testeArgo é o grande vencedor do Oscar

Foto: Getty Images

Na noite de ontem, Ben Affleck recebeu o prêmio mais importante do cinema: a estatueta de melhor filme por Argo, thriller do qual é produtor, diretor e protagonista. A produção baseada na história real do ex-agente da CIA Antonio Mendez — detalhada pelo próprio Mendez no livro homônimo publicado pela Intrínseca — também recebeu os Oscars de melhor roteiro adaptado (Chris Terrio) e de melhor montagem.

Leia também: Antonio Mendez fala ao jornal O Globo sobre a colaboração entre a CIA e Hollywood e como foi ser interpretado no cinema por Ben Affleck

Foto: Getty Images

Com apenas 22 anos, Jennifer Lawrence recebeu o Oscar de melhor atriz por sua atuação em O lado bom da vida — repetindo seu desempenho no Globo de Ouro.

Dica: A inesquecível performance de Jennifer Lawrence no Oscar, em GIFs

A comédia romântica é inspirada no romance homônimo de Matthew Quick que já figura nas principais listas de mais vendidos no país.

Leia também: Uma conversa com Matthew Quick, autor de O lado bom da vida

Confira a lista com os vencedores do Oscar 2013:

Filme: Argo, de Ben Affleck
Diretor: Ang Lee – As aventuras de Pi
Atriz: Jennifer Lawrence – O lado bom da vida
Ator: Daniel Day-Lewis – Lincoln
Atriz coadjuvante: Anne Hathaway – Os miseráveis
Ator coadjuvante: Christoph Waltz – Django livre
Roteiro original: Django livre
Roteiro adaptado: Argo
Filme estrangeiro: Amor, de Michael Haneke (Áustria)
Fotografia: As aventuras de Pi
Montagem: Argo
Figurino: Anna Karenina
Maquiagem e penteado: Os miseráveis
Documentário: Searching for Sugar Man, de Malik Bendjelloul
Longa de animação: Valente, de Mark Andrews, Brenda Chapman e Steve Purcell
Efeitos especiais: As aventuras de Pi
Trilha sonora: As aventuras de Pi
Canção original: Skyfall, de 007 — Operação Skyfall, de Adele
Direção de arte (Design de produção): Lincoln
Curta-metragem: Curfew, de Shawn Christensen
Curta de animação: Paperman, de John Kahrs
Curta de documentário: Inocente, de Sean Fine e Andrea Nix
Mixagem do som: Os miseráveis
Edição de som: 007 — Operação Skyfall e A hora mais escura (empate)

testeO lado bom da vida e Argo são indicados ao Oscar

A comédia O lado bom da vida, inspirada no romance de Matthew Quick que será publicado no próximo dia 12 de janeiro pela Intrínseca, recebeu oito indicações ao Oscar, incluindo melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro adaptado. Argo, thriller político de Ben Affleck baseado na não ficção de Antonio Mendez e Matt Baglio, concorre a sete Oscars, entre eles melhor filme e melhor roteiro adaptado.

Leia também: Argo é o grande vencedor do Globo de Ouro

A cerimônia de entrega do Oscar será em 24 de fevereiro.

Confira abaixo todas as indicações recebidas:

O lado bom da vida
– Melhor filme
– Diretor: David O. Russell
– Roteiro adaptado: David O. Russell
– Ator: Bradley Cooper
– Atriz: Jennifer Lawrence
– Ator coadjuvante: Robert De Niro
– Atriz coadjuvante: Jacki Weaver
– Edição: Jay Cassidy e Crispin Struthers

Argo
– Melhor filme
– Ator coadjuvante: Alan Arkin
– Roteiro adaptado: Chris Terrio
– Edição: William Goldenberg
– Trilha sonora: Alexandre Desplat
– Edição de som: Erik Aadahl e Ethan Van der Ryn
– Mixagem de som: John Reitz, Gregg Rudloff e José Antonio García

Confira também as listas do Globo de Ouro, SAG Awards, Producers Guild Awards e Spirit Awards.

Em O lado bom da vida, Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica — mas ele não se lembra o que fez nem quanto tempo ficou por lá. Para trazer a sua vida de volta aos eixos, Pat passa a seguir uma nova filosofia de vida, que inclui entrar em forma, ser gentil e, principalmente, fazer de tudo para se reconciliar com a ex-mulher, Nikki.

O filme de David O. Russell, estrelado por Bradley Cooper (Se beber não case), Jennifer Lawrence (Jogos vorazes) e Robert De Niro, também recebeu quatro indicações ao Globo de Ouro, cinco ao Spirit Awards e três ao Bafta. Sua estreia nos cinemas brasileiros será no dia 1° de fevereiro.

Eleito o melhor filme norte-americano de 2012 pelo prestigiado American Film Institute, Argo reconstitui a ousada estratégia da CIA para resgatar um grupo de seis diplomatas que escaparam da invasão à embaixada dos Estados Unidos em Teerã durante a revolução de 1979. Para retirá-los do país, o então agente da CIA Antonio Mendez idealizou um plano inusitado: simular uma produção de Hollywood em busca de locações no Oriente Médio.

O filme dirigido e protagonizado por Ben Affleck concorre em cinco categorias do Globo de Ouro e cinco do Bafta.

testeArgo é eleito o melhor filme do ano pelo American Film Institute

O thriller político Argo, dirigido e protagonizado por Ben Affleck, foi eleito o melhor filme norte-americano de 2012 pelo prestigiado American Film Institute. Baseado no livro de não ficção escrito por Antonio Mendez e Matt Baglio, Argo reconstitui a ousada estratégia da CIA para resgatar um grupo de seis diplomatas norte-americanos que fugiu da invasão à embaixada dos Estados Unidos em Teerã durante a revolução de 1979. Para retirá-los do país, o então agente da CIA Antonio Mendez idealizou um plano inusitado: simular a equipe de uma produção de Hollywood em busca de locações no Oriente Médio.

Leia também: Antonio Mendez fala ao jornal O Globo sobre a colaboração entre a CIA e Hollywood e como foi ser interpretado por Ben Affleck

Além do filme de Affleck, o ranking do AFI tem O lado bom da vida (Silver Linings Playbook), comédia com Bradley Cooper, Jennifer Lawrence e Robert De Niro que chega aos cinemas nacionais em 8 de fevereiro de 2013. Inspirado no livro homônimo de Matthew Quick, que será publicado pela Intrínseca em janeiro, O lado bom da vida recebeu cinco indicações ao Spirit Awards, o Oscar do cinema independente norte-americano. A cerimônia de premiação será em 23 de fevereiro.

Confira a lista completa de melhores filmes de 2012 segundo o American Film Institute:

Argo
As Aventuras de Pi
Batman — O Cavaleiro das Trevas ressurge
Django livre
A hora mais escura
Indomável sonhadora
O lado bom da vida
Lincoln
Os miseráveis
Moonrise Kingdom

testeLivros da Intrínseca já estão à venda na Amazon e no Google Play

Nesta madrugada, a Amazon e o Google Play iniciaram a comercialização de livros eletrônicos no Brasil, e os 105 e-books da Intrínseca já estão à venda. Com o lançamento simultâneo das versões impressa e digital, a editora possuí 50% de seu catálogo convertido, também disponível na iBookstore e em outras 27 lojas nacionais.

Às vésperas de completar um ano da comercialização de e-books, iniciada em 15 de dezembro de 2011, a Intrínseca alcança a marca de 75 mil títulos baixados, impulsionada pelo sucesso da trilogia Cinquenta tons de cinza — que já figura entre os mais vendidos da Amazon e do Google Play.

Para garantir a qualidade, todo o processo de produção dos livros digitais foi internalizado. Depois de convertidos, os títulos recebem da equipe editorial o mesmo tratamento destinado a um novo livro: passam por mais uma revisão e pela aprovação do editor responsável pelo título. Além de assegurar a fidelidade do conteúdo, a qualificação da equipe permite a publicação de e-books sofisticados como Guerra e Spray, de Banksy, e Paris versus New York, de Vahram Muratyan, duas obras de arte cujas versões digitais serão lançadas pela primeira vez no mundo pela Intrínseca.

Preços promocionais

Durante este mês, as versões digitais de sete títulos da editora estarão com preços promocionais em todas as lojas. São eles: Argo, de Antonio Mendez e Matt Baglio, livro que inspirou o filme homônimo dirigido por Ben Affleck; A culpa é das estrelas, romance de John Green que acaba de ser eleito o melhor do ano pela revista Time; Inferno, obra monumental do premiado historiador Max Hastings sobre a Segunda Guerra Mundial; os novos clássicos A menina que roubava livros, de Markus Zusak, e Um dia, de David Nicholls; O segundo suspiro, de Phellipe Pozo di Borgo, que inspirou o sucesso de bilheteria francês Intocáveis; e o romance A última carta de amor, de Jojo Moyes.

Ranking dos 15 e-books mais vendidos da Intrínseca:

1 – Cinquenta tons de cinza, de E L James
2 – Cinquenta tons mais escuros, de E L James
3 – Cinquenta tons de liberdade, de E L James
4 – Um dia, de David Nicholls
5 – Os arquivos perdidos: os Legados da Número Seis, de Pittacus Lore
6 – A visita cruel do tempo, de Jennifer Egan
7 – A arte de viajar, de Alain de Botton
8 – Amanhecer, de Stephenie Meyer
9 – Os arquivos perdidos: os Legados do Número Nove, de Pittacus Lore
10 – A menina que roubava livros, de Markus Zusak
11 – Fuga do campo 14, de Blaine Harden
12 – A última carta de amor, de Jojo Moyes
13 – Precisamos falar sobre o Kevin, de Lionel Shriver
14 – Crepúsculo, de Stephenie Meyer
15 – A culpa é das estrelas, de John Green