Clóvis Bulcão

Rio, esporte e turismo

25 / julho / 2016

Foto do Grande Prêmio Carlos Guinle (Fonte)

Foto do Grande Prêmio Carlos Guinle (Fonte)

Com a aproximação da abertura dos Jogos Olímpicos, em 5 de agosto, tenho me lembrado muito de Carlos Guinle. Talvez ele tenha sido o primeiro carioca a vislumbrar o potencial turístico e esportivo do Rio de Janeiro. Os irmãos Guinle sempre foram ligados ao mundo dos esportes, tanto que ele, Guilherme e Arnaldo presidiram o Fluminense Football Club. Curioso é que o sonho de Carlos de transformar a cidade em uma praça de atividades não nasceu associado ao futebol.

Carlos começou a organizar corridas de automóveis pelas ruas do Centro na década de 1920. A primeira foi em 1922, nos festejos do centenário da Independência do Brasil. Depois, os eventos automobilísticos começaram a ser realizados entre os bairros do Leblon e da Lagoa. Nos anos 1930, um novo trajeto, conhecido como Circuito da Gávea, ganhou dimensões internacionais, com participação de pilotos de nacionalidades diversas e transmissão radiofônica para o continente.

O Circuito da Gávea, que se chamava Grande Prêmio Carlos Guinle, acabou se consagrando como G.P. Rio de Janeiro. A largada era dada na rua Visconde de Albuquerque, no Leblon, e os carros seguiam pela avenida Niemeyer, em São Conrado, depois pela estrada da Gávea (atual favela da Rocinha), voltando ao ponto de partida pela Marquês de São Vicente. Um circuito sinuoso e muito perigoso que provocou inúmeros acidentes fatais, por isso as autoridades passaram a questioná-lo.

Carlos tinha total convicção de que a dobradinha turismo-esportes era a vocação natural da cidade. Sem conseguir concretizar essa ideia, esforçou-se para oferecer aos cariocas um autódromo, o que não chegou a acontecer. Acreditava que o local ideal para a sua construção seria a Zona Sul, no entanto, sempre admitiu a possibilidade de erguê-lo na Zona Oeste.

Agora, as Olimpíadas acontecerão basicamente nessas duas partes da cidade. Na era da imagem, as belas paisagens cariocas realçam as atividades esportivas. Carlos Guinle talvez já imaginasse que um dia o Rio de Janeiro conseguiria ser, de fato, a moldura para um congraçamento esportivo de grande porte. Mas, talvez, nem em seu maior sonho ele tenha pensado que esse evento reuniria os maiores atletas do mundo.

Leia mais Clóvis Bulcão

O sonho e o pesadelo de João Kopke

O sonho e o pesadelo de João Kopke

As ondas se rompem

As ondas se rompem

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Zózimo e a história do Rio

Zózimo e a história do Rio

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *