testeLançamentos de outubro

 

Confira as sinopses dos lançamentos do mês:

Tartarugas até lá embaixo, de John Green —  Depois de seis anos, o autor de A culpa é das estrelas lança seu primeiro livro inédito.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido — quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro — enquanto tenta lidar com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). [Leia +]

 

 

O navio dos mortos, de Rick Riordan — A aguardada conclusão da saga de mitologia nórdica de Rick Riordan chega finalmente às livrarias!

 

Jogo de espelhos, de Cara Delevingne e Rowan Coleman— Cara é modelo, atriz e uma das personalidades mais influentes de sua geração.

Em seu romance de estreia, criou uma história incrível e repleta de suspense sobre quatro adolescentes que são melhores amigos e têm uma banda, a Mirror, Mirror. Juntos eles precisam lidar com os seus próprios segredos e desvendar o desaparecimento misterioso de uma das integrantes do grupo. [Leia +]

 

Leonardo da Vinci, de Walter IsaacsonA biografia definitiva do mestre Leonardo da Vinci, assinada pelo autor dos best-sellers Steve Jobs: A biografia e Einstein: sua vida, seu universo, tece uma narrativa que conecta arte e ciência, revelando as facetas inéditas da história de um dos maiores gênios da história. [Leia +]

 

Destrua este diário: Agora em cores, de Keri SmithEm edição comemorativa dos dez anos da primeira publicação, o novo Destrua este diário combina atividades inéditas e outras já conhecidas dos leitores em páginas totalmente remodeladas. Uma segunda chance de mergulhar no mundo de rascunhos, anotações aleatórias e cores variadas. [Leia +]

A linha, de Keri Smith — Com formato de bloco e ótima opção de presente neste fim de ano, A linha tem uma proposta, a princípio, mais simples: pegue um lápis e comece com um traço. Mas, a partir daí, não espere obviedades. Conforme sua linha se move pelas páginas você vai encontrar um infinito de novas formas de explorar os espaços — por cima, por baixo, pelas bordas, parando, voltando e até mesmo cedendo seu traço a outra pessoa. [Leia +]

 

Rejuvelhecer, de dr. Sergio Abramoff — Você tem medo de ir ao médico? De fazer exames preventivos? Você sabia que um estilo de vida saudável evita mais mortes prematuras do que uma boa genética?

Em Rejuvelhecer, dr. Sergio Abramoff, especializado em medicina preventiva, explica os maiores riscos das transformações sutis e progressivas que a idade promove em nosso organismo, apontando cuidados e atitudes capazes de diminuir ou adiar significativamente o impacto de doenças comuns na velhice, como, por exemplo, o Alzheimer, o câncer e as doenças cardiovasculares e osteomusculares.

teste17 livros para um verão incrível

Confira nossa seleção de livros para um verão literário:

1. Aconteceu naquele verão,organizado por Stephanie Perkins — O livro reúne doze contos apaixonantes e surpreendentes de doze escritores amados pelos jovens, como Cassandra Clare e Veronica Roth. Com as mais diversas referências que agradam desde o leitor mais romântico aos fãs do seriado Black Mirror, o livro é ideal para quem adora histórias de amor de todos os tipos. [Leia+]

2. A química, de Stephenie Meyer — Uma ex-agente especial fugindo dos antigos empregadores precisa aceitar um novo trabalho para limpar seu nome e salvar a própria vida. A química, o primeiro lançamento inteiramente inédito de Stephenie Meyer em seis anos, é um thriller diferente de tudo o que ela já publicou. [Leia +][Leia um trecho]

3. Cinquenta tons mais escuros, de E L James — Com capa inspirada no filme, a edição especial do segundo livro da trilogia tem conteúdo extra: fotos e comentários da autora sobre os bastidores da aguardada sequência cinematográfica e ainda um trecho antecipado de Cinquenta tons mais escuros pelos olhos de Christian, próximo romance de E L James. [Leia +]

4. O martelo de Thorde Rick Riordan — No segundo livro da série Magnus Chase e os deuses de Asgard, o filho do deus Frey descobrirá que casamentos arranjados ainda não saíram de moda: para recuperar o martelo de Thor, que está nas mãos dos inimigos, Loki, o deus da trapaça, propõe uma aliança entre semideuses e gigantes. [Leia +] [Leia um trecho]

 5. Não se enrola, não, de Isabela Freitas — “Enrolar-se: pensar de um jeito e fazer exatamente o contrário.” Após Não se apega, não e a sequência, Não se iluda, não, Isabela Freitas mostra em seu terceiro livro os primeiros passos de seus personagens na vida adulta, com toda a independência e as responsabilidades que ela proporciona. [Leia +][Leia um trecho]

 6. O som do amor, de Jojo Moyes — um romance sobre obsessão, manipulação, segredos e paixões, O som do amor é um dos primeiros livros da autora do best-seller Como eu era antes de você. Por meio de personagens carismáticos e capazes de tudo para realizar seus objetivos, Moyes mantém seu estilo inconfundível em uma brilhante história sobre recomeços. [Leia +][Leia um trecho]

7. Gentil como a gente, de Fernanda Gentil — Com leveza e humor, Fernanda Gentil conta uma história de amores vivida por uma família singular e ao mesmo tempo igual à de todo mundo. Mocinha (ou Fernanda?) briga e, com a frequência de eclipses lunares, pede desculpas. Quando quer, sabe ser fofa. E mostra-se craque em entender as diferenças entre o feminino e o masculino, mata no peito, sai de impedimento, bota para escanteio e bate um bolão. Porque o que Fernanda mais quer é fazer e ser feliz. Sem firulas. Gentil. Como a gente. [Leia +]

8. Garoto21, de Matthew Quick  Finley utiliza o basquete para aliviar suas preocupações, enquanto Russ não quer mais se aproximar de uma bola. Depois de sofrer um grande trauma, ele fica em estado de negação e passa a se considerar um alienígena de passagem pela Terra. Com a missão de ajudar Russ a se recuperar, Finley tenta convencer o garoto a voltar a jogar, mesmo que isso signifique perder o próprio lugar na equipe. Uma emocionante história sobre esperança, amizade e redenção, com a prosa sensível e inteligente de Matthew Quick. [Leia +]

9. A filha perdida, de Elena Ferrante — Lançado originalmente em 2006 e ainda inédito no Brasil, o romance da autora que se consagrou por sua série napolitana acompanha os sentimentos conflitantes de Leda, uma professora universitária de meia-idade que, aliviada depois de as filhas já crescidas se mudarem para o Canadá com o pai, decide passar férias no litoral sul da Itália. [Leia +] [Leia um trecho]

10. Fãs do impossível, de Kate Scelsa — Mira, Sebby e Jeremy são três amigos em meio aos complexos conflitos da adolescência. Mesmo sentindo-se despedaçados, sem motivos para serem amados e tentando não sucumbir à solidão, eles lutam pela vida, cada um à sua maneira. Mira está começando em uma escola nova, depois de passar um tempo no hospital. Sebby é um garoto brincalhão que leva a vida com boas doses de mentira e bom humor, até que seu lado mais destrutivo vem à tona. Jeremy está retornando à antiga escola, depois de um tempo afastado por causa de um incidente traumático que arruinou seu ano letivo.

 11. História da sua vida e outros contos, de Ted Chiang — Ícone da ficção científica contemporânea é publicado pela primeira vez no Brasil em coletânea que inclui o conto que inspirou o filme A Chegada. Com apenas quinze trabalhos publicados, entre contos e novelas curtas, a pequena produção de Chiang contrasta com a expressiva quantidade de premiações: os oito textos reunidos em História da sua vida e outros contos ganharam no total nove importantes prêmios, dentre eles Nebula, Hugo, Locus, Sturgeon, Sidewise e Seiun. [Leia +][Leia um trecho]

12. Pax, de Sara Pennypacker — Peter e sua raposa, Pax, são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde vai morar por um tempo, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas. [Leia +]

13. Alucinadamente feliz: Um livro engraçado sobre coisas horríveis, de Jenny Lawson  Longe de ser uma pessoa comum, Jenny Lawson se considera uma colecionadora de transtornos mentais. Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é. Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade. [Leia +]

14. A agenda antiplanos, de Keri Smith — Com espaços sem data e distribuídos aleatoriamente para você fazer um resumo do mês que desejar, o novo projeto da autora de Destrua este diário funciona como um diário criativo, que vai ajudar o leitor a estruturar os pensamentos de uma forma nada limitada nem previsível. [Leia +]

15. O livro dos Baltimore, de Joël Dicker — O novo romance do autor de A verdade sobre o caso Harry Quebert revisita seu personagem mais emblemático: Marcus Goldman. Marcus teve uma juventude inesquecível em Baltimore, cidade em que passou seus melhores momentos ao lado da família até que um acontecimento mudou a vida de todos. Oito anos depois desse fatídico dia, Marcus ainda tenta montar o quebra-cabeça e desvendar o passado. [Leia +]

16. Como combater a fúria de um dragão, de Cressida Cowell — O emocionante desfecho da série Como treinar o seu dragão coloca frente a frente humanos e dragões. Quem vai vencer a Batalha Final? Repleto de ilustrações, ação, humor e mensagens inspiradoras, o combate agora caminha para o seu fim. [Leia +]

17. Destinos e Fúrias, de Lauren Groff — Aos 22 anos, Lotto e Mathilde são jovens, perdidamente apaixonados e destinados ao sucesso. Eles se conhecem nos últimos meses da faculdade e antes da formatura já estão casados. Seguem-se anos difíceis, mas românticos. Uma década depois, o caminho tornou-se mais sólido. Ele é um dramaturgo famoso e ela se dedica integralmente ao sucesso do marido. A vida dos dois é invejada como a verdadeira definição de parceria bem-sucedida. Porém, nem tudo é o que parece, e em um casamento essa máxima se faz ainda mais verdadeira. Se em “Destinos” somos seduzidos pela imagem do casal perfeito, em “Fúrias” a tempestuosa raiva de Mathilde se revela fervendo sob a superfície. Em uma reviravolta complexa e emocional, o que começou como uma ode a uma união extraordinária se torna muito mais. [Leia +]

 

testeLivros interativos para começar o ano

nataldicasdelivros

Com o fim do ano se aproximando, é comum começarmos a pensar no que fazer nos próximos meses. Alguns preferem organizar listas, outros preferem não fazer planos ou apenas ter ideias mais inovadoras.

No Intrínseca no Play, nosso programinha de quarta-feira no Snapchat, nossas maravilhosas meninas indicam alguns livros que podem tornar o novo ano muito mais legal e diferente! Se você ainda não tem nenhuma dessas obras ou deseja presentear um amigo, chegou a hora! Os quatro livros apresentados no programa estarão com 30% de desconto por 24 horas.  Para aproveitar a promoção, basta assistir para descobrir o código do cupom.

Confira a lista dos livros selecionados:

Listografia: Criar listas é um dos jeitos mais comuns de organizar os desejos para o próximo ano.  Nesse livro, a autora Lisa Nola faz diferente e convida os leitores a criar uma autobiografia. É possível responder sobre os episódios mais legais da vida, falar sobre pessoas que conheceu, livros interessantes do ano, memórias e muito mais. Com diversas perguntas e ilustrações, Listografia incentiva o leitor a soltar a imaginação e a inventar as próprias listas.

uma_pergunta_instagram

Uma pergunta por dia: Você gosta de lembrar o que aconteceu no verão passado? Ou adora recordar o que estava ouvindo há um ano? Esse livro é perfeito para quem ama registrar memórias, além de ser muito lindo!  Em cada página há espaço para cinco respostas, uma por ano, ao longo de cinco anos. Com o passar do tempo, quando voltar a um dia já anotado, o dono do diário encontrará seus pensamentos anteriores! Imagine lembrar tudo o que aconteceu em 2017?

A agenda antiplanos: Para quem acha muito chato se organizar e só quer se divertir! Em uma das suas obras mais recentes, Keri Smith criou uma agenda sem data que funciona como um diário criativo, que ajuda o leitor a estruturar os pensamentos de uma forma nada previsível.

Termine este livro: Perfeito para quem quer buscar novos desafios! O livro tem tarefas lúdicas que estimulam a criatividade.  Os exercícios sugeridos levam o leitor a solucionar um mistério, a se conhecer um pouco mais e fugir do convencional!

testeLançamentos de abril

EstanteIntrinsecaAbril16_blog

Eu sou o Peregrino, de Terry HayesUma mulher é brutalmente assassinada em um hotel decadente de Manhattan, seus traços dissolvidos em ácido. Um pai é decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita. Na Síria, um especialista em biotecnologia tem os olhos arrancados ainda vivo. Restos humanos ardem em brasas na cordilheira Hindu Kush, no Afeganistão. Uma conspiração perfeita, arquitetada para cometer um crime terrível contra a humanidade, e apenas uma pessoa é capaz de descobrir o ponto exato em que todas essas histórias se cruzam.

Romance de estreia do renomado roteirista britânico Terry Hayes (Mad Max 2 e Mad Max 3: Além da Cúpula do Trovão), Eu sou o Peregrino é uma narrativa ágil, com ritmo alucinante, cujos personagens são construídos de forma primorosa em toda a sua complexidade psicológica. Uma jornada épica e imprevisível contra um inimigo implacável. [Leia +]

 

O amor segundo Buenos Aires, de Fernando Scheller — Com largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, Buenos Aires é o lugar perfeito para histórias de amor inesquecíveis. A capital argentina é cenário e, ao mesmo tempo, personagem do primeiro romance de Fernando Scheller, repórter do jornal O Estado de S. Paulo que já passou pelas redações de Gazeta do Povo, TV Globo e Deutsche Welle, na Alemanha.

É por amor que Hugo deixa o Brasil rumo à capital argentina. Embora o relacionamento com Leonor não sobreviva, seu fascínio pela cidade resiste à dor da separação e à descoberta de que sofre de uma grave doença. Hugo cria laços com o arquiteto Eduardo e com a comissária de bordo Carolina, que evidenciam o poder regenerador das amizades verdadeiras. Ele se reaproxima de seu pai, Pedro, que troca a rotina de um casamento desgastado por uma vida em que é possível encontrar profundos afetos. [Leia +]

Em O amor segundo Buenos Aires, Scheller oferece a cada personagem a chance de narrar suas escolhas e percepções sobre diferentes formas de amor, como entre pai e filho, um homem e uma mulher, dois homens e também entre amigos.

Leia as colunas de Fernando Scheller no blog

EstanteIntrinseca_Abr16_BLOG_Livros3D

Alucinadamente feliz: Um livro engraçado sobre coisas horríveis, de Jenny Lawson Longe de ser uma pessoa comum, Jenny Lawson se considera uma colecionadora de transtornos mentais: depressão altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é.

Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e resolve revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. Mesmo ciente de que às vezes pode acabar uma semana inteira sem energia para se levantar da cama, ela resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade. [Leia +]

 

É isso que eu faço: Uma vida de amor e guerra, de Lynsey Addario — Após os atentados de 11 de Setembro, a fotojornalista Lynsey Addario foi chamada para cobrir a invasão americana ao Afeganistão. Nesse momento, ela fez uma escolha que se repetiria muitas vezes depois: abrir mão do conforto e da previsibilidade a fim de correr o mundo confrontando com sua câmera as mais duras verdades.

As imagens captadas pelas lentes de Lynsey parecem buscar sempre um propósito maior. No livro, ela retrata os afegãos antes e depois do regime talibã, os cidadãos vitimados pela guerra e os insurgentes no Iraque, expõe a cultura de violência contra a mulher no Congo e narra a ocasião do próprio sequestro, orquestrado pelas forças pró-Kadafi durante a guerra civil na Líbia.

Apesar da presumível bravura, Lynsey não é de todo destemida. Do medo, ela tira o olhar de empatia essencial à profissão. Quando entrevista vítimas de estupro, fotografa um soldado alvejado em combate ou documenta a trágica vida das crianças famintas na Somália, é essa empatia que nos transporta para os lugares onde ela esteve, e então começamos a entender como o ímpeto de retratar a verdade triunfa sobre o terror. [Leia +]

EstanteIntrinseca_Abr16_BLOG_Livros3D2

A agenda antiplanos, de Keri Smith — Com espaços sem data e distribuídos aleatoriamente para você fazer um resumo do mês que desejar, o novo projeto da autora de Destrua este diário funciona como um diário criativo, que vai ajudar o leitor a estruturar os pensamentos de uma forma nada limitada nem previsível.

A agenda antiplanos parte do princípio de que a busca pela organização e pelo perfeccionismo, tão exaltada na cultura moderna, é na verdade um grande empecilho ao processo criativo. O estilo, a forma e a proposta pouco convencional do livro entretêm e levam à reflexão. Capturando momentos e estados de espírito, ele convida o leitor a controlar menos e experimentar mais, a deixar de levar tudo tão a sério e, simplesmente, viver. E o principal: a se divertir! [Leia +]

 

Baía da Esperança, de Jojo Moyes No quinto romance da autora de Como eu era antes de você, a melancólica e reservada Liza McCullen é a responsável por um barco de observação de baleias e golfinhos em Silver Bay, na Austrália, onde também administra com a tia o Hotel Baía da Esperança, que já viu dias melhores.

Hospedado no hotel de Liza, Mike Dormer está lá a negócios: depende dele o pontapé inicial do projeto de um resort de luxo. Enquanto sua noiva, em Londres, finaliza os planos do casamento, Mike tem de conseguir a licença para a construção do empreendimento, algo que terá profundo impacto na fauna de Silver Bay e consequências drásticas para a vida dos moradores.

Quando o mundo de Mike e Liza colidem de forma irremediável, eles precisam encarar os próprios medos para salvar o que amam. Com personagens cativantes em um cenário encantador, Baía da Esperança é um romance comovente e irresistível, repleto do humor e da generosidade que marcam as obras de Jojo Moyes.

EstanteIntrinseca_Abr16_BLOG_Livros3D3

O mistério do mapa (volume 1 da série Poptropica), de Kory Merritt e Jack Chabert — Quando decidiram embarcar em um passeio de balão, Oliver, Mya e Jorge nunca poderiam imaginar que acabariam caindo em uma ilha desconhecida habitada por animais exóticos e uma horda de vikings raivosos. Bem-vindo a Poptropica: um arquipélago completamente fora dos mapas, cuja existência é mantida em segredo do restante do mundo.

Neste primeiro volume da história, inspirada no jogo infantil educativo on-line, os três amigos encontram um mapa mágico e se aventuram em uma perigosa jornada para tentar encontrar o caminho de volta para casa. Porém, os habitantes da ilha — incluindo o assustador líder dos vikings, Erik, o Vermelho — estão nos calcanhares deles, e Octavian, o capitão do balão, responsável por estarem presos naquela ilha, quer seu mapa de volta. Será que Oliver, Mya e Jorge vão conseguir fugir das garras dos sanguinários vikings e encontrar um jeito de escapar da ilha e de Octavian? [Leia +]

 

Solteirona: O direito de escolher a própria vida, de Kate Bolick — “Com quem se casar e quando: essas duas questões definem a existência de toda mulher”, provoca a autora logo no início de Solteirona. Em uma análise inteligente e bem-vinda dos prazeres e possibilidades de ficar solteira, a jornalista e crítica cultural Kate Bolick parte da própria experiência para ponderar o porquê de mais de cem milhões de americanas hoje preferirem ficar solteiras.

No livro, Bolick também apresenta um elenco de personalidades femininas do último século que, pela genialidade e determinação, são inspirações para sua escolha: a colunista Neith Boyce, a ensaísta Maeve Brennan, a visionária social Charlotte Perkins Gilman, a poeta Edna St. Vincent Millay e a escritora Edith Wharton. Ao destacar a trajetória nada convencional dessas mulheres, Bolick faz lembrar quão atemporal é o dilema a respeito de se casar e ter filhos e levanta uma pauta ainda mais crucial nessa discussão: o direito da mulher de escolher a própria vida. [Leia +]

EstanteIntrinseca_Abr16_BLOG_Livros3D4

Conheça nossos livros publicados em março

 

testeSemana especial

IMG_3258

foto: Pronome Interrogativo

Nesta semana convidamos os nossos parceiros a soltar a criatividade e mostrar maneiras novas de interação. A ideia é compartilhar fotos, textos e o que mais a imaginação permitir inspirados pelas atividades propostas em Destrua este diário em qualquer lugar e O mundo imaginário de…, de Keri Smith. Como as obras anteriores da autora, os novos livros propõem tarefas lúdicas que fogem do convencional.

Em Destrua este diário em qualquer lugar, Keri convida o leitor a sair de casa e buscar lugares diferentes para criar, sujar e destruir. Uma verdadeira missão ao ar livre! Já em O mundo imaginário de…, a proposta é criar um mundo completamente inusitado e original. Se não podemos viver da maneira que gostaríamos, Keri nos instiga a inventar mapas, cores, regras, constituições, histórias, língua e até feriados do nosso próprio mundo.

Ficaram curiosos? Confira as destruições e atividades realizadas pelos nossos parceiros:

Tédio Social| Pronome Interrogativo| Quem lê faz seu filme |Icebookcream| Poesia Destilada | Mais que livros | De tudo um pouquinho| Livroterapias| Sobre livros e traduções| All pop stuff| Recanto da Mi |Mandy_itbook

testeLista Dia das Crianças

DiaDasCrianc¦ºas_Intrinseca2

Selecionamos algumas sugestões de presentes para o Dia das Crianças. Tem livro para os pequenos, para os que gostam de ciência, para os bagunceiros, para os que gostam de mitologia, de contos clássicos e muito mais!

Confira:

O livro sem figuras, de B. J. Novak — Combinando simplicidade e criatividade de forma engenhosa, o livro inspira risadas toda vez que é aberto, criando uma experiência de diversão e interação entre adultos e crianças e apresentando aos pequenos leitores a poderosa ideia de que a palavra escrita pode ser uma fonte infinita de alegria e travessuras.

A espada do verão, de Rick Riordan — Primeiro livro da nova série do autor: Magnus Chase e os deuses de Asgard. Desde a morte da mãe, em um acidente misterioso, Magnus vive nas ruas de Boston, até que um dia descobre um segredo improvável: ele é filho de um deus nórdico. Magnus vai ter que enfrentar trolls, gigantes e outros monstros para impedir o fim do mundo. O novo herói de Rick Riordan vai empreender uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos.

link-externo

Leia também 9 fatos inusitados sobre Magnus Chase

Img Magnus Chase

Extraordinário, de R. J. Palacio  — Auggie nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Frank Einstein e o eletrodedo, de Jon Scieszka — O esperto inventor-mirim Frank está trabalhando para criar o “eletrodedo”, um dispositivo que pode fornecer energia solar de graça para a sua cidade. Mas para isso vai ter que enfrentar seu arqui-inimigo T. Edison, que deseja controlar toda a eletricidade de Midville monopolizando as fontes de energia e ficar ainda mais rico. Sequência de Frank Einstein e o motor antimatéria, este segundo livro da série mostra que é possível aprender ciências de um jeito bem divertido.

Minha professora é um monstro, de Peter Brown — Beto tem a pior professora do mundo. Ela ruge, bate o pé e deixa sem recreio as crianças que gostam de jogar aviõezinhos de papel. Ela é um monstro! Por sorte, Beto sempre tem os fins de semana para se divertir e brincar no parque. Até que um dia… ele encontra sua professora em seu lugar preferido. Com humor leve e belas ilustrações, o livro ensina que nem sempre as pessoas são o que parecem.

Os Dois Terríveis, de Jory John e Mac Barnett — Miles era o garoto mais terrível de sua escola, mas acaba de se mudar para a entediante cidade de Vale do Bocejo, conhecida unicamente por suas muitas vacas. Só que Vale do Bocejo já tem um rei das travessuras. E dos bons. Se quiser roubar o posto, Miles vai ter que se superar.

João e Maria, de Neil Gaiman e Lorenzo Mattotti — Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar com coragem os perigos de uma floresta sombria. Em uma bela edição de capa dura, Gaiman reconta com maestria a clássica história que vem encantando gerações até hoje.

Cidades de Papel, de John Green — Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que, certa noite, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que Margo desapareceu. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava conhecer.

untitledTitia Terrível, de David Walliams — Nesta aventura repleta de surpresas e ricamente ilustrada, o leitor vai conhecer Stella, uma menina de 12 anos, única herdeira da Mansão Saxby. O problema é que a terrível tia Alberta e sua coruja gigante vão fazer de tudo para roubar a herança da menina. Elas só não imaginam que Stella conta com a ajuda de um fantasma e os dois juntos vão unir forças para enfrentar a tia e impedir que ela fique com o único bem da  sobrinha.

O mundo imaginário de…, de Keri Smith — Nesse livro, Keri Smith propõe um mundo inteiramente novo, com nomes, mapas, moeda, habitantes e histórias que o próprio leitor deverá criar com a ajuda do livro.

Percy Jackson e os deuses gregos, de Rick Riordan — Com muito humor e tiradas sarcásticas, Percy Jackson explica sua versão da mitologia grega para a criação do mundo e dá aos leitores sua visão pessoal sobre quem é quem na Grécia Antiga, de Apolo a Zeus. Edição de luxo, em capa dura, inteiramente colorida e ilustrada por John Rocco.

Como treinar o seu dragão, de Cressida Cowell — Divertida aventura que se passa num mundo mítico de vikings corpulentos e dragões ferozes. A história gira em torno de Soluço, um adolescente franzino que vive na ilha de Berk, onde precisa capturar e treinar o dragão mais impressionante de todos. Soluço tem um coração viking, mas não é o herói que seu pai queria que ele fosse. Ao se unir a Banguela, um dragão teimoso, mal-educado e nada ameaçador, finalmente o menino tem a chance de mostrar quem realmente é. Inteiramente ilustrado, este é o primeiro livro da série Como treinar o seu dragão, sucesso no mundo inteiro.

testeDo que você mais sentiria falta se o mundo como o conhecemos hoje desaparecesse?

Por Mirelle Candeloro*

ESTACAOONZE_blog

Imaginem o mundo que conhecemos devastado por uma epidemia de gripe. Bilhões de pessoas morrem e as que restam precisam sobreviver em locais inóspitos, desprovidos de qualquer conforto ou tecnologia com que estejamos acostumados. Com o tempo, as lembranças da humanidade vão desaparecendo. Imagine perder os elos com a nossa história, deixando para trás conquistas e realizações não só científicas, como também artísticas.

Foram questionamentos como esses que inspiraram Estação Onze, de Emily St. John Mandel. Na distopia, a autora cria um enredo inusitado e reflexivo, que convida a analisar as consequências de uma grande catástrofe.

Quando a Intrínseca propôs aos seus parceiros que discutissem sobre o que mais sentiriam falta caso uma calamidade assolasse o planeta e qual objeto levariam para o Museu da Civilização, local em Estação onze que mantém resquícios da sociedade perdida, minha mente começou a ferver.

CapaFrente_EstacaoOnze_16x23cm.inddFiquei horas e horas atrás de uma resposta. De imediato, tudo me pareceu imprescindível, mas acabei escolhendo um objeto bem óbvio para uma bibliófila: um celular recheado com milhares de livros digitais, pois, para mim, seria impossível optar por um único exemplar físico.

Levando a minha decisão em consideração, pensei no que outras pessoas responderiam, principalmente as que também são ligadas ao universo literário. Será que todas sentiriam falta da mesma coisa? Como seria o  Museu da Civilização, composto por objetos de indivíduos tão diferentes, mas, ao mesmo tempo, com tantas coisas em comum?

Assim, decidi escrever para vários autores publicados pela Intrínseca! Reuni uma autora brasileira apaixonada por faróis, uma jornalista muito preocupada com a supervalorização da fama, uma artista que adora destruir e recriar e um autor perito em mundo pós-apocalíptico. Confiram abaixo o que eles disseram sobre o assunto:

“Sentiria falta dos meus amigos e família e levaria um laptop com a Wikipedia salva nele.”
Hugh Howey, autor da trilogia Silo

“Eu levaria um livro: Memórias de Adriano, de Margarete Yourcenar.”
Leticia Wierzchowski, autora de Navegue a lágrima e Sal

“Sentiria falta da natureza e levaria Folhas de Relva, de Walt Whitman.”
Keri Smith, criadora de Destrua este diário, Termine este livro e O mundo imaginário de…

“Eu sentiria falta de Nova York e levaria comigo as obras de Shakespeare.”
Nancy Jo Sales, autora de Bling Ring: a gangue de Hollywood

E você, do que mais sentiria falta?

link-externo

Leia um trecho de Estação onze
Uma distopia para aprender a sonhar 

*Mirelle Candeloro é blogueira, youtuber e escritora. Troca o dia pela noite, está sempre conectada nas redes sociais e ama tudo relacionado a livros, filmes e séries, comida e maternidade.

testeLançamentos de Agosto

EstanteIntrinseca_Ago2015_600px

História do futuro: O horizonte do Brasil no século XXI, de Míriam Leitão — Somente a jornalista mais premiada do país seria capaz de aceitar o desafio de olhar para além do imediatismo do presente e mapear o que está por vir. O resultado é História do futuro, que compila pesquisas, análises, entrevistas e depoimentos para apresentar, de forma acessível, tendências e perspectivas para os próximos anos. [Leia +]
link-externoLeia também: É possível pensar no futuro, entrevista com Míriam Leitão

Como Steve Jobs virou Steve Jobs, de Brent Schlender e Rick Tetzeli – Única biografia de Jobs com depoimentos dos executivos da Apple, entre eles o CEO Tim Cook, o livro apresenta um retrato íntimo e detalhado sobre um dos líderes mais emblemáticos de nosso tempo e revela o processo de reinvenção do jovem arrogante em um gestor maduro, capaz não apenas de salvar a companhia do fracasso, mas elevá-la a patamares jamais imaginados. [Leia +]

A sexta extinção: Uma história não natural, de Elizabeth Kolbert — Ao longo dos últimos quinhentos milhões de anos, o mundo passou por cinco extinções em massa. Hoje, a maior de todas as extinções vem sendo monitorada, e a causa não é um asteroide ou algo similar, e sim a própria raça humana. O surpreendente relato de qual pode ser o legado final da humanidade recebeu o prêmio Pulitzer de Não Ficção de 2015. [Leia +]

A sorte do agora, de Matthew Quick — Bartholomew passou seus quase 40 anos de vida morando com a mãe. Quando ela adoece e morre, ele descobre que não faz ideia de como viver sozinho. Até que um dia ele encontra, na gaveta de calcinhas dela, uma carta de Richard Gere. Convencido de que o ator vai ajudá-lo, ele começa a escrever uma série de cartas íntimas para Gere. Espirituoso e original, A sorte do agora é construído com a mesma inteligência e sensibilidade de O lado bom da vida[Leia +]


Deixado para morrer, de Beck Weathers — Em 1996, um grupo de alpinistas empenhava-se em escalar o Everest até que uma inesperada tempestade atingiu a montanha, separando-os. Quando uma tentativa de resgate foi possível, Beck Weathers foi considerado sem chances de sobreviver e se viu abandonado na neve. O livro, um dos relatos que inspiraram o filme Evereste, mostra a luta pela vida em uma das montanhas mais perigosas do mundo.

Autoridade, de Jeff VanderMeer — Por décadas, o Comando Sul foi responsável por enviar expedições à Área X, uma região isolada de toda influência humana e cercada por uma barreira invisível. Com o fim da conturbada décima segunda expedição, um novo diretor é nomeado para a instituição, com o objetivo de organizar o caos instaurado. Mas a cada descoberta, novos fatos perturbadores sobre a Área X e o Comando Sul ameaçam ainda mais a ordem. [Leia +]
link-externoLeia também: O Comando Sul precisa de Controle

A febre, de Megan Abbott — Deenie, Lise e Gabby formam um trio inseparável. Quando uma das três sofre uma inexplicável e violenta convulsão no meio da sala de aula, ninguém sabe como reagir… até que outras meninas começam a exibir sintomas similares. Envolto em teorias e especulações, o pânico se alastra pela cidade, e ameaça a frágil sensação de segurança de todos os envolvidos.

Casa de praia com piscina, de Herman Koch – Um médico renomado e extremamente cínico é convidado a levar a família para passar férias na casa de um de seus clientes, o famoso ator Ralph Meier. Depois de alguns dias monótonos, um grave incidente interrompe as férias e marca a vida de todos para sempre. [Leia +]

Minha professora é um monstro! (Não sou, não.), de Peter Brown — Beto tem a pior professora do mundo. Ela ruge, bate o pé e pode até te deixar sem recreio. Ela é um monstro! No livro, o autor e ilustrador Peter Brown ensina uma importante lição de forma leve e bem-humorada: Nem sempre as pessoas são o que parecem. [Leia +]

A ascensão da sombra, de Robert Jordan — Os lacres de Shayol Ghul se enfraquecem e a sombra se ergue para encobrir definitivamente a humanidade. Declarado o escolhido da antiga profecia, Rand al’Thor precisa seguir em frente e cumprir seu destino: proteger o mundo do retorno do Tenebroso. Quarto volume da série A Roda do Tempo. [Leia +]

O mundo imaginário de…, de Keri Smith — Outra contribuição às mentes criativas, o livro propõe a criação de um mundo completamente novo e inusitado, no qual o leitor deve cumprir uma série de tarefas para criar todos os detalhes de um universo particular. [Leia +]

Destrua este diário em qualquer lugar, de Keri Smith — Novamente questionando as convenções, o novo livro de Keri Smith tem como proposta levar a destruição criativa para todos os lugares. Com instruções simples, atividades novas e algumas das páginas clássicas de Destrua este diário, a obra celebra a imperfeição e a exploração. [Leia +]

link-externoLeia também: Programação da Intríseca na Bienal do Livro do Rio de Janeiro

testeLançamentos de abril

EstanteIntrinseca_Abr2015_600px

Toda luz que não podemos ver , de Anthony Doerr — Marie-Laure, cega aos seis anos, vive em Paris com o pai, chaveiro responsável pelas fechaduras do Museu de História Natural. Na Alemanha, o órfão e curioso Werner se encanta pelo rádio. Combinando lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, Anthony Doerr constrói um tocante romance sobre o que há além do mudo visível.

Os filhos de Anansi, de Neil Gaiman  –  Embrenhando-se no território da mitologia africana, a narrativa de Neil Gaiman leva o leitor a mergulhar nessa história fantástica e bem-humorada sobre relações familiares, profecias terríveis e divindades vingativas. Obra clássica do autor, Os filhos de Anansi ganha nova edição com conteúdo extra e orelha assinada por Fábio Moon.

Brasil: os frutos da guerra, de Neill Lochery – Neste livro, o historiador Neill Lochery revela a história do envolvimento do Brasil na Segunda Guerra Mundial, mostrando como a habilidade política e o oportunismo econômico de Getúlio Vargas e sua equipe transformaram o país numa potência regional graças ao conflito.

Léxico, de Max Barry  –  Eleito por veículos como o jornal The New York Times e pela revista Time como um dos melhores livros de 2013, o último romance de Max Barry, autor de Homem-Máquina, constrói uma trama sombria em que uma organização treina jovens talentosos para controlar a mente e o comportamento das pessoas usando o poder das palavras.

Os últimos dias de nossos pais, de Joël Dicker –  O primeiro romance do autor de A verdade sobre o caso Harry Quebert aborda a criação e a verdadeira, porém desconhecida, história da SOE (Executiva de Operações Especiais). Dicker mostra como um serviço composto em sua maioria por amadores tornou-se uma das peças-chaves da Segunda Guerra Mundial. O autor relata um feito pouco conhecido da Resistência francesa e ao mesmo tempo constrói uma história com uma profunda reflexão sobre o ser humano e suas fraquezas.

link-externo Leia também: A verdade sobre Joël Dicker

Frank Einstein e o motor antimatéria (Série Frank Einstein – Vol. 1), de Jon Scieszka –  Frank Einstein é um gênio mirim. Klink é uma inteligência artificial automontada e Klank é uma inteligência artificial praticamente automontada. Juntos, eles constroem um motor antimatéria. Seus planos de ganhar o Prêmio de Ciências de Midville parecem estar garantidos… Até que entra em cena T. Edison, o colega de classe e arqui-inimigo de Frank.

Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara, de Meg Medina –   Piddy Sanchez acaba de mudar de escola quando uma garota surge de repente em seu caminho e avisa: Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara. Filha de uma imigrante cubana, Piddy vive só com a mãe nos Estados Unidos. Ela nem faz ideia de quem seja Yaqui, mas está prestes a descobrir da pior maneira. O importante agora é sobreviver.

Isto não é um livro, de Keri Smith O que é um livro? –  Para Keri Smith, criadora de Destrua este diário e Termine este livro, essa pergunta pode ter várias respostas: pode ser uma mensagem secreta, um equipamento de gravação, um desafio… Em Isto não é um livro, ela nos faz questionar o que é esse objeto e como lidamos com ele.