Listas

8 dicas de escrita com Joël Dicker

8 / março / 2019

Foto: Valery Wallace Studio / CYAN

Joël Dicker é um dos mais jovens autores suíços a conquistar o mundo. Depois do grande sucesso de A verdade sobre o caso Harry Quebert, O livro dos Baltimore e Os últimos dias de nossos pais, o escritor está de volta com o romance policial O desaparecimento de Stephanie Mailer.

No novo livro, acompanhamos a investigação de um quádruplo homicídio na pequena e pacata cidade de Orphea, nos Hamptons. O crime aconteceu em 1994, mas 20 anos depois surgem novas informações depois que a jornalista Stephanie Mailer decide apurar o caso. Tudo fica muito suspeito quando a moça desaparece misteriosamente e os policiais responsáveis precisam desenterrar segredos escondidos há décadas.

Intercalando duas linhas temporais, Dicker constrói um quebra-cabeça literário praticamente impossível de se largar até que o verdadeiro culpado seja capturado. Se você gosta de escrever ou apenas quer descobrir mais sobre o processo de escrita do autor, reunimos algumas dicas de Joël Dicker para se inspirar. Anota aí:

 

1) Nenhum autor consegue escrever um best-seller de propósito.

Dicker diz que são os leitores, críticos e livreiros os verdadeiros responsáveis por transformar os livros em grandes sucessos.

 

2) A beleza e a mágica dos livros não é algo científico, não há uma receita.

Para ele, existe uma química entre os leitores e a história que não pode ser facilmente replicada ou explicada. 

 

3) Não dá para agradar todo mundo.

Uma boa ideia é sempre tomar nota do que dizem sobre o seu trabalho, seja um elogio ou uma crítica, para melhorar no próximo.

 

4) São os bloqueios que ajudam a parar para refletir e analisar o progresso.

O autor tem uma visão positiva sobre os bloqueios criativos: eles são uma chance de se questionar sobre a qualidade do texto e verificar se o enredo está se desenrolando bem.

 

5) Temos de mostrar às pessoas que ler pode ser divertido, prazeroso.

A literatura é séria, mas também deve trazer entretenimento para o público. Diversão combina com literatura!

 

6) Tente escrever em quase todos os dias úteis da semana e o máximo que conseguir.

É preciso escrever todos dias, mas o importante não é impor um número de linhas, e sim obter qualidade no que se produz.

 

7) Enquanto escrevemos um livro não há pressão. A pressão chega quando ele é publicado.

Dicker diz que a verdadeira pressão surge quando o livro está impresso e nas livrarias, pois não há mais nada a se fazer.

 

8) É preciso que o livro tenha profundidade.

O importante é deixar os leitores encontrarem sozinhos o que existe nas entrelinhas.

 

Fontes: Revista Estante 1, Revista Estante 2, El país e Veja.

Leia mais Listas

Séries para quem gosta de muita história e ação

Séries para quem gosta de muita história e ação

“Por trás de seus olhos” vai virar série na Netflix

“Por trás de seus olhos” vai virar série na Netflix

Os melhores amigos da ficção

Os melhores amigos da ficção

Intrínseca na Flip: conheça os autores que marcaram o festival

Intrínseca na Flip: conheça os autores que marcaram o festival

Comentários

Uma resposta para “8 dicas de escrita com Joël Dicker

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *