testeA incessante busca pelos criminosos do Terceiro Reich

Em novembro de 1945, o mundo parou para acompanhar o início da série de julgamentos que definiria o destino de 24 pessoas acusadas de participar direta e indiretamente dos crimes cometidos pelo Terceiro Reich. No que ficou conhecido como Julgamentos de Nuremberg, representantes do alto escalão nazista receberam duras penas, como forma de alertar o mundo das consequências de uma atrocidade como aquela promovida por Hitler e seus aliados durante a Segunda Guerra Mundial.

Ainda que 13 dos acusados tenham recebido penas capitais e muitos outros fossem condenados à prisão perpétua, alguns envolvidos aproveitaram a brecha entre o suicídio de Hitler e o início do cerco para fugir da Alemanha. Em busca de justiça e motivados a fazer com que todos os criminosos do Holocausto pagassem pelo que fizeram, os caçadores de nazistas entraram em ação e passaram a procurar por rastros desses fugitivos em todas as partes do mundo.

Seguindo pistas e denúncias, dedicaram anos de suas vidas a capturar e punir os nazistas que se espalharam, principalmente, pela Europa e pela América. Foram anos de buscas com casos de sucesso – como a captura e julgamento de Adolf Eichmann e Rudolf Höss – e outros em que, apesar dos esforços, os fugitivos jamais foram encontrados – como ocorreu com o Anjo da Morte, Josef Mengele.

Sete décadas após o fim da Segunda Guerra, essa grande caçada pode finalmente ser contada. A impressionante história é retratada no livro Caçadores de nazistas, que chega às livrarias a partir de 5 de agosto.

testePor que estamos ansiosos para o novo livro do autor de A menina que roubava livros

Não conseguimos controlar a ansiedade e divulgamos que a caixa de dezembro do intrínsecos teria o novo livro de Markus Zusak, autor do nosso amado A menina que roubava livros. Agora, finalmente a edição para as lojas já está em pré-venda!

Para todo mundo entender por que ficamos tão animados com essa notícia, fizemos uma lista para mostrar como O construtor de pontes tem muitas chances de se tornar o novo queridinho da Intrínseca. Confira:

 

  1. A menina que roubava livros marcou a vida de muitas pessoas


Desde seu lançamento, a história da menina Liesel em meio à Alemanha nazista conquistou milhares de leitores. Mais de 10 anos após a publicação, ainda está entre os favoritos de muita gente, tornando-se um dos novos clássicos da literatura. Dentre os principais temas do livro estão amizade, família, coragem e resistência. É ideal para entender como a leitura pode ajudar a mudar vidas.

 

  1. Markus Zusak escreve frases inesquecíveis

(Fonte: Google)

 

Os livros de Zusak são recheados de frases fortes e marcantes. Abaixo estão algumas das nossas favoritas:  

“Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler.”

“Como quase todo sofrimento, tudo começou com uma aparente felicidade.”

“Às vezes as pessoas são bonitas, não pela aparência física, nem pelo que dizem. Só pelo que são.”

“Prefiro correr atrás do sol a esperar que ele venha incidir sobre mim.”

“É engraçado como há coisas neste mundo que só nos enchem o saco, mas de que a gente sabe que vai sentir falta quando se forem.”

E uma prévia do que o novo livro do autor trará:

“Quero lhe contar sobre o nosso irmão. Tudo aconteceu com ele. Todos nós mudamos por causa dele.”

 

  1. Zusak constrói personagens apaixonantes


Hans Hubermann e Rudy Steiner, de A menina que roubava livros, são exemplos perfeitos de personagens que cativam desde a primeira linha. Hans, o pai adotivo de Liesel, foi quem a apresentou ao mágico mundo dos livros e que, com sua personalidade meiga e seu acordeão, se tornou um porto seguro para ela. Já Rudy representa de maneira doce o início de um amor inocente e leal. Seus cabelos cor de limão ficaram eternizados tanto no coração de Liesel quanto no dos leitores.

 

  1. A ideia para o novo livro surgiu há mais de duas décadas

Com a carreira iniciada em 1999, Zusak é autor de seis livros, do quais três já foram publicados no Brasil. O fato curioso é que, apesar de estar sendo lançado somente agora, a ideia que levou ao livro O construtor de pontes surgiu há mais de duas décadas, quando Markus pensou em um garoto que construía uma ponte e se chamava Clayton. A partir daí, ele inseriu personagens e detalhes, deixando Clay no centro da narrativa e finalmente lhe dando vida nas páginas de um livro.  

 

  1. Nós amamos histórias inspiradoras

Apesar dos enredos serem muito diferentes, uma característica comum a todas as histórias de Markus Zusak é como podem ser inspiradoras. Se com Liesel Meminger, de A menina que roubava livros, aprendemos sobre a importância da amizade e da resistência em momentos difíceis, com Ed Kennedy, de Eu sou o mensageiro, fomos levados a questionar nossa própria existência, e com Cameron, de A garota que eu quero, percebemos que o amor é imprevisível. O que será que Clay, de O construtor de pontes, vai nos ensinar?

testeO lado científico das drogas psicodélicas

Como as substâncias psicodélicas podem transformar vidas?

Em Como mudar sua mente, o jornalista Michael Pollan faz um relato elucidativo sobre a revolução médica e científica em torno das drogas psicodélicas. Ele parte em busca de uma compreensão aprofundada da psique humana, e conta a história do renascimento das pesquisas com esses compostos depois de anos de coibição e esquecimento.

Com base em sua própria experiência, além de dados históricos, depoimento e artigos científicos, Pollan mergulha nos mais diversos estados da consciência e apresenta os progressos que essas substâncias trazem para os estudos mais recentes da neurociência, revelando que seus benefícios terapêuticos são indissociáveis das experiências de transcendência proporcionadas por tais compostos.

Michael Pollan também é autor de outros quatro livros publicados pela Intrínseca – O dilema do onívoro, Em defesa da comida, Regras da comida e Cozinhar, que deu origem à série Cooked da Netflix.

testeBarcelona medieval é o palco da busca de um homem pela liberdade

Com mais de 6 milhões de exemplares vendidos só na Espanha, chega às livrarias brasileiras em outubro o best-seller mundial A catedral do mar, que inspirou a série homônima disponível na Netflix. Retrato impecável da sociedade medieval, a obra acompanha a história de Arnau Estanyol, que se muda para Barcelona ainda bebê após a fuga do pai para escapar dos abusos de seu senhor feudal. Devoto da Virgem Maria desde criança, Arnau se envolve com a construção da primeira igreja espanhola a ser erguida pelo povo, a igreja Santa Maria do Mar, onde estabelece muitas de suas relações sociais e desenvolve o apreço pela atividade de bastaixo – pessoas que carregam e descarregam as mercadorias que chegam pelo mar.

Tendo como personagens o jovem Arnau e a própria comunidade barcelonesa no século XIV, A catedral do mar apresenta os desafios desse período histórico turbulento, com riqueza de detalhes dos diversos acontecimentos marcantes da época do feudalismo, como o crescimento das cidades, a Inquisição e a peste negra.

testeCamila Coutinho lança livro sobre bastidores e dicas de carreira

Pioneira, criadora de um dos blogs de moda mais influentes do mundo e empreendedora, Camila Coutinho é um fenômeno. Aos 18 anos, durante uma madrugada insone, ela teve a ideia de criar o blog Garotas Estúpidas. No início, era só para trocar informações sobre moda e suas celebridades preferidas na internet, mas o hobby acabou se tornando um grande negócio.

Em pouco mais de dez anos, Camila conquistou milhões de seguidores, fez parcerias com grandes marcas — como Riachuelo, Prada e Burberry —, desenvolveu uma gama de produtos licenciados, estampou capas de revista e é presença garantida na primeira fila das mais importantes semanas de moda. Em Estúpida, eu?, livro que chega às livrarias em 27 de abril, ela revela a trajetória que a levou a se tornar uma das maiores e mais respeitadas digital influencers do país.

 

Compartilhando detalhes dos primeiros passos da sua carreira e como conseguiu ir além dos looks do dia, Camila fala também do universo da moda, das redes sociais, das tendências de mercado e das estratégias que usou para se transformar de blogueira a empresária de sucesso.

=> Leia a entrevista de Camila Coutinho na Glamour 

testeAs muitas formas da água

Quando um livro se torna mais uma superprodução do cinema, é comum que os fãs da obra original digam aos quatro cantos que “o livro é melhor que o filme”. No caso de A forma da água, entretanto, algo peculiar aconteceu: as duas obras foram produzidas simultaneamente.

Por isso, o livro que os leitores terão em mãos a partir de 27 de fevereiro e o filme que verão nos cinemas brasileiros a partir desta quinta-feira e que lidera as indicações do Oscar 2018 contam a mesma história, mas de formas bem diferentes.

A ideia para A forma da água surgiu quando o coautor de Caçadores de Trolls, Daniel Kraus, se reuniu com Guillermo del Toro. Enquanto conversavam sobre o universo do livro infantojuvenil, Kraus mencionou uma história que tinha na cabeça desde jovem, sobre uma criatura marinha trancafiada em um laboratório e uma zeladora que a ajudava a escapar. Del Toro se apaixonou pelo enredo e decidiu que o levaria aos cinemas o quanto antes.

Aos poucos os criadores foram seguindo cada um o seu caminho. Os acontecimentos principais seriam os mesmos, mas as abordagens feitas pelo livro e pelo filme, não.

Guillermo del Toro, Sally Hawkins e Doug Jones nos bastidores do filme de A Forma da Água (Fonte)

A melhor representação dessas diferenças é o personagem Richard Strickland, que, na produção cinematográfica, é o vilão da trama, enquanto no livro ele funciona mais como um terceiro personagem central, e não um antagonista. Por conta desse papel mais relevante, o primeiro acontecimento do livro é a chegada do personagem à Amazônia, para procurar e capturar a criatura que os locais chamam de deus Brânquia.

Além de dar mais voz a Strickland, o livro consegue explorar melhor os personagens secundários da trama, como Giles, Zelda e Lainie, esposa do antagonista do filme. Outro aspecto que é mais bem desenvolvido é o contexto histórico, com uma trama rica que toca em temas como disputas ideológicas em plena Guerra Fria, racismo e homofobia.

Durante a produção, Del Toro e Kraus continuaram compartilhando sugestões e referências – por exemplo, é fácil perceber como os dois autores são obcecados pelo filme de 1954 O Monstro da Lagoa Negra e quanto a criatura assustadora influenciou ambas as obras.

Seja nas páginas ou nas telas, A forma da água é um verdadeiro conto de fadas moderno sobre um homem e seus traumas, uma mulher e sua solidão, e o deus que muda para sempre essas vidas.

Saiba mais sobre o livro.

testeTrailer final de Extraordinário

O trailer final de Extraordinário foi finalmente divulgado! A encantadora história inspirada no livro de R. J. Palacio chega aos cinemas em 07 de dezembro.

O longa será protagonizado por Jacob Tremblay e Julia Roberts. Owen Wilson, Daveed Diggs e a brasileira Sônia Braga também estão no elenco. O filme conta a história de Auggie Pullman, um garoto que tem uma deformidade facial e que vai frequentar a escola pela primeira vez.

 

testeLivro que inspirou o filme “A Princesa Prometida” chega às livrarias em 2018

A Princesa Prometida é um fenômeno cult dos anos 1980 inspirado na obra de William Goldman. O livro homônimo que deu origem ao filme chega às livrarias brasileiras em 2018.

Não é a toa que A Princesa Prometida é um sucesso até hoje. Seu humor sarcástico e ao mesmo tempo ingênuo e a mistura de aventura, fantasia e romance fazem desse filme um dos mais queridos do público – seja o público que o viu nos cinemas no lançamento, em 1987, ou que viu pelo Netflix semana passada.

O longa conta a história de Buttercup, uma princesa apaixonada pelo menino do estábulo, Wesley. Mas depois de sua suposta morte, concorda em se casar com um príncipe de outro reino. Antes do casamento, a princesa é captura por um grupo de personagens excêntricos, dispostos a trocá-la por informações. Ao seu resgate, surge um misterioso homem mascarado.

O filme, que completou trinta anos em setembro, conta com atores bem conhecidos no elenco. A protagonista Buttercup é ninguém menos que a primeira-dama Claire Underwood na série House of Cards, da Netflix. E o vingativo, porém engraçado, espadachim espanhol, Inigo Montoya, é Saul Berenson, da série Homeland.

testeMe chame pelo seu nome, livro que inspirou um dos fortes candidatos ao Oscar, será publicado ano que vem

Aclamado nos festivais de cinema de Sundance, Berlim e de Toronto, o filme Me chame pelo seu nome é apontado como forte candidato a concorrer ao Oscar de melhor filme em 2018. O longa foi inspirado no livro homônimo de André Aciman, que chega às livrarias no ano que vem.

Na história, Elio é um adolescente habituado a receber os hóspedes de seu pai, anfitrião de residências literárias na paradisíaca costa da Itália, em meados dos anos 1980. O rapaz, no entanto, não estava preparado para conhecer Oliver, por quem se apaixona perdidamente, inebriando-se de desejo e da possibilidade de finalmente entrar na vida adulta.

 

A adaptação cinematográfica foi dirigida pelo italiano Luca Guadagnino e tem sido comparada com O segredo de Brokeback Mountain. Me chame pelo seu nome está confirmado na programação do Festival do Rio 2017, que começa em 5 de outubro.

testeLivro de estreia de Cara Delevingne chega às livrarias em outubro

Cara Delevingne é uma das modelos mais bem pagas e influentes do mundo e protagonista de filmes como Cidades de Papel e Esquadrão Suicida. Muito mais que uma top model moderna e ousada, ela lança tendências, fala abertamente sobre sexualidade e sobre a luta conta a depressão. Com apenas 25 anos, Cara já se tornou uma das vozes da sua geração e mostra que não tem medo de arriscar em diversas áreas da cultura pop.

Em seu mais novo projeto, Cara revela ter talento também na literatura. Jogo de espelhos, seu romance de estreia, conta a história de quatro adolescentes: Naomi, Rose, Leo e Red estão enfrentando aquela fase em que se relacionar no colégio é tão difícil quanto encarar os problemas pessoais. Red tem uma mãe alcoólatra e um pai ausente; o irmão de Leo está na prisão; Rose usa sexo e drogas para mascarar traumas antigos e Naomi se esconde atrás de peruca e maquiagem pesada.

Apesar de diferentes, eles se tornam melhores amigos quando são obrigados a formar uma banda. O que era uma tarefa chata vira a famosa e popular Mirror, Mirror. Através da música, eles encontram um meio de encarar o mundo de outra forma. Têm o apoio e o amor um do outro, são bons no que fazem, e a vida deles parece entrar nos eixos.

Mas tudo desmorona quando Naomi some misteriosamente e, dias depois, é encontrada entre a vida e a morte. O incidente desestrutura a banda e, consequentemente, a vida de todos. Da sólida relação de amizade que eles achavam estar construindo, restam apenas dúvidas e vazios. O que aconteceu com Naomi? Foi um acidente ou um suicídio? Por que ela fugiria e deixaria a banda para trás? Por que esconderia segredos dos seus melhores amigos? Para desvendar o mistério por trás dessa história, Red e os amigos entram em uma investigação que vai desenterrar os segredos de cada um e fazê-los confrontar a diferença entre o que realmente são e a imagem que passam para o mundo.

Jogo de espelhos terá lançamento simultâneo e chega às livrarias em 11 de outubro.