testeConheça nossos mais novos e-books

estante_agosto_blog

A nova era digital, de Eric Schmidt e Jared CohenCom clareza e conhecimento de causa, o presidente executivo do Google e o diretor do Google Ideas procuram responder algumas das mais instigantes perguntas sobre as mudanças no nosso cotidiano. Quem será mais poderoso, o Estado ou os cidadãos? Os avanços tecnológicos facilitam ou dificultam o combate ao terrorismo? A privacidade se tornará um luxo para poucos na nova era digital?

Aqueles tempos, de Edney Silvestre Neste e-book gratuito, Edney Silvestre abre os arquivos de suas pesquisas para apresentar ao leitor um pouco mais do universo criado em Vidas provisórias. É possível conhecer melhor quais foram as inspirações do autor para reconstruir as sensações de Paulo e Barbara, imigrantes brasileiros forçados a deixar o país em momentos históricos diferentes. [leia mais]

Cidades de papel, de John Green  No livro do autor de A culpa é das estrelas, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que, certo dia, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. [leia mais]

Gataca, de Franck Thilliez — No novo livro do autor de A síndrome E, os policiais Lucie Henebelle e Franck Sharko se lançam em uma investigação para descobrir o elo invisível que une uma série de crimes atrozes. Destroçados pelas terríveis experiências que compartilharam, eles seguem a trilha da Evolução das espécies, num suspense arrebatador que os conduzirá às origens do mal. [leia mais]

O substituto, de David Nicholls — Nova comédia do autor de Um dia. Para Josh Harper, ser ator significa ter dinheiro, fama, mulheres aos seus pés e o papel principal nos palcos de Londres. Para Stephen C. McQueen, trata-se de uma longa e desastrosa carreira como figurante e substituto de Josh Harper, o 12º Homem mais Sexy do Mundo. [leia mais]

Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick  No novo livro do autor de O lado bom da vida, Leonard planeja comemorar seu 18º aniversário usando a pistola nazista que foi do avô para matar seu ex-melhor amigo e depois se suicidar. Antes, porém, ele quer se encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida.
[leia mais]

Por que o mundo existe?, de Jim Holt —  Uma tragédia pessoal levou o filósofo e jornalista Jim Holt a empreender uma investigação sobre o mistério da existência, procurando grandes nomes de diferentes áreas do conhecimento, como o escritor John Updike, o filósofo Adolf Grünbaum e o físico Andrei Linde. [leia mais]

Vidas provisórias, de Edney Silvestre —  Vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance em 2010, o autor retoma a história de personagens de seus dois primeiros romances, Paulo e Barbara, para criar um vigoroso retrato das transformações que ocorreram no país e no mundo nos últimos quarenta anos. [leia mais]

testePor que o mundo existe?

Café de Flore, 6º arrondissement, Paris Crédito: Dennis Stock

Na década de 1970, para aplacar as inseguranças habituais da adolescência, Jim Holt mergulhou no existencialismo. E foi nas primeiras páginas de Introdução à metafísica, de Martin Heidegger, que ele se deparou com o mistério existencial que o fascina há mais de 40 anos: por que existe algo e não apenas o nada? Anos depois, uma tragédia pessoal levou Holt direto para a estrada. A missão: descobrir as pistas com grandes pensadores contemporâneos, como o escritor John Updike, o filósofo Adolf Grünbaum, o teólogo Richard Swinburne, o matemático Roger Penrose e o físico Andrei Linde. O resultado dessa jornada intelectual, que passa pelo famoso Café de Flore, reduto dos existencialistas em Paris, frequentado por Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir, é o lançamento Por que o mundo existe? — um mistério existencial.

Jim Holt por Michael Todd

Considerada por Heidegger a “mais profunda”, “abrangente” e “fundamental de todas as perguntas”, a questão divide opiniões ao longo da história. William James a identificava como a “mais sombria de toda a filosofia”. O astrofísico Sir Bernard Lovell observou que se deter nela pode “estraçalhar a mente de um indivíduo”. Já Arthur Schopenhauer ataca: “Quanto menos um homem é dotado do ponto de vista intelectual, menos intrigante e misteriosa lhe parece a própria existência.”

Leia um trecho de Por que o mundo existe?   um mistério existêncial

Em termos conceituais, a pergunta por que o mundo existe? rima com por que eu existo? São esses, na visão de John Updike, os dois grandes mistérios existenciais. A ambivalência de Updike a respeito do ser foi canalizada para seu alter ego fictício, o romancista judeu Henry Bech, priápico, propenso ao desespero e sempre sofrendo de bloqueio criativo.

Já para Adolf Grünbaum, destacado pensador no terreno das sutilezas do espaço e do tempo que pode ser considerado o maior filósofo da ciência ainda vivo, essa pergunta não leva a Deus ou a coisa alguma. Dotado de implacável hostilidade à crença religiosa, Grünbaum a vê apenas como um pseudoproblema.

O jornalista, filósofo e matemático Jim Holt é categórico: não será possível entender o mundo até compreender por que ele existe e por que há um universo do qual fazemos parte. Na entrevista concedida ao programa Milênio, Holt explica sua grande obsessão e conta como se divertiu ao escrever o livro. “Fiz como se fosse uma história de detetive e fui atrás dos melhores suspeitos cósmicos, conversei com os maiores pensadores do mundo, e os fiz pensar alto. É ótimo ouvir um grande físico, filósofo, teólogo ou romancista pensando alto. Eles dizem as coisas mais extraordinárias.” Assista aqui.

testeEstante Intrínseca: lançamentos de agosto

Vidas provisórias, de Edney Silvestre — Expatriados, separados no tempo e na geografia, Paulo e Barbara compartilham, além da experiência do exílio, o estranhamento pela perda de suas identidades, o isolamento e a sensação de interrupção do curso normal de suas vidas. Diferentes motivos os levam ao estrangeiro. Em 1970, Paulo, perseguido pela ditadura militar, é preso, torturado e abandonado sem documentação na fronteira, de onde segue para o Chile e depois para a Suécia. Barbara, com uma identidade falsa, deixa o país para trás em 1991 — durante o governo Collor —, fugindo de um rastro de violência, e se instala nos Estados Unidos como imigrante ilegal.

Em Vidas provisórias, o escritor e jornalista Edney Silvestre — vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance em 2010 — retoma a história de personagens de seus dois primeiros romances para criar um vigoroso retrato das transformações que ocorreram no país e no mundo nos últimos quarenta anos. Com sensibilidade, o autor se vale de sua experiência de onze anos como correspondente baseado em Nova York para revelar o universo dos imigrantes e, ao mesmo tempo, recriar de forma contundente um Brasil visto a distância.
[Leia um trecho]

A nova era digital, de Eric Schmidt e Jared Cohen — Um dos nomes mais notáveis do Vale do Silício, Eric Schmidt está entre os responsáveis pela transformação do Google de modesta start-up em um verdadeiro gigante. Diretor do Google Ideas, Jared Cohen tem profundos conhecimentos de relações internacionais e trabalhou como assessor para o Departamento de Estado do governo norte-americano, nas gestões de Condoleezza Rice e Hillary Clinton. Neste livro, Schmidt e Cohen combinaram seus conhecimentos para analisar algumas das questões mais relevantes sobre o futuro da sociedade. Quem será mais poderoso, os cidadãos ou o Estado? Os avanços tecnológicos facilitam ou dificultam o combate ao terrorismo? Será que a privacidade se tornará um luxo para poucos na nova era digital?

Com clareza e conhecimento de causa, Schmidt e Cohen anteveem a maior revolução da tecnologia da informação na história da humanidade.

Por que o mundo existe?, de Jim Holt —  Uma tragédia pessoal levou o filósofo e jornalista Jim Holt a empreender uma investigação sobre o mistério da existência, procurando grandes nomes de diferentes áreas do conhecimento, como o escritor John Updike, o filósofo Adolf Grünbaum e o físico Andrei Linde.

Em seu itinerário, Jim Holt incluiu uma parada reflexiva no famoso Café de Flore, reduto dos existencialistas em Paris, frequentado por Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir. O resultado de suas inquietações é uma obra bem-humorada que mescla debates filosóficos, físicos e teológicos com diário de viagem e memórias. [Leia um trecho]

Vingança da maré, de Elizabeth Haynes — Depois de trabalhar duro por muito tempo — alternando um emprego como executiva de vendas durante o dia com o de dançarina de pole dance à noite —, Genevieve finalmente conseguiu juntar dinheiro para realizar seu sonho: comprar e reformar um barco e mudar-se para Kent, bem longe da vida estressante em Londres. Tudo parece enfim perfeito até que, na festa de inauguração do barco, um corpo aparece boiando próximo ao ancoradouro.

Em seu novo thriller, a premiada autora de No escuro constrói um submundo de corrupção, crimes e traição que revela os perigos de se misturar negócios e prazer.

Cidades de papel, de John Green No novo livro do autor de A culpa é das estrelas e O Teorema Katherine, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que, certo dia, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.
Leia também: O capitão John Green
Novidades sobre a adaptação de A culpa é das estrelas para o cinema

Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick Do autor de O lado bom da vida, romance que deu origem ao filme estrelado por Bradley Cooper e Jennifer Lawrence.

Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto.

Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.
Leia também: A biblioteca de Pat Peoples

Gataca, de Franck Thilliez — No novo livro do autor de A síndrome E, o cadáver de uma jovem cientista descoberto na jaula de um centro de estudos de primatas. Os restos mortais de uma família de Neandertais assassinada por um primitivo homem de Cro-Magnon, achados no topo de uma montanha nos Alpes. O assassino de crianças Gregory Carnot encontrado morto em sua cela, na cadeia. Um ginecologista especializado em genética selvagemente assassinado dentro de casa.

Para descobrir o elo invisível que une esses crimes atrozes, cometidos com trinta mil anos de diferença, os policiais Lucie Henebelle e Franck Sharko se lançam numa investigação em conjunto que os conduzirá às origens do mal. [Leia um trecho] Leia também: Mensagens subliminares 

O Olho do Mundo, de Robert Jordan Primeiro dos 14 volumes da série A Roda do Tempo, que compõem um elaborado universo fantástico, só comparável ao da obra de J. R. R. Tolkien (O Senhor dos Anéis).

Um dia houve uma guerra tão definitiva que rompeu o mundo, e no girar da Roda do Tempo o que ficou na memória dos homens virou esteio das lendas. Como a que diz que, quando as forças tenebrosas se reerguerem, o poder de combatê-las renascerá em um único homem, o Dragão, que trará de volta a guerra e, de novo, tudo se fragmentará.

Nesse cenário em que trevas e redenção são igualmente temidas, vive Rand al’Thor, um jovem de uma vila pacata que, após a chegada de uma forasteira, é invadida por Trollocs — bestas do universo das lendas. A mulher ajuda Rand a escapar, mas esse é só o começo: ela é uma Aes Sedai, artíficie do poder que move a Roda do Tempo, e acredita que Rand seja o profético Dragão Renascido. Aquele que poderá salvar ou destruir o mundo. [Leia mais]

 

testeEstante Intrínseca – Lançamentos jovens de agosto

Cidades de papel, de John Green No novo livro do autor de A culpa é das estrelas e O Teorema Katherine, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que, certo dia, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick Do autor de O lado bom da vida, romance que deu origem ao filme estrelado por Bradley Cooper e Jennifer Lawrence.

Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto.

Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

O Olho do Mundo, de Robert Jordan Primeiro dos 14 volumes da série A Roda do Tempo, que compõem um elaborado universo fantástico, só comparável ao da obra de J. R. R. Tolkien (O Senhor dos Anéis).

Um dia houve uma guerra tão definitiva que rompeu o mundo, e no girar da Roda do Tempo o que ficou na memória dos homens virou esteio das lendas. Como a que diz que, quando as forças tenebrosas se reerguerem, o poder de combatê-las renascerá em um único homem, o Dragão, que trará de volta a guerra e, de novo, tudo se fragmentará.

Nesse cenário em que trevas e redenção são igualmente temidas, vive Rand al’Thor, um jovem de uma vila pacata que, após a chegada de uma forasteira, é invadida por Trollocs — bestas do universo das lendas. A mulher ajuda Rand a escapar, mas esse é só o começo: ela é uma Aes Sedai, artíficie do poder que move a Roda do Tempo, e acredita que Rand seja o profético Dragão Renascido. Aquele que poderá salvar ou destruir o mundo.

 

Vidas provisórias, de Edney Silvestre — Expatriados, separados no tempo e na geografia, Paulo e Barbara compartilham, além da experiência do exílio, o estranhamento pela perda de suas identidades, o isolamento e a sensação de interrupção do curso normal de suas vidas. Diferentes motivos os levam ao estrangeiro. Em 1970, Paulo, perseguido pela ditadura militar, é preso, torturado e abandonado sem documentação na fronteira, de onde segue para o Chile e depois para a Suécia. Barbara, com uma identidade falsa, deixa o país para trás em 1991 — durante o governo Collor —, fugindo de um rastro de violência, e se instala nos Estados Unidos como imigrante ilegal.

Em Vidas provisórias, o escritor e jornalista Edney Silvestre — vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance em 2010 — retoma a história de personagens de seus dois primeiros romances para criar um vigoroso retrato das transformações que ocorreram no país e no mundo nos últimos quarenta anos. Com sensibilidade, o autor se vale de sua experiência de onze anos como correspondente baseado em Nova York para revelar o universo dos imigrantes e, ao mesmo tempo, recriar de forma contundente um Brasil visto a distância. [Leia um trecho]

A nova era digital, de Eric Schmidt e Jared Cohen — Um dos nomes mais notáveis do Vale do Silício, Eric Schmidt está entre os responsáveis pela transformação do Google de modesta start-up em um verdadeiro gigante. Diretor do Google Ideas, Jared Cohen tem profundos conhecimentos de relações internacionais e trabalhou como assessor para o Departamento de Estado do governo norte-americano, nas gestões de Condoleezza Rice e Hillary Clinton. Neste livro, Schmidt e Cohen combinaram seus conhecimentos para analisar algumas das questões mais relevantes sobre o futuro da sociedade. Quem será mais poderoso, os cidadãos ou o Estado? Os avanços tecnológicos facilitam ou dificultam o combate ao terrorismo? Será que a privacidade se tornará um luxo para poucos na nova era digital?

Com clareza e conhecimento de causa, Schmidt e Cohen anteveem a maior revolução da tecnologia da informação na história da humanidade.

Gataca, de Franck Thilliez — No novo livro do autor de A síndrome E, o cadáver de uma jovem cientista descoberto na jaula de um centro de estudos de primatas. Os restos mortais de uma família de Neandertais assassinada por um primitivo homem de Cro-Magnon, achados no topo de uma montanha nos Alpes. O assassino de crianças Gregory Carnot encontrado morto em sua cela, na cadeia. Um ginecologista especializado em genética selvagemente assassinado dentro de casa.

Para descobrir o elo invisível que une esses crimes atrozes, cometidos com trinta mil anos de diferença, os policiais Lucie Henebelle e Franck Sharko se lançam numa investigação em conjunto que os conduzirá às origens do mal. [Leia um trecho]

Por que o mundo existe?, de Jim Holt —  Uma tragédia pessoal levou o filósofo e jornalista Jim Holt a empreender uma investigação sobre o mistério da existência, procurando grandes nomes de diferentes áreas do conhecimento, como o escritor John Updike, o filósofo Adolf Grünbaum e o físico Andrei Linde.

Em seu itinerário, Jim Holt incluiu uma parada reflexiva no famoso Café de Flore, reduto dos existencialistas em Paris, frequentado por Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir. O resultado de suas inquietações é uma obra bem-humorada que mescla debates filosóficos, físicos e teológicos com diário de viagem e memórias. [Leia um trecho]

Vingança da maré, de Elizabeth Haynes — Depois de trabalhar duro por muito tempo — alternando um emprego como executiva de vendas durante o dia com o de dançarina de pole dance à noite —, Genevieve finalmente conseguiu juntar dinheiro para realizar seu sonho: comprar e reformar um barco e mudar-se para Kent, bem longe da vida estressante em Londres. Tudo parece enfim perfeito até que, na festa de inauguração do barco, um corpo aparece boiando próximo ao ancoradouro.

Em seu novo thriller, a premiada autora de No escuro constrói um submundo de corrupção, crimes e traição que revela os perigos de se misturar negócios e prazer.