testeBryce Dallas Howard estreia na direção de Quase uma rockstar para a Netflix

Matthew Quick será responsável por adaptar seu livro Quase uma rockstar para a Netflix! Será a estreia de Bryce Dallas Howard como diretora, atriz conhecida por seus papéis em A Vila, Histórias Cruzadas e em Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros.

O livro, lançado por aqui em 2015, narra a história de Amber Appleton, uma menina de 17 anos que mora em um ônibus escolar, o Amarelão, com a mãe e Bobby Big Boy, o leal vira-lata da adolescente. Apesar de as coisas não estarem boas para o seu lado, Amber, que se autoproclama Princesa da Esperança, se recusa a desistir… até que uma tragédia coloca seu otimismo em cheque.

A produção de Quase uma rockstar, já em andamento, é assinada por Lee Stollman, da Gotham Group e pela Temple Hill, conhecida por A Culpa É das Estrelas. Já o roteiro é de Ol Parker (Imagine Eu e VocêO Exótico Hotel Marigold).

Os direitos de exibição haviam sido adquiridos originalmente pela Fox em 2013, depois do sucesso de O Lado Bom da Vida, também de Quick. Bryce, que tem experiência na direção de curtas e clipes musicais, assume o cargo que até então era de Miguel Arteta.

testeQuase uma rockstar nos cinemas

fotolivro

Mais um livro de Matthew Quick será adaptado para os cinemas! Depois do sucesso de O lado bom da vida, os direitos de Quase uma rockstar foram adquiridos pela Fox. O filme será dirigido por Miguel Arteta, responsável por Rebelde com causa e Por um Sentido na Vida. A produção ficará a cargo de Marty Bowen e Wyck Godfrey, conhecidos por A Culpa É das Estrelas e Maze Runner.

O filme ainda não tem previsão de estreia.

testeQual personagem de Matthew Quick você é?

QualPersonagemMatthewQuick

Pat Peoples não suporta finais tristes. Mas o protagonista de O lado bom da vida  não é o único personagem de Matthew Quick para quem esperança é uma questão fundamental.

Assim como Pat, Amber Appleton (Quase uma rockstar) e Leonard Peacock (Perdão, Leonard Peacock) passaram por poucas e boas e compartilham suas aventuras direto da corda bamba, equilibrando-se entre tristezas e alegrias.

Meça como anda seu nível de esperança e descubra qual personagem de Matthew Quick você é:

1.Escolha um vício:
a) Esportes.
b) Ler sobre a Segunda Guerra Mundial.
c) Cantar e sair com meus amigos.

2. Um passatempo:
a) Exercícios físicos.
b) Filmes e músicas.
c) Escrever poesias.

 

copo3. O copo está…
a) Vazio, mas em breve vai voltar a ficar cheio.
b) Vazio.
c) Cheio!

 

4. Como sua mãe o descreveria?
a) Uma pessoa boa, mas que precisa de alguns cuidados.
b) Uma pessoa complicada, atormentada pelo passado.
c) Uma pessoa alegre, sempre de bem com a vida.

5. Sua casa: refúgio ou pavor?
a) Refúgio e pavor, depende de quem vem falar comigo.
b) Pavor.
c) Pavor. Ninguém pode saber onde estou morando.

6. Um desafio:
a) Ficar física e emocionalmente saudável.
b) Me despedir das pessoas que amo e fazer o que decidi fazer.
c) Manter o otimismo, apesar das dificuldades.

7. O que o inspira: cinema, música ou dança?
a) Gosto muito de ler, mas os livros que leio em geral não têm finais felizes, por isso não são muito inspiradores.
b) Cinema.
c) Música é a minha vida.

8. A caminho da escola, você corta caminho por um matagal e tropeça em alguma coisa. Você volta e encontra uma caixa. Você a abre ou não?
a) Eu não abriria a caixa sem antes conversar com meu terapeuta. Ele é um cara legal e torce pelo mesmo time que eu.
b) Abriria rápido e sem medo. Afinal, tenho uma pistola P-38 comigo.
c) Eu abriria a caixa sem medo. JC (Jesus, cara!) está sempre comigo.

Resultado:

Se você marcou mais vezes a opção A: Você é Pat Peoples, o protagonista otimista de O lado bom da vidaAs coisas nem sempre são fáceis na sua vida, mas mesmo assim você prefere manter o foco e lutar por dias melhores. Com a ajuda da família, de amigos especiais e de conselhos médicos, você é capaz de conseguir o que quiser, até aprender a dançar. Vai, Eagles!

Se você marcou mais vezes a opção B: Você é Leonard Peacock, o protagonista irônico e questionador de Perdão, Leonard Peacock. Apesar dos problemas e de se sentir incompreendido(a), você tem um estilo peculiar para lidar com as situações e acredita que tudo vai melhorar. Apenas aguente firme! Um futuro feliz o(a) aguarda!

Se você marcou mais vezes a opção C: Você é Amber, a protagonista encantadora e bem-humorada de Quase uma rockstar.  Apesar da vida difícil que leva, você não se deixa abater e, dono(a) de um otimismo incansável, concentra todas as energias em ajudar as pessoas à sua volta. E tem uma queda por vira-latas fofos e leais.

 

Leia também:
Amber Appleton e o poder da música
A biblioteca de Pat Peoples

 

testeAmber Appleton e o poder da música

Por Rachel Rimas*

dinossaur_quaseUmarockstra_facebook_blog

Eu amo música. Até hoje me lembro de quando descobri as primeiras bandas e os primeiros artistas de que hoje sou fã. Na época, a internet lá em casa era discada (uma longa história…) e baixar música era uma atividade que requeria tempo e muita paciência. A cada faixa baixada, um misto de medo (nem sempre a qualidade era boa), vitória (está boa!) e deleite (quero ouvir essa música para sempre e nunca mais paraaaaar!). Eu realmente ficava emocionada com algumas músicas, com o coração apertado, com vontade de abraçá-las e nunca mais largar. Se apaixonar por algo, seja por uma música, por um livro, por um filme ou por uma pessoa, causa essa sensação na gente.

E por que eu estou falando tudo isso? Porque em Quase uma rockstar, a relação da Amber com a música é muito parecida. As canções estão presentes em momentos cruciais da vida dela, servindo não só como trilha sonora para suas experiências — boas e ruins —, mas também definindo a forma como ela enxerga o mundo e as pessoas a sua volta. Matthew Quick, o autor do livro, escreveu uma história extremamente musical. Amber ama o Jack White, a Pink! e usa os principais sucessos de grandes divas do soul para ensinar inglês às coreanas de sua igreja. Por influência da mãe de um de seus melhores amigos, ela conhece a Dinosaur Jr., uma banda alternativa dos anos 1980 e 1990 que até hoje está na ativa. É muito interessante ver como as músicas de J Mascis e companhia descrevem com clareza e sensibilidade as alegrias e as agruras da menina.

link-externoLeia um trecho de Quase uma rockstar

Formada em 1984, em Massachusetts, por J Mascis, Low Barlow e Murph, a Dinosaur Jr. lançou seu primeiro álbum, Dinosaur, em 1985. Na verdade, até o terceiro disco, a banda se chamava apenas Dinosaur, mas, por questões legais, tiveram que incluir o “Jr.” no nome. Com uma mistura de hardcore, punk, folk e riffs com influências do metal (principalmente da Black Sabbath), a Dinosaur Jr. ficou conhecida pelas guitarras distorcidas e pelo vocal arrastado de Mascis. Com o quarto álbum, Bug, a banda alcançou as paradas de sucesso, e “Freak Scene” foi a maior representante dessa época.

Amber, apesar do otimismo incansável e contagiante, se sente uma estranha. Ela não é popular, ela mora em um ônibus com a mãe, não beijou ninguém ainda, não sabe nada sobre o pai, mal tem o que comer. Ela é uma freak, e se sente acolhida por aquelas músicas feitas por pessoas estranhas para pessoas estranhas como ela.

Em certo momento da história, isolada em seu quarto, os dias de Amber se resumem a ficar na cama olhando para o teto ouvindo “Puke + Cry” (vomite e chore, em português), palavras que resumem terrivelmente bem o que ela está sentindo.  Ela chega a ouvir J Mascis cantando do andar de baixo para ela, “come on down, come on down, come on down”. Desça, Amber, saia do quarto. Mas ela não sai.

Amber Appletton consegue ser uma personagem extremamente encantadora sem resvalar na pieguice ou nos clichês. Ela é esperançosa e radiante, mas, como todos nós, tem seus momentos de tristeza e descrença, de achar que tudo está perdido. Eu sou muito suspeita para falar sobre Quase uma rockstar, porque me apaixonei pela Amber. Sorri, sofri e torci a cada conquista, a cada piada, a cada lágrima. A lição mais importante que aprendi com ela foi que, mesmo com todos os nossos humores, estranhezas e esquisitices, nos melhores ou nos piores momentos, não estamos sozinhos.


Leia outros textos da equipe da Intrínseca:
Minha vida em 50 tons, por Nina Lopes
Keep YA Weird (ou a arte de fazer livros incríveis), por Talitha Perissé
Sobre livros e anjos, por Sheila Louzada

 

Rachel Rimas, 26 anos, é editora assistente no setor de ficção infantojuvenil da Editora Intrínseca. Ela se apaixona por personagens (e por músicas) um pouco mais do que o recomendado para pessoas normais.

testeLançamentos de fevereiro

Blog_Fevereiro_600px

Um mais um, de Jojo Moyes — Em seu novo livro, a autora de Como eu era antes de você conta o engraçado e comovente romance entre uma mãe solteira falida e um milionário do ramo da tecnologia. A história começa com Jess precisando levar sua filha Tanzie para uma Olimpíada de Matemática na Escócia. O problema é que ela não sabe como chegar lá até conhecer Ed Nicholls, um geek estranho que oferece uma carona até o destino. A engraçada viagem provará que os opostos se atraem e que é possível encontrar o amor nos lugares mais improváveis. [+]
Leia um trecho.

Objetos cortantes, de Gillian Flynn — Em seu premiado romance de estreia, a autora de Garota exemplar narra a história da repórter Camille Preaker, que retorna à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. À medida que as investigações para elaborar sua matéria avançam, Camille passa a desvendar segredos familiares perturbadores, quase tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta. [+]
Leia um trecho.

A verdade é uma caverna nas Montanhas Negras, de Neil Gaiman — Resultado da parceria inédita entre Neil Gaiman e o ilustrador Eddie Campbell, a obra transita entre o graphic novel e o livro ilustrado, desafiando os limites entre texto e imagem. Esta narrativa fascinante sobre família, a busca por um tesouro e a descoberta de um mundo invisível deu origem, em 2010, a uma performance encenada no Sydney Opera House, com leitura de Neil Gaiman, trilha sonora do Quarteto de Cordas FourPlay e projeções das ilustrações de Eddie Campbell. O espetáculo, ainda em cartaz, já percorreu diversos países. [+]

Quase uma rockstar, de Matthew Quick — Amber Appleton é uma adolescente que mora em um ônibus escolar com a mãe e o leal vira-lata. Dona de um otimismo incansável, a menina se autoproclama princesa da esperança e se recusa a desistir, mesmo quando uma tragédia faz seu mundo desabar. Com personagens cativantes, Matthew Quick, autor do best-seller O lado bom da vida, constrói um universo de risadas, amizade e esperança. [+]

Como o Google funciona, de Eric Schmidt e Jonathan Rosenberg com Alan Eagle — O atual presidente executivo do Google e o diretor de produtos que acompanhou o desenvolvimento do Gmail, Android, Chrome, entre outros, reúnem as valiosas lições que transformaram a start-up em uma das maiores empresas do mundo. A partir da história e de curiosidades do dia a dia do Google, eles mostram o caminho para que gestores e empreendedores possam abraçar o espírito de inovação da Era da Internet e atrair e manter talentos em suas equipes. Com prefácio de Larry Page, um dos fundadores da empresa. [+]
Leia um trecho.

Percy Jackson e os deuses gregos, de Rick Riordan —Com muito humor e tiradas sarcásticas, Percy Jackson explica sua versão da mitologia grega para a criação do mundo e dá aos leitores sua visão pessoal sobre quem é quem na Grécia Antiga, de Apolo a Zeus. Edição de luxo, em capa dura, inteiramente colorida e ilustrada por John Rocco. [+]
Leia um trecho.

Playbook: O manual da conquista, de Barney Stinson com Matt KhunBarney Stinson, da série de TV How I Met Your Mother, apresenta mais de setenta técnicas de sedução. Repleto de dicas, macetes, truques e conversa fiada, o livro sugere maneiras divertidas de abordar uma mulher e ser bem-sucedido. [+]
Leia um trecho.

Até você ser minha, de Samantha HayesA assistente social Claudia parece ter uma vida perfeita. À espera do bebê que sempre desejou, ela vive em uma linda casa com seu marido que a ama incondicionalmente. Até que Zoe — a babá contratada para ajudá-la quando a criança nascer — entra na sua vida. Claudia passa a desconfiar de Zoe. E um dia as suspeitas se tornam um medo real. [+]
Leia um trecho.

testeConheça o novo livro de Matthew Quick

Quase uma Rockstar frente 2.indd

Quase uma rockstar, novo livro de Matthew Quick, conta a história de Amber Appleton, uma adolescente de dezessete anos. Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber, a mãe e Bobby Big Boy, o leal vira-lata da adolescente, estão acampados no Amarelão, o ônibus escolar que a mãe de Amber dirige. Dona de um otimismo incansável, a menina se autoproclama rainha da esperança e se recusa a desistir mesmo quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo.

Com uma trama cativante e personagens divertidos, o autor do best-seller O lado bom da vida constrói um universo de risadas, lealdade e esperança. Prevista para chegar às livrarias brasileiras em fevereiro, a obra já teve os direitos de adaptação cinematográfica adquiridos pela Fox Searchlight. Os produtores serão os mesmos de Crepúsculo e de A Culpa É das Estrelas.