testeAs histórias reais dos jogos de terror

 

It's me

Assim como filmes e séries, videogames podem ter estilos completamente diferentes. Seja em uma partida de futebol, em um reino destruído, abrindo portais ou preso em uma pizzaria abandonada, cada jogo é único em suas inspirações, mecânicas e enredos.

Muitas vezes, as histórias podem ter origens em acontecimentos do mundo real, e os jogadores podem nem saber disso. Separamos alguns games que, assim como a série Five Nights at Freddy’s e o livro Olhos prateados, foram baseados em histórias assustadoramente reais.

A história real que inspirou Five nights at Freddy’s: Olhos prateados

Five Nights at Freddy’s é uma das maiores séries de jogos de terror de todos os tempos. Com cinco jogos e milhões de cópias vendidas, será adaptada para os cinemas pela mesma produtora de Atividade Paranormal. O jogo é um sucesso em todo o mundo, incitando os fãs a investigarem e criarem teorias da conspiração.

A pizzaria do jogo e do livro, com seus robôs animatrônicos, pode parecer improvável para os leitores brasileiros, mas é relativamente comum nos Estados Unidos. A Chuck E. Cheese, assim como a Freddy Fazbear, era uma franquia de restaurantes famosa pelos personagens que alegraram os jantares das crianças durante a década de 1990. Mas as semelhanças não param por aí. Nas duas histórias, os restaurantes tinham como atração principal uma banda formada por quatro animais. O principal – Chuck E. Cheese no mundo real e Freddy Fazbear em Olhos prateados – era considerado o dono do estabelecimento. O visual dos restaurantes também é muito parecido. E, por último, um item importante na lista de semelhanças: assim como na Freddy’s, crimes horríveis aconteceram na Chuck E. Cheese.

Em dezembro de 1993 na cidade de Aurora, cinco pessoas trabalhavam depois do fechamento do restaurante. Sem que eles soubessem, uma sexta pessoa estava escondida na Chuck E. Cheese. Um ex-funcionário, com histórico de distúrbios psicológicos e em busca de vingança, apareceu e assassinou quatro funcionários. O quinto milagrosamente sobreviveu, se fingindo de morto após um tiro não letal.

Segundo a mais famosa teoria sobre Five Nights at Freddy’s, os quatro animatrônicos do jogo – Freddy, Bonnie, Foxy e Chica – teriam relação com as vítimas, suas posições no primeiro jogo da série inclusive seriam equivalentes aos locais das mortes. O sobrevivente seria o quinto animatrônico, o misterioso Freddy Dourado.

A teoria foi criada pelo canal americano do Youtube The Game Theorists e ganhou uma versão traduzida pelo canal brasileiro HueStation:

Slender: The Eight Pages (2012)

Em junho de 2012, um jogo independente de terror começou a fazer muito sucesso na internet: em Slender: The Eight Pages, o jogador controla uma pessoa perdida em uma floresta à noite e precisa recuperar oito páginas de um diário. Tudo seria muito tranquilo, se não houvesse uma figura alta, vestindo um terno e com um rosto assustadoramente pálido e sem olhos sempre atrás de você, o Slender Man. O jogador nunca pode chegar perto dele.

O jogo supostamente era adaptado de uma lenda da região da Romênia – mas tudo não passava de um grande boato na internet. O que deveria ser apenas um meme se tornou uma tragédia no mundo real. Em 2014, duas meninas de 12 anos que acreditavam ter entrado em contato com a criatura pálida em carne e osso acabaram cometendo um crime terrível. A perturbadora história virou um documentário da HBO.

 

A conspiração MK Ultra e Outlast (2013)

A terceira teoria talvez seja a mais maluca de todas.

No jogo Outlast, um jornalista recebe uma denúncia anônima de que experimentos ilegais estão sendo feitos com pacientes de um hospital psiquiátrico que foi dominado pelos pacientes mais perigosos. Ao entrar no hospital (não pergunte, em histórias de terror os personagens tomam decisões horríveis), o jogador se vê preso no local e, para sobreviver, precisa escapar de todas as loucuras e psicopatas.

Seria ótimo se fosse apenas um episódio fictício, mas até mesmo neste caso existe um (possível) fundo de verdade. A lenda urbana diz que na década de 1950, o governo americano (!!!) testou o impacto de substâncias alucinógenas em pessoas comuns, no que ficou conhecido como operação MK Ultra. Os “voluntários” desses testes se tornaram pessoas psicóticas e, sem capacidade de viver em sociedade, acabaram transferidas para hospícios no qual ficavam soltas, sem esperança de melhora ou qualquer forma de tratamento.

testeLançamentos de abril

Confira as sinopses dos lançamentos do mês: 

Somos guerreiras: Uma história de dor, amor e autodescoberta, de Glennon Doyle MeltonGlennon  é a mulher que talvez você conheça, a vizinha, a colega, a irmã de um amigo. Talvez seja você. É uma mulher que passou pelo que muitas passam — um casamento fracassado, luta pela bulimia e alcoolismo, infância difícil —, mas que decidiu falar abertamente sobre suas experiências e redefinir para si mesma o que é ser mãe, esposa e mulher.

Foi a partir dessa decisão que ela criou uma comunidade on-line e escreveu esse relato inspirador selecionado por Oprah Winfrey para fazer parte de seu Clube do Livro. Glennon conta não só a própria jornada, mas a guerra diária travada pela mulher que busca simplesmente ser quem ela é.

O papa e  Mussolini: A conexão secreta entre Pio XI e a ascensão do fascismo na Europa, de David I. Kertzer — Vencedor do Prêmio Pulitzer na categoria biografia em 2015, o livro revela de forma inédita o papel da Igreja Católica no regime fascista. Vívida e dramática, a obra traz uma visão cruelmente verdadeira sobre um capítulo obscuro da história mundial, documentada e narrada com extrema perícia.

Uma pergunta por dia para mães — O livro diário que virou febre ganha agora uma edição especial exclusiva para as mães. Mais do que um álbum de fotos, mais do que um tradicional livro do bebê, é um instrumento perfeito para registrar cada momento da experiência, aprendizado, descoberta e autoconhecimento na qual a mulher embarca ao ser mãe. 

Vovô deu no pé, de David Walliams — Jack tem doze anos e sua pessoa preferida no mundo inteiro é o avô. Vovô foi piloto durante a Segunda Guerra Mundial, e até hoje o que mais gosta de fazer é falar sobre aviação. 

Mas nos últimos tempos, vovô tem estado confuso e esquecido. Por isso, para evitar mais trapalhadas, os pais de Jack decidem internar o vovô em um lar para idosos muito esquisito e com enfermeiras sinistras. Jack então decide embarcar na maior aventura de sua vida para salvar o avô. [Leia um trecho]

Antes que eu vá, de Lauren Oliver — A inusitada história de Samantha Kingston, uma garota que achava que levava uma vida perfeita até ter que reviver o dia de sua morte sete vezes, deu origem a um dos filmes mais aguardados do ano. Para comemorar a estreia nos cinemas, o livro ganha agora uma edição especial com conteúdo inédito e capa inspirada no pôster do filme. [Leia um trecho]

Como se tornar um campeão, de Márcia Vieira — Adriano de Souza, mais conhecido como Mineirinho, teve uma infância difícil numa favela do litoral paulista. Criado na pobreza e  baixinho, ele conseguiu superar suas limitações, colecionar títulos e se transformar em um ídolo do surfe. No livro, a jornalista conta a história inspiradora desse atleta que teve que lidar com todas as dificuldades até chegar à elite do esporte. [Leia um trecho

Sprint: O método usado no Google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias, de Jake Knapp, John Zeratsky e Braden Kowitz: O livro apresenta o método criado pelo designer Jake Knapp, no período em que ele trabalhava no Google, que tem como objetivo desenvolver e testar ideias em apenas cinco dias. Sprint serve para equipes de todos os tamanhos, de pequenas startups até os maiores conglomerados, e pode ser aplicado por qualquer um que tenha uma grande oportunidade, problema ou ideia e precise começar a trabalhar já. [Leia um trecho]

 Ruby, de Cynthia Bond A obra apresenta a vida de uma jovem que, depois de passar por sofrimentos inimagináveis durante a infância, decide fugir de sua cidadezinha no sul dos Estados Unidos para recomeçar a vida em Nova York nos anos 1950. Porém, um telegrama urgente a faz voltar para casa, forçando-a a reencontrar pessoas do passado e a reviver momentos perturbadores.

Ruby conquistou elogios do público, da crítica e de personalidades como Oprah Winfrey, que selecionou a obra para o seu Clube do Livro. [Saiba mais]

Bem vindo à vida real, de Christian McKay Heidicker — Jaxon passa o seu tempo livre na frente do computador jogando videogame. Até que um dia, quando sai para levar o carro do pai a um lava jato, ele conhece Serena e consegue garantir seu primeiro encontro com uma garota de carne e osso. Só que ele não imaginava que seria levado minutos depois para uma clínica de reabilitação para gamers. [Leia um trecho]

Antes da queda, de Noah Hawley Eleito um dos melhores livros de 2016 pelo The New York Times, o thriller assinado pelo roteirista da série Fargo conta a história de um jatinho particular que cai no oceano com onze passageiros. Os únicos sobreviventes são Scott Burroughs, um pintor desconhecido e fracassado, e J.J., um menino de quatro anos, filho de um magnata milionário do ramo das telecomunicações. A riqueza e o poder de parte dos passageiros despertam as teorias mais variadas sobre a queda.[Leia um trecho]

testeO que aconteceu na Freddy’s?

A Pizzaria Freddy Fazbear’s era um dos maiores sucessos de Hurricane, cidade do interior do estado americano de Utah. Com seus memoráveis animatrônicos Bonnie, Chica, Foxy e, o principal, Freddy, o lugar estava sempre repleto de crianças comendo, brincando e se divertindo com os personagens. Até o fatídico mês de julho de 1985.

Michael Brooks tinha sete anos e passava mais um dia na pizzaria, acompanhado do seu grupo de amigos: John, Lamar, Marla, Jessica, Carlton e Charlie, filha do dono do local. Durante uma pane inesperada nos bonecos, Michael desapareceu sem deixar vestígios, chocando a cidade inteira. O trauma marcou para sempre a vida de todos os envolvidos, a maioria das famílias foi embora de Hurricane e as crianças se distanciaram.

Dez anos depois, Charlie retorna à cidade junto do grupo de ex-amigos para uma cerimônia em homenagem a Michael. E lá a garota vai desenterrar os terríveis mistérios em torno da Freddy’s.

Em Olhos prateados, Scott Cawthon, criador da série de jogos de terror Five Nights at Freddy’s, extrapola o universo que conquistou fãs no mundo todo e traz à tona os medos mais obscuros que só brinquedos sinistros são capazes de provocar. O livro chega às livrarias a partir de 03 de março.