Alfredo Nugent Setubal

Como nasce a ideia de um livro?

9 / julho / 2020

Tal como uma tia-avó, que no dia seguinte ao casamento já começa a perguntar “quando chegam os filhos?”, bastou eu lançar O livro de Líbero para começar a ouvir perguntas sobre o próximo projeto. “Já começou? Está escrevendo?”.

A resposta é não. Mas também pode ser sim, dependendo do que se entende por “começar” ou “escrever”. Não, ainda não sentei em frente ao computador e comecei a despejar palavras formando frases e capítulos, mas essa imagem clichê talvez seja apenas uma simplificação, a última etapa de um longo processo disso que se chama “escrever”.

Imagino que cada escritor tenha seus métodos e manias, mas, no meu caso, o processo começa muito antes, com filmes a que vou assistindo, leituras que vou devorando, situações que vivencio, com todos esses fiapos de ideias que vou anotando e guardando na cabeça. Uma colcha de retalhos de imagens, sentimentos e referências que, com sorte, pode acabar frutificando e rendendo uma boa história.

Nesse sentido, então, já estou escrevendo.

Para mim, escrever é um estado de espírito, é estar atento, e estar ativamente em busca da próxima história é feito uma caçada, o que é bastante cansativo. Talvez essa fase de busca e pesquisa seja a mais trabalhosa e menos prazerosa. O que vem depois, apesar de toda a solidão e dedicação dos meses passados diante da tela do computador, é a parte boa e divertida, quando as peças começam a se juntar e os personagens ganham vida.

Em geral, pensamos nos artistas, incluindo os escritores, como pessoas banhadas pela luz da inspiração, que acordam certo dia com uma ideia genial e prontas para colocá-la em prática. Devem existir alguns sortudos desse naipe, mas não é o meu caso. É desesperadora a busca por uma boa ideia. Inclusive, uma das minhas frases favoritas sobre a escrita veio não de um escritor, mas de Thomas Edison: “O sucesso é constituído por 10% de inspiração e 90% de transpiração”.

Está na hora, então, de começar a suar a camisa. O problema é que em meio a todo esse caos da pandemia tem sido difícil me concentrar ― mas esse já é assunto para a próxima coluna.

Tags , .

Leia mais Alfredo Nugent Setubal

O anjo da inspiração não existe

O anjo da inspiração não existe

Cinco autores famosos que ouviram vários “não” antes de chegar aonde estão

Cinco autores famosos que ouviram vários “não” antes de chegar aonde estão

É possível criar personagens que sejam o oposto de seu criador?

É possível criar personagens que sejam o oposto de seu criador?

Como exigir produtividade em tempos de pandemia?

Como exigir produtividade em tempos de pandemia?

Comentários

2 Respostas para “Como nasce a ideia de um livro?

  1. Me identifiquei demais. Mesmo. Parabéns!!!

  2. Noooosssa, super me identifiquei! Parece ter tirado as palavras da minha boca, ou melhor, dos meus pensamentos! 🤭😁 A escrita, para mim, é uma arte, uma obra de arte e precisa de tempo, estudo, pesquisa e inspiração para que surja um bom texto! Adorei mesmo! 💛🤩

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *