testeAs marcas de Tim Burton em O lar das crianças peculiares

As fotos estranhas e misteriosas que compõem a narrativa de O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares já seriam suficientes para inspirar Tim Burton. Mas o diretor, conhecido pela estética dark de seus filmes, foi além para tentar chegar mais perto do universo criado por Ransom Riggs.

“Eu gosto de como Riggs criou a história. Me lembra um conto de fadas antigo”, disse ele  em entrevista ao The New York Times. Para a produção do longa, Burton usou seu talento de ilustrador para esboçar adereços dos personagens. Na hora da criação dos peculiares, por exemplo, deixou a criatividade falar mais alto e imaginou elementos que caracterizassem Hugo, o menino que solta abelhas pela boca.

abelhas

Já para conceber os etéreos, monstros cadavéricos e ressequidos, Burton pensou em tentáculos na boca e roupas especiais. Os traços dos esboços feitos pelo diretor remetem a características já apresentadas em filmes como O Estranho Mundo de Jack e A Noiva Cadáver.

etereos

O Lar das Crianças Peculiares teve o roteiro adaptado por Jane Goldman, de X-Men e Kick-Ass, e conta com Eva Green, Asa Butterfield, Allison Janney, Terence Stamp, Rupert Everett, Judi Dench e Samuel L. Jackson no elenco. O filme estreia amanhã, dia 29, nos cinemas brasileiros.

>>Conheça os livros já publicados de Ransom Riggs:

hollowcity

bibliotecalmasperegrine

peculiaresfoto

testeSim, vamos publicar o primeiro livro da série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares!

a5d301506e8d8f211c53d4747959d68d

Nos últimos meses, muitos leitores enviaram mensagens em nossas redes sociais pedindo que lançássemos o primeiro livro da trilogia O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares. Pois temos uma boa notícia para os apaixonados pela série: a obra será lançada pela Intrínseca em novembro! Seguindo o mesmo projeto gráfico de Cidade dos etéreos e Biblioteca de Almas, o livro terá capa dura, sobrecapa e páginas coloridas.

A história começa com Jacob Portman, um adolescente de 16 anos, disposto a descobrir a verdade sobre a morte do avô. Para isso, ele segue pistas que o levam a um orfanato abandonado em uma remota ilha galesa. O local abrigava crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine.

A obra foi adaptada para os cinemas pelo diretor Tim Burton e estreia no Brasil em 29 de setembro. Eva GreenAsa Butterfield, Allison Janney, Chris O’Dowd e Ella Purnell estão no elenco.

testeTrecho de Contos peculiares

Destaques_ContosPeculiares_600x400

As histórias que as crianças peculiares escutavam da srta. Peregrine, as pistas para a localização das fendas temporais, o livro dentro dos livros. Contos peculiares, coleção inédita de contos e fábulas independentes relacionadas à série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares, chega às livrarias a partir de 03 de setembro.

Com belas ilustrações do artista Andrew Davidson, em estilo de xilogravura, a obra traz um complemento para a trilogia de Ransom Riggs. Compilado por Millard Nullings, o menino invisível acolhido no lar da srta. Peregrine, o livro inclui contos sobre um garoto que vira gafanhoto, a primeira ymbryne, uma princesa com língua de cobra à procura de um príncipe com quem se casar, canibais ricos que comem braços e pernas de peculiares, entre outros personagens que povoam o imaginário dos peculiares.

ContosPeculiares_MAINLeia um trecho:

“Se você é da classe dos peculiares (e, se leu até aqui, espero, sinceramente, que seja), então este livro não necessita apresentação. Estas histórias provavelmente foram uma parte muito importante e querida de sua formação, e, enquanto crescia, você as leu ou as ouviu serem contadas com tanta frequência que poderia recitar as suas preferidas palavra por palavra. Se, entretanto, você está entre aqueles que tiveram a infelicidade de descobrir sua peculiaridade há pouco tempo ou de crescer em circunstâncias em que não havia literatura peculiar disponível, ofereço este breve compêndio.

 Contos peculiares é uma coletânea de nosso folclore mais estimado. Passadas de geração em geração desde tempos imemoriais, as narrativas são, além de históricas, parte conto de fadas e parte ensinamentos morais destinadas a jovens peculiares. Procedem de partes diversas do globo, de tradições tanto orais quanto escritas, e passaram por transformações surpreendentes ao longo dos anos. Sobreviveram por todo esse tempo porque são amadas por seus méritos como histórias, mas não apenas por isso. São portadoras de um conhecimento secreto. Codificadas nestas páginas estão as localizações de fendas ocultas, a identidade secreta de certos peculiares importantes e outras informações úteis para a sobrevivência de um peculiar neste mundo hostil.

Sei disso por minha própria experiência: é graças aos Contos que hoje estou vivo para escrever estas histórias. Eles preservaram não apenas minha vida, mas também a de meus amigos e de nossa querida ymbryne. Eu, Millard Nullings, sou prova viva da perene utilidade destas histórias, embora tenham sido escritas muito tempo atrás.

Por isso é que me dediquei a sua preservação e disseminação, assumindo a tarefa de organizar e comentar esta edição especial dos Contos. Não é de maneira alguma integral e definitiva (a edição que cresci lendo era um calhamaço de três volumes que, juntos, pesavam mais que minha amiga Bronwyn), mas contém minhas histórias preferidas, e tomei a liberdade de incluir notas com informações históricas e contextualizadas, para que peculiares de toda parte possam se beneficiar do meu conhecimento. Também tenho a esperança de que esta edição, por ser mais concisa que as anteriores, se torne uma companheira fácil em suas viagens e aventuras, desse modo se revelando tão útil para você como foi para mim.

Então, por favor, aproveite estes Contos — de preferência, diante de um fogo crepitante em uma noite fria, com um urxinim roncando a seus pés —, mas lembre-se do caráter delicado de seu conteúdo, e, se for lê-los em voz alta (coisa que recomendo fortemente), que seja para um público de peculiares.” [Leia +]

                                                                                                  Millard Nullings

                                                                                                Fidalgo Escudeiro

testeUma dúvida que todos nós tivemos: Lar ou orfanato, eis a questão

Por Danielle Machado*

postbibliotecadealmas

Antes de publicar os livros de Ransom Riggs no Brasil, nós na editora já éramos fãs incondicionais de Jacob, dos peculiares e da querida srta. Peregrine, e uma coisa que sempre nos bateu como dúvida era a escolha da palavra “orfanato” como tradução de “home”, a casa da srta. Peregrine que dá título ao primeiro livro e à série.

Era consenso notório aqui na Intrínseca que aquele lugar mágico protegido pela fenda temporal de 3 de setembro jamais deveria se chamar orfanato, mas sim “lar”. A propriedade de Peregrine não recebe órfãos no sentido estrito, não é um abrigo para crianças sem pais. A srta. Peregrine protege os peculiares sob o teto de sua própria casa, como uma grande e amorosa família.

Na ocasião da publicação de Cidade dos etéreos, o segundo livro da série, primeiro a ser editado aqui na Intrínseca, nossa primeira ideia era usar a palavra “lar”, mas acabamos cedendo a não mexer no termo que já estava, digamos, “cunhado” entre os leitores (e também entre nós, é bom dizer). Porém, as pulguinhas da insatisfação nos acompanharam até agora, insistentes e cheias de razões, clamando constantemente: “Não é orfanato!”, “Não é orfanato!”, “Não é orfanato!”…

Tínhamos pela frente a publicação de Biblioteca de almas e uma nova chance de fazer a escolha certa. Foi quando nossos colegas da Fox responsáveis por lançar no Brasil o filme inspirado no livro sinalizaram que, também pra eles, “lar” era a palavra ideal. Era a voz que faltava no clamoroso coro das pulguinhas.

Apesar do coração partido (mesmo certos de que a mudança era necessária, sabíamos que haveria quem preferisse a forma anterior) e apesar da trabalheira que teríamos pela frente (rever não só o trabalho já quase pronto em Biblioteca de almas, mas também o que foi feito em Cidade dos etéreos e o que está em andamento em Contos peculiares, que sai no Brasil em setembro), decidimos fazer o que devia ser feito: a srta. Peregrine e os peculiares agora têm seu justo e apropriado lar. E as pulguinhas da dúvida devem ter ido procurar o delas.

*Danielle Machado é editora. Gosta de cinema, TV, livros, internet e quaisquer outros entretenimentos que se possa desfrutar sentado no sofá, sem gastar energia. Agora mesmo está exausta.

testeTerceiro livro da série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares será publicado em agosto

CapaWide_BibliotecaDeAlmas_600x450

Depois de receber muitas perguntas em nossas redes sociais, estamos prontos para anunciar o lançamento de Biblioteca de Almas, terceiro volume da série O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares. A obra chega às livrarias a partir de 19 de agosto e, assim como Cidade dos etéreos, terá capa dura, sobrecapa e páginas coloridas.

Na continuação da história, Jacob descobre uma poderosa habilidade e não demora a explorá-la para resgatar os amigos peculiares e as ymbrynes das mãos dos acólitos. Junto com ele vai Emma Bloom, uma menina capaz de produzir fogo com as mãos, e Addison MacHenry, um cão com faro especial para encontrar crianças perdidas.

Partindo da Londres dos dias atuais, o grupo vai percorrer as ruelas labirínticas do chamado Recanto do Demônio, uma complexa fenda temporal que abriga todo tipo de vícios e perversões. É ali que o destino de peculiares de toda parte será decidido de uma vez por todas.

Em setembro, a Intrínseca publica também Contos peculiares, coleção inédita de contos de fadas relacionados à série.

testeNovo trailer de O lar das crianças peculiares

A Fox Filme do Brasil divulgou mais um trailer com cenas inéditas de O lar das crianças peculiares. O filme, dirigido por Tim Burton, tem estreia prevista para 29 de setembro no Brasil.

A atriz Eva Green dará vida à personagem Srta. Peregrine e o papel de Jacob ficará a cargo de Asa Butterfield. O elenco terá ainda Allison Janney, Terence Stamp, Rupert Everett, Judi Dench e Samuel L. Jackson.

peregrins-gallery9-gallery-image

A história narra a saga de Jacob Portman, um adolescente de 16 anos que segue as pistas deixadas após a morte do avô para descobrir um lugar mágico que abriga crianças com poderes especiais. O local guarda muitos mistérios e é protegido pela diretora Srta. Peregrine.

Cidade dos etéreos, segundo livro da série criada por Ransom Riggs, já está à venda.

testeA história por trás das fotos de O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares

hollowcity2

Passear por mercado de pulgas e brechós poderia ser uma tortura para garotos de 11 ou 12 anos, mas para Ransom Riggs era uma programa bem divertido. Acompanhado pela avó, o autor descobriu nesses lugares um mundo sombrio — e fascinante. Circular entre antiguidades pode ser considerado um hobby estranho, e Ransom não imaginava que seu fascínio por cenas e objetos do passado seria tão importante para a criação do universo de O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares.

A série surgiu por acidente, assim como a carreira do autor. Ransom estudou literatura na Kenyon College, no estado americano de Ohio. Na universidade, além de escrever e produzir filmes, conheceu John Green, autor de A culpa é das estrelas. Os dois são amigos desde aquela época, e John já declarou publicamente sua profunda admiração pela criatividade de Ransom.

Após anos escrevendo roteiros, artigos para revistas e colecionando fotos da década de 1930, Ransom foi convidado por uma editora para desenvolver um livro que unisse suas duas paixões: fotografias de época e fantasia.

A ideia inicial era apenas produzir uma obra de Halloween com as imagens, mas a coleção de fotos era tão bizarra que o editor sugeriu criar um romance a partir daqueles elementos. Assim surgiu O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares, uma série que utiliza as fotografias antigas guardadas por Ransom para contar a história de um garoto de 16 anos que, ao investigar a morte do avô, descobre um lugar em que o tempo não passa e é habitado por crianças muito diferentes.

Ao que parece, colecionar fotografias antigas de lugares e cenas bizarras não é mais só um hobby para Ransom. 

testePrimeiras imagens de O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares

As primeiras imagens de O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares foram divulgadas pela revista Entertainment Weekly.  O primeiro livro da série escrita por Ransom Riggs  e conta com Eva Green, Asa Butterfield, Allison Janney, Ella Purnell, Chris O’Dowd e Ella Purnell no elenco. O filme estreia no segundo semestre de 2016.

Cidade dos etéreos, continuação de O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, já está à venda nas livrarias.

Confira as fotos:

testeO universo sombrio de Tim Burton

tim burton

Pode ser um personagem com tesouras no lugar das mãos, um esqueleto esquisito ou até mesmo uma noiva com ossos à mostra. Conhecido por criar um universo sombrio e surreal, Tim Burton é um dos nomes mais aclamados do cinema atual. Com mais de 30 anos de carreira, o diretor americano, responsável pela adaptação de O lar das crianças peculiares para os cinemas, é dono de um estilo que mistura horror e bom humor.

Fascinado pelo macabro, Burton começou a desenhar monstros e criar filmes ainda quando criança. Introspectivo, passava boa parte do tempo em casa. As referências desse período serviram de inspiração para a estética dark presente em quase todas as obras do diretor.

A-noiva-cadaverColumbia

E é praticamente impossível não identificá-las em filmes como O Estranho Mundo de Jack, Edward, Mãos de Tesoura, Os Fantasmas se Divertem, A Noiva Cadáver, A Lenda do Cavaleiro Sem CabeçaA Fantástica Fábrica de Chocolate. O estilo singular de dirigir histórias de terror com personagens inesquecíveis fez de Tim Burton uma referência em criação de universos totalmente originais.

tumblr_ns04lpxWol1san9fio1_1280

O autor Ransom Riggs e Tim Burton nos sets de filmagens

Com tanta criatividade e experiência para trabalhar em roteiros bizarros, o cineasta foi escalado para dirigir O lar das crianças peculiares, baseado no livro de Ransom Riggs. A obra, que mescla fotografias antigas e fantasia, conta a história de Jacob Portman, um adolescente de 16 anos, que precisa descobrir a verdade sobre a morte do avô. Para desvendar o mistério, ele segue pistas que o levam a um orfanato abandonado em uma ilha galesa. Mas Jacob não imaginava que o orfanato abrigava crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine.

Hollow City - capa e lombada.inddCom uma narrativa aterrorizante e um estilo parecido com os longas de Burton, o universo do livro poderia ter surgido da cabeça do próprio diretor, como ele mesmo afirmou. Eva Green, Asa Butterfield, Allison Janney, Ella Purnell e Chris O’Dowd  estão confirmados no elenco do filme, que estreia em setembro.

Cidade dos etéreos, sequência de O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, foi publicado pela Intrínseca e já está à venda nas livrarias.

link-externoSaiba mais sobre a exposição O mundo de Tim Burton 

testeTrecho de Cidade dos etéreos

01riggs-1-articlelarge

Com fotografias sombrias e uma narrativa emocionante, Cidade dos etéreos, sequência de O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, chega às livrarias neste mês. Neste segundo livro da série, o grupo de crianças com dons sobrenaturais precisa deter monstros terríveis e tirar o feitiço da srta. Peregrine, que está presa no corpo de uma ave.

Ansiosos para saber o que acontece na continuação? Leia aqui um trecho.

Hollow City - capa e lombada.inddRemamos pela baía, passando por barcos balançantes com a ferrugem vazando das emendas dos cascos, por bandos de aves marinhas silenciosas amontoadas nas ruínas de docas afundadas e cobertas de cracas, por pescadores que baixavam as redes para nos encarar, estupefatos, sem saber se éramos reais ou imaginários — uma procissão de fantasmas flutuando na água ou de pessoas que em breve virariam fantasmas. Éramos dez crianças e uma ave em três pequenos barcos instáveis, remando em silêncio, com vontade, para alto-mar, deixando para trás rapidamente a única baía segura em quilômetros, que se exibia rochosa e mágica à luz azul-dourada do amanhecer. Nosso objetivo, a costa irregular do País de Gales, estava em algum lugar à frente, visível apenas como um borrão difuso, uma mancha de tinta ao longo do horizonte.

Passamos pelo velho farol, uma construção tranquila de longe, que ainda na noite anterior fora cenário de muitos traumas. Foi lá que, com bombas explodindo por todo lado, quase nos afogamos e quase fomos despedaçados por balas. Foi lá que peguei uma arma, puxei o gatilho e matei um homem, um ato ainda incompreensível para mim. Foi lá que perdemos a srta. Peregrine, para depois a recuperarmos das garras de aço de um submarino — embora ela tenha sido devolvida com um problema cuja solução não sabíamos como obter.