teste13 livros infantis que você precisa conhecer

 

Os livros que lemos quando crianças podem influenciar nosso hábito de leitura enquanto crescemos, por isso é muito importante escolher obras maravilhosas e instigantes para os pequenos. Separamos algumas histórias fofas, emocionantes e divertidas que vão encantar os minileitores e acompanhá-los por anos! Confira:

 

1. Coleção Pipoquinha

A coleção mais fofa do mundo chega para a geração que não precisa mais rebobinar. A Coleção Pipoquinha traz de volta os clássicos dos anos 1980 e 1990 em livros infantis ilustrados e em capa dura:

E.T – O Extraterrestre

O menino Elliott encontra uma criatura muito diferente e descobre que seu novo amigo vem de outro planeta. Juntos, eles tentam achar um jeito de mandar o E.T. de volta para casa e, no caminho, aprendem importantes lições sobre coragem, amizade e o poder da imaginação.

De volta para o futuro

Marty McFly é um adolescente com problemas em casa e que tem um amigo cientista que inventa uma máquina do tempo. Sem querer, Marty viaja trinta anos pra trás, e agora precisa descobrir não só como voltar para casa, mas também como consertar a confusão que ele criou na vida dos próprios pais quando jovens.

Esqueceram de mim  

Kevin McCallister é um menino de 8 anos que, chateado com a mãe, deseja que sua família desapareça. E o desejo se realiza! Sozinho em casa na véspera de Natal, Kevin tem que aprender a se virar e usa suas artimanhas infantis para se defender de dois ladrões insistentes.

*Indicado para leitores a partir de 6 anos.

 

2. Extraordinário

O livro que inspirou o filme com Julia Roberts conta a história de Auggie Pullman, um garoto que tem uma deformidade facial e enfrenta o grande desafio de frequentar a escola pela primeira vez, aos 10 anos. Com momentos comoventes e outros descontraídos, o livro consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos a seu redor: família, amigos e comunidade.

*Indicado para leitores a partir de 12 anos.

 

3. Somos todos extraordinários

Resgatando elementos do romance Extraordinário e inserindo os personagens em um mundo ilustrado que representa a imaginação de Auggie, Somos todos extraordinários vai deliciar os leitores que já se emocionaram e os que ainda vão se emocionar com essa incrível história de superação, amizade e, acima de tudo, amor.

*Indicado para leitores até 10 anos.

 

4. O touro Ferdinando

Amante da natureza e dos animais, Ferdinando leva uma vida sossegada, passando os dias embaixo de sua árvore preferida e cheirando as flores. Até um toureiro confundi-lo com um animal feroz e levá-lo para as arenas espanholas. Este clássico mundial da literatura infantil passa uma mensagem universal de respeito pelas diferenças e em 2017 chegou aos cinemas, numa produção da Fox com direção do brasileiro Carlos Saldanha.

* Indicada para leitores entre 4 e 6 anos.

 

 5. A série Como treinar o seu dragão

Os vikings são uma parte importante da história mundial. E nada melhor que acompanhar as aventuras do adorável Soluço, herdeiro da tribo dos Hooligans Cabeludos, e de seu dragão Banguela. Com 12 volumes inteiramente ilustrados, muita ação e o tipo de humor que arranca gargalhadas até dos mais carrancudos, a série inspirou a animação de mesmo nome.

*Indicada para leitores entre 6 e 10 anos.

 

6. Vovó vigarista

Ben descobre um grande segredo sobre sua avó e agora nem liga mais de ter que dormir na casa dela às sextas-feiras e comer repo­lho no jantar. Pelo contrário: ele passa a semana ansioso aguardando esse momento. Juntos, ele e a avó vão tramar uma incrível aventura. Uma bela história que mos­tra que a amizade pode ser cultivada entre avós e netos de uma forma bem divertida. Basta ter criatividade.

 * Indicada para leitores entre 10 e 14 anos.

 

7. Os piores pirralhos do mundo

Conheça 10 pirralhos assustadores com histórias nojentíssimas! Beto Babão inunda a cidade inteira de baba, enquanto Charlene Chorona arranca os cabelos de tanto chorar (e mentir!) e Pedro Piolho vira um super-vilão com a ajuda de seus amiguinhos parasitas. Essas aventuras hilárias e lindamente ilustradas não são apenas asquerosas. Elas também se desdobram em lições para ensinar de maneira divertida às crianças a importância da higiene, da atenção e da honestidade.

* Indicada para leitores entre 8 e 12 anos.

 

 8. Vovô deu no pé

Vovô é a pessoa que Jack mais ama no mundo. Não importa se ele vai ao supermercado de pijama, nem se de vez em quando esquece o nome do neto. Vovô está velhinho e por isso, às vezes, acaba ficando confuso. Ele vive se metendo em encrenca, e só uma pessoa é capaz de entendê-lo: o neto, Jack. O problema é que agora vovô cismou que está de volta à Segunda Guerra Mundial, época em que foi piloto de caça da Força Aérea Britânica! Ele tem certeza de que ainda está no meio do combate! E essa confusão vai levar vovô e Jack a embarcar na maior aventura de suas vidas.

* Indicada para leitores entre 10 e 14 anos.

 Conheça outros livros de David Walliams.

 

 9. TazerCraft: Uma aventura Chume Labs

Donos de um dos canais de games mais populares do YouTube, Pac e Mike são os protagonistas de uma aventura interplanetária que mistura humor, games, magia, fantasia e muita criatividade. No livro escrito por Gustavo Magnani, Pac, Mike e seu fiel escudeiro Gutin descobrem um portal escondido no laboratório em que as mães trabalham, o Chume Labs. Esse portal os leva para um planeta que abriga criaturas como geleias amortecedoras de quedas, peixes dentistas e um mago bem estranho com seis braços, cabeça de arara e uma tromba enorme. Mas há também um tirano cruel chamado Hilário de La Mancha, que planeja acabar com toda a alegria que existe. E é claro que Mike, Pac e Gutin não vão deixar isso acontecer.

*Indicado para leitores a partir de 12 anos.

 

10. Tigre solto na selva

O sr. Tigre sempre foi muito comportado. De terno e cartola, ele estava totalmente acostumado à vida na cidade. Até que decidiu que estava na hora de se soltar e ser selvagem. E, um dia, foi isso que ele fez. Só que, num mundo tão civilizado, a mudança não pegou muito bem. Ao viver o conflito entre o que esperavam dele e o que ele realmente queria ser, o sr. Tigre mostra as dificuldades que qualquer criança (ou adulto) já enfrentou e vai enfrentar enquanto tenta descobrir seu verdadeiro lugar no mundo.

*Indicada para leitores entre 4 e 6 anos.

 

 11. Robô selvagem

Roz é uma robô que, ao abrir os olhos pela primeira vez, se vê sozinha em uma ilha. Ela não tem a menor ideia de como foi parar ali, mas está programada para sobreviver. Tudo parece melhorar quando Roz consegue, aos poucos, se aproximar dos bichos e criar um elo com um filhote de ganso abandonado. Mas sua natureza é diferente, e o misterioso passado da robô, que a levou até ali, está prestes a retornar para assombrá-la.

*Indicada para leitores entre 8 e 12 anos.

 

 12. Minha professora é um monstro

Nem sempre as pessoas são o que parecem — é o que você vai descobrir nesse livro ilustrado!

Beto tem a pior professora do mundo. Ela ruge, bate o pé e deixa sem recreio as crianças que jogam aviõezinhos de papel na sala de aula. Ela é um monstro! Por sorte, Beto sempre tem os fins de semana para se divertir e brincar no parque. Até que um dia… ele encontra sua professora justamente em seu lugar preferido. Será que ela é tão monstruosa mesmo?

*Indicada para leitores entre 4 e 6 anos.

 

13. João e Maria

O prestigiado escritor Neil Gaiman e o brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti recontam o clássico João e Maria. Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o livro narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e desesperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar os perigos de uma floresta sombria.

*Indicado para leitores a partir de 6 anos.

testeO evento para os que amam livros infantojuvenis

De 27 de junho a 5 de julho, estaremos presentes no 20º Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens, no Rio de Janeiro. O evento contará com uma seleção especial de títulos infantis e juvenis, marcadores de páginas, materiais promocionais e descontos.

A FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) também premia anualmente as melhores obras da produção nacional, sendo uma referência para pais e professores. Um dos livros premiados com o selo Altamente Recomendável FNLIJ em 2018, foi O touro Ferdinando, de Munro Leaf e Robert Lawson. Com um humor delicado, a obra que deu origem ao filme de animação da FOX conquista corações abordando de forma inspiradora o respeito pelas diferenças.

A história do touro Ferdinando foi publicada originalmente 80 anos atrás, tendo sida traduzida para mais de 60 idiomas. A edição lançada pela Intrínseca, em 2017, se manteve completamente fiel à original.

Outros títulos da Intrínseca que ganharam o selo Altamente Recomendável são Sr. Tigre Solto na Selva e O livro sem figuras. Em 2016, o livro João & Maria, de Neil Gaiman, foi o grande vencedor na categoria de Melhor Tradução e Adaptação de Reconto do Prêmio FNLIJ. O autor e o ilustrador Lorenzo Mattotti recuperam o ar aterrorizante do conto clássico dos irmãos Grimm, com imagens em tons sombrios que encantam seus leitores.

 

Local: Centro de Convenções SulAmérica – Salão Nobre
Av. Paulo de Frontin nº 1 — Cidade Nova, Rio de Janeiro 
Estande da Intrínseca: 23 e 24
Horários: Durante a semana, 8h30 às 17h. Exclusivamente na sexta, 29 de junho, o horário será de 8h30 às 20h.
Finais de semana, 10h às 18h.
Ingresso: R$12,00

teste11 leituras imperdíveis para crianças

Confira a nossa lista com 11 leituras imperdíveis para crianças:

O touro Ferdinando

Amante da natureza e dos outros animais, Ferdinando leva uma vida sossegada, passando os dias embaixo de sua árvore preferida e cheirando as flores. Até um toureiro confundi-lo com um animal feroz e levá-lo para as arenas espanholas. Com mais de 80 anos de vida, a história de Ferdinando continua atual, passando uma mensagem universal de respeito pelas diferenças.

Este clássico mundial da literatura infantil virou um longa-metragem de animação produzido pela Fox, com direção do brasileiro Carlos Saldanha. O livro é tão especial que recebeu o selo Altamente Recomendável da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) em 2018.

Indicado para leitores entre 4 e 6 anos.

No tempo dos feiticeiros

Da autora da série Como treinar o seu dragão, Cressida Cowell, No tempo dos feiticeiros conta a divertida história do menino feiticeiro Xar, cujos poderes ainda não despertaram, e da princesa guerreira Desejo, que possui um objeto mágico poderoso. Na história, os caminhos dos dois se cruzam e eles precisam aprender e superar as diferenças para enfrentar lado a lado um mal terrível, desafiando a grande regra de que feiticeiros e guerreiros devem odiar um ao outro.

Indicado para leitores entre 8 e 12 anos.

Indicado para leitores entre 4 e 6 anos.

Somos todos extraordinários

O livro de R. J. Palacio resgata elementos do romance Extraordinário e insere os personagens em um mundo ilustrado que representa a imaginação do protagonista, Auggie, Somos todos extraordinários vai deliciar os leitores que já se emocionaram e os que ainda vão se emocionar com essa incrível história de superação, amizade e, acima de tudo, amor.

 

Pax

Peter e sua raposa, Pax, são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o pai do menino vai servir na guerra e o obriga a devolver Pax à natureza. A separação vai fazer Peter repensar seus atos e sentimentos e tomar uma atitude corajosa mas muito arriscada. Uma linda história sobre lealdade e amor!

Indicado para leitores a partir de 10 anos.

O livro sem figuras, de B.J. Novak
Combinando simplicidade e criatividade de forma engenhosa, O livro sem figuras inspira risadas toda vez que é aberto, criando uma experiência de diversão e interação entre adultos e crianças e apresentando aos pequenos leitores a poderosa ideia de que a palavra escrita pode ser uma fonte infinita de alegria e travessuras.

Recebeu o selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Indicado para leitores a partir de 6 anos.

foto_interna_o_livro-sem-figuras_2

 

João & Maria, de Neil Gaiman e Lorenzo Mattotti

O prestigiado escritor Neil Gaiman e o brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti recontam o clássico João e Maria. Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar os perigos de uma floresta sombria.

Obra vencedora da categoria de melhor tradução e adaptação de reconto do Prêmio FNLIJ 2016 e também contemplada com o selo Altamente Recomendável.
Indicado para leitores a partir de 6 anos.

foto_joao-e-maria

 

As inusitadas histórias de David Walliams

Dentistas sinistras, ratos que dançam break e tias trapaceiras são só alguns dos inusitados personagens criados por David Walliams, escritor que se tornou um fenômeno da literatura infantojuvenil na Inglaterra. Ator, roteirista e escritor premiado, Walliams trata com muito bom humor os dramas da vida da criança, sempre com muito respeito à inteligência dos leitores.

Indicado para leitores a partir de 10 anos.
instagram


As descobertas de Peter Brown

Em duas narrativas sensíveis sobre a construção da identidade, o premiado escritor e ilustrador Peter Brown mostra, em Minha professora é um monstro!, como as aparências enganam (e como professores podem ser incríveis) e, em Sr. Tigre solto na selva, como descobrir seu lugar no mundo.

Indicado para leitores entre 4 e 6 anos.
foto_minha-professora-e-um-mosntro

 

Série Os Dois Terríveis, de Jory John e Mac Barnett

Uma série sobre amizade e companheirismo, Os Dois Terríveis narra as aventuras de uma dupla de pregadores de peças que aterrorizam um cidade até então pacata, o Vale do Bocejo. Ricamente ilustrada, a série também é recheada de piadas hilárias.

Série indicada para leitores a partir de 10 anos.
doisterriveis

 


Série Frank Einstein, de Jon Scieszka

Com robôs e muitas experiências, Jon Scieszka apresenta conceitos de ciência de maneira fácil e divertida, criando histórias sobre disputas, espionagem e amizade. Frank Einstein é um menino de dez anos que adora passar o tempo no laboratório montado na garagem do avô, explorando ciência com inventos muito originais.

Série indicada para leitores a partir de 10 anos.

graficafrank-12334

 

Série Como treinar o seu dragão, de Cressida Cowell

Os vikings são uma parte importante da história mundial. E nada melhor que acompanhar as aventuras do adorável Soluço Spantosicus Estrondus III,  herdeiro da tribo dos Hooligans Cabeludos, e de seu dragão Banguela. A série que inspirou a animação da DreamWorks é composta por 12 volumes — o último será publicado em janeiro de 2017.

Série indicada para leitores entre 6 e 10 anos.

dragao

teste7 livros infantis com mensagens importantes

Diversas pesquisas já comprovaram a importância de ler desde a infância. O hábito amplia o vocabulário, auxilia o desenvolvimento cognitivo, aproxima pais e amigos, gera empatia e,  acima de tudo, ajuda a formar novos leitores.

Em um mundo com tantos estímulos, é difícil encontrar histórias capazes de competir com TV, videogame etc e que encantem os pequenos. Para ajudar os pais e professores, listamos sete livros ilustrados que transmitem mensagens divertidas e importantes.

A partir de 3 anos:

Somos todos extraordinários — Inspirado na história original de Extraordinário, livro que conta a vida de Auggie, um garoto com deformidade facial que vai  frequentar a escola pela primeira vez, esta obra totalmente ilustrada aborda temas importantes como inclusão, gentileza e aceitação.

Extraordinário foi adaptado para os cinemas e estreia em 23 de novembro.

 

Para crianças entre 4 a 6 anos:

Minha professora é um monstro (Não sou, não)  — Nem sempre as pessoas são o que parecem — é o que você vai descobrir nessa obra totalmente ilustrada!

Beto tem a pior professora do mundo. Ela ruge, bate o pé e deixa sem recreio as crianças que gostam de jogar aviõezinhos de papel. Ela é um monstro! Por sorte, Beto sempre tem os fins de semana para se divertir e brincar no parque. Até que um dia… ele encontra sua professora justamente em seu lugar preferido.

Peter Brown é autor também de Robô Selvagem e Sr. Tigre solto na selva 

 

Para crianças entre 6 a 10 anos:

João e MariaNeil Gaiman recria o clássico com a ajuda do brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti.  Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar os perigos de uma floresta sombria.

 

Para leitores a partir de 10 anos:

Pax Esse talvez seja um dos livros mais emocionantes da lista, afinal, Pax conta a história de amizade entre um menino e seu bichinho de estimação.  Peter e sua raposa, Pax, são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do garoto vai servir na guerra e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde vai morar por um tempo, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax.

 

Para crianças entre 10 a 14 anos:

Vovô deu no péO novo livro de David Walliams fala sobre a forte relação entre um avô e o neto.  Na história, Jack tem doze anos e sua pessoa preferida no mundo inteiro é o avô. Vovô foi piloto durante a Segunda Guerra Mundial e, até hoje, o que mais gosta de fazer é falar sobre aviação.  Só que vovô tem andado confuso e esquecido. Para evitar mais trapalhadas, os pais de Jack decidem internar vovô em um lar para idosos muito esquisito e com enfermeiras sinistras. Jack então decide embarcar na maior aventura de sua vida para salvar o avô. Emocionante e divertido ao mesmo tempo! 

 

Para leitores entre 12 a 14 anos:

Percy Jackson e os olimpianos — A mais famosa série de Rick Riordan é uma excelente maneira de começar a aprender sobre mitologia grega com muito humor e personagens divertidos! Rick foi professor de história e decidiu criar histórias para seu filho mais velho, que foi diagnosticado com Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade. Seu personagem principal, Percy Jackson, tem o mesmo problema, mas descobre que é tudo consequência de ter um deus do Olimpo como pai!

 

O menino de vestido David Walliams mostra mais uma vez a importância de respeitar as pessoas que têm gostos diferentes da gente.

Só existem duas coisas que fazem Dennis feliz: jogar futebol e ler revistas de moda. Mas sua vida so­fre uma reviravolta quando ele conhece Lisa, dois anos mais velha, que sonha ser esti­lista. Com Lisa, Dennis se permite explorar seu lado diferente sem medo que o condenem por isso. Uma história atual e necessária!

testeNovo livro de Neil Gaiman, Mitologia nórdica chega às livrarias em março!

Tudo começa e termina com gelo e fogo.

 

Os mitos nórdicos dizem que no princípio de tudo havia apenas Niflheim, o gélido mundo escuro, e Muspell, o infernal mundo das chamas. Dizem também que no Ragnarök, o fim de todas as coisas, o demônio do fogo Surt sairá do seu descanso para destruir todos os mundos com sua espada flamejante. É entre esses dois períodos de gelo e fogo que toda a história dos deuses e dos homens transcorre.

Uma das mitologias mais interessantes e populares até hoje – basta nos lembrarmos dos filmes de super-heróis recentes –, as lendas da época dos vikings sempre influenciaram muito a obra de Neil Gaiman. Desde a infância até suas mais consagradas obras, Deuses americanos e Sandman, é possível perceber como as histórias de Thor, Loki, Odin e demais deuses são relevantes para o autor.

Em Mitologia nórdica, Gaiman se torna cúmplice dos deuses e usa de sua habilidade com as palavras e de sua criatividade fascinante para recontar os mitos nórdicos. Em 15 contos – das histórias mais populares às menos conhecidas –, a obra mostra como era a visão dos escandinavos para o início e o fim do mundo.

Ideal para quem quer descobrir mais sobre as lendas nórdicas e também para aqueles que desejam desvelar novas facetas dessas histórias, Mitologia Nórdica chega às livrarias a partir de 13 de março e está em pré-venda.

testeObra-prima de Neil Gaiman, Deuses americanos será relançado em edição especial!

Então as luzes se apagaram, e Shadow viu os deuses.

121232134

Em 1992, Neil Gaiman deixava a Inglaterra, sua terra natal, e se mudava para os Estados Unidos.

Tendo consumido ao longo da vida séries, livros e filmes que exaltavam a cultura americana, o autor acreditava que a adaptação ao novo lar seria tranquila. Mas, ao chegar, Gaiman finalmente pôde conhecer o país a fundo. Misturando suas experiências com diversas referências mitológicas, o autor captou a essência americana em um livro, lançado originalmente em 2001 e que se tornaria uma de suas obras mais importantes: Deuses americanos.

Em breve, a Intrínseca relançará o clássico, em uma nova Edição Preferida do Autor. Contando com capítulos expandidos, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução, o livro chega às livrarias a partir de 24 de outubro.

A história acompanha Shadow Moon, que passou quase três anos na cadeia ansiando retornar para a esposa. Dias antes do fim de sua pena, Shadow descobre que ela faleceu após um acidente, e fica sem rumo na vida.

Após o velório, ele conhece Wednesday, um homem com olhar enigmático e que está sempre com um sorriso insolente no rosto, e ele lhe oferece um emprego. É em sua nova função que Shadow começa a desvendar a real identidade de seu chefe e que, além de pessoas dos mais diversos cantos do mundo, os Estados Unidos também se tornaram a morada de deuses dos mais variados panteões.

Uma mistura de road trip, fantasia e mistério, uma história sobre perda e redenção, sobre o velho e o novo, sobre memória e fé, Deuses americanos é o exemplo máximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman.

american

Shadow Moon (Ricky Whittle) e Wednesday (Ian McShane) – Fonte

Em 2017, a obra será adaptada para a TV, em uma série produzida por Bryan Fuller (das séries Hannibal, Pushing Daisies e dos novos filmes da franquia Star Trek) e pelo próprio Gaiman. Shadow Moon será interpretado pelo ator Ricky Whittle (da série The 100), enquanto Ian McShane (Piratas do Caribe e Game of Thrones) fará Wednesday. Completam o elenco Gillian Anderson (Arquivo X), Emily Browning (Desventuras em Série), Pablo Screiber (Orange Is the New Black) e Crispin Glover (De Volta Para o Futuro). O primeiro trailer foi divulgado recentemente, e pode ser visto logo abaixo:

testeAs perturbações de Neil Gaiman compiladas em Alerta de Risco

Capa_AlertaDeRisco_img

Neil Gaiman já explorou lendas africanas, contos de fadas, memórias de infância e até mesmo os subterrâneos secretos da Inglaterra. Mas é nos contos que o autor esmiúça sua faceta mais perturbadora.

Em Alerta de risco, nova coletânea de contos do autor, o leitor vai mergulhar em histórias hipnotizantes, capazes de despertar surpresa e assombro, como o conto “Cão negro”, que revisita o mundo de Deuses americanos ao narrar um episódio que envolve Shadow Moon em um bar durante seu retorno aos Estados Unidos.

Alerta de risco chega às livrarias a partir de 22 de agosto. Leia um trecho abaixo, ou clicando no link.

“Introdução

1. Pequenos gatilhos

Certas coisas nos incomodam. Mas não é bem a essas que vou me referir aqui. Na verdade, tenho em mente aquelas imagens, palavras ou ideias que se abrem como alçapões sob nossos pés, nos arrancando do nosso mundo calmo e confortável para nos lançar em um mundo sombrio e nada acolhedor. O coração dá um salto vertiginoso no peito, a respiração fica difícil. O sangue foge do rosto e das mãos, nos deixando pálidos e ofegantes, em choque.

E o que aprendemos sobre nós mesmos nesses momentos em que o gatilho é apertado é que o passado não morre. Certas coisas ficam à espreita, esperando pacientemente por nós, em passagens sombrias da nossa vida. Acreditamos que ficaram para trás, que as ultrapassamos, que lá vão ressecar e encolher e serão levadas pelo vento — mas estamos enganados. Elas permaneceram lá na escuridão, à espera, se exercitando, praticando seus golpes mais potentes, o soco impetuoso, duro e insensível no estômago, só aguardando o momento em que voltaríamos por aquele caminho.

Os monstros que habitam nossos armários e nossa cabeça jamais deixam a escuridão, como o mofo que cresce sob a tábua corrida e atrás do papel de parede. E há tanta escuridão… remessas incessantes de escuridão. O universo e seu vasto estoque de sombras.

Do que precisamos ser alertados? Todos temos nossos pequenos gatilhos. A primeira vez que vi a expressão “alerta de risco” foi na internet [derivada do inglês trigger warning], onde é usada geralmente quando há links para imagens ou ideias que podem ser perturbadoras e desencadear lembranças traumáticas, ansiedade ou pânico. A intenção é que as pessoas identifiquem essas imagens e ideias em meio a outros conteúdos e possam evitá-las ou se preparar mentalmente para se deparar com tais gatilhos.

Fiquei fascinado quando soube que os alertas de risco tinham cruzado a fronteira que separa a internet do mundo tangível. Muitas universidades estavam considerando incluir alertas de risco em livros, obras de arte e filmes, para precaver os estudantes contra o que os esperava. A ideia me pareceu ao mesmo tempo atraente (é claro que desejamos informar pessoas suscetíveis de que algo pode vir a perturbá-las) e preocupante: Sandman foi publicado originalmente como um quadrinho mensal, que sempre trazia um aviso ao mundo dizendo que era conteúdo adulto, e isso me parecia adequado. Era um recado para os leitores em potencial, informando que aquilo não se tratava de um quadrinho infantil e que continha imagens ou ideias possivelmente perturbadoras e sugerindo que o leitor adulto (seja lá quem se encaixe nessa categoria) lidaria sozinho com as consequências. Quanto ao que haveria ali de perturbador, chocante ou capaz de suscitar pensamentos incomuns, eu achava que avaliar isso era responsabilidade do leitor. Se somos adultos, cabe a nós decidir o que queremos ler ou não.

Na minha opinião, o que escolhemos ler quando adultos deveria vir sem nenhum alerta, ou, no máximo, um “prossiga por sua própria conta e risco”. Precisamos descobrir o que é a ficção, encontrar o significado de uma experiência que será diferente da experiência de qualquer outra pessoa.

Construímos as histórias na nossa mente. Pegamos palavras e lhes conferimos poder, e nos colocamos atrás de outros olhos, enxergando e vivenciando o que os outros veem. Eu me pergunto: A ficção é um lugar seguro? E, em seguida: Deveria ser? Quando criança, li algumas histórias que, depois de terminar, lamentei tê-las encontrado, pois não estava pronto e elas me deixaram transtornado: histórias que continham desamparo extremo, ou que mostravam pessoas sendo constrangidas ou mutiladas, em que adultos eram retratados como vulneráveis e os pais em nada podiam ajudar. Essas histórias me perturbaram e assombraram meus sonhos — os noturnos e os diurnos —, provocando em mim preocupação e incômodo em níveis profundos, mas também me ensinaram que, ao ler ficção, eu só descobriria os limites da minha zona de conforto se saísse dela. Hoje, já adulto, eu não optaria por não as ter lido, nem se pudesse.

Ainda há coisas que me perturbam profundamente quando encontro essas histórias, seja na internet, no texto ou no mundo. Nunca se tornam mais fáceis, nunca deixam de fazer meu coração bater mais forte, nunca me permitem escapar ileso. No entanto, elas me ensinam, abrem meus olhos e, se me machucam, o fazem de maneira que me leva a pensar, crescer e mudar.

Ao ler a respeito daqueles debates universitários, me perguntei se um dia minhas obras de ficção viriam acompanhadas de um alerta de risco. Será que haveria justificativa para tanto? Então, decidi colocá-lo antes que alguém o fizesse.

Este livro, assim como a vida, contém elementos capazes de perturbá-lo. Aqui você vai encontrar morte e dor, lágrimas e desconforto, violência de todos os tipos, crueldade e até abuso. Há também gentileza de vez em quando, espero. Até um punhado de finais felizes. (Afinal, poucas histórias terminam mal para todos os participantes.) E mais: conheço uma mulher chamada Rocky que tem forte sensibilidade a tentáculos e realmente precisa de alertas para coisas que contenham tentáculos, especialmente tentáculos com ventosas, e que, se encontrar um pedaço inesperado de lula ou polvo, vai se esconder atrás do sofá mais próximo, tremendo. Há um tentáculo imenso em algum lugar nestas páginas.

Muitas das histórias terminam mal para pelo menos um dos envolvidos. Considere-se alertado.

 

2. Procedimentos de segurança para o voo

Às vezes, imensas verdades são proferidas em contextos inusitados. Eu viajo demais de avião — uma ideia e uma frase que eu seria incapaz de compreender na juventude, quando cada voo era um evento empolgante e milagroso, quando eu olhava pela janela e imaginava que as nuvens eram uma cidade ou um mundo, algum lugar onde eu pudesse caminhar tranquilamente. Mas mesmo hoje, no início de cada voo, me vejo meditando e ponderando sobre os conselhos oferecidos pela tripulação como se fossem um koan, uma pequena parábola ou o ápice de toda a sabedoria humana.

Os comissários de bordo dizem:

Coloque sua máscara antes de ajudar os outros.

E penso em nós, todo mundo, e nas máscaras que usamos, as máscaras atrás das quais nos escondemos e aquelas que revelamos. Imagino as pessoas fingindo ser o que não são e descobrindo que os outros são muito mais e muito menos do que o papel que representam e do que a imaginação permite conceber. Então penso na necessidade de ajudar os outros, em como nos mascaramos para fazer isso e em como nos tornamos vulneráveis se tirarmos a máscara…

Estamos todos usando máscaras. É isso que nos torna interessantes.

Estas histórias tratam dessas máscaras e dos indivíduos que vivem sob elas.

Nós, escritores, que vivemos da ficção, somos um continuum daquilo que vimos e ouvimos e, ainda mais importante, de tudo o que lemos.

Tenho amigos que esbravejam, rosnam e explodem de frustração porque as pessoas não conhecem as referências, não sabem o que está sendo indicado, esqueceram autores, histórias e mundos. Tendo a observar isso de uma perspectiva diferente: também já fui uma folha em branco, esperando pela escrita. Foram as histórias que me ensinaram sobre as coisas e pessoas, e foram as histórias que me apresentaram outros autores.

Muitos dos contos deste livro — talvez a maioria — fazem parte desse mesmo continuum. Existem porque outros autores, outras vozes, outras mentes existiram. Espero que você não se importe se, nesta introdução, eu aproveitar a oportunidade para indicar alguns dos autores e lugares sem os quais estas histórias talvez jamais vissem a luz do dia.

 

testeConheça o estande da Intrínseca na FNLIJ

fnilij

Venha nos visitar no 18º Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens, evento que acontece até o dia 19 de junho, no Rio de Janeiro. Com uma seleção especial de títulos para crianças e jovens, o estande da Intrínseca também está recheado de materiais exclusivos e livros com descontos.

“O evento é muito importante porque aproxima as editoras dos educadores. É uma oportunidade maravilhosa para apresentarmos aos professores livros que podem ser adotados ou servir de material de apoio em sala de aula”, explica a gerente de marketing Heloiza Daou.

Obras premiadas

joaoemaria2113191João e Maria, de Neil Gaiman, foi o grande vencedor da categoria de melhor tradução e adaptação de reconto do Prêmio FNLIJ 2016. A obra, publicada em 2015, revisita a história clássica dos irmãos Grimm, com ilustrações de Lorenzo Mattotti, e foi traduzida por Augusto Calil.

Além do prêmio de melhor tradução, João e Maria recebeu o selo Altamente Recomendável. “Ficamos muito felizes com a premiação. Neil Gaiman reconta o clássico João & Maria com mestria e resgata o clima sombrio da história original. Augusto Calil, com muita habilidade, conseguiu trazer para a edição brasileira a mesma atmosfera assustadora”, comemora Cristhiane Ruiz, editora de ficção jovem.

O livro sem figuras, de B.J. Novak, também recebeu o selo Altamente Recomendável concedido pela fundação, que seleciona anualmente os melhores livros para indicação a crianças e jovens.

 

Local: FNLIJ – Centro de Convenções Sul América
Av. Paulo de Frontin nº 1 — Cidade Nova, Centro, Rio de Janeiro
Estande da Intrínseca na FNLIJ: 38
Horário de funcionamento: Segunda a sexta | 8h30 às 17h
Sábados e domingos | 10h às 18h

 

Ingresso para entrada na FNLIJ: R$ 6,00
Gratuidade para maiores de 60 anos, portadores de deficiência, professores da rede municipal do Rio de Janeiro e instituições que trabalham com crianças e jovens de comunidades de baixa renda, contando que pré-agendadas com a FNLIJ. Mais informações.

testeA Londres secreta de Neil Gaiman

gaiman lugar nenhum

Fãs de Neil Gaiman já têm motivo para celebrar: Lugar Nenhum, romance de estreia do autor, chega às livrarias a partir de 17 de junho. A nova edição contém uma introdução de Gaiman, uma cena cortada e um conto exclusivo.

Originalmente concebido como uma série para a TV britânica, o livro apresenta um mundo fantástico, localizado abaixo da capital da Inglaterra. Conhecida como Londres de Baixo, a cidade secreta é habitada por personagens inusitados e cenários fantásticos, características marcantes do autor.

Em Lugar Nenhum, acompanhamos Richard Mayhew e sua vida completamente sem emoção: ele tem um apartamento comum, um emprego decente e uma noiva igualmente normal. Essa normalidade acaba a partir do momento em que ele ajuda uma jovem que encontra ferida na calçada. De um dia para o outro, Richard se torna invisível na cidade que conhece. Sem casa, sem emprego e sozinho, ele vai atrás da jovem para a cidade subterrânea, para tentar recuperar sua antiga vida.

teste10 Livros para todo tipo de geek

sadasdasd

Separamos histórias incríveis, para todos os tipos de geeks. De autores misteriosos à fantasia épica, de deuses nórdicos a video games, são livros e séries imperdíveis:

S., de J.J. Abrams e Doug Dorst Para os fascinados por mistério, J.J. Abrams, a mente por trás de séries como Lost, Fringe e diretor do próximo filme de Star Wars, trás uma narrativa enigmática em S., resultado de sua parceria com Doug Dorst. Uma caixa lacrada, repleta de pistas e códigos, guarda um livro misterioso. Em suas margens, as anotações e conversas de dois leitores formam um intrincado quebra-cabeça.

Série Comando Sul, de Jeff VanderMeer — A trilogia Comando Sul já recebeu alguns dos maiores prêmios de ficção científica, como o Nebula. Na série de livros, a região conhecida como Área X se isolou do restante do mundo, desaparecendo com todos os traços da presença humana, exceto um misterioso farol. Cabe à organização secreta Comando Sul investigar a região e desvendar esse mistério.

Série A Roda do Tempo, de Robert Jordan — Um dia houve uma guerra tão definitiva que rompeu o mundo, e no girar da Roda do Tempo o que ficou na memória dos homens virou esteio das lendas. Como a que diz que, quando as forças tenebrosas se reerguerem, o poder de combatê-las renascerá em um único homem, o Dragão, que trará de volta a guerra, e, de novo, tudo se fragmentará. Uma das mais importantes séries de fantasia épica de todos os tempos.

A guerra dos consoles: Sega, Nintendo e a batalha que definiu uma geração, de Blake J. Harris — Na década de 1990, a Nintendo praticamente monopolizava o mercado de video games. A Sega, por outro lado, era apenas uma empresa instável de fliperamas com grandes aspirações e egos maiores ainda. Mas tudo isso iria mudar com as táticas arrojadas de Tom Kalinske, ex-executivo da Mattel, que transformaram a Sega por completo e levaram a companhia a travar um confronto impiedoso com a Nintendo.

João e Maria, de Neil Gaiman e Lorenzo Mattotti — O prestigiado escritor Neil Gaiman e o brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti se encontram para recontar o clássico João e Maria. Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar com coragem os perigos de uma floresta sombria.

Série Magnus Chase e os heróis de Asgard, de Rick Riordan — Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo, Magnus Chase deve empreender uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos. Com personagens já conhecidos do público, como Annabeth Chase, prima de Magnus, e deuses como Thor e Loki, Rick Riordan nos apresenta mais uma aventura surpreendente, repleta de ação e humor.

O árabe do futuro: uma juventude no Oriente Médio (1978 – 1984), de Riad Sattouf — Um relato literário pleno em forma de graphic novel, com traço simples e narrativa fluida e descontraída. Riad fornece ao mesmo tempo uma análise antropológica do embate entre o Ocidente e o mundo árabe e um autorretrato de sua própria infância plural.