Márcia Vieira

Vencer é possível

12 / abril / 2017

Adriano na comunidade em que nasceu, no Guarujá/SP (Fonte)

A trajetória de Adriano de Souza, contada em Como se tornar um campeão, começou numa favela do Guarujá, longe da praia. A mudança, no entanto, se iniciou cedo, quando ele teve acesso a uma prancha de surfe pela primeira vez e percebeu que seu futuro estaria para sempre ligado às ondas. Adriano pôs na cabeça — não como uma cisma infantil, e sim com a determinação de empregar todos os esforços possíveis — que um dia seria campeão mundial e inventou o próprio caminho. Foi descobrindo, desde os oito anos, que para alcançar seu objetivo precisaria unir obstinação, disciplina, paixão, foco, humildade e ousadia. Juntou todas essas qualidades e mais algumas.

Este aprendizado — que transformou dor em estímulo, precariedade em força e preconceito em superação — faz da vida do atleta uma lição para todos que têm um sonho e pretendem transformá-lo em realidade: aprenda com os melhores, dedique-se mais do que eles, não se abata com suas fragilidades e retire dos preconceitos a força necessária para combatê-los. Não é um caminho fácil, mas a vida de Adriano — menino pobre que é líder de uma geração de surfistas e conquistou o mundo nas ondas de Pipeline, no Havaí — mostra que é possível.

Na infância, ele acumulou vitórias em torneios amadores disputados no Brasil. Aos catorze anos, ganhou seu primeiro prêmio significativo ao vencer uma etapa do Circuito Brasileiro Profissional, no Rio. A ideia era ganhar experiência competindo com adultos mais experientes. O espírito competitivo, uma de suas marcas registradas, porém, fez com que saísse da praia com o título de campeão, uma moto novinha e 4 mil reais em dinheiro — algo equivalente a 12 mil reais em valores atuais, corrigidos pelo IGP-M. A vitória lhe deu a certeza de que poderia ser um surfista bem-sucedido e lhe permitiu dar a entrada numa casa fora da favela para os pais.

 Adriano ganhou fama quando venceu, aos dezesseis anos, o mundial júnior na Austrália. Dois anos depois, conquistou uma vaga na elite. Uma década mais tarde realizou o sonho de sua vida.

Como se tornar um campeão não é um livro só para surfistas ou aficionados do esporte. A improvável vida de Adriano demonstra que é possível agarrar uma oportunidade — no caso dele, uma prancha de surfe — e reinventar o destino. Como ele diz: “A luta pode ser difícil, mas vencer é possível.”

Leia mais Márcia Vieira

Mude seu destino

Mude seu destino

O campeão voltou

O campeão voltou

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *