testeLançamentos de Setembro

Confira as sinopses dos nossos lançamentos do mês:

Você foi enganado, de Cristina Tardáguila e Chico Otavio

Sim. Você foi enganado. Ao longo da história do Brasil, candidatos à Presidência da República, vice-presidentes e presidentes eleitos faltaram com a verdade na hora de se dirigir à população. Independentemente de partido, se não mentiram, muitas vezes optaram por omitir dados ou induzir os cidadãos a conclusões equivocadas sobre o cenário político. Em Você foi enganado, os jornalistas Cristina Tardáguila e Chico Otavio apresentam uma seleção de casos que marcaram nossa história, desde 1920 até os dias atuais. [Leia um trecho]

 

Esqueceram de mim – Coleção Pipoquinha, de Kim Smith

O clássico pop do cinema, em uma adaptação em livro ilustrado por Kim Smith.

Kevin McCallister é um menino de 8 anos que, chateado com a mãe, deseja que sua família desapareça. E o desejo se realiza! Sozinho em casa na véspera de Natal, Kevin tem que aprender a se virar e usa suas artimanhas infantis para se defender de dois ladrões insistentes.

De volta para o futuro – Coleção Pipoquinha, de Kim Smith

O clássico pop do cinema, em uma adaptação em livro ilustrado por Kim Smith.

Marty McFly é um adolescente com problemas em casa e que tem um amigo cientista que inventa uma máquina do tempo. Sem querer, Marty viaja trinta anos pra trás, e agora precisa descobrir não só como voltar para casa, mas também como consertar a confusão que ele criou na vida dos próprios pais quando jovens.

E.T. – O Extraterrestre, de Kim Smith

O clássico pop do cinema, em uma adaptação em livro ilustrado por Kim Smith.

O menino Elliott encontra uma criatura muito diferente e descobre que seu novo amigo vem de outro planeta. Juntos, eles tentam achar um jeito de mandar o E.T. de volta para casa e, no caminho, aprendem importantes lições sobre coragem, amizade e o poder da imaginação.

 

A morte da verdade, de Michiko Katutani

Vivemos em uma época em que qualquer ideia objetiva da verdade é ridicularizada. Teorias da conspiração e ideologias que já haviam sido totalmente desacreditadas voltaram a ter voz na cultura, questionando o que foi estabelecido pela ciência. Partindo de exemplos da política norte-americana, da literatura e da TV, Michiko Kakutani aponta como a atual tendência de descaso pelos fatos e da substituição da razão pela emoção pode levar o mundo a um cenário caótico. [Leia um trecho]

 

Por que nós dormimos, de Matthew Walker

Depois de décadas de pesquisa e avanços, a ciência enfim começa a entender os benefícios do sono e por que sofremos consequências devastadoras quando não dormimos o suficiente. Em um estudo revolucionário, Matthew Walker mostra como podemos aproveitar o sono para melhorar o aprendizado, prevenir o Alzheimer e retardar os efeitos do envelhecimento. De forma acessível, a obra examina os malefícios do uso de remédios para dormir, oferecendo alternativas para a falta de sono e dicas práticas para dormirmos bem todas as noites. [Leia um trecho]

 

O primeiro homem: A vida de Neil Armstrong, de James R. Hansen

Neil Armstrong foi um homem singular. Discreto, avesso a discussões e dono de uma integridade marcante, foi alçado ao estrelato mundial no instante em que deu aquele primeiro passo na Lua. A mítica em torno do homem se expandia como uma explosão conforme os olhos e ouvidos do mundo inteiro acompanhavam a saga que definiria a nossa história.

Nesta obra, o leitor acompanhará a infância e a juventude de Neil, a dura preparação para se tornar piloto de testes, a carreira como astronauta, as tragédias e as felicidades em família, além dos bastidores da Apollo 11, a missão espacial que levou o homem a pisar em outro corpo celeste pela primeira vez.

 

testeAs oito melhores cenas de despedida do cinema

Há pouco mais de um ano venho escrevendo uma coluna semanal aqui no blog da Intrínseca. Foram 45 textos com reflexões sobre vida, música, cinema e literatura. Adoro fazer isso; é um canal a mais para manter contato com os leitores e falar sobre coisas nas quais acredito. Mas precisarei dar um tempo, pois estou na fase final de escrita do novo romance e, além de o tempo ser curto, a necessidade de foco tem sido cada vez maior. Espero voltar em breve. Aproveito para adiantar que o novo livro está ficando intenso, com boas reviravoltas e surpresas. Uma trama até certo ponto diferente das que já escrevi e com elementos que eu nunca havia utilizado. Estou empolgado.

Ao longo do último ano, algumas colunas de listas que publiquei me deram grande prazer, pois permitiram revisitar o tema do Surpreendente!. Falar de cinema é sempre uma alegria. Então, inspirado pelo clima desta breve despedida da coluna, trago hoje minha lista das oito melhores cenas de despedida do cinema.

1) A morte de Marley, em Marley e eu

 

2) A despedida entre ET e Elliot, em ET – o extraterrestre, em que o primeiro diz “Vem” e o segundo diz “Fica”

 

3) O menino gritando para o pai boxeador, em O campeão. Lembro-me de ter saído completamente arrasado do cinema

 

4) Uma despedida sem palavras em As pontes de Madison

 

5) Aquele “Freedom!” matador, em Coração valente

 

6) Rose deixando Jack, para que o amor entre os dois fosse eterno como o navio no fundo do mar, em Titanic

 

7) “Você precisa vencer”, na despedida entre Rue e Katniss, em Jogos vorazes

 

8) O singelo adeus de Guido a Giosuè, com um leve piscar de olhos e uma doce palhaçada, em A vida é bela