Entrevistas

Todo gato traz amor e sorte

14 / janeiro / 2016

Entrevista com Amanda Nori e Stéfany Guimarães, autoras de Cansei de ser gato: Do capim ao Sachê

IMG_2047

A procura por um par para Madalena mudou drasticamente as vidas de Amanda e Stéfany. Cheio de pulgas e vermes, o judiado Chico trouxe mais do que alegrias para a nova casa — logo suas humanas perceberam que ele podia ser muito mais do que um gato. Paramentado com roupas e adereços, Chico já foi alface, pão de forma, Frida Kahlo e Mestre dos Magos. E cada mudança, fotografada e postada por Amanda e Stéfany nas redes sociais, só reforçava o amor por felinos e a certeza de que elas deveriam seguir seus sonhos.

Foi assim que as duas largaram seus empregos para se dedicar exclusivamente à página Cansei de ser gato, que já tem mais de 370 mil fãs no Facebook e virou livro, publicado pela Intrínseca. Na entrevista abaixo, as autoras dividem sua história de amor e mandam um recado: “Projetos na gaveta são só projetos, e gavetas mais escondem do que guardam. Se você não fizer, ninguém fará. Na dúvida: tente.”

 

1 – Como Chico chegou à vida de vocês? E quais são suas atividades, rabugices e cantos preferidos da casa?
O Chico chegou em 2012, com dois meses, muita pulga, muito verme, muito judiado e muito esperado! Madalena estava procurando uma companhia e ele veio.

Ele é rabugento, temperamental e expressivo. Além disso é o mais carinhoso e o mais preguiçoso. Ronrona alto e pisca devagar. O Chico tem um miado e um olhar para cada necessidade. Ele também tem uma gata preferida aqui em casa, que é a Terezinha.  Os dois ficam atrás um do outro o dia inteiro!

Chico passa boa parte do tempo na cabana dele e em nossas pernas!

2 – Desde que virou um unicórnio, como Chico transformou a vida de vocês?
Depois do unicórnio foi tudo muito rápido. A gente descobriu que ele não se importava com roupas e acessórios, não ficava incomodado e nem estático. Ele age naturalmente, como nenhum gato faz, por isso o nome “cansei de ser gato”.

O Chico nos deu a possibilidade de passar o dia inteiro com nossos gatos em casa, nos fez perceber o quanto podemos nos divertir e amar o nosso trabalho, sendo tão confiantes quanto eles! Além da troca e do respeito que Chico nos ensina todos os dias.

IMG_2076

3 – Vocês duas largaram seus empregos para apostar na página Cansei de ser gato. Como foi esse processo? E que dicas vocês dariam para todos que têm projetos guardados na gaveta?
Largamos e ouvimos de uns: “Vocês estão certas, façam isso!” e de outros: “Vocês são loucas, façam isso em paralelo.” Quando percebemos que não estávamos trabalhando direito e nem cuidando da página direito, pensamos: temos que escolher uma coisa só e nos dedicar. Deu medo. Tínhamos certa estabilidade em nossos empregos, mas em nenhum momento duvidamos de que tínhamos capacidade — e um pouco de loucura —para que nossa ideia desse certo.

Projetos na gaveta são só projetos, e gavetas mais escondem do que guardam. Se você não fizer, ninguém fará. Na dúvida: tente.

4 – Quais são os momentos mais marcantes da carreira do Chico?

O Chico fez e faz campanhas para as maiores marcas do Brasil, participou de programas na TV e vai ter um talk show no YouTube.

Tudo é muito marcante. Mas lançar um livro numa das melhores editoras do país, em uma das maiores livrarias do Brasil, com fila para vê-lo e pegar seu “pantógrafo” é memorável e muito gratificante.

5 – Fotografar o Chico é difícil? Como vocês fazem? De que forma ele contribui com o resultado final? E quando ele se recusa a ser fotografado?

Difícil é tirar foto da Madalena, mesmo sem acessório. rs!

O Chico é muito tranquilo, realmente não se importa com as câmeras ou com as roupas. É fácil e rápido, em cinco minutos temos pelo menos três boas opções de fotos. Ele contribui sempre com uma expressão única. Às vezes parece que ele sabe qual personagem tem que interpretar, como no caso do Grey, de Cinquenta tons de cinza, em que ele fez cara de cafajeste e tudo! Ele não gosta de ser pego no colo muitas vezes, nem que segurem sua pata — aí está tudo acabado.

imagens_cansei de ser gato

6 – Como foi o processo de seleção de imagens e de produção de material novo para Cansei de ser gato: do capim ao sachê? De que forma vocês avaliam a recepção do livro?

O livro foi inteirinho pensado cronologicamente, foi quase um ano produzindo e juntando os materiais que seriam publicados. A gente realmente gosta e se diverte com o livro. Recebemos muitas mensagens dos seguidores, com elogios para todos os lados: texto, design, fotos, capa. Foi um trabalho muito legal de fazer. Mais legal ainda é ver a recepção e o carinho dos leitores.

7 – Vocês estão apoiando a campanha “Permita-se, conviva!”, que combate mitos e preconceitos envolvendo felinos. Para vocês, quais são os mitos mais perigosos e como todos nós podemos combatê-los?

Mitos são como traumas, você só supera quando se permite, quando os encara. O “permita-se, conviva” é perfeito porque acreditamos que só fala mal de gato quem nunca conviveu com um. O mito “gatos são traiçoeiros e interesseiros” é o que mais nos incomoda e também é o mais mentiroso. Eles são fieis, leais e parceiros. “Gato preto dá azar” — seria cômico se não fosse trágico. Todo gato traz amor e sorte. Conviva!

8 –  Qual é a dica do Chico para o sucesso em 2016?

Chico diria: ‘O sucesso é consequência, seja feliz e durma bem!” <3

IMG_2139

Tags , , , .

Leia mais Entrevistas

Um amor incondicional

Um amor incondicional

Como os loucos abrem caminho para a inovação

Como os loucos abrem caminho para a inovação

O risco do governo Bolsonaro à democracia

O risco do governo Bolsonaro à democracia

Confira os bastidores da edição ilustrada de Terra faminta

Confira os bastidores da edição ilustrada de Terra faminta

Comentários

3 Respostas para “Todo gato traz amor e sorte

  1. Adorei a entrevista, mas principalmente as fotos do Chico, que gato lindo, espero que a minha Lolita consiga chegar a esse nível de fofura kkk. Realmente muitas pessoas tem preconceitos contra gatos, conheço pessoas que amam mais cachorros do gato por dizerem que gatos não são companheiros. Muito pelo contrário, para mim são as melhores companhias que pode haver, basta apenas se permitir conhecer e vai amar qualquer animal. Afinal cada um tem suas peculiaridades. Sou apaixonada por gatos.

  2. Tive vários gatos,de meses até os últimos dias,( hoje só tenho uma,) Eles só me fizeram feliz.

  3. Desde criança sou apaixonada por gatos! Não acredito que tragam má sorte … Hoje, vivo com sete gatos e afirmo que são fiéis e trazem uma energia muito boa! Quanto ao Chico, é mais um gato de energia pura e feliz!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *