Listas

3 motivos para assistir à serie A verdade sobre o caso Harry Quebert

21 / agosto / 2020

Protagonizada por Patrick Dempsey (Grey’s Anatomy) e Kristine Froseth (Quem é você, Alasca?), a série A verdade sobre o caso Harry Quebert finalmente chegou ao Brasil! A adaptação homônima do grande sucesso de Joël Dicker estreou em agosto com exclusividade no Globoplay, e já é possível maratonar os dez episódios da produção que abriu o primeiro festival de televisão de Cannes.

A trama acompanha Marcus Goldman, um jovem escritor que decide recorrer ao seu ex-professor e mentor Harry Quebert para ajudá-lo a superar um bloqueio criativo. Mas todos são surpreendidos quando o corpo de uma adolescente de 15 anos desaparecida desde 1975 – Nola Kellergan – é encontrado enterrado no jardim da casa de Quebert, transformando-o no principal suspeito do crime. Apesar de todos os indícios apontarem para Harry, Marcus está convencido da inocência do amigo e fará de tudo para descobrir a verdade.

Como somos apaixonados por romances policiais, não perdemos essa estreia e já assistimos a tudo para contar alguns detalhes muito legais e pontos altos da série. Se você ainda não está familiarizado com a história, não se preocupe: esse texto é livre de spoilers!

 

O elenco

Escolher os atores que vão interpretar personagens tão nítidos na cabeça dos leitores é uma tarefa bem difícil. Cada um cria a própria imagem mental de como os personagens devem ser e agradar a todos acaba sendo praticamente impossível.

Diante desse desafio, é preciso dizer que A verdade sobre o caso Harry Quebert triunfa com louvor. Patrick Dempsey faz um Harry Quebert incrível, com ares de galã, mas cercado de muito mistério e culpa. Kristine Froseth interpreta uma Nola Kellergan encantadora e quase angelical, enquanto o Marcus Goldman de Ben Schnetzer traz toda a arrogância e determinação do narrador corajoso (e algumas vezes irritante), responsável por conduzir os leitores e telespectadores.  

 

Os ganchos viciantes

A série deveria vir com um aviso de “Atenção: conteúdo altamente viciante”. Assim como a obra de Joël Dicker faz o leitor devorar as páginas avidamente em busca de respostas, a adaptação para a TV provoca o mesmo sentimento de “não consigo parar”.

Tal e qual os personagens, ninguém termina um episódio com as mesmas certezas que tinha nos primeiros minutos. Ao final de cada um você vai se ver apertando o play para o próximo sem nem perceber.

 

É muito fiel ao livro

Temos aqui o maior sonho de todo leitor que vê seu livro favorito ser adaptado! Encontrar adaptações assim é raro, por isso é maravilhoso ver que o trabalho feito na série de A verdade sobre o caso Harry Quebert levou em conta alguns dos principais elementos do texto.

Infelizmente algumas mudanças foram feitas – como o nome da cidade, que no livro se chama Aurora e na série passa a ser Summerdale –, mas isso não tira o mérito de uma produção extremamente cuidadosa. Os cenários e várias locações importantes para a trama, como a propriedade de Goose Cove e o Clark’s, são surpreendentemente fiéis às descrições de Dicker.

 

Você já leu o livro? Já viu a série? Aproveite para deixar sua opinião nos comentários!

 

Se ainda não conhece, leia um trecho de A verdade sobre o caso Harry Quebert e confira o trailer da série:

 


Saiba mais sobre os livros

Leia mais Listas

A lista perfeita para quem gosta de investigação

A lista perfeita para quem gosta de investigação

Um ano de intrínsecos: minha experiência como assinante

Um ano de intrínsecos: minha experiência como assinante

Cinco histórias impressionantes do ex-CEO da Disney

Cinco histórias impressionantes do ex-CEO da Disney

Livros YA que você precisa conhecer

Livros YA que você precisa conhecer

Comentários

Uma resposta para “3 motivos para assistir à serie A verdade sobre o caso Harry Quebert

  1. Li o livro e assisti à série. Ambos espetaculares, série bastante fiel ao livro e uma história com diversos plot twists. Eletrizante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *