testeLeituras para o Dia das mães

lista

Preparamos uma lista com sugestões de livros para presentear mães de diferentes estilos: fashion, cult, alternativa, fofa, apaixonada por culinária, louca por cachorros, sensível, cinéfila, nerd, executiva, que gosta de cozinhar, de arrepiar, nerd e que curte séries.

Mãe fashion: Um brinde a isso, de Betty Halbreich

Betty Halbreich é uma figura única no mundo da moda. Há quase quatro décadas comanda o departamento de compras personalizadas da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Em Um brinde a isso, ela fala não só de como construiu a carreira, mas também dos momentos mais difíceis que precisou enfrentar.

link-externoVeja também A Parisiense – O guia de estilo de Ines Fressange

Mãe sensívelToda luz que não podemos ver, de Anthony Doerr

Marie-Laure, cega aos seis anos, vive em Paris com o pai, chaveiro responsável pelas fechaduras do Museu de História Natural. Na Alemanha, o órfão e curioso Werner se encanta pelo rádio. Combinando lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, Anthony Doerr constrói um tocante romance sobre o que há além do mundo visível.

link-externoVeja também Os últimos dias de nossos pais, Navegue a lágrima e Tempos extremos

Mãe cinéfila: A última dança de Chaplin, de Fabio Stassi

Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. O famoso ator está com 82 anos, mas ainda não se sente preparado para ver as cortinas se fecharem uma última vez. Desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida.

link-externoVeja também Alfred Hitchcock e os bastidores de Psicose

Mãe cult: A visita cruel do tempo, de Jennifer Egan

Da São Francisco dos anos 1970 à Nova York de um futuro próximo, Jennifer Egan tece uma narrativa caleidoscópica, que alterna vozes e perspectivas, cenários e personagens para contar como os sonhos se constroem e se desfazem ao longo da vida. A visita cruel do tempo recebeu o Pulitzer e o National Book Critics Circle Award de 2011.

link-externoVeja também Circo invisível, Lança-chamas e Max Perkins, um editor de gênios

Mãe apaixonada por cachorros: Filhotes submarinos, de Seth Casteel

O premiado fotógrafo e ativista em defesa dos direitos dos animais Seth Casteel retrata cachorrinhos na primeira fase da vida, quando ainda estão começando a descobrir o mundo. São mais de 80 cliques inéditos de filhotes cheios de energia e disposição dentro d’água.

link-externoVeja também Cachorros submarinos e Ache Momo

Mãe fofa: Um mais um, de Jojo Moyes

O livro conta a história de Jess, uma mãe solteira e falida, que precisa levar sua filha Tanzie para a Olimpíada de Matemática na Escócia. Ed Nicholls é um geek milionário e estranho que oferece uma carona até a cidade onde acontecerá a disputa. A engraçada viagem até o destino provará que os opostos se atraem e que é possível encontrar o amor nos lugares mais improváveis.

link-externoVeja também Pequenas grandes mentiras

Mãe que curte séries: Orange Is The New Black, de Piper Kerman

Condenada a quinze meses de detenção por um crime que cometeu anos atrás, Piper Kerman é obrigada a trocar a vida com o noivo, a família e os amigos por uma rotina imprevisível e assustadora em uma penitenciária feminina. Orange Is the New Black apresenta a história real que inspirou o popular seriado da Netflix.

link-externoVeja também O mundo de Dowtown Abbey , Homeland: como tudo começou

Mãe que gosta de cozinhar: A pequena cozinha em Paris, de Rachel Khoo

O livro traz versões especiais dos clássicos franceses e vai muito além dos livros de culinária tradicionais. A jovem chefe britânica Rachel Khoo acompanha suas receitas com curiosidades sobre cada prato e detalhes do dia a dia na capital francesa. Do irreverente muffin de croque madame ao frango com limão e lavanda, Rachel celebra e desmistifica a culinária francesa, revelando como é fácil transportar para a nossa casa a beleza e o aconchego parisienses.

link-externoVeja também Cozinhar

Mãe alternativa: A arte de pedir, de Amanda Palmer

Mobilizadora de multidões on-line, Amanda Palmer é o retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Em A arte de pedir, a cantora, compositora, ícone indie e feminista mostra que pedir é digno e necessário. Longe de ser um manual, o livro é uma provocação que incita o leitor a superar seus medos e reconhecer o valor de precisar e pedir ajuda.

link-externoVeja também Não sou uma dessas, Listografia e Uma questão de caráter

Mãe de arrepiar: Caixa de pássaros, de Josh Malerman

Há algo que não pode ser visto. Algo que enlouquece as pessoas e as leva a cometer atos violentos seguidos de suicídio. Basta uma olhada para fora e a vida corre risco. A população foi aconselhada a trancar as portas e as janelas e a andar vendada. Com uma narrativa cheia de suspense e terror psicológico, Caixa de pássaros conta a história assustadora de um surto inexplicável em Michigan.

link-externoVeja também Objetos cortantes e Filme noturno

Mãe executiva: O capital no século XXI, de Thomas Piketty

Nenhum livro sobre economia publicado nos últimos anos provocou o furor causado por O capital no século XXI, do francês Thomas Piketty. O estudo sobre a concentração de riqueza e a evolução da desigualdade ganhou manchetes nos principais jornais do mundo e colheu comentários e elogios de diversos ganhadores do Prêmio Nobel.

link-externoVeja também Como o Google funciona e A loja de tudo

Mãe nerd: Uma breve história do tempo, de Stephen Hawking

Qual a origem do universo? Ele é infinito? E o tempo? Houve um começo e haverá um fim? O que vai acontecer quando tudo terminar? Pensadores e cientistas debruçam-se sobre perguntas como essas há séculos, oferecendo teorias nem sempre de fácil compreensão. Em Uma breve história do tempo, o famoso físico Stephen Hawking guia o leitor – em edição revista e atualizada – pelas principais descobertas científicas da humanidade e encanta tanto leigos quanto iniciados.

Vlink-externoeja também Ordem e Os filhos de Anansi

testeA saga independente de Hugh Howey

Por João Lourenço*

Foto: Amber Lyda

Foto: Amber Lyda

Hugh Howey é um daqueles casos em que a vida do autor é tão interessante quanto a vida dos personagens que ele inventa. Howey foi criado em Monroe, cidade interiorana do estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Durante os anos de faculdade, transformou um pequeno veleiro em moradia. “Eu não tinha muito dinheiro. Então, em vez de comprar um carro popular, comprei um barco e o transformei em uma minicasa flutuante. Foi difícil levar o barco para a minha cidade, pois eu o adquiri em outro estado. A jornada quase colocou a minha vida e a de um amigo em risco.” As ondas no pequeno porto onde o veleiro ficava ancorado mexeram com seus sentidos. Ele decidiu, então, que não esperaria a aposentadoria — abandonou os cursos de inglês e de física para percorrer o mundo com seu barco.

Hugh Howey começou por ilhas do oceano Atlântico e enfrentou, logo de cara, dois furacões. Após um ano velejando, suas economias acabaram. De volta aos Estados Unidos, encontrou um trabalho como capitão de iate. A nova profissão o levou para as Bahamas, o Canadá e vários outros cantos. E, talvez o mais importante, a aventura também o levou até a pessoa que iria convencê-lo a baixar a âncora e, finalmente, comprar uma casa em terra firme: Amber, sua esposa.

Enquanto gerenciava uma livraria independente, Howey começou a escrever sobre o tempo em que viveu no mar. Depois de iniciar vários romances que nunca conseguia concluir, decidiu explorar outros gêneros e formatos. Nas manhãs de folga e durante o horário de almoço, escreveu as histórias que deram origem ao primeiro volume da série Silo. Inicialmente publicado em e-books de forma independente, Silo teve sucesso repentino. Isso sem Howey fazer qualquer propaganda. A série tomou proporções gigantescas apenas com o boca a boca dos internautas. Ao perceber o burburinho em torno de sua obra, ele resolveu aprofundar a narrativa sobre o fantástico mundo subterrâneo.

capasSucesso de público e crítica, o livro se destacou nas listas mais importantes de best-sellers e abocanhou diversos prêmios, entre eles o Kindle Best Indie Book de 2012 — dedicado às publicações independentes. “Estava contente com minha carreira. Antes de Silo, fazia três anos que já estava publicando contos e pequenas histórias por conta própria. O sucesso me obrigou a deixar a livraria que eu ajudava a gerenciar. Pensei que conseguiria conciliar tudo, mas de repente eu tinha milhares de e-mails chegando o tempo todo: de fãs, agentes e pessoas de Hollywood. Por meses, meu trabalho foi apenas lidar com todo o assédio da mídia.” Até o escritor Stephen King, mestre do suspense e do sobrenatural, já se declarou fã da obra. E não para por aí: em Hollywood, o diretor Ridley Scott (Blade Runner: o caçador de androides) já adquiriu os direitos da adaptação da trilogia e planeja uma versão para o cinema.

Enquanto isso, Ordem acaba de ser lançado no Brasil. O segundo volume da série leva os personagens ao extremo. Esse é um tema recorrente na literatura de Howey, sempre interessado em observar como as pessoas agem para sair de situações de risco e de desespero. É fácil se imaginar no apocalipse que o autor criou. Talvez por isso Hugh Howey seja tão reverenciado. Ele nos lembra que somos capazes de tudo, e que violência e destruição estão mais perto do que gostamos de imaginar. Ao mesmo tempo, o autor mostra que até nos cenários mais cruéis e obscuros há espaço para compaixão, amor e esperança.

Howey é o tipo de pessoa que aguça a curiosidade. Além da ficção científica, ele já explorou gêneros como horror, literatura jovem, fanfiction, entre outros. No momento, está trabalhando em um livro infantil e, depois, pretende escrever sobre as pessoas que conheceu no tempo em que era capitão de iate. Presença forte nas redes sociais, seu blog pessoal está recheado de dicas para quem está preso nas primeiras páginas de um manuscrito. Em vídeos descontraídos, ele conta um pouco do mundo dos bastidores, fala sobre o dia a dia de um escritor e até ensina truques para quem pretende publicar seu livro de forma independente. Ele também planeja abrir uma livraria.

Atualmente, o autor mora em Júpiter (no caso dele, poderia ser o planeta), na Flórida. E não abandonou a paixão pelo mar. Às vésperas de completar 40 anos, está transformando outro barco em moradia — agora, o espaço vai acomodar também a mulher, Amber, e a cadela, Bella. Hugh Howey segue navegando em busca de novas histórias para contar. O que estão esperando? Todos a bordo!

João Lourenço é jornalista. Passou pela redação da FFW MAG!, colaborou com a Harper’s Bazaare com a ABD Conceitual, entre outras publicações estrangeiras de moda e design. Agora, está em NYC tentando escrever seu primeiro romance.

testeLançamentos de março

EstanteIntrinseca_Mar2015_433x319px

A Segunda Pátria, de Miguel Sanches Neto — Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, Getúlio Vargas alia-se ao Terceiro Reich. Neste cenário alternativo, o escritor paranaense desenvolve uma surpreendente história de amor enquanto subverte os fatos para criar um Brasil que não está nos livros de história, mas que nem por isso deixa de ser assustadoramente plausível. [+]
Leia um trecho.
link-externoLeia também: Biografia de um livro

Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty — Em seu novo romance, a autora do best-seller O segredo do meu marido coloca em cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos familiares para nos lembrar das perigosas meias verdades que contamos a nós mesmos para sobreviver. [+]
Leia um trecho

Circo invisível, de Jennifer Egan — O surpreendente romance de estreia de Jennifer Egan, escritora norte-americana que recebeu o Prêmio Pulitzer de Ficção pelo livro A visita cruel do tempo, em 2011, narra a história de uma família marcada pelos extremos dos anos 1960 e aborda os impactos provocados pela morte, pela utopia e pelo tempo. [+]
Leia um trecho

Ordem, de Hugh Howey — No segundo volume da trilogia Silo, a história volta a um período anterior, explicando como o mundo de Juliette foi transformado. O livro revela as decisões, tomadas por alguns poucos poderosos, que foram o estopim das bilhões de mortes que deixaram a humanidade em vias de extinção. [+]
Leia um trecho

A arte de pedir, de Amanda Palmer — Cantora, compositora, ícone indie e feminista, Amanda Palmer é o retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Em A arte de pedir, ela incita o leitor a superar seus medos e reconhecer o valor de precisar e de pedir ajuda. [+]
Leia um trecho
link-externoLeia também: conheça Amanda Palmer

Selva de Gafanhotos, de Andrew Smith — Um mal resolvido triângulo amoroso-sexual, insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo e muita confusão. Engraçado, intenso e complexo, Selva de Gafanhotos fala de um jeito inovador sobre a adolescência. [+]
Leia um trecho

Um brinde a isso, de Betty Halbreich com Rebecca Paley — Há quase 40 anos, Betty Halbreich comanda o departamento de compras personalizadas da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Combinando moda com relatos sobre sua vida pessoal, Betty mostra que o verdadeiro estilo de uma mulher não está impresso nos cortes, tecidos e etiquetas que ela veste, mas na história que tem para contar. [+]

A última dança de Chaplin, de Fabio Stassi — Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. Com 82 anos e desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida. [+]
Leia um trecho

Filhotes submarinos, de Seth Casteel — Depois do sucesso de Cachorros submarinos, o premiado fotógrafo e ativista em defesa dos direitos dos animais Seth Casteel retrata cachorrinhos na primeira fase da vida. São mais de 80 cliques inéditos de filhotes cheios de energia e disposição dentro d’água. [+]
Leia um trecho

Dentista sinistra, de David Walliams — Alfie tem 12 anos e um coração enorme, tão grande quanto seu medo de dentista. Ele não sabe o que fazer quando o obrigam a se consultar com a nova dentista da cidade: uma mulher mais arrepiante que prova de matemática. [+]
Leia um trecho