testeA Londres secreta de Neil Gaiman

gaiman lugar nenhum

Fãs de Neil Gaiman já têm motivo para celebrar: Lugar Nenhum, romance de estreia do autor, chega às livrarias a partir de 17 de junho. A nova edição contém uma introdução de Gaiman, uma cena cortada e um conto exclusivo.

Originalmente concebido como uma série para a TV britânica, o livro apresenta um mundo fantástico, localizado abaixo da capital da Inglaterra. Conhecida como Londres de Baixo, a cidade secreta é habitada por personagens inusitados e cenários fantásticos, características marcantes do autor.

Em Lugar Nenhum, acompanhamos Richard Mayhew e sua vida completamente sem emoção: ele tem um apartamento comum, um emprego decente e uma noiva igualmente normal. Essa normalidade acaba a partir do momento em que ele ajuda uma jovem que encontra ferida na calçada. De um dia para o outro, Richard se torna invisível na cidade que conhece. Sem casa, sem emprego e sozinho, ele vai atrás da jovem para a cidade subterrânea, para tentar recuperar sua antiga vida.

testeDesigner da Boa Arte

 Faça boa arte (Capa)

Palavras sobrepostas, em cor gritante, na capa. O texto dança nas páginas, de todos os lados, para qualquer sentido, sem restrições, margens, equilíbrio ou regras, seguindo apenas o fluxo bruto de ideias. Quando os leitores brasileiros abrirem o livro Faça boa arte verão as palavras do famoso discurso de Neil Gaiman proferido a uma turma de formandos da University of The Arts da Filadélfia, em 2012, transpondo os limites do papel e ganhando a liberdade que o próprio autor descreve. Todo e qualquer padrão é rompido em prol da consonância entre o conteúdo do pronunciamento e a identidade do livro.


54-55FacaBoaArte0

Eis a contribuição do icônico designer americano Chip Kidd para o pronunciamento sobre criatividade artística. A decisão de qual artista gráfico daria vida ao discurso não poderia ser mais acertada: assim como Gaiman, Kidd é dono de múltiplos talentos, é escritor, desenhista, cantor e compositor. Trabalhando no mercado editorial desde 1986, o designer já criou mais de 1.500 capas de livros e foi chamado de “rockstar” pelo jornal USA Today. Uma de suas criações mais famosas é a ilustração na logo do filme Parque dos dinossauros.

32-33FacaBoaArte0

70-71FacaBoaArte0

78-79FacaBoaArte0

testeMuito além dos 19 minutos de Neil Gaiman

Neil com o livro

 

Façam boa arte. Esse foi um pedido sincero de ninguém menos que Neil Gaiman quando discursou para a turma de 2012 da University of the Arts na Filadélfia. Um discurso autêntico e repleto de significado – durante os 19 minutos em que falou, dois dos mais emblemáticos conselhos de Gaiman foram “criem suas próprias regras”  e “cometam erros”. Os conceitos libertadores defendidos para os alunos deram origem ao livro Faça boa arte, que será publicado pela Intrínseca em abril.

Gaiman teve a colaboração crucial do renomado designer gráfico Chip Kidd. A dupla abusa dos recursos gráficos e da metalinguagem para expressar o poder da criatividade. Gaiman alega que em qualquer área artística e de criação mesmo os erros que cometemos têm um grande potencial: com sensibilidade e muito trabalho, podem se transformar em brilhantes insights. Em relato pessoal, ele explica que certa vez, escrevendo Caroline em uma carta, inverteu de lugar o A e o O, e logo percebeu que Coraline parecia um nome de verdade. Um erro banal que, nas mãos do autor, tornou-se um fantástico acerto. Coraline é o título de um conto de fadas às avessas, publicado por Gaiman em 2002 e, mais tarde, adaptado para os cinemas. Uma história que conquistou milhares de novos admiradores para o trabalho do já aclamado autor.