Maurício Gomyde

Que 2016 chegue logo!

29 / dezembro / 2015

O ano de 2015 chega ao fim. Na noite do dia 31 para o 1º, bilhões de pessoas vão se juntar em casas, ruas, praças, praias e templos para festejar a virada no calendário gregoriano e saudar a mudança do dígito. Independentemente de crenças, virão momentos de reflexão. Promessas serão (re)feitas; balanços, apurados; projetos, abandonados; metas, dimensionadas; causas, renovadas; amores, prometidos; sonhos, sonhados.

Nos minutos que cercarem a virada, as pessoas vão se abraçar e esquecer as brigas com os próximos e as encrencas com os distantes. Pedirão desculpas, ao vivo ou pelo celular, e o “eu te amo” sairá deslizando — talvez ajudado pelo álcool, é verdade. Mas pouco importa. Que venha, dali, a semente de um ano melhor!

Dois mil e quinze foi o ano em que política virou futebol, futebol virou caso de polícia, polícia virou piada no WhatsApp, WhatsApp foi suspenso por juiz, juiz pegou carro de réu, réu delatou premiado, prêmio de miss não valeu, a Vale amargou o rio Doce, docente apanhou em protesto. Houve protesto de tudo que é gente e gente morreu em ataque. Houve ataque de bomba e mosquito, zika, dengue, racismo e intolerância. Houve Chimbinha e Joelma, mandioca e meta dobrada, Beauvoir e Bolsonaro, Safadão e safadinhas, Chico e Dek, Delcídio e Cunha, Fabíola e Léo, BB King e Lucille no céu.

Eu deveria pensar, na sequência: que 2015 acabe logo! Mas lembro que nem tudo foi mal. Teve acordo global para diminuir a emissão de gases, legalização — lá nos Estados Unidos — do casamento entre pessoas do mesmo sexo, papa Francisco, livro de colorir, bienal dos nacionais, Mineirinho, Star Wars e Rock in Rio. No apagar das luzes, a esperança de dias melhores e a velha lição de que crise e oportunidade andam sempre de mãos dadas. Tudo pode sempre mudar.

Então mudo: que 2016 chegue logo! E venha surpreendendo, com um champanhe debaixo do braço e votos de muita alegria, compreensão, decência, bom senso, tolerância, gentileza, paz e, o mais importante, amor.

Pessoalmente, apenas um pedido, já com a taça levantada: que o novo ano me conserve assim, um eterno e incorrigível otimista.

Tags , , , .

Leia mais Maurício Gomyde

Emoção ou técnica?

Emoção ou técnica?

Prêmio acumulado (ou Nada é maior que o amor)

Prêmio acumulado (ou Nada é maior que o amor)

As oito melhores cenas de despedida do cinema

As oito melhores cenas de despedida do cinema

O amor segundo Buenos Aires, segundo Maurício

O amor segundo Buenos Aires, segundo Maurício

Comentários

4 Respostas para “Que 2016 chegue logo!

  1. Conheci o Maurício em 2015 e me apaixonei pela escrita dele. Espero que em 2016 tenhamos mais livros e histórias maravilhosas. Feliz ano novo a todos da intrínseca

  2. Maurício, um feliz e abençoado 2016 a ti e aos teus! Adoro a tua coluna, bem como tudo que escreves. Espero ansiosamente pelo livro novo, no novo ano, e por tua vinda a Porto Alegre! Saúde, paz e luz! Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *