testeLANÇAMENTOS DA BIENAL DO LIVRO DE SÃO PAULO 2014

Bienal_2014_destaque

Em sua quarta participação na Bienal Internacional do Livro de São Paulo a Intrínseca publicará sete livros inéditos, entre eles Flash Boys, do jornalista norte-americano Michael Lewis; além da reedição de sucessos como a série infantojuvenil Percy Jackson e os Olimpianos e o livro interativo Destrua este diário com novas capas.

Os autores nacionais também marcarão presença: além do lançamento de Pó de lua, de Clarice Freire, também haverá sessões de autógrafos com Isabela Freitas; autora de Não se apega, não, com Pedro Gabriel, autor de Eu me chamo Antônio, e com a vencedora do Jabuti Míriam Leitão, que autografa Tempos extremos, sua estreia na ficção.

 Confira os lançamentos:

 destaque

Pó de lua, de Clarice Freire

Em 2011, discretamente, a publicitária Clarice Freire criou no Facebook uma página para reunir seus escritos e desenhos.  Batizou-a como Pó de Lua,  sua receita infalível “para diminuir a gravidade das coisas”. Desde então, ela vem conquistando uma legião de fãs fiéis e engajados, que se encantaram com a delicadeza de seus pensamentos, seu humor sutil e o traço despretensioso, que combina desenhos e até fragmentos de palavras. Da internet para as páginas de um livro, foi mais um salto para a jovem autora recifense, de apenas 26 anos. Ela surpreende seus admiradores com uma proposta diferente. Pó de Lua, o livro, tem o formato de um dos cadernos moleskine em que Clarice exercita sua criatividade. Inspirada pelas quatro fases da lua – minguante, nova, crescente e cheia –, ela trata em frases concisas e certeiras de sentimentos como a saudade, o medo, a paixão e a alegria, sempre em sua caligrafia característica, repleta de belas ilustrações.

Colagem2(Clique para ampliar)

Percy Jackson e os Olimpianos, de Rick Riordan ― novas capas

Os cinco livros da série são relançados em edição limitada e com design exclusivo: as cinco lombadas dos livros compõem, juntas, uma ilustração especial de John Rocco. Em O ladrão de raios, Percy Jackson, o menino que aos doze anos descobre que é um semideus, filho de Poseidon, precisa impedir uma guerra entre os deuses que destruiria a civilização ocidental; em O Mar de Monstros, ele e os amigos se envolvem em uma perigosa aventura para defender o acampamento dos semideuses; em A maldição do titã, Percy descobre que o Senhor dos Titãs despertou e está disposto a destruir a humanidade; em A batalha do Labirinto, o semideus vai combater o perigoso titã no temido Labirinto de Dédalo; e em O último olimpiano, Percy tem que lidar não só com o exército de Cronos, mas também com a chegada de seu décimo sexto aniversário — e, assim, com a profecia que determinará seu destino.

 untitled

Flash Boys  revolta em Wall Street, de Michael Lewis

Descontrolado e invisível, o mercado financeiro atual, concebido para beneficiar apenas algumas pessoas, segue uma única lei: a velocidade. Tudo pode mudar num piscar de olhos, e há corretores de alta frequência que venderiam a própria avó em troca de um microssegundo de vantagem. EmFlash Boys, Michael Lewis volta a Wall Street para revelar como um punhado de indivíduos excêntricos e brilhantes está determinado a expor a verdade ao público. Esta é a história surpreendente de como um pequeno grupo decidiu enfrentar todo o sistema e declarar guerra contra algumas das pessoas mais ricas e poderosas do mundo.

 Capa_CircuitoDeMentiras_WEB

Circuito de mentiras, de Juliet Macur

Juliet Macur, premiada repórter do New York Times, acompanhou durante quase dez anos a incrível trajetória de Lance Armstrong, o ciclista que em 2006 atingiu o recorde de maior vencedor do árduo Tour de France ao conquistar sete títulos consecutivos, mas transformou-se num dos maiores párias da história esportiva devido a denúncias de que ele sempre teria recorrido ao doping para competir. Macur foi uma das poucas pessoas a ter acesso ao ciclista: obteve a versão do próprio Armstrong e reuniu relatos de centenas de testemunhas para revelar a dimensão do escândalo que transformou o ciclismo mundial. Em Circuito de mentiras, ela revela em detalhes o sistema elaborado por Armstrong e imposto aos atletas de sua equipe. O resultado é uma trama rica e abrangente sobre a ascensão de um homem para a fama e sua surpreendente queda.

 Novas capas

Destrua este diário, de Keri Smith ― duas novas capas

 Um diário costuma servir para anotar ideias, memórias ou registros do cotidiano. Keri Smith, ilustradora e artista canadense, inventou um tipo diferente de diário, que exige do usuário uma interação mais lúdica e inusitada. Com a proposta de estimular a criatividade e questionar convenções sobre a forma como lidamos com os objetos, Destrua este diário nos convida a rasgar páginas, rabiscar, pintar fora das linhas, manchar e até mesmo levar o livro para o banho. Com o sucesso da primeira edição brasileira, Destrua este diário volta com duas novas capas, aumentando ainda mais as possibilidades destrutivas para o leitor.

 untitled

Termine este livro, de Keri Smith

Um livro de conteúdo profundamente misterioso foi abandonado em um parque. As páginas, soltas, foram embaralhadas pelo vento, e a capa, quase ilegível, exibia as palavras Manual de instruções. Keri Smith, autora de Destrua este diário, oferece ao leitor um novo desafio — decifrar o que há por trás dessa história e completar o conteúdo desconhecido da obra. E é claro que Smith não deixaria o leitor desamparado: a fim de realizar a missão, ele passará por um treinamento intensivo nas artes da espionagem e aprenderá a desvendar códigos secretos, reconhecer padrões ocultos no ambiente e usar a criatividade para dar a objetos comuns utilidades extraordinárias.

 
untitled

A busca, de Daniel Yergin

Daniel Yergin demonstra que a questão energética é o motor de transformações políticas e econômicas globais da atualidade. A busca é um relato arrebatador sobre um problema que afeta o mundo contemporâneo: onde encontrar a energia de que tanto necessitamos? Neste livro, o autor aborda as formas de energia tradicionais sobre as quais nossa civilização se ergueu e as novas fontes que prometem substituí-las. Das ruas engarrafadas de Pequim ao litoral do mar Cáspio, dos conflitos no Oriente Médio até o Capitólio e o Vale do Silício, Yergin revela as decisões que estão moldando o futuro.

 


untitledUma constelação de fenômenos vitais
, de Anthony Marra

Em uma vila coberta de neve na Chechênia, Havaa, de 8 anos, observa seu pai ser levado no meio da noite por soldados russos que o acusam de colaborar com rebeldes chechenos. Do outro lado da rua, Akhmed, um amigo da família, vê a cena e teme pelo pior quando os soldados ateiam fogo à casa da menina. Ao encontrar Havaa escondida na floresta com uma estranha mala azul, Akhmed decide buscar refúgio num hospital abandonado onde a única médica remanescente, Sonja, trata os feridos — uma decisão que irá mudar a vida dos três para sempre. Ao retratar o poder transcendente do amor em meio à guerra, Anthony Marra constrói, em Uma constelação de fenômenos vitais, um romance profundo e marcante sobre amizade, perda e os laços inesperados que as pessoas são capazes de construir.

 CAPA_25aHora_WEB

A 25ª hora, de C. Virgil Gheorghiu

Escrito durante o cativeiro do autor — preso pelas tropas americanas no fim da Segunda Guerra Mundial —, A 25ª hora conta a história de Iohann Moritz, um camponês romeno que é equivocadamente denunciado como judeu por um gendarme que lhe cobiça a esposa. Moritz cai nas garras dos nazistas, iniciando um périplo por diversos campos de concentração da Europa. Ao fugir com outros detentos para a Hungria, país “onde a vida é menos dura para os judeus”, acaba detido como espião romeno e é torturado. Deportado para a Alemanha, na condição de “trabalhador húngaro voluntário”, é examinado por um médico nazista que o considera um espécime excepcional da linhagem ariana. Ambientado num cenário irrespirável, A 25 a hora revela-se uma condenação não só do nazismo, como de todo tipo de totalitarismo. Um romance emocionante, com reflexões atuais e necessárias.

 

 

testeMITOLOGIA PARA SEMIDEUSES

Semideuses e Monstros (original)_destaque

Em junho a Intrínseca lança o livro que todo semideus bem-informado deve ter: Semideuses e monstros, organizado por  Rick Riordan. Vários autores escreveram sobre mitologia e, claro, sobre os heróis da série Percy Jackson e os olimpianos. Sempre de maneira divertida, para ninguém cair no sono.

Rosemary Clement-Moore dá lições de como reconhecer se há um monstro por perto e como escapar dele (ou enfrentá-lo). Ellen Steiber destrincha as várias lendas que envolvem Dioniso e se pergunta: quem o deixou comandar o Acampamento Meio-Sangue? Já Carolyn MacCullough explica como é o treinamento para se tornar uma caçadora de Ártemis (a gente adianta — sem spoilers ­— que é mais difícil do que você pensa). E ainda há contribuições de Nigel Rodgers, Jenny Han e outros autores do universo infantojuvenil.

Rick Riordan também escreveu uma introdução ao livro explicando como criou Percy e seus companheiros e sobre a importância de se conhecer mitologia. O livro foi lançado nos Estados Unidos originalmente em 2009, e a Intrínseca publicará a edição revista e atualizada (com três novos artigos) que saiu lá fora no ano passado.

testeTrilha sonora de Percy Jackson e o Mar de Monstros

Ouça a trilha sonora de Percy Jackson e o Mar de Monstros, adaptação cinematográfica do livro de Rick Riordan. Com estreia no Brasil prevista para 16 de agosto, o filme acompanha Percy, jovem semideus, filho do deus grego Poseidon, e seus amigos na busca pelo Velocino de Ouro.

Leia também:
Novo trailer de Percy Jackson e o Mar de Monstros

 

testeNovo trailer de Percy Jackson e o Mar de Monstros

Saiu um novo trailer de Percy Jackson e o Mar de Monstros, a sequência do filme Percy Jackson e o ladrão de raios, adaptação cinematográfica da série literária de Rick Riordan. Com estreia no Brasil prevista para 16 de agosto, o filme acompanha Percy (Logan Lerman), jovem semideus, filho do deus grego Poseidon, e seus amigos na busca pelo Velocino de Ouro.

Dirigido por Thor Freudenthal, com roteiro de Scott Alexander, Larry Karaszewski, Marc Guggenheim e Rick Riordan, Percy Jackson e o Mar de Monstros tem a presença de ainda Alexandra Daddario como Annabeth, Jake Abel como Luke, Brandon T. Jackson (Grover), Nathan Fillion (Hermes) e Stanley Tucci (Dionísio), entre outros.

Assista ao primeiro trailer, legendado:

testeNovos pôsteres de Percy Jackson e o Mar de Monstros

Foram divulgados novos pôsteres de Percy Jackson e o Mar de Monstros, adaptação cinematográfica da série literária de Rick Riordan. Com estreia no Brasil prevista para 16 de agosto, o filme acompanha Percy (Logan Lerman), jovem semideus, filho do deus grego Poseidon, e seus amigos na busca pelo Velocino de Ouro. Confira as imagens abaixo:

Veja também:
Novo trailer de  Percy Jackson e o Mar de Monstros

testeEntrevista com Vitor Correia, nosso treinador de heróis

Se você já esteve presente em algum evento dos livros de Rick Riordan no Rio de Janeiro, organizado pela Intrínseca, certamente conhece o rapaz fantasiado de deus grego na foto ao lado. Vítor Correia, de 24 anos, estudante de História (bacharelado e licenciatura) na UFRJ, é o nosso treinador oficial de heróis desde o lançamento dos primeiros livros da série Percy Jackson e os olimpianos no Brasil. Amanhã, você vai poder assistir a mais uma de suas palestras divertidas e repletas de conteúdo sobre mitologia no evento de A Marca de Atena, na Livraria Cultura do Centro, em 3 sessões: às 13h, às 14h30 e às 16h. Confira abaixo a entrevista!

P: Qual é o deus da mitologia que você mais admira?

R: Bem, eu gosto do Dioniso/Baco por causa das festas, celebrações, animação… Mas não posso esquecer Hermes que, para mim, talvez seja o deus mais sensacional, por ser o comunicador da galera: leva e traz as mensagens, fala bem (é eloquente), fala várias línguas, é boa-praça à beça e ajuda a todos.

P: Como surgiu seu interesse pela mitologia?

R: Meu interesse pela mitologia é tão antigo quanto… Sei lá, quanto a própria mitologia, talvez! É um amor antigo; como 99% das pessoas que cresceram nos anos 90, eu assistia à Cavaleiros do Zodíaco. Tá, pode ser meio viagem, eu sei, mas acho que surgiu daí mesmo e várias outras coisas foram me influenciando. Acho realmente fascinante como diferentes sociedades têm diferentes entendimentos de mundo, e a mitologia nada mais é que uma forma de entender aquelas coisas inexplicáveis.

P: Quando foi o seu primeiro contato com as séries do Rick Riodan?

R: Descobri a série Percy Jackson e os olimpianos através de algumas divulgações da própria editora e do meu irmão, que trabalha na Intrínseca e me sugeriu a leitura. Na época em que li o primeiro, por sinal, eu estava tendo disciplinas de História Antiga e acabei sendo influenciado a procurar saber mais ainda sobre mitologia.

P: Você tem alguma série ou livro preferido de Rick Riodan?

R: Sempre que termino de ler um livro da série acho que aquele é o melhor. Acho que os livros do Riordan são como uma escada: o próximo passo está sempre mais alto, melhor, que o anterior; mas devo dizer que estou gostando mais da nova série, Os heróis do Olimpo, porque sinto que ela é mais madura. Os livros têm partes e temáticas mais sérias, mas sem perder graça, o que torna a leitura MUITO agradável!

P: Como é o seu trabalho como treinador de heróis?

R: Cansativo à beça!!! A preparação das apresentações consome um tempo incrível, além de muito estudo, afinal são muitos detalhezinhos a serem lembrados. Mesmo dando aulas e preparando várias outras atividades para a minha “vida mortal”, consigo me dedicar ao estudo desses deuses complexados que deixam meus cabelos azuis de preocupação. Ainda mais com essa bipolaridade, eles não se decidem entre a raiz grega ou romana! É tanta, mas TANTA variação que você não sabe se está falando com Baco ou Dioniso, com Netuno ou Poseidon, e tem que tomar cuidado pra não se referir ao deus errado pra não virar uma doninha ou um cupcake. Ou, pior, uma doninha com cobertura de cupcake, ou um cupcake de doninha…

P: Sobre os eventos, lembra-se de alguma história interessante ou divertida para contar?

R: Bem, o evento da Bienal do Rio em 2011 foi bem legal, apesar de não termos podido terminar. No estande da Intrínseca, começaram a aparecer umas… er, ahm… 50, 60, 100, MUITAS PESSOAS! Era TANTA gente que tivemos que interromper, ou melhor, interromperam para nós. Esse foi o primeiro evento em que eu me vesti como grego.

O evento do Museu Nacional de Belas Artes, no Centro, foi o meu favorito. Fizemos a atividade no Salão Nobre do Museu numa tarde de sábado fria e de bastante chuva. E por isso mesmo o evento foi tão legal! De novo: era TANTA gente (mais de 500 pessoas dessa vez), que não pudemos fazer a gincana que tínhamos programado com as peças do museu, mas foi muito legal pela participação e presença do público. Quando começou a chover, chegamos a achar que o pessoal pudesse desistir de ir (até porque foi num sábado de feriadão), mas parece que a chuva impediu a galera de fazer outras coisas, como ir à praia. Foi bem legal! Além da participação dos fãs da série (vários foram fantasiados/fazendo cosplay), acho bem legal também a participação dos pais/avós/tios/responsáveis, mostrando que todo mundo, novo ou mais velho, alto ou baixo, gordo ou magro, preto, branco, amarelo, roxo, rosa ou azul… todo mundo sabe alguma coisa sobre mitologia, e essa é a coisa que é tão fascinante pra mim!

Em todo evento, e em cada apresentação, por mais que estude e prepare, é impossível não aprender alguma coisinha nova, por mínima que seja.

testePercy Jackson encontra Carter Kane em O filho de Sobek

Imagine dois de seus heróis preferidos, Percy Jackson e Carter Kane, unindo forças para lutar contra o mesmo inimigo! É o que acontece em O filho de Sobek, um eletrizante conto de Rick Riordan que acaba de ser lançado pela Intrínseca e já está disponível, somente em e-book, nas livrarias digitais.

Ao investigar os ataques de um crocodilo imenso contra pégasos em Long Island, o grande herói do Olimpo conhece o líder da casa do Brooklyn, que também está no rastro da fera.  Os dois se juntam para combater o terrível filho de Sobek, mas as dúvidas são muitas: por que há um monstro egípcio atacando mitos gregos? Será que a união de forças dos dois heróis será suficiente para derrotar a fera? E a mais importante: quem estaria por trás desse terrível evento?

Confira um trecho da entrevista de Rick Riordan concedida ao USA Today:

P: Seus heróis são tão diferentes. Como você os vê interagindo?

R: Carter e Percy são tão diferentes quanto dois heróis podem ser. Percy é impetuoso e sarcástico e Carter é muito atencioso e reservado, por isso, quando eles se une inicialmente, é como água e óleo. Eles não parecem formar um bom time, mas têm mais em comum do que você imagina. É, realmente, uma questão de aprenderem a confiar um no outro e a trabalhar em equipe. Foi fascinante unir esses heróis, vindos de mundos muito diferentes, e ver o que acontece.

P: Como você acha que os leitores vão responder à dinâmica?

R: Bem, espero que eles se divirtam lendo tanto quanto eu me diverti ao escrever. Os personagens decolaram juntos e a história ganhou vida própria. Meu único arrependimento é que é um conto. Espero explorar essa dinâmica de forma mais longa algum dia.

P: Você vê uma série Percy-Carter no futuro?

R: Eu adoraria, mas não sei. Tenho mais ideias do que jamais seria capaz de escrever em cinco vidas. É apenas uma questão de quais livros vou começar, então espero que sim. Mas ainda não tenho certeza.

P: Você pode falar sobre sua inspiração para as duas séries?

R: Quanto mais eu me aprofundo na mitologia, mais assunto encontro. Originalmente, eu escrevi cinco livros do Percy Jackson. Achei que cobriria a mitologia grega, mas não poderia estar mais enganado. Quanto mais eu entro no assunto, mais eu descubro. E aqui estou eu, tendo lançado três livros sobre mitologia egípcia, e agora nove sobre a grega, e ainda encontro mais deuses e monstros e histórias que eu não conhecia a partir de mitos antigos. É como uma fonte inesgotável de coisas legais.

Acho que essas histórias têm estado conosco por tanto tempo porque elas exploram temas universais: amizade, lealdade, bravura, patriotismo… o que essas questões significam? E os heróis são muito humanos. Alguns desses personagens têm 3000 anos, mas ainda podemos entender por que eles fazem o que fazem, mesmo quando não concordamos com as suas razões.

O e-books O filho de Sobek, de Rick Riordan, está disponível nas seguintes livrarias digitais:

Amazon
Kobo
Saraiva 
Gato Sabido 
Siciliano 

testeBoa notícia para os semideuses: disléxicos são criativos!

Pesquisas mostram o que já sabíamos: a dislexia nada tem a ver com inteligência, e crianças que sofrem desse distúrbio podem ser bastante criativas! Isso porque a dificuldade delas está estritamente ligada a ler, escrever e soletrar. Mas as formas de se expressar e se comunicar são inúmeras. Uma vez encorajados, e após descobrirem suas verdadeiras vocações, muitos disléxicos alcançam o sucesso.

Trabalhar com a audição — em substituição à leitura — pode ajudar muito no desenvolvimento de portadores de dislexia. Audiolivros e programas de computador que transformam o texto escrito em palavras faladas, e vice-versa, estimulam a mente e ampliam o vocabulário. Nas escolas, também é interessante conceder tempo extra nas provas e atribuir notas para criatividade e escrita separadamente.

Há casos de disléxicos célebres, como o ator Tom Cruise, a escritora Agatha Christie, o cientista Charles Darwin, o pintor Vincent van Gogh e o imperador da França Napoleão Bonaparte. Veja uma lista com mais dez disléxicos famosos, produzida com base em dados da Associação Brasileira de Dislexia – ABD:

– Cher (cantora)
– Franklin D. Roosevelt (32º presidente dos Estados Unidos)
– George Washington (1º presidente dos Estados Unidos)
– Leonardo da Vinci (artista plástico e inventor)
– Pablo Picasso (artista plástico)
– Robin Williams (ator)
– Thomas A. Edison (inventor da lâmpada)
– Winston Churchill (ex-primeiro-ministro britânico)
– Walt Disney (fundador dos estúdios Disney)
– Whoopi Goldberg (atriz)

Haley Riordan, filho do escritor Rick Riordan, tem dislexia e TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade). Inspirado no filho, que aos 9 anos se recusava a ler, Rick, à época professor no Texas, criou o personagem também disléxico Percy Jackson. O jovem, filho de Poseidon, deus grego do mar, embarca em diversas aventuras para matar monstros e salvar o mundo.

Rick Riordan e seu filho Haley Riordan

O herói improvável e imperfeito da série Percy Jackson e os olimpianos — que já vendeu 2,1 milhões de exemplares no Brasil — vai mal na escola, tem dislexia e é hiperativo. Quando lhe contam que é um semideus, ele descobre que sua mente está programada para o grego antigo — e por isso ele lê palavras em outros idiomas misturadas na página — e que a hiperatividade é fundamental para mantê-lo vivo no campo de batalha.

A boa notícia para os semideuses brasileiros é que o mais novo livro da série de aventuras do personagem – A Marca de Atena – já está “saindo do forno” e será lançado pela Intrínseca em 3 de maio. Ansiosos?

Fonte (em inglês) The Wall Street Journal

testeRick Riordan concorre a prêmio de autor do ano no Children’s Choice Books Awards

Rick Riordan concorre ao prêmio de autor do ano no Children’s Choice Books Awards com O filho de Netuno. Promovido pela Associação Internacional de Leitura (IRA, em inglês) e pelo Conselho de Livros Infantis (CBC, em inglês), o prêmio é decidido por eleição popular. A votação estará aberta até o dia 3 de maio, e, para participar, basta clicar aqui e preencher os campos referentes a idade e estado (os brasileiros devem marcar “Outside US”).

Em 2011, Riordan foi vencedor de duas categorias do Children’s Choice Books Awards: autor, com O herói perdido, e livro do ano, com A pirâmide vermelha. Ele também já recebeu  os prêmios YALSA e American Library Association pelos livros da série Percy Jackson e os olimpianos.

Rick Riordan, ex-professor do ensino médio, tem uma legião de fãs tanto por suas histórias quanto pela proximidade que mantém com os leitores — muito ativo nas redes sociais, sempre anuncia as novidades de seus livros em seu blog.