Clóvis Bulcão

Os Guinle não salvarão o Rio de Janeiro

23 / maio / 2016

O Palácio Laranjeiras, no Rio de Janeiro (fonte)

O Palácio Laranjeiras, no Rio de Janeiro (fonte)

Mergulhado em grave crise financeira, o estado do Rio de Janeiro busca uma saída, por isso a Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa (Alerj) acaba de propor uma série de medidas de recuperação financeira. Em audiência pública, entre outras propostas, a comissão sugeriu a venda do palácio Laranjeiras e da ilha de Brocoió, dois legados da família Guinle.

Segundo a imprensa, a mansão na ilha, no meio da baía de Guanabara, tem um custo fixo de 180 mil reais por ano. Apenas para sua manutenção, são utilizados cinco funcionários públicos, mais limpeza, segurança, água e luz. Em 2015, uma reforma custou 1 milhão de reais. É, sem dúvida, muito dinheiro do contribuinte fluminense gasto em um imóvel sem uso.

Já o Laranjeiras, localizado no Parque Guinle, Zona Sul da cidade, consumirá, em 2016, apenas com a reforma da pérgula e da área da piscina, 2,4 milhões de reais. Desde o início da reforma, em 2012, já foram gastos quase 4 milhões de reais, bancados por treze empresas em troca de benefícios fiscais. Assim como Brocoió, o palácio não é usado nem é aberto à visitação.

A venda dos dois imóveis não aliviaria a crise financeira do estado, pois o rombo está estimado, para 2017, em 15 bilhões de reais. Mas talvez fosse interessante pensar em uma forma, privatizada ou não, de torná-los autossustentáveis.

Não faz sentido o Rio de Janeiro seguir subutilizando duas joias da nossa arquitetura. Tanto o palacete de Brocoió quanto o de Laranjeiras poderiam estar inseridos no circuito turístico da cidade. Seria uma forma de economizar, criar emprego e gerar renda valorizando o nosso patrimônio histórico.

Tags , , , , .

Leia mais Clóvis Bulcão

As mulheres do meu livro III

As mulheres do meu livro III

As mulheres do meu livro II

As mulheres do meu livro II

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Arnaldo Guinle e as arenas do futebol brasileiro

Zózimo e a história do Rio

Zózimo e a história do Rio

Comentários

Uma resposta para “Os Guinle não salvarão o Rio de Janeiro

  1. Clovis, acho sua sugestão para a inserção, das duas propriedades, outrora da família Guinle, excelente. Acredito que uma maior divulgação pelo Brasil afora, do seu excelente livro, sobre a família poderia ser de grande auxilio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *