Listas

10 trechos inesquecíveis de A menina que roubava livros

14 / fevereiro / 2022

Em 15 de fevereiro de 2007, a Intrínseca publicou seu 16º título: A menina que roubava livros. Escrito por Markus Zusak, o livro logo ganhou o coração dos leitores brasileiros e até hoje é uma das obras mais queridas pelo público. Ao longo dos últimos 15 anos, foram 48 reimpressões (sem contar os formatos especiais e a edição com a capa do filme)! 

Narrada pela própria Morte, a história de Liesel Meminger, Rosa e Hans Hubermann, Max Vandenburg e Rudy Steiner mostra o ponto de vista de quem assistia sem alternativa aos avanços nazistas durante a Segunda Guerra Mundial e suas dolorosas consequências: os judeus obrigados a se esconder; os alemães mais pobres, testemunhas de horrores contra amigos e vizinhos; e as crianças cercadas por uma ideologia nociva nas escolas, nos círculos sociais e na cultura do país. 

Mas, mesmo neste período tão sombrio, os personagens nos mostram como o amor, a amizade, a coragem e a esperança persistem.

Para relembrar as cenas marcantes que nos despertaram tantos sorrisos e lágrimas, selecionamos dez trechos do livro-debutante do dia. Confira! 

Importante: se você ainda não leu, os trechos a partir do número seis contêm spoiler!

 

1- “Uma definição não encontrada no dicionário. Não ir embora: ato de confiança e amor, comumente decifrado pelas crianças.” 

 

2- “Às vezes eu chego cedo demais. Apresso-me, e algumas pessoas se agarram por mais tempo à vida do que seria esperado.” 

 

3- “Estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feiura e sua beleza, e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas. Mas eles têm uma coisa que eu invejo. (…) Os humanos têm o bom senso de morrer.”

 

4- “Odiei as palavras e as amei, e espero tê-las usado direito.”

 

5- “Dizem que a guerra é a melhor amiga da morte, mas devo oferecer-lhe um ponto de vista diferente a esse respeito. Para mim, a guerra é como aquele novo chefe que espera o impossível. Olha por cima do ombro da gente e repete sem parar a mesma coisa: ‘Apronte logo isso, apronte logo isso.’ E aí a gente aumenta o trabalho. Faz o que tem que ser feito. Mas o chefe não agradece. Pede mais.”

 

Trechos com spoiler

 

6- “Hans Hubermann e Erik Vandenburg tinham-se unido pela música, Max e Liesel eram unidos pela reunião silenciosa de palavras.” 

 

7- “Tudo o que pude fazer foi virar-me para Liesel Meminger e lhe dizer a única verdade que realmente sei. Eu a disse à menina que roubava livros e a digo a você agora: os seres humanos me assombram.”

 

8- “Inclinou-se, olhou para seu rosto sem vida, e então beijou a boca de seu melhor amigo, Rudy Steiner, com suavidade e verdade. Ele tinha um gosto poeirento e adocicado. Um gosto de arrependimento à sombra do arvoredo e na penumbra da coleção de ternos do anarquista. Liesel beijou-o demoradamente, suavemente, e quando se afastou, tocou-lhe a boca com os dedos.”

 

9- ”Ele teria ficado contente em vê-la beijar seus lábios poeirentos, atingidos pela bomba. (…) Na escuridão de meu coração tenebroso, eu sei. Ele teria adorado, com certeza. Viu? Até a morte tem coração.”

 

10- “Liesel. Foi o que sua alma sussurrou quando o carreguei. Mas não havia Liesel naquela casa. Não para mim, pelo menos.”

 

Qual seu trecho favorito do livro?


Saiba mais sobre os livros

Leia mais Listas

Um passeio pela Alemanha de Liesel Meminger

Um passeio pela Alemanha de Liesel Meminger

Uma visita ao anexo secreto de Anne Frank

Uma visita ao anexo secreto de Anne Frank

Revolução na escola: 5 projetos estudantis feitos por jovens inspiradoras

Revolução na escola: 5 projetos estudantis feitos por jovens inspiradoras

As principais diferenças entre o livro e a série O verão que mudou minha vida

As principais diferenças entre o livro e a série O verão que mudou minha vida

Comentários

2 Respostas para “10 trechos inesquecíveis de A menina que roubava livros

  1. Li ele em 2009. Reli mais duas vezes até hoje. Li as frases selecionadas por vcs e chorei de novo, como em todas as vezes! Obrigada Íntrin, por trazer essa obra aos leitores brasileiros e fazer eu me apaixonar por leitura!!!

  2. Esse livro foi um dos melhores livros que eu já li, e ele é um livro que eu recomendo a todo mundo, pq ele e perfeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *