Clóvis Bulcão

O Park Hotel

1 / agosto / 2016

O Park Hotel (Fonte)

O Park Hotel (Fonte)

Em seus áureos tempos, os Guinle foram donos de três hotéis. O primeiro foi o Palace, construído em um dos terrenos adquiridos pela família na avenida Central, atual Rio Branco, no Centro do Rio de Janeiro. O hotel funcionou basicamente na primeira metade do século XX e foi um dos mais sofisticados da antiga capital do Brasil. O segundo, que dispensa apresentações, foi o famoso Copacabana Palace, na avenida Atlântica, no bairro que lhe dá nome. Inaugurado em 1923, ficou sob o comando do clã até 1989, quando foi vendido.

O menos conhecido foi o Park Hotel, em Nova Friburgo, na Região Serrana do estado. Aberto em 1945, era uma construção rústica projetada pelo arquiteto Lucio Costa. Dos três hotéis era o menor, com apenas dez quartos. Sustentado sobre colunas feitas de troncos de pinheiro, suas paredes eram de pedras irregulares e o piso, de tábuas corridas. Os móveis eram típicos da época de sua fundação, com pés de palito. O imóvel foi concebido para servir de pouso a eventuais compradores dos terrenos que os Guinle mantinham em um loteamento na cidade.

O maior diferencial do Park Hotel era a cozinha da húngara Irene Peterdi, que chegou ao Brasil em 1949. Em 1963, ela arrendou o estabelecimento e, junto com o cozinheiro Lênio Rodrigues, conquistou algum prestígio. Os destaques eram as sobremesas feitas por ela, que, em um fogão a lenha, chegava a pilotar oito frigideiras ao mesmo tempo para fazer crepes.

Dona Irene ficou no comando do Park Hotel até 1999. No fim do século XX, o turismo em Friburgo decaiu e, paralelamente, o prédio começou a apresentar desgastes, especialmente no teto. Com as fortes chuvas, típicas da região, o problema afetou a conservação do resto do prédio.

No início do século XXI, a família Guinle se uniu a Maria Elisa, filha de Lucio Costa, para salvar o Park Hotel. Mas todos os esforços foram em vão. O velho hotel não resistiu às tempestades no verão de 2003 e fechou definitivamente as portas. É uma pena que ainda hoje um dos marcos da moderna arquitetura nacional não tenha sido restaurado.

Leia mais Clóvis Bulcão

Leão alado

Leão alado

O sonho e o pesadelo de João Kopke

O sonho e o pesadelo de João Kopke

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Zózimo e a história do Rio

Zózimo e a história do Rio

Comentários

3 Respostas para “O Park Hotel

  1. Meu sonho é poder e conseguir reabrir o hotel, onde meu Pai trabalhou por muitos anos e onde também freguentei o mesmo na minha infância, tendo o prazer de sempre comer os doces feitos pelo Seu Lenio.
    Estive a poucos anos atrás no local, uma pena como está!

  2. Um hotel maravilhoso.Passei minha lua de mel e 25 anos de casada D.Irene sempre muito atenciosa . Maravilhoso!!!Tristeza saber que está abandonado!!Projeto arquitetônico maravilhoso!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *