testeDo que você mais sentiria falta se o mundo como o conhecemos hoje desaparecesse?

Por Mirelle Candeloro*

ESTACAOONZE_blog

Imaginem o mundo que conhecemos devastado por uma epidemia de gripe. Bilhões de pessoas morrem e as que restam precisam sobreviver em locais inóspitos, desprovidos de qualquer conforto ou tecnologia com que estejamos acostumados. Com o tempo, as lembranças da humanidade vão desaparecendo. Imagine perder os elos com a nossa história, deixando para trás conquistas e realizações não só científicas, como também artísticas.

Foram questionamentos como esses que inspiraram Estação Onze, de Emily St. John Mandel. Na distopia, a autora cria um enredo inusitado e reflexivo, que convida a analisar as consequências de uma grande catástrofe.

Quando a Intrínseca propôs aos seus parceiros que discutissem sobre o que mais sentiriam falta caso uma calamidade assolasse o planeta e qual objeto levariam para o Museu da Civilização, local em Estação onze que mantém resquícios da sociedade perdida, minha mente começou a ferver.

CapaFrente_EstacaoOnze_16x23cm.inddFiquei horas e horas atrás de uma resposta. De imediato, tudo me pareceu imprescindível, mas acabei escolhendo um objeto bem óbvio para uma bibliófila: um celular recheado com milhares de livros digitais, pois, para mim, seria impossível optar por um único exemplar físico.

Levando a minha decisão em consideração, pensei no que outras pessoas responderiam, principalmente as que também são ligadas ao universo literário. Será que todas sentiriam falta da mesma coisa? Como seria o  Museu da Civilização, composto por objetos de indivíduos tão diferentes, mas, ao mesmo tempo, com tantas coisas em comum?

Assim, decidi escrever para vários autores publicados pela Intrínseca! Reuni uma autora brasileira apaixonada por faróis, uma jornalista muito preocupada com a supervalorização da fama, uma artista que adora destruir e recriar e um autor perito em mundo pós-apocalíptico. Confiram abaixo o que eles disseram sobre o assunto:

“Sentiria falta dos meus amigos e família e levaria um laptop com a Wikipedia salva nele.”
Hugh Howey, autor da trilogia Silo

“Eu levaria um livro: Memórias de Adriano, de Margarete Yourcenar.”
Leticia Wierzchowski, autora de Navegue a lágrima e Sal

“Sentiria falta da natureza e levaria Folhas de Relva, de Walt Whitman.”
Keri Smith, criadora de Destrua este diário, Termine este livro e O mundo imaginário de…

“Eu sentiria falta de Nova York e levaria comigo as obras de Shakespeare.”
Nancy Jo Sales, autora de Bling Ring: a gangue de Hollywood

E você, do que mais sentiria falta?

link-externo

Leia um trecho de Estação onze
Uma distopia para aprender a sonhar 

*Mirelle Candeloro é blogueira, youtuber e escritora. Troca o dia pela noite, está sempre conectada nas redes sociais e ama tudo relacionado a livros, filmes e séries, comida e maternidade.

testeVeja a primeira imagem de Não se apega, não na TV

1445290097370

Não se apega, não teve os direitos vendidos para a Globo e vai virar um quadro com seis episódios no Fantástico. A  atriz Laura Neiva foi escolhida para ser a protagonista da adaptação. Já o personagem Pedro Miller será vivido por Rafael Vitti.

“Fiquei muito feliz com a escolha do Rafa Vitti. Quando ele começou em Malhação eu falei: ‘Esse menino vai longe!’ Sempre torci muito por ele, que além de ator também é escritor. Vai lá e arrasa, Vitti! As meninas não veem a hora de se apaixonar por você de novo”, disse Isabela Freitas, autora do livro.

Os atores Klebber Toledo, José Loreto, Arthur Aguiar e Camila Mayrink também estão confirmados no elenco.

link-externoEscute a playlist inspirada em Não se Iluda, Não

testeEscrevo porque quero fazer diferença na vida das pessoas

Foto_Naoseiludanao

15 de julho. Hoje é o dia do lançamento oficial do meu livro Não se iluda, não. Um filho nasceu. O segundo. E quem diria que aquela menina boba e imatura, que sofreu tantas críticas, estaria lançando o segundo livro? Também pudera: nem eu colocaria tanta credibilidade na “menina do blog”. Quem ela acha que é para dar conselhos? Com essa idade? Puff. Sabe de nada. O que ela viveu para contar essas histórias? Aposto que deve ter se decepcionado muito na vida. Coisa de mal-amada, esse negócio de jogar o coração no lixo, né?

Agradeço a quem deu um voto de confiança para a menina que veio da internet mas que sempre sonhou em ser escritora. Os livros sempre foram minha paixão e ter minha foto na orelha, um sonho distante. As palavras eram meu xodó e por meio delas conquistei amigos ao redor do mundo. Não escrevo porque sou experiente, sei de tudo da vida ou me acho a sabichona. Escrevo porque quero fazer diferença na vida das pessoas. Nem que seja através de um conselho tímido, mal dado, mas que, mesmo assim, conforta.

No primeiro livro, joguei os sentimentos ruins no lixo. Deixei que eles ficassem no passado. No segundo, deixei que alguns sentimentos me tirassem do chão. E espero, de coração, que vocês voem comigo nessa história.

Ah, mais uma vez, obrigada. Acho que nunca vou cansar de agradecer a vocês.

testeDiário de Isabela Freitas

o-BAR-TAB-facebook

– Fala, Marcos. Achei que não viria mais.
– Pois é, atrasei por causa da Fernanda. Passei lá na casa dela antes.
– A coleira tá apertada, né?
– Que nada, ela é tranquila.
– Mas aposto que já tá te mandando mensagem.
– Normal, pô. A gente conversa o dia todo por mensagem.
– Coisa chata ter que ficar dando satisfação de onde você tá, com quem tá… Não tem saudade da vida de solteiro não, Marcos? Putz, a gente era demais.
– Era bom, mas já passou. Tenho 25 anos nas costas, Bruno. Você tá na hora de arrumar uma namorada também.
– Até parece. Não sou bobo, não. Vou aproveitar e muito minha vida antes de me castrar.
– Fala sério, aproveito da mesma forma que você.
– Lógico que não. Comi três essa semana, você tinha que ver. Cada gostosa…
– Já passei dessa fase.
– Passou nada. Vai falar que você não sente falta de pegar uma cachorrona de vez em quando? Faz falta, mano. Eu sei que faz. Olha aquela loira ali da mesa do lado. que delícia. Imagina só…
– Para com isso, Bruno. Sou feliz com a Fernanda e pronto.
– Tá bem. Mudando de assunto, depois daqui do bar, vamos pra aquele pub novo?
– Ah, não sei… Tô meio desanimado.
– A Fernanda não iria deixar, aposto.
– Deixa sim, é que tô cansadão mesmo. Já trabalhei hoje, malhei… Quero só tomar umas pra relaxar mesmo.
– Tu tá morto, cara.
– Você que parece ligado em uma tomada, tá animado todos os dias.
– Claro! Por isso que te falo, ser solteiro é ser feliz meu amigo.

Assustou-se ao ler esse diálogo? Acredite, ele é recorrente nas mesas de bar ao redor do mundo. Homem é assim, não tem jeito. Se tá solteiro, quer e faz de tudo para que todos os amigos sejam iguais a ele. Ao escrever essa crônica, juro que fiquei com raiva pensando peraí, então é isso que falam pro meu namorado? É. É isso mesmo. Se acalmem, ainda existem homens maduros que não caem nesse conto de fadas do amigo solteiro que é feliz de morrer. Entretanto, nem todos têm maturidade suficiente pra duvidar do amigo, e eu não os julgo, nós mulheres também podemos sofrer influência das amigas solteiras. Ah, vai. Pelo menos uma vez na vida, tenho certeza que já sofremos.

A verdade é que se você tem algum amigo que te incentiva a terminar seu namoro, mesmo sabendo que este namoro te faz muito bem, é porque ele é egoísta e sente um pouco de inveja daquilo que você tem. Desculpe-me a sinceridade. Porque no fundo, no fundo, talvez bem lá no fundo mesmo, todo mundo quer ter alguém para amar. Que coisa chata, né? Então abre o olho com aquela sua amiga que fica te incentivando a trair, com a colega de trabalho que critica seu namorado, com o vizinho que te encoraja a brigar por coisa boba… Todo incentivo para que se desista do amor, é no mínimo suspeito.

Quanto aos que terminaram um namoro por influência dos amigos, meus sentimentos. Suas garotas, incríveis, sem dúvidas, hoje estão nos braços de alguém que as valorizou da forma que mereciam. E quem sofreu influência de “amigos”, bem, é lógico que se arrependeu.

 

testeRealidade Aumentada

Primeiro volume da trilogia, Em busca de WondLa vai agradar tanto os jovens que acompanharam as jornadas mitológicas de Percy Jackson quanto os fãs de Star Wars de todas as idades. E este lançamento da Intrínseca traz um trunfo! Além de envolver o leitor em uma narrativa de tirar o fôlego, que mistura ficção científica com uma boa dose de fantasia, o recurso da Realidade Aumentada transporta a aventura para além das páginas do livro.

Dentro do exemplar, você encontrará ilustrações que funcionam como chaves para ativar mapas em 3-D. Basta visitar o site www.embuscadewondla.com.br, seguir as instruções para baixar o software necessário e posicionar as imagens indicadas na frente de uma webcam. Assim, você pode seguir o mesmo caminho e ouvir os mesmo sons que Eva Nove e seus amigos experimentam durante essa viagem surpreendente.

E, gente, muito, muito importante: na página 5 do livro, onde indicamos as páginas das ilustrações que ativam o recurso WondLa-Vision, a numeração correta é 113, 237 e 361, em vez de “123, 277 e 433”, como foi publicado. A informação será corrigida na próxima impressão do livro.