanto às próximas histórias e heroínas, a escritora faz mistério. “Não posso contar nada sobre o próximo livro. Não contaria nem se pudesse — sou supersticiosa!”

 

Vanessa Corrêa é jornalista, já trabalhou na Folha de S.Paulo e no portal UOL e é apaixonada por livros, cinema e fotografia.