testeIntrínseca na Flip: conheça os autores que marcaram o festival

A Flip – Festa Literária Internacional de Paraty – já começou, e nós não poderíamos estar mais animados!

Em sua 17ª edição, o festival está recheado de novidades imperdíveis. Além da participação de nossas autoras Mariana Enriquez e Karina Sainz Borgo na programação oficial, a Intrínseca também marca presença na Flip 2019 com um book truck especial do nosso clube do livro, o intrínsecos, e com muitas outras surpresas!

Para você se preparar para esse grande evento, fizemos uma lista dos nossos autores que já participaram do festival literário. Relembre com a gente!

  1. Mariana Enriquez e Karina Sainz Borgo

     

Este ano, a Intrínseca traz duas consagradas autoras latino-americanas para a Festa Literária Internacional de Paraty: Mariana Enriquez e Karina Sainz Borgo.

Autora de As coisas que perdemos no fogo e do lançamento Este é o mar, Enriquez constrói em suas obras cenários fantásticos e sombrios que evidenciam o horror do cotidiano, em uma escrita fluida que prende o leitor do início ao fim.

Karina Sainz Borgo lançou em junho seu primeiro romance pela Intrínseca. Noite em Caracas traz uma poderosa história sobre uma mulher que enfrenta situações extremas, enquanto precisa aceitar a ausência definitiva da mãe, tudo isso em um país que também desaparece aos poucos. A obra, publicada em março na Espanha, se tornou um best-seller em menos de um mês.

Confira a programação da Flip 2019 aqui.

  1. André Aciman

Em 2018, o convidado foi ninguém menos que André Aciman. O autor de Me chame pelo seu nome e Variações Enigma conversou sobre o processo de escrita, o exercício da liberdade de escrever e a escolha de temas tabus ou proibidos – como homoerotismo, sexualidade feminina e religião.

Além disso, Aciman também respondeu algumas perguntas dos leitores durante a sua passagem pelo Brasil! Você pode conferir o vídeo aqui:

 

  1. Marlon James e William Finnegan

A edição de 2017 da Flip contou com a participação de dois autores incríveis: Marlon James e William Finnegan.

Autor de Breve história de sete assassinatos, Marlon James debateu a renovação da tradição americana do romance a partir de seu ponto de vista como jamaicano negro que migrou para os Estados Unidos.

Autor de Dias bárbaros, sua autobiografia vencedora do Prêmio Pulitzer, Finnegan conversou sobre as diferentes motivações de um escritor e a entrega ao trabalho.

  1. Helen Macdonald

Outra escritora que marcou presença na Festa Literária Internacional de Paraty foi Helen Macdonald, autora de F de Falcão. Em sua participação, Macdonald falou sobre como a sua paixão pela falcoaria a ajudou a lidar com o luto por conta da morte súbita do pai.

  1. Riad Sattouf

O renomado quadrinista Riad Sattouf compareceu à Flip em 2015. Ao lado do brasileiro Rafa Campos, o criador de O árabe do futuro participou da mesa “De balões e blasfêmias”.

Em sua série de HQ, que já tem três volumes publicados pela Intrínseca, o autor retrata o choque cultural experimentado durante sua infância. Nascido na França socialista de Mitterand, ele vivenciou as ditaduras da Síria de Assad e da Líbia de Kadafi.

  1. Michael Pollan e Joël Dicker

A Flip de 2014 foi abrilhantada pela presença de dois autores incríveis: Michael Pollan e Joël Dicker.

Em Cozinhar, Michael Pollan convida o leitor a redescobrir a experiência fascinante de transformar os alimentos. Ao relatar suas experiências pessoais com os processos de preparação da comida, Pollan propõe uma redescoberta de sabores e valores esquecidos.

Já em A verdade sobre o caso Harry Quebert, premiado romance policial de Joël Dicker, somos confrontados com um grande mistério. Protagonizado por um jovem e bem-sucedido escritor que passa por um bloqueio criativo, a trama envolve o assassinato de uma menina de 15 anos e a luta contra o tempo em busca do verdadeiro responsável pelo crime.

  1. Jennifer Egan

Em 2012, quem visitou Paraty e participou da Flip foi a norte-americana Jennifer Egan. A autora de A visita cruel do tempo e Praia de Manhattan marcou presença na mesa “Pelos olhos dos outros”, ao lado do autor inglês Ian McEwan.

Egan é vencedora do Pulitzer de Ficção e do National Book Critics Circle Awards de 2011 por A visita cruel do tempo, obra em que tece uma narrativa caleidoscópica, alternando vozes e perspectivas, cenários e personagens, para contar como os sonhos se constroem e se desfazem ao longo da vida.

  1. Lionel Shriver

Autora do intenso Precisamos falar sobre o Kevin, Lionel Shriver ficou encantada pelo Brasil quando veio à Flip em 2010 para participar da mesa sobre violência e maternidade.

Em seu livro, conhecemos a história de Kevin, que aos 15 anos mata onze pessoas, entre colegas do colégio e familiares. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados e nos olhares de julgamento que recebe.

testeKarina Sainz Borgo e Mariana Enriquez na Flip 2019

A Festa Literária Internacional de Paraty promete debates importantes na edição de 2019. O homenageado deste ano será o escritor Euclides da Cunha, autor de Os sertões, e os temas discutidos serão, entre outros, o embate entre os indivíduos e os diversos tipos de opressão, desdobramentos da obra do autor carioca.

A Flip acontece entre os dias 10 e 14 de julho em Paraty e traz entre os destaques duas autoras da Intrínseca.

 

Venezuelana radicada em Madri, Karina Sainz Borgo é autora de Noite em Caracas, sua estreia na ficção. O livro, publicado em março na Espanha, logo se tornou um best-seller e ganhou cinco reimpressões em seu país de origem em menos de um mês.

Na trama, violência e anarquia ditam o ritmo da cidade de Adelaida Falcón. Após a morte de sua mãe, ela se depara com sua casa ocupada por um grupo paramilitar de mulheres e, de repente, perde todos os seus bens.

Durante seu processo de luto enquanto vive em um país que desaparece aos poucos, a narradora relata sua saga entremeando lembranças de um passado não muito distante, de uma vida simples como filha de professora em um grande centro urbano, com um presente no qual resistir se torna um ato de amor e coragem.

“Sainz Borgo consegue combinar as qualidades de jornalista às de romancista, criando um livro que é, ao mesmo tempo, uma experiência imaginativa e um retrato da violência de um país”, disse Fernanda Diamant, curadora do evento.

A autora divide a mesa Jeremoabo com Miguel Del Castillo na sexta-feira, 12/7, às 17h.

 

Aclamada pela crítica, a argentina Mariana Enriquez publica Este é o mar, seu segundo livro pela Intrínseca. Em seu novo romance, a autora de As coisas que perdemos no fogo constrói um retrato visceral da adolescência e traça na esfera do mitológico os aspectos mais perturbadores e indizíveis da essência humana.

Na trama, estrelas do rock se tornam inesquecíveis quando são alçadas à Lenda pelas Luminosas, seres femininos atemporais que se alimentam de devoção.

Helena é uma das responsáveis por manter a engrenagem do fanatismo pelos rockstars a todo vapor, incitando os jovens fãs humanos a darem tudo de si e a consumirem seu ídolo. Mas ela não quer ser apenas uma abelha operária, quer se tornar uma Luminosa e, para isso, precisa criar uma nova Lenda. Tendo a morte como aliada, sua missão é eternizar James Evans, o vocalista da banda Fallen — uma difícil tarefa em meio à era de carreiras meteóricas e das redes sociais.

Na Flip, a autora divide a mesa Santo Antônio da Glória com Braulio Tavares no domingo, 14/7, às 10h30.