Artigos

Saudades de Downton Abbey? As personagens de Belgravia podem ajudar

29 / agosto / 2016

Por Vanessa Corrêa*

women-of-downton-abbey

Os órfãos de Downton Abbey já podem comemorar: Julian Fellowes, criador da série de televisão exibida originalmente pela BBC entre 2010 e 2015, não conseguiu ficar muito tempo longe das intrigas da aristocracia britânica.

Depois de seis anos às voltas com as histórias da família Crawley ao longo das primeiras décadas do século XX, Fellowes recuou praticamente cem anos para contar a saga de Belgravia, trama inicialmente lançada em capítulos digitais e que em julho ganhou sua versão impressa, editada no Brasil pela Intrínseca.

untitledA história tem início no famoso baile oferecido em Bruxelas em homenagem ao duque de Wellington, na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815. Durante a festa, interrompida com a iminência do confronto que resultaria na derrota da França e na morte de milhares de oficiais franceses e britânicos, somos apresentados a James Trenchard, comerciante que fez fortuna negociando suprimentos em tempos de guerra, sua esposa, Anne, e a bela filha do casal, Sophia.

A garota é objeto de atenções do jovem oficial Edmund Bellasis, herdeiro de uma família de nobres britânicos. Ao fim do baile, uma revelação envolvendo o rapaz e Sophia terá impacto sobre o destino de todos os personagens da trama e continuará repercutindo décadas depois.

Os costumes da aristocracia britânica, sua relação com os criados, os preconceitos e as tensões entre as diferentes classes sociais são os principais temas de Belgravia, assuntos já familiares aos fãs de Downton Abbey. Além da temática em comum, as duas tramas guardam muitas semelhanças em seus personagens e mostram que Julian Fellowes tem uma queda por mulheres de personalidade forte.

Se no livro lady Brockenhurst é alvo de admiração e tem os convites de suas festas disputados entre a sociedade de Londres, em Downton Abbey é a condessa de Grantham quem detém o prestígio e é responsável por manter as tradições de sua sociedade. Refinadas, muito respeitadas e donas de línguas igualmente ferinas, as duas senhoras exercem enorme influência nas tramas que conduzem os demais personagens das criações de Fellowes.

a-atriz-elizabeth-mcgovern-que-interpreta-a-condessa-de-grantham-em-downton-abbey-18052012-1337381527220_1024x768

Já a bela lady Maria Grey, que não mede esforços para escapar de um casamento de conveniência e ficar com seu verdadeiro amor, tem a mesma determinação de lady Sybil, a caçula da família Crawley, que luta com unhas e dentes por seu casamento com o chofer Tom Branson. Ambas recusam-se a seguir as convenções sociais da época e tomam para si a responsabilidade de seus destinos, não permitindo que suas famílias e as barreiras impostas por diferentes classes sociais influenciem suas escolhas.

foto-3

As semelhanças entre Belgravia e Downton Abbey não se limitam à alta sociedade. Os criados das duas histórias também são muito parecidos, dividindo-se entre a lealdade aos patrões e o ressentimento causado pela certeza de que jamais desfrutarão do luxo e do conforto que testemunham nas casas em que trabalham.

Esse ressentimento é o que leva muitos dos criados a quase odiarem as famílias que servem. Alguns, como Ellis, criada de Anne Trenchard em Belgravia, ou O’Brien, a manipuladora criada de Cora Crawley em Downton Abbey, não hesitam em mentir, fazer intrigas e até roubar na tentativa de descobrir segredos de seus patrões. Todo o cuidado é pouco com criadas como estas, que usarão esses segredos para chantagear pessoas e arrancar dinheiro de quem puderem.

revealed-why-downton-abbey-s-evil-maid-o-brien-has-quit-the-312827_w1000

Mas se tanto Anne quanto Cora precisam selecionar melhor as moças que as auxiliam, a escolha de mordomos revelou-se mais feliz para a nobreza de Downton Abbey. Ninguém tem tanta lealdade por seus patrões e se dedica tanto a seu trabalho quanto Charles Carson, o querido mordomo da família Crawley. Já os Trenchard não podem dizer o mesmo de Turton, o traiçoeiro mordomo que se junta ao invejoso lorde John Bellasis para descobrir o grande segredo que envolve as duas famílias da trama de Belgravia.

Escritor, ator, roteirista, diretor e produtor de cinema e televisão, Julian Fellowes já havia mostrado seu talento em Assassinato em Gosford Park, filme de Robert Altman (1925-2006) pelo qual ganhou o Oscar de melhor roteiro original em 2002, e que, assim como Downton Abbey, também explora a relação entre criados e patrões na Inglaterra do início do século XX. Agora, em Belgravia, Fellowes prova que as intrigas e os conflitos de classe da sociedade britânica ainda podem render muitas histórias emocionantes.

>> Leia um trecho de Belgravia

*Vanessa Corrêa é jornalista, já trabalhou na Folha de S.Paulo e no portal UOL e é apaixonada por livros, cinema e fotografia.

Leia mais Artigos

O chá das cinco adoçado com intriga

O chá das cinco adoçado com intriga

Uma #JojoLover no cinema

Uma #JojoLover no cinema

Como Jojo Moyes redescobriu a paixão pela escrita em uma cabana isolada

Como Jojo Moyes redescobriu a paixão pela escrita em uma cabana isolada

A maior batalha física e mental do esporte: aprenda tudo sobre o tênis

A maior batalha física e mental do esporte: aprenda tudo sobre o tênis

Comentários

6 Respostas para “Saudades de Downton Abbey? As personagens de Belgravia podem ajudar

  1. Downtown Abbey foi produzida pela ITV e não pela BBC! Que deslize, hein!

  2. Espero que esta série seja tão boa quanto Downton Abbey.

  3. Empregados são iguais em toda época e parte. Roubam porcarias como sabao em pó, e tudo que é bobagem. Mesmo ganhando o necessário para viver. Depois vem com o papo da cor, escravidão, etc….poucos são leais e dedicados.

  4. Gostei da serie vou ler o novo livro espero que seja maravilhoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *