Notícias

Leia um trecho de Você não merece ser feliz

15 / maio / 2020

Ser feliz não tem sido fácil.

Depois de sua polêmica declaração, Craque Daniel está de volta ao nosso blog para a alegria dos leitores. Já que a felicidade é um produto tão escasso no mercado brasileiro, o ex-atleta decidiu compartilhar neste vasto campo em eterno estado de putrefação chamado internet um pequeno trecho — e um verdadeiro respiro de sabedoria — de seu livro Você não merece ser feliz.

Assim, se você tem um cônjuge ou familiar querido que precisa ser distraído por um curto período de tempo (como, por exemplo, em meio a uma discussão na qual você pode estar perdendo por uma tecnicalidade), este é o material ideal. Mas seja rápido: o trecho abaixo só é o suficiente para que você tome uma distância segura, correndo na direção oposta. Se quiser que essa pessoa fique distraída por mais tempo, garanta já a sua edição.

Afinal de contas, você não merece ser feliz, mas o Craque vai te ajudar a conseguir mesmo assim.

 

Leia um trecho do livro:

O primeiro passo no caminho para a felicidade é aprender a lidar com um grande empecilho à sua realização: a ética, essa nefasta, instável e carcomida cartilha de conduta que foi criada com o único e exclusivo intuito de destruir a SUA felicidade especificamente, meu querido e obstinado leitor que coloca o próprio bem-estar acima de tudo e de todos.

Estamos acostumados à ideia de que a virtude conduz à felicidade, ou ainda de que o sucesso leva à felicidade, quando nenhuma dessas afirmações é verdadeira ou ao menos faz sentido. São pensamentos que deram origem a expressões falsas como “obrigação moral”, “moralmente inaceitável”, “sensatez”, entre outros absurdos. Então sabemos que você, leitor, em sua busca alucinada pela felicidade, atormentado pela própria consciência, acaba encontrando dificuldades para se entregar às situações que o favorecem, evitando as que o incomodam. É como uma voz que soa como a nossa própria, mas na verdade é a voz da ética e a voz do outro, possivelmente seu pai, ecoando em sua cabeça. Ou possivelmente seja de fato seu pai, esquecido trancado na despensa — onde há meses se alimenta de fandangos —, gritando por socorro. Mas já que estamos aqui, vamos esquecer seu pai trancado na despensa mais um pouco: o fato é que esse conjunto de anomalias acaba criando a versão mais desprezível do seu próprio eu: o CARA LEGAL — que é, na realidade, um ser perseguido e atormentado pela culpa e que não vai descansar enquanto não destruir tudo o que o cerca com suas chamadas boas vibrações.

Este livro pretende demonstrar não apenas como livrar-se desse efeito colateral, mas como assumir as inclinações naturais ao comodismo e ao individualismo, fazendo com que o que resultava em culpa se transforme na mais pura felicidade, livre das amarras da ética, da culpa e até mesmo, ou principalmente, do bom senso.

TOQUE #1
“NÃO DEIXE O BOM SENSO TE DETER.”

O bom senso só serve para provocar a sensação de frustração pelo passado, conflitos no presente e um perturbador incômodo em relação ao futuro, além de ser detonador de uma ansiedade infinita, pois a busca pelos seus fins o multiplica.

Os inimigos da felicidade, em sua cruzada pelo boicote ao bem-estar individual, tentam passar a mensagem de que para conquistar nosso direito à felicidade é necessário e imprescindível optar por um trajeto muito mais longo: o caminho difícil. Mas se desejamos a felicidade  incondicional o mais rapidamente possível, por que então aceitaríamos, ou, ainda, colocaríamos obstáculos em nosso trajeto? Os conflitos do tipo “quero, mas não devo”, “devo, mas não quero”, “quero, mas não preciso”, “preciso, mas não quero” são degenerativos para o bem-estar e conduzem a um caminho torturante.

Se formos racionais, chegaremos à conclusão de que somente um estilo de vida individualista, comodista e relativista poderá nos escoltar à tão desejada felicidade imediata. Só o completo abandono da sensatez pode nos levar naturalmente em direção aos desejos simples e alcançáveis, numa existência sem pudor e sem aspirações.

A tentação do bom senso e da ética escraviza o ser humano de uma forma arrebatadora numa harmonia fictícia que camufla o fato de que a felicidade de um indivíduo é o resultado do infortúnio de muitos. Uma questão de matemática que abordaremos mais adiante. O caminho da felicidade inevitavelmente passa por uma desprogramação do bom senso no qual qualquer esforço da consciência pelo próprio bem-estar soará insignificante diante dos benefícios da ausência total de consciência.

Tags , , , .

Saiba mais sobre os livros

Leia mais Notícias

Até que o Flamengo não nos separe

Até que o Flamengo não nos separe

5 coisas que só poderiam acontecer na Rússia

5 coisas que só poderiam acontecer na Rússia

Leia um trecho de Com amor, Creekwood, de Becky Albertalli

Leia um trecho de Com amor, Creekwood, de Becky Albertalli

Malorie, sequência de Caixa de pássaros, ganhará filme da Netflix

Malorie, sequência de Caixa de pássaros, ganhará filme da Netflix

Comentários

2 Respostas para “Leia um trecho de Você não merece ser feliz

  1. Olá. Ri muito. O livro tem escrito de forma clara que é uma sátira? Porque os desavisados e com pouca capacidade de interpretação de texto vão tratar isso como uma bússola moral.

  2. Olá aqui é a Sonia Martins, eu gostei muito do seu artigo seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *