Listas

Lugares bizarros que poderiam estar num livro do Josh Malerman

31 / julho / 2018

Josh Malerman é o mestre em escrever histórias cheias de mistérios e com toques bizarros. Seus livros nos deixam olhando por cima do ombro e com medinho das sombras. Afinal, depois de ler Caixa de pássaros, quem não fez aquela manobra corajosa (só que não) de sair correndo pela casa no meio da madrugada só para pegar um copo d’água?

No seu mais recente lançamento pela Intrínseca – Uma casa no fundo de um lago –, Josh nos apresenta um local sombrio e inimaginável, que existe nas profundezas de um lago aparentemente tranquilo. Dessa vez, os protagonistas são James e Amelia, dois adolescentes de dezessete anos que decidem passear de canoa no seu primeiro encontro. O que eles não esperavam era encontrar uma casa embaixo d’água. Poderia ser só estranho, mas é pior que isso: apesar de submersa, nada da casa – móveis ou objetos de decoração – flutua e nela há até uma piscina! Será que existe alguém – ou algo – vivo na casa?

Uma ambientação incrível como essa nos fez pensar: quais lugares esquisitos poderiam servir de cenário para as histórias sinistras do Josh? Por isso, reunimos cinco lugares em que pensaríamos duas vezes antes de entrar. Confira:

 

Ilha das Bonecas – México

Em meio às paisagens lindas e paradisíacas do México, existe um lugar aterrorizante chamado Ilha das Bonecas. A lenda que envolve o local diz que Don Julián, o único morador da ilha, encontrou o cadáver de uma menina que havia se afogado. Depois disso, ele passou a ser assombrado por vozes e gritos, atribuídos à menina falecida. Por isso, ele começou a pendurar bonecas de vários tipos por toda a ilha, como forma de apaziguar o sofrimento do espírito. O resultado é um cenário assustador!

 

Floresta torta – Polônia

(KILIAN SCHÖNBERGER)

Cercado por uma floresta de pinheiros normais, perto da cidade de Gryfino, na Polônia, existe um lugar muito peculiar: uma área com cerca de 400 árvores que nascem com a base torta, rente ao chão. Os estudiosos acreditam que elas foram plantadas por volta da década de 1930 e existem diversas teorias para explicar essa anomalia. Uma das mais bizarras diz que ali existe um campo gravitacional único, capaz de entortar as árvores.

 

A cidade fantasma de Kolmanskop – Namíbia

No começo do século XX, a cidade de Kolmanskop era um local próspero onde viviam os funcionários de uma mina de diamantes. O país estava sob o controle da Alemanha e acredita-se que mais de uma tonelada de diamantes foi extraída de lá. Por volta de 1930, entretanto, as minas começaram a se esgotar e a cidade foi abandonada. Atualmente, Kolmanskop é uma cidade-fantasma, na qual as construções estão sendo tomadas pelas areias do deserto. Parece um cenário pós-apocalíptico!

 

Lago Hillier – Austrália

Parte de uma reserva natural em uma região isolada da Austrália, o lago Hillier é famoso por sua cor extremamente exótica: rosa. Por mais esquisito que pareça, não é edição ou parte do cenário de um filme de ficção científica. A cor é resultado da presença de micro-organismos, principalmente algas e bactérias. Esses organismos ficam agregados às crostas de sal do lago, o que permite uma coloração forte e uniforme. Você teria coragem de mergulhar?

 

Shoppings abandonados – Estados Unidos

Shoppings são sinônimos de lugares alegres e sempre muito movimentados. Mas não se engane. Existe um canal na internet famoso por produzir a série Dead Mall Series, na qual Dan Bell faz pequenas expedições por shoppings abandonados. O resultado são vídeos um pouco sinistros, que poderiam ser fonte de inspiração para muitas histórias assustadoras.


Saiba mais sobre os livros

Leia mais Listas

Treze thrillers para curtir em uma sexta-feira 13

Treze thrillers para curtir em uma sexta-feira 13

Quatro motivos para ler O Homem de Giz

Quatro motivos para ler O Homem de Giz

5 dicas para alcançar o sucesso profissional

5 dicas para alcançar o sucesso profissional

Playlist de Leah fora de sintonia, a sequência de Com amor, Simon

Playlist de Leah fora de sintonia, a sequência de Com amor, Simon

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *