testeTempo de Flip

Lionel Shriver Jennifer Egan

O celular não pega. As ruas são confusas e andar é um perigo — quando finalmente é possível se equilibrar nas pedras centenárias que pavimentam Paraty, está na hora de ir embora. Todo ano é a mesma história, e sempre voltamos todos, mais ou menos ali pelo sétimo mês do ano, à próxima Festa Literária Internacional de Paraty. Para as duas escritoras que assessorei no evento, veteranas em festivais de literatura mundo afora, a Flip também deixou saudade.

A norte-americana Lionel Shriver, criadora do psicopata que assombra mães no mundo inteiro em Precisamos falar sobre o Kevin, não esquece a Flip 2010 — “a melhor festa literária de que já participei, com toda franqueza”, derramou-se em artigo escrito para o Blog da Intrínseca.

Dois anos depois, a Pulitzer de Literatura Jennifer Egan também se rasgou em elogios em uma mensagem para o nosso editor: “foi o ponto alto de 2012”. Naquele ano ela viajou o mundo com seu premiado A visita cruel do tempo — não é pouco. Veio com as crianças e o marido, bateu papo com o ídolo Ian McEwan e ouviu dele que Caixa preta, conto de Egan escrito para o Twitter, era a obra mais sensacional daquele ano.

De volta a Paraty, com os olhos pregados no chão de pedras e a atenção voltada para nossos escritores convidados em 2014 — o romancista Joël Dicker e o ensaísta Michael Pollan —, vamos lá conversar sobre livros maravilhosos e criar lembranças inesquecíveis. Fazer o quê? É tempo de Flip!

*Por Juliana Cirne, gerente de comunicação da Intrínseca.

testeO desfecho de Caixa Preta

Nossa espiã-heroína está ferida numa lancha à deriva. É o fim do conto Caixa preta, de Jennifer Egan — não perca o desfecho de meia hora, hoje, às 22h, no nosso Twitter (@intrinseca).

No futuro, uma espiã se infiltra num grupo criminoso e se torna a “gatinha” de um poderoso mafioso com o objetivo de coletar informação que comprove atividades ilícitas que ameaçam a vida nos Estados Unidos.

Lulu, a menina-prodígio de A visita cruel do tempo, foi a personagem escolhida por Jennifer Egan para protagonizar o inovador Caixa preta: um conto escrito em segunda pessoa, em forma de manual de instruções para outras espiãs-heroínas, criado especialmente para o Twitter.

Leia também:

Mais sobre Caixa preta, de Jennifer Egan
Assista aos melhores momentos da mesa com Jennifer Egan e Ian McEwan na FLIP 
A intraduzível visita do tempo
A visita cruel do tempo
Extras de A visita cruel do tempo
Mixtape para Bennie Salazar
Grandes pausas do rock’n’roll
De Tarantino a Iggy Pop: pequenas histórias sobre Jennifer Egan

testeO desfecho de Caixa Preta

Nossa espiã-heroína está ferida numa lancha à deriva. É o fim do conto Caixa preta, de Jennifer Egan — não perca o desfecho de meia hora, hoje, às 22h, no nosso Twitter (@intrinseca).

No futuro, uma espiã se infiltra num grupo criminoso e se torna a “gatinha” de um poderoso mafioso com o objetivo de coletar informação que comprove atividades ilícitas que ameaçam a vida nos Estados Unidos.

Lulu, a menina-prodígio de A visita cruel do tempo, foi a personagem escolhida por Jennifer Egan para protagonizar o inovador Caixa preta: um conto escrito em segunda pessoa, em forma de manual de instruções para outras espiãs-heroínas, criado especialmente para o Twitter.

Leia também:

Mais sobre Caixa preta, de Jennifer Egan
Assista aos melhores momentos da mesa com Jennifer Egan e Ian McEwan na FLIP 
A intraduzível visita do tempo
A visita cruel do tempo
Extras de A visita cruel do tempo
Mixtape para Bennie Salazar
Grandes pausas do rock’n’roll
De Tarantino a Iggy Pop: pequenas histórias sobre Jennifer Egan

teste[Atualizado] Programação de lançamentos para o segundo semestre de 2012

Romances, thrillers, livros baseados em histórias reais e coletâneas de arte. Dos 33 lançamentos previstos para o segundo semestre, a lista traz títulos de ficção e não ficção de qualidade para o público adulto. Entre os destaques, dois deles inspiraram adaptações cinematográficas: Argo virou filme dirigido e estrelado por Ben Affleck e produzido por Grant Heslov e George Clooney, enquanto O segundo suspiro, de Philippe Pozzo di Borgo, deu origem à comédia Intocáveis, um dos maiores êxitos de público da história do cinema na França. Da mesma editoria, sobressaem-se, ainda, os livros de arte Paris x Nova York, que reúne as famosas imagens do designer francês Vahram Muratyan, publicadas originalmente no blog “Paris versus New York”, e Guerra e spray (Wall and Piece), que apresenta os principais trabalhos e reflexões de Banksy, o artista de rua e ativista político mais polêmico da atualidade.

Confira a lista completa de lançamentos:

Lançamentos Ficção e Não ficção

4 horas para o corpo, de Timothy Ferriss – Não ficção
A arte de viajar, de Alain de Botton – Não ficção
Argo, de Tony Mendez e Matt Baglio – Não ficção
Art of Fielding, de Chad Harbach – Ficção
Caixa preta, de Jennifer Egan (e-book) – Ficção
Cinquenta tons de cinza, de E L James – Ficção
Cinquenta tons mais escuros, de E L James – Ficção
Cinquenta tons de liberdade, de E L James – Ficção
Esposa 22, de Melanie Gideon – Ficção
Guerra e spray, de Banksy – Não ficção
Homem-máquina, de Max Barry – Ficção
Inferno: O mundo em guerra 1939-1945, de Max Hastings – Não ficção
Lady Almina e a verdadeira Downton Abbey, da Condessa de Carnarvon – Não ficção
O colapso de tudo, de John Casti – Não ficção
O mundo de Downton Abbey, de Jessica Fellowes – Não ficção
O pesadelo, de Lars Kepler – Ficção
O segundo suspiro, de Philippe Pozzo di Borgo – Não ficção
Paris x Nova York, de Vahram Muratyan – Não ficção
Selvagens, de Don Winslow – Ficção
State of Wonder, de Ann Patchet – Ficção

Lançamentos – Ficção para jovens

A ascensão do Nove, de Pittacus Lore (série Os Legados de Lorien – livro três)
A sombra da serpente, de Rick Riordan (série As crônicas dos Kane – livro três)
Amanhecer, de Stephenie Meyer (edição especial com capa inspirada no filme)
As crônicas dos Kane: Guia de sobrevivência, de Rick Riordan
Como partir o coração de um dragão, de Cressida Cowell (série Como treinar o seu dragão – livro oito)
Feita de fumaça e osso, de Laini Taylor (série Feita de fumaça e osso – livro um)
Floresta dos Corvos, de Andrew Peters (série Floresta dos Corvos – livro um)
Gelo negro, de Andrew Lane (série O jovem Sherlock Holmes – livro três)
Murmúrio, de Alyson Noël (Série Riley Bloom – livro quatro)
Noite infeliz, de Seth Grahame-Smith
Os arquivos perdidos: Os Legados do Número Nove, de Pittacus Lore (e-book complementar da série Os Legados de Lorien)
Puros, de Julianna Baggott (série Puros – livro um)
Percy Jackson e os Olimpianos: O guia definitivo, de Rick Riordan

testeCaixa preta, capa por Rafael Coutinho

Rafael Coutinho — artista multimídia que trabalha com animações, quadrinhos, pintura e escultura — assina a ilustração da capa de Caixa preta, conto de Jennifer Egan escrito em forma de tuítes que será publicado a partir de hoje, dia 20 de agosto, no Twitter da Intrínseca (@intrinseca). A engenhosa história de espionagem que se passa no futuro, considerada pelo escritor Ian McEwan “a melhor leitura dos últimos anos”, será publicada diariamente, das 22h às 23h, de 20 a 30 de agosto. Rafael Coutinho também é responsável pelas ilustrações das capas dos outros livros da autora, o vencedor do Pulitzer A visita cruel do tempo e o suspense neogótico O torreão.

Escrito originalmente à mão em um caderno japonês de oito retângulos por página, Caixa preta será lançado exclusivamente em e-book no dia 31 de agosto.

Caixa preta, de Jennifer Egan
Tradução de Juliana Romeiro
E-book: R$ 4,99

Leia mais:
Mais sobre Caixa preta, de Jennifer Egan

testeMais sobre Caixa preta, de Jennifer Egan

Instigada pelas possibilidades de uso criativo do Twitter, Jennifer Egan escreveu o conto Caixa preta, veiculado originalmente no perfil da revista norte-americana New Yorker, de 24 de maio a 2 de junho. Posteriormente, a obra foi publicada na edição especial de ficção científica da revista, lançada em 4 de junho deste ano.

Com tradução de Juliana Romeiro e capa de Rafael Coutinho, o conto de Egan será reproduzido diariamente pelo perfil da Intrínseca (twitter.com/intrinseca) entre os dias 20 e 30 de agosto, das 22h às 23h, e comercializado em e-book a partir de 31 de agosto. (Tradução de Juliana Romeiro / R$ 4,99)

Jennifer Egan é vencedora dos principais prêmios literários norte-americanos de 2011, entre eles o Pulitzer de Ficção, por A visita cruel do tempo, publicado pela Intrínseca em janeiro deste ano.

O que inspirou Jennifer Egan a estruturar Caixa preta em tuítes? *

Vários dos meus antigos interesses no campo da ficção convergiram para que eu escrevesse Caixa preta. Um deles envolve a prosa em formato de listas, histórias que parecem contadas inadvertidamente, como notas de um narrador para si mesmo. Tanto que o título provisório para o conto era “Lições aprendidas” e minha intenção era escrever uma história que tomasse forma a partir das lições depreendidas pelo narrador a cada passo da ação, em vez de ser apresentado pelas descrições do fato em si. Outro intento muito antigo era pegar um personagem de uma história realista e transportá-lo para um gênero diferente. David Wiesner foi o primeiro a incutir essa ideia em minha cabeça com a sua espetacular metaficção ilustrada “The Three Pigs”, na qual os três porcos se movem pelos desenhos e, a cada estilo de cenário em que eles entram, suas representações vão se transformando radicalmente. Imaginei se poderia fazer algo análogo com um personagem do meu romance A visita cruel do tempo: criar uma versão em quadrinhos daquele indivíduo, por exemplo — ou nesse caso, uma versão que fosse um thriller de espionagem. Também pensei em como seria escrever uma obra de ficção cuja estrutura permitisse a serialização no Twitter. Não se trata de uma ideia nova, claro, mas é algo muito rico — tanto por causa da peculiaridade de alcançar as pessoas em seus celulares como pela estranha poesia que pode acontecer em cento e quarenta caracteres. Comecei a imaginar uma série concisa de despachos mentais de uma espiã do futuro trabalhando disfarçada no Mediterrâneo. Escrevi essas anotações à mão em um caderno japonês com oito retângulos em cada página. O conto tinha originalmente o dobro do tamanho atual; levei cerca de um ano, intermitentemente, para trabalhar e ajustar o material que agora é o Caixa preta.

 *depoimento dado ao Blog da revista The New Yorker.

Texto original: http://www.newyorker.com/online/blogs/books/2012/05/coming-soon-jennifer-egan-black-box.html#ixzz23fDzepjw

testeCAIXA PRETA (Black Box): DIA 20, NO TWITTER DA INTRÍNSECA

Um tuíte por minuto, durante uma hora, por dez dias consecutivos. Caixa preta (Black Box), conto de Jennifer Egan escrito em forma de tuítes e publicado originalmente no perfil da revista norte-americana New Yorker, será postado a partir da próxima segunda-feira, dia 20 de agosto, no Twitter da Intrínseca (@intrinseca). A engenhosa história de espionagem que se passa no futuro, considerada pelo escritor Ian McEwan “a melhor leitura dos últimos anos”, será publicada diariamente das 22h às 23h, de 20 a 30 de agosto.

Escrito originalmente à mão em um caderno japonês de oito retângulos por página, Caixa preta será lançado em e-book no dia 31 de agosto. A capa está sendo desenvolvida por Rafael Coutinho, artista responsável pelas ilustrações dos outros livros da autora, o vencedor do Pulitzer A visita cruel do tempo e o suspense neogótico recém-lançado na Flip O torreão.