Clara Savelli

Livros imperdíveis do catálogo da Intrínseca

17 / dezembro / 2019

Que a Intrínseca é uma das minhas editoras favoritas não é novidade. Mesmo antes de ter sido contratada como autora, eu já tinha uma coleção gigantesca de livros publicados por eles. Inclusive, livros que figuram entre os meus livros favoritos da vida. O catálogo da Intrínseca é maravilhoso, com livros de ficção, não ficção e de todo tipo de gênero (ainda que eu puxe uma sardinha para os romances adolescentes, rs).

Nesse post, resolvi apresentar para vocês alguns dos meus livros favoritos da editora e os motivos pelos quais eles marcaram minha vida. Assim, quem sabe vocês podem se interessar em também conhecer essas narrativas incríveis!

 

1) Percy Jackson e os olimpianos

Todos os livros do Rick Riordan são fantásticos. Eu, particularmente, sou muito fã da série As crônicas dos Kane, porque adoro mitologia egípcia, mas tenho um carinho especial pela série Percy Jackson e os olimpianos, que foi a primeira do autor que eu li. Ela narra a saga de um menino comum que se descobre semideus, filho do deus Poseidon.

Entre amigos mitológicos, brigas homéricas e a apresentação mais didática e divertida dos mitos gregos que você vai ver na vida, essa série é perfeita para todas as idades. Se posso dar uma dica, ela é: não se contente com os filmes e dê uma chance aos livros da série, que são infinitamente mais divertidos e enriquecedores.

 

2) Um dia

A história de Alex e Emma foi imortalizada no cinema em um filme que faz jus à grandiosidade do livro. Se você gostou de Um dia em versão longa-metragem, vai amar o livro. E caso você não tenha gostado particularmente do filme, recomendo que também dê uma chance ao livro. Embora a adaptação tenha sido muito bem-feita, o livro tem detalhes dramáticos e de enredo que arrancam lágrimas até dos mais insensíveis. Eu li o livro há quase uma década, mas ainda hoje me pego pensando em cenas específicas e em falas inesquecíveis dos personagens.

Para vocês terem uma ideia, eu não tenho o costume de marcar meus livros com post-it. Porém, eu gostei tanto desse e me senti tocada por tantas partes que o livro inteiro é marcado, do início ao fim. Um dos meus livros de cabeceira para toda a eternidade. Tudo que eu queria ganhar de presente era uma vela perfumada (essa só quem leu o livro vai entender, rs).

 

3) O lado bom da vida

Eu li O lado bom da vida pela primeira vez em um momento muito delicado da minha vida, quando enfrentei minha primeira crise depressiva. A história de Pat, um personagem bipolar extremamente cativante e que gera muita identificação, nos faz questionar nossa própria existência, nossas prioridades e o que nos faz ser feliz. Com uma narrativa descontraída, mas extremamente profunda, Matthew Quick me fez ir das lágrimas às gargalhadas — e vice-versa — em poucas linhas.

Mais uma vez, aconselho vocês a esquecer o filme e a mergulhar de cabeça nas páginas. Como fã de carteirinha do livro, eu não gostei nem um pouco da adaptação e acredito que ela foi muito insuficiente, mudando partes importantes do enredo e tirando a profundidade que o livro dá aos personagens. Por isso, recomendo imensamente que vocês leiam essa história incrível.

 

4) Isla e o final feliz

Isla e o final feliz é meu livro juvenil favorito da Intrínseca. A história de Isla é tocante e apaixonante, com as medidas certas de humor e dramaticidade. Isla é uma jovem tímida e romântica, secretamente apaixonada por Josh, um garoto misterioso que estuda no mesmo colégio que ela. É apenas durante as férias que Josh e Isla acabam se aproximando, mas os dois estão prestes a se formar no ensino médio e precisarão superar muitas dificuldades para conseguirem ficar juntos.

O livro tem como pano de fundo um dos momentos mais marcantes de nossa existência — o ano do vestibular — e narra a história de dois jovens buscando entender seu lugar no mundo e também se existe espaço para o relacionamento em suas jornadas. Fiquei arrepiada só de escrever esse pequeno resumo do livro e já estou morta de vontade de relê-lo. Imperdível para os fãs de um bom romance juvenil.

 

5) Teto para dois

Teto para dois é um lançamento recente da editora, e só de ver a sinopse eu já sabia que tinha grandes chances de adorá-lo. Comecei a ler com expectativas altíssimas e fico muito feliz de informar que o livro as superou. Ele conta a história de dois jovens adultos falidos, que precisam dividir um apartamento (e uma cama). Mas tem um detalhe: eles não se conhecem. Tiffy utiliza o apartamento à noite e sai cedo para trabalhar. Leon, por outro lado, só chega em casa depois que Tiffy já saiu, e sai para trabalhar antes da roommate estar de volta.

Só que, com o tempo, os dois começam a dividir muito mais do que o apartamento e a cama, mas também a vida, através de bilhetinhos de post-it que deixam espalhados pela casa. É ou não é o enredo perfeito de uma comédia romântica? Netflix, corre aqui, amada! O livro, ainda por cima, trata de temas muito importantes, como os erros do sistema judiciário, as mazelas do sistema carcerário e relacionamentos abusivos. Se esse livro tem algum defeito, por favor não me conte, pois para mim ele é perfeito!

 

6) O Homem de Giz

Esse é para os fãs de uma história mais macabrinha. O Homem de Giz é um best-seller escrito pela talentosíssima C.J. Tudor, que esteve na última Bienal do Rio. Quem conta a história é Eddie, um narrador não muito confiável, que entrelaça passado e presente para explicar os acontecimentos recentes em sua pacata cidade. A morte surpreendente de um de seus melhores amigos da infância faz com que ele mergulhe em uma espiral de lembranças dos eventos macabros que aconteceram com ele e com os amigos.

C.J. Tudor me enganou direitinho nesse livro e, quando eu terminei o epílogo, tive que imediatamente começar a ler o livro de novo, de tão chocada que eu fiquei! Por favor, digam que eu não fui a única. Preciso que vocês leiam essa história para debatermos o final, pelo amor de Deus!

 

7) Nimona

Nimona é minha HQ favorita de toda a vida e tenho certeza de que ele jamais perderá esse posto. Nimona, que dá nome ao livro, é uma metamorfa que sonha em se tornar comparsa do maior vilão que já existiu, Lorde Ballister Coração-Negro. O que ela não imaginava é que seu herói maligno talvez não seja tão maligno assim… Lorde Ballister estava acostumado a fazer planos malignos que jamais davam certo e Nimona tem uma lista de sugestões para ajudá-lo, que normalmente envolvem tiro, porrada e bomba – ou, no mínimo, uma transformação em dragão.

Sendo assim, Lorde Ballister tem que aprender a controlar sua nova companheira, ao mesmo tempo que faz seus planos para enfrentar seu arqui-inimigo e ex-melhor amigo, Sir Ambrosius Ouropelvis. O quadrinho tem traços perfeitos e eu me tornei muito fã da Noelle Stevenson, que escreveu e desenhou a história. Inclusive, foi a Noelle também que criou o remake de  She-Ra e as Princesas do Poder, desenho exibido pela Netflix e que já está na quarta temporada. Ah, Nimona também vai virar filme! Os direitos de adaptação foram comprados pela FOX, e o filme tem previsão de lançamento para 2021. Estarei na primeira fila, com certeza.

 

8) Alucinadamente feliz

Da mesma forma que aconteceu com O lado bom da vida, eu li Alucinadamente feliz em um momento em que precisava muito ler um livro como esse – bem no auge da minha segunda crise depressiva. Na capa, a obra promete ser um “livro engraçado sobre coisas horríveis”. A autora, Jenny Lawson, é uma proeminente blogueira que coleciona transtornos mentais e que tomou a decisão de lutar diariamente para ser alucinadamente feliz. Longe de ser um livro de autoajuda no estilo “deixe de ficar triste e seja feliz”, o livro, na verdade, é uma narrativa engraçada e ao mesmo tempo dolorosa sobre conviver com transtornos mentais e tentar ser feliz em meio a tudo isso.

Me identifiquei totalmente com a escrita de Jenny Lawson e com o que ela compartilhou em sua narrativa. Precisamos falar sobre saúde mental, visto que as doenças psicológicas já são consideradas as doenças do século. É necessário abraçar esse lado da vida para que possamos ser capazes de viver em sociedade e compreender com empatia os nossos sentimentos e os das outras pessoas. Se você tem (ou conhece alguém) com transtornos mentais, precisa ler Alucinadamente feliz. E mesmo que não seja esse o seu caso, recomendo também a leitura, porque ela esclarece diversos pontos sobre esses transtornos e também faz com que compreendamos melhor como é viver com eles.

 

9) O desaparecimento de Stephanie Mailer

O desaparecimento de Stephanie Mailer foi o primeiro livro que recebi no clube de assinatura da Intrínseca, o intrínsecos. O livro é também um romance policial incrível e bastante macabrinho, com doses perfeitas de investigação criminal, suspense e suspense. Eu tive a sensação de que as quase seiscentas páginas do livro passaram em um piscar de olhos, e, verdade seja dita, eu seria capaz de continuar lendo muito mais.

A narrativa intercala eventos do presente e do passado para que o leitor se situe nos acontecimentos e tente, junto com o policial que está investigando o caso, entender o que se passa em Orphea, uma cidade pacata que não enfrenta crimes tão bárbaros há 20 anos. Para mim, o livro tem um dos melhores arcos de um casal de personagens que eu já li, com um desfecho extremamente assustador e surpreendente (e não posso falar mais do que isso, pois corro o risco de dar spoilers!).

 

10) Hell Paris – 75016

Hell provavelmente foi o primeiro livro que eu li da Intrínseca e também o primeiro livro publicado pela editora. A história de Lolita Pille é narrada por Hell, o apelido da protagonista, uma menina mimada que mora em um dos bairros mais chiques de Paris. Escrito no modelo de fluxo de pensamento, a narrativa pode causar estranhamento a princípio, mas uma vez que o leitor engata, não consegue mais parar. Hell aparentemente leva uma vida perfeita, cheia de privilégios, porém, quanto mais a conhecemos, mais percebemos que sua vida é uma mentira.

Peço que vocês deem um voto de confiança para essa sugestão, já que Hell é um livro que gera opiniões controversas. Lolita Pille não tem papas na língua e faz um relato duro, mas ao mesmo tempo cheio de camadas sensíveis, sobre as falsas vidas de privilégio, bolsas Gucci e negligência paterna.

 

Eu poderia passar o resto do dia dando sugestões de livros incríveis da editora para vocês. Todos os livros escritos pela Becky Abertali, as trilogias da Jenny Han, Amor & Gelato, Extraordinário… Opções não faltam! Mas quero saber sobre você, leitor do blog e da minha coluna: quais são os livros da Intrínseca que marcaram sua vida? Deixe aqui nos comentários sua resposta, assim a gente pode trocar dicas de leituras e conversar sobre os livros!

Leia mais Clara Savelli

Cinco autores famosos que ouviram vários “não” antes de chegar aonde estão

Cinco autores famosos que ouviram vários “não” antes de chegar aonde estão

Um ano de intrínsecos: minha experiência como assinante

Um ano de intrínsecos: minha experiência como assinante

O anjo da inspiração não existe

O anjo da inspiração não existe

Livros da Intrínseca para entrar no clima de fim de ano

Livros da Intrínseca para entrar no clima de fim de ano

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *