testePlaylist de Leah fora de sintonia, a sequência de Com amor, Simon

Em Leah fora de sintonia, vamos mergulhar no mundo da melhor amiga de Simon. Leah é bissexual, com personalidade forte e encantadora e é baterista em uma banda só de garotas. Ela também é conhecida por ser a dona das melhores playlists.

Na sequência de Com amor, Simon, Becky Albertalli nos ensina grandes lições sobre aceitação e amizade. Leah se tornou uma inspiração para todos nós, e, pensando nisso, queremos homenageá-la com uma playlist cheia de artistas e músicas poderosas que representam tudo o que ela é. E, é claro que nessa seleção não poderia faltar a música que Leah tanto ama odiar: “Don’t Stop Believin’”, do Journey.

Entre no mundo fora de sintonia de Leah:

testePlaylist aquática de “A forma da água”

A água pode assumir vários formatos: lagos, lagoas, cachoeiras, chuvas, mares e oceanos. No novo trabalho de Guillermo del Toro e Daniel Kraus, a água vem em forma de amor.

Das profundezas do rio amazônico, o deus Brânquia é capturado por Richard Strickland, um oficial dos Estados Unidos, para aumentar a potência militar do país, em plena Guerra Fria. O homem-peixe representa para Strickland a selvageria, a insipidez, o homem que ele próprio se tornou – e quem detesta ser. Para Elisa Esposito, uma das faxineiras do centro de pesquisas para o qual o deus Brânquia é levado, a criatura representa a esperança, a salvação para sua vida monótona cercada de silêncio e invisibilidade.

Mistura bem dosada de conto de fadas, terror e suspense, A forma da água traz o estilo inconfundível e marcante de Del Toro, numa narrativa que se expande no filme homônimo, vencedor do Leão de Ouro em 2017 e indicado a 13 categorias do Oscar 2018.

Tomamos um banho de inspiração e criamos uma playlist nesse clima bem aquático (sempre abusando dos trocadilhos, é claro!). Respirem fundo e venham se banhar com a gente!

testeOuça a playlist de Me chame pelo seu nome

Me chame pelo seu nome conquista fãs por onde passa. O livro de André Aciman que narra todas as fases do primeiro amor inspirou o filme de Luca Guadagnino. O longa já recebeu prêmios em vários festivais internacionais, inclusive o de melhor filme no Gotham Awards, e acaba de estrear no Brasil para arrebatar nossos corações.

Elio passa seus verões com os pais no norte da Itália, onde conhece Oliver, um acadêmico que se hospeda na casa da família para trabalhar em seu livro. O que se passa nas seis semanas em que os jovens convivem é não só um processo de descoberta, mas o florescer das mais intensas emoções do primeiro amor. A delicadeza e precisão do autor ao descrever o turbilhão de sentimentos que atormentam Elio deixam a narrativa ainda mais sedutora.

Pensando nisso, fizemos uma playlist especial para você ouvir (e chorar) enquanto devora o livro. Ouça agora:

 

Me chame pelo seu nome já está disponível nas livrarias!

testePlaylist inspirada em “Mindhunter”

 

Ted Bundy, Son of Sam, Charles Manson… Alguns dos casos mais desafiadores e chocantes narrados em Mindhunter, livro que originou a série da Netflix, se tornaram tão icônicos que renderam vários filmes, documentários, séries e ganharam versões nas vozes de diferentes artistas e bandas.

Confira nossa playlist com músicas que falam sobre esses casos sinistros aqui!

testePlaylist de Agora e para sempre, Lara Jean

Assim como os dois primeiros livros, Agora e para sempre, Lara Jean, desfecho final da série Para todos os garotos que já amei, também tem muitos cookies, músicas e filmes — tudo que a nossa encantadora personagem mais gosta. No terceiro livro, Lara Jean está apaixonadíssima pelo namorado, Peter, tem planos para o seu baile de formatura e ainda está organizando o casamento do pai.

 

 

Como são muitos acontecimentos importantes na vida de Lara Jean, Jenny Han não deixou de incluir boas músicas para embalar a história. Por isso resolvemos criar uma playlist, que você pode ouvir inteirinha no Spotify!

testeOuça a playlist de Tartarugas até lá embaixo, de John Green

Nosso queridinho John Green, autor de A culpa é das estrelas, está de volta com mais um livro para nos deixar sem chão! Agora, o autor nos presenteia com uma heroína que precisa enfrentar uma batalha contra os próprios pensamentos.

Tartarugas até lá embaixo começa com uma investigação sobre o sumiço de um bilionário, mas na verdade nos apresenta uma história tocante de um forte laço de amizade capaz de durar a vida toda e da coragem de uma garota para enfrentar sua maior fragilidade: ela mesma.

Depois que John Green divulgou em seu perfil no Twitter uma playlist inspirada no livro, a gente se animou por aqui e criou uma para você ouvir durante a sua leitura! Esperamos que essas músicas aproximem você dessa personagem tão peculiar e apaixonante.

Ouça agora: 

testeA incrível playlist de Big Little Lies

O elenco de Big Little Lies, série inspirada no romance Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty, chamou a atenção logo quando foi anunciado. Com Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley nos papéis das protagonistas da história, a adaptação já tinha tudo para conquistar o público. Porém ninguém imaginava que a trilha sonora também ganharia notoriedade.

O diretor Jean-Marc Vallée e a supervisora Sue Jacobs criaram uma identidade musical que garante a tensão de cada episódio. “Big Little Lies é sombria e tem uma história muito pesada, por mais que na superfície tudo pareça muito bonito. A maneira como a câmera se move e como a música se molda através dela é nada mais que usar a própria música como recurso narrativo”, contou em Sue.

Alabama Shakes, Leon Bridges, Villagers, Sade, Frank Ocean, Elvis Presley, Charles Bradley foram alguns dos escolhidos para embalar a série sobre três mulheres que aparentemente têm uma vida perfeita em uma pequena cidade litorânea.

Escute a playlist:

teste[SOM PAULO]

Amanhã, 25 de janeiro, São Paulo festejará seus 463 anos. Ontem, 23 de janeiro, comemorei meu primeiro ano como habitante da cidade mais plural da América do Sul, quiçá do mundo. Além do ruído constante das suas buzinas e do som ansioso dos seus milhões de passos apressados, o coração econômico do Brasil também pulsa sensibilidade. Como novo morador, resolvi criar uma seleção de músicas que traduzem um pouco do que é essa São Paulo. Ah, e já que a cidade é uma mistura cultural, minha sugestão é ouvir no modo shuffle (aleatório), sem passar de faixa. Tem rap, tem seresta, tem punk, tem rock, tem samba, tem pop, tem poesia musicada. 

Aperta o play!

 

testeAntes de tudo vem a música

Escrevo profissionalmente sobre música, mas estou muito longe de ser um especialista em notas, escalas e acordes. Falta teoria, sobra prática. Ouço canções brasileiras desde que me entendo (ou não me entendo) por gente.

Em casa, quando eu tinha seis anos, meus pais alternavam os — desculpem a expressão, jovens — LPs na vitrola: se saía Meus caros amigos, de Chico Buarque, entrava Galos de briga, de João Bosco e Aldir Blanc. E vice-versa. Fui parido pela segunda vez por aquelas duas bolachas.

Eu ficava conversando com colegas da minha idade e, de repente, cantava: “Acendo um cigarro, molhado de chuva até os ossos” ou “E que tantos homens me amaram, bem mais e melhor que você”.

Eu já era estranho naquela época, portanto não surpreende que, ao escrever um livro sobre minha relação com meu filho, eu tenha escolhido como subtítulo “Histórias de um garoto autista e seu pai estranho”. Também não é de espantar o título: a expressão “Meu menino vadio” está no primeiro verso de “Sem fantasia”, composição de Chico Buarque.

Batizar os capítulos do livro com títulos ou trechos de canções é algo artificial; não precisava ser assim. Mas, para mim, foi quase natural. Escrever sobre assuntos tão pessoais sem tocar (em) música é que seria artificial, acho.

A maioria das escolhas derivou-se do significado das palavras, não do sentido das canções das quais foram extraídas. No entanto, com maior ou menor intensidade, gosto de todas as músicas que serviram de inspiração. 

Como mostra do repertório que o livro sugere, selecionei doze canções que me emocionam ou me alegram. A começar, é claro, pela que clama “Vem, meu menino vadio”.

 Ouça a playlist: 


 

>> Leia um trecho de Meu menino vadio

testePlaylist de Não se enrola, não

naoseenrola_5

Em Não se enrola, não, Isabela dá os primeiros passos na vida adulta, muda-se para São Paulo, conquista um emprego e começa um relacionamento sem nome definido com Pedro Miller. Vizinhos no Baixo Augusta, os dois dividem muitos momentos e a paixão por bandas como One Republic, Oasis, Charlie Brown Jr., Pearl Jam, The Killers, Kings of Leon e muitas outras!

Para entrar no clima do terceiro livro da autora, criamos uma trilha sonora com as músicas citadas na obra. É só ligar o som!