testeLugares Escuros e outros lançamentos da Netflix em junho

Inspirado no romance de Gillian Flynn, Lugares escuros estreia em junho no catálogo da Netflix. Protagonizado por Charlize Theron, o filme de Gilles Paquet-Brenner (A Chave de Sarah) também conta com Nicholas Hoult e Chloë Grace Moretz no elenco.

Na trama, Libby Day é uma mulher que, aos sete anos, sobreviveu ao terrível assassinato de sua família e testemunhou contra o irmão no julgamento. Vinte e cinco anos depois, uma sociedade secreta obcecada por solucionar crimes notórios vai trazer à tona o que realmente aconteceu naquele dia.

 

Neste mês, o serviço de streaming também disponibiliza a 5ª temporada de Orange Is The New Black. A série é inspirada na autobiografia de Piper Kerman publicada pela Intrínseca.

O documentário Saving Banksy discute arte de rua e apropriação cultural ao explorar os trabalhos do polêmico (e até hoje não identificado) Banksy e de outros artistas. Alguns dos melhores trabalhos de Banksy e suas reflexões foram reunidas no livro Guerra e spray, também da Intrínseca.

 

Conheça outras obras que estreiam em junho na Netflix:

testeRuby, o romance que conquistou Oprah Winfrey, conta a luta de uma mulher para sobreviver à violência

“Não é uma história apenas sobre abuso. É sobre sobrevivência”. Assim Cynthia Bond define Ruby, seu romance de estreia. A obra apresenta a vida de uma jovem garota que, depois de passar por sofrimentos inimagináveis durante a infância, decide fugir de sua cidadezinha no sul dos Estados Unidos para recomeçar a vida em Nova York nos anos 1950. Porém, um telegrama urgente a faz voltar para casa, forçando-a a reencontrar pessoas do passado e a reviver momentos perturbadores.

Com uma prosa refinada, Cynthia escreve sobre temas delicados como violência doméstica, abuso e racismo. Apesar de ser uma história de ficção, Ruby foi inspirado em fatos reais vividos pela família da própria autora. A tia de Cynthia foi assassinada no Texas por homens da Ku Klux Klan. A história ficou guardada por um bom tempo até parar no papel, anos depois.

Ruby conquistou elogios do público, da crítica e de personalidades como Oprah Winfrey, que selecionou a obra para o seu Clube de Leitura, e Uzo Aduba, atriz que interpreta a Crazy Eyes de Orange Is the New Black e se encantou com a história de uma mulher que tinha tudo para ser fraca, mas luta para sobreviver à violência e à loucura.

O romance virou best-seller do New York Times e foi finalista do Baileys Women’s Prize, prêmio que elege o melhor livro de ficção escrito por mulheres no Reino Unido. A obra chega às livrarias brasileiras a partir de 13 abril.

teste6 Séries inspiradas em livros que estão na Netflix

Depois da nossa lista de filmes inspirados em livros da Intrínseca disponíveis na Netflix, decidimos que dedicar apenas duas horas a um filme não era o suficiente. Separamos seis séries para os leitores que querem passar mais tempo com seus personagens literários favoritos:

Caçadores de trolls – lançada no final de 2016, a adaptação do livro de Guillermo del Toro mostra a história do jovem Jim e de seu melhor amigo, que descobrem uma sociedade de criaturas que vivem embaixo da terra. Com produção do autor e da DreamWorks, a segunda parte da série tem previsão de estreia em 2017.

How I Met Your Mother – série que originou as obras do irreverente Barney Stinson, O código Bro e Playbook: o manual da conquista, a comédia mostra um pai contando aos filhos, de maneira extremamente detalhada, divertida e prolongada, como ele conheceu a mãe dos dois adolescentes.

Orange Is the New Black – primeiro sucesso original da Netflix, a produção mostra a rotina de um grupo de presidiárias, com foco na autora do livro, Piper Kerman. A quinta temporada da série foi anunciada recentemente, e estreia em 9 de junho.

Cooked – no livro Cozinhar e na série Cooked, o escritor Michael Pollan convida o público a redescobrir a experiência fascinante de transformar os alimentos a partir dos quatro elementos da natureza — fogo, água, ar e terra. Ao relatar suas experiências pessoais com os processos de preparação da comida, Pollan mergulha numa história tão antiga quanto a da própria humanidade e propõe uma redescoberta de sabores e valores esquecidos.

Homeland – O livro Homeland: onde tudo começou mostra o passado da protagonista da série de sucesso, Carrie Mathison (Interpretada por Claire Danes). A atração chegará a sua sexta temporada em 2017. Indispensável para todos os fãs de thrillers de espionagem.

Como treinar o seu dragão – Além da série de livros, que chega ao fim em Como combater a fúria de um dragão, e da série de filmes de mesmo nome, a Netflix produziu uma série que conta histórias inéditas de Soluço e seu companheiro Banguela. Dragões: corrida até o limite mostra o que aconteceu entre os dois primeiros filmes da série.

testeSéries para esperar em 2017

2dfss

Em 2016, além dos filmes inspirados em nossos livros, várias obras da Intrínseca foram para a TV. Dentre os principais destaques, tivemos a incrível série documental Cozinhar, com o autor Michael Pollan explorando as diferentes transformações da culinária; Não se apega, não, adaptação do primeiro livro de Isabela Freitas para um quadro do Fantástico; e a ainda vindoura Caçadores de Trolls, série animada em parceria da Netflix com a DreamWorks, que adapta o livro homônimo de Guillermo del Toro, com estreia marcada para 23 de dezembro.

E para 2017 temos diversos títulos que serão adaptados para a televisão. Confira:

Pequenas grandes mentiras

Big Little Lies, série baseada no romance Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty, estreia em 19 de fevereiro de 2017. O livro conta a história de três mulheres que aparentemente têm uma vida comum em uma pequena cidade da Austrália. A série, produzida pela HBO, será estrelada por Nicole Kidman, Shailene Woodley e  Reese Witherspoon.

Deuses americanos

Uma mistura de road trip, fantasia e mistério, Deuses americanos mostra a jornada de um ex-detento, Shadow Moon, e seu misterioso empregador, que atravessam os Estados Unidos reunindo um estranho grupo de pessoas para uma guerra que está por vir. O que Shadow logo descobre é que o conflito envolverá divindades antigas e novas. A série será produzida pelo próprio Neil Gaiman, autor do livro, e tem previsão de estreia no primeiro semestre de 2017. Será estrelada por Ricky Whittle (da série The 100) e Ian McShane (Piratas do Caribe e Game of Thrones).

Girls

Criada por Lena Dunham, autora de Não sou uma dessas, a série Girls terá em 2017 sua sexta e última temporada. Em uma entrevista sobre o anúncio da quinta temporada, que estreou em 2016, a autora explicou sobre a decisão de encerrar a série: “Comecei a escrever a série aos 23 anos, e agora vou fazer 30. Me sinto bem em encerrar o programa junto com a minha fase dos 20 anos. É como se eu estivesse pronta pra sair no mundo.”

Objetos Cortantes

4e49c5f4e6e962b0804acb07c6abc3af

A atriz que será protagonsita em Objetos cortantes, Amy Adams (Fonte)

A HBO também leva para a televisão a adaptação do livro de Gillian Flynn, Objetos cortantes. A série terá 8 episódios, que serão exibidos entre o final de 2017 e o começo de 2018. O livro conta a história da repórter Camille Preaker, que, recém-saída de um hospital psiquiátrico, se vê de volta a sua cidade natal, Wind Gap, e a sua família instável, para cobrir o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. A produção será estrelada pela atriz Amy Adams, que já participou das adaptações de História da sua vida e outros contos e Tony & Susan.

Orange is the new Black

No livro Orange is the new black, obra de não ficção que inspirou a série original da Netflix, Piper Kerman apresentou casos curiosos, perturbadores, comoventes e divertidos do dia a dia no presídio. Um dos maiores sucessos da Netflix, a série chega à quinta temporada no próximo ano.

Não se iluda, não

Após o sucesso da série que adaptou o primeiro livro de Isabela Freitas, era de se esperar que a continuação fosse inevitável. Ainda sem data de estreia confirmada, Não se iluda, não acompanhará os atores Laura Neiva, Arthur Aguiar, Rafael Vitti e Rodrigo Simas nos mesmos papéis da primeira série.

testeLeituras para o Dia das mães

lista

Preparamos uma lista com sugestões de livros para presentear mães de diferentes estilos: fashion, cult, alternativa, fofa, apaixonada por culinária, louca por cachorros, sensível, cinéfila, nerd, executiva, que gosta de cozinhar, de arrepiar, nerd e que curte séries.

Mãe fashion: Um brinde a isso, de Betty Halbreich

Betty Halbreich é uma figura única no mundo da moda. Há quase quatro décadas comanda o departamento de compras personalizadas da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Em Um brinde a isso, ela fala não só de como construiu a carreira, mas também dos momentos mais difíceis que precisou enfrentar.

link-externoVeja também A Parisiense – O guia de estilo de Ines Fressange

Mãe sensívelToda luz que não podemos ver, de Anthony Doerr

Marie-Laure, cega aos seis anos, vive em Paris com o pai, chaveiro responsável pelas fechaduras do Museu de História Natural. Na Alemanha, o órfão e curioso Werner se encanta pelo rádio. Combinando lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, Anthony Doerr constrói um tocante romance sobre o que há além do mundo visível.

link-externoVeja também Os últimos dias de nossos pais, Navegue a lágrima e Tempos extremos

Mãe cinéfila: A última dança de Chaplin, de Fabio Stassi

Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. O famoso ator está com 82 anos, mas ainda não se sente preparado para ver as cortinas se fecharem uma última vez. Desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida.

link-externoVeja também Alfred Hitchcock e os bastidores de Psicose

Mãe cult: A visita cruel do tempo, de Jennifer Egan

Da São Francisco dos anos 1970 à Nova York de um futuro próximo, Jennifer Egan tece uma narrativa caleidoscópica, que alterna vozes e perspectivas, cenários e personagens para contar como os sonhos se constroem e se desfazem ao longo da vida. A visita cruel do tempo recebeu o Pulitzer e o National Book Critics Circle Award de 2011.

link-externoVeja também Circo invisível, Lança-chamas e Max Perkins, um editor de gênios

Mãe apaixonada por cachorros: Filhotes submarinos, de Seth Casteel

O premiado fotógrafo e ativista em defesa dos direitos dos animais Seth Casteel retrata cachorrinhos na primeira fase da vida, quando ainda estão começando a descobrir o mundo. São mais de 80 cliques inéditos de filhotes cheios de energia e disposição dentro d’água.

link-externoVeja também Cachorros submarinos e Ache Momo

Mãe fofa: Um mais um, de Jojo Moyes

O livro conta a história de Jess, uma mãe solteira e falida, que precisa levar sua filha Tanzie para a Olimpíada de Matemática na Escócia. Ed Nicholls é um geek milionário e estranho que oferece uma carona até a cidade onde acontecerá a disputa. A engraçada viagem até o destino provará que os opostos se atraem e que é possível encontrar o amor nos lugares mais improváveis.

link-externoVeja também Pequenas grandes mentiras

Mãe que curte séries: Orange Is The New Black, de Piper Kerman

Condenada a quinze meses de detenção por um crime que cometeu anos atrás, Piper Kerman é obrigada a trocar a vida com o noivo, a família e os amigos por uma rotina imprevisível e assustadora em uma penitenciária feminina. Orange Is the New Black apresenta a história real que inspirou o popular seriado da Netflix.

link-externoVeja também O mundo de Dowtown Abbey , Homeland: como tudo começou

Mãe que gosta de cozinhar: A pequena cozinha em Paris, de Rachel Khoo

O livro traz versões especiais dos clássicos franceses e vai muito além dos livros de culinária tradicionais. A jovem chefe britânica Rachel Khoo acompanha suas receitas com curiosidades sobre cada prato e detalhes do dia a dia na capital francesa. Do irreverente muffin de croque madame ao frango com limão e lavanda, Rachel celebra e desmistifica a culinária francesa, revelando como é fácil transportar para a nossa casa a beleza e o aconchego parisienses.

link-externoVeja também Cozinhar

Mãe alternativa: A arte de pedir, de Amanda Palmer

Mobilizadora de multidões on-line, Amanda Palmer é o retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Em A arte de pedir, a cantora, compositora, ícone indie e feminista mostra que pedir é digno e necessário. Longe de ser um manual, o livro é uma provocação que incita o leitor a superar seus medos e reconhecer o valor de precisar e pedir ajuda.

link-externoVeja também Não sou uma dessas, Listografia e Uma questão de caráter

Mãe de arrepiar: Caixa de pássaros, de Josh Malerman

Há algo que não pode ser visto. Algo que enlouquece as pessoas e as leva a cometer atos violentos seguidos de suicídio. Basta uma olhada para fora e a vida corre risco. A população foi aconselhada a trancar as portas e as janelas e a andar vendada. Com uma narrativa cheia de suspense e terror psicológico, Caixa de pássaros conta a história assustadora de um surto inexplicável em Michigan.

link-externoVeja também Objetos cortantes e Filme noturno

Mãe executiva: O capital no século XXI, de Thomas Piketty

Nenhum livro sobre economia publicado nos últimos anos provocou o furor causado por O capital no século XXI, do francês Thomas Piketty. O estudo sobre a concentração de riqueza e a evolução da desigualdade ganhou manchetes nos principais jornais do mundo e colheu comentários e elogios de diversos ganhadores do Prêmio Nobel.

link-externoVeja também Como o Google funciona e A loja de tudo

Mãe nerd: Uma breve história do tempo, de Stephen Hawking

Qual a origem do universo? Ele é infinito? E o tempo? Houve um começo e haverá um fim? O que vai acontecer quando tudo terminar? Pensadores e cientistas debruçam-se sobre perguntas como essas há séculos, oferecendo teorias nem sempre de fácil compreensão. Em Uma breve história do tempo, o famoso físico Stephen Hawking guia o leitor – em edição revista e atualizada – pelas principais descobertas científicas da humanidade e encanta tanto leigos quanto iniciados.

Vlink-externoeja também Ordem e Os filhos de Anansi

testeOrange is the New Black

A história real que inspirou a série Orange is the New Black chegará ao Brasil pela Intrínseca. Produzido pelo Netflix, o hit de Jenji Kohan (criadora de Weeds) é baseado nas experiências vividas por Piper Kerman em uma prisão feminina.

Piper Kerman

O ano é 1992. Recém-formada na faculdade, Piper Kerman se apaixona por Nora. A ligação entre elas é tão forte que Kerman não hesita ante um pedido da namorada: ir ao aeroporto buscar uma mala contendo milhares de dólares. Dez anos depois, Kerman está noiva do editor de livros Larry Smith e desfruta de uma vida comum até que a investigação sobre a mala, cujo dinheiro era fruto do narcotráfico, vem à tona. Condenada por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, Kerman terá que acertar suas contas com a justiça na prisão de Danbury, em Connecticut.

Leia a entrevista de Piper Kerman concedida à revista Marie Claire

Na série, Piper é interpretada por Taylor Schilling (Argo), e seu noivo, por Jason Biggs (American Pie). Disponível para os assinantes do Netflix desde o último dia 11 de julho, a produção teve tanto sucesso que já foi confirmada a segunda temporada, com 13 episódios.

O lançamento da edição brasileira de Orange is the New Black, de Piper Kerman, ainda não tem previsão.