Vanessa Barbara

Dez músicas para superar

19 / novembro / 2015

 

Blog_OperaçãoImpensavel2

Não há lugar melhor do que o fundo do poço para fazer reverberar bem alto toda a raiva que surge após um rompimento — sobretudo quando se é enganada, como a Lia, de Operação Impensável. Aqui vão dez músicas que podem ser cantadas aos berros nos momentos mais difíceis após uma traição e um rompimento.

Coincidentemente ou não, são todas interpretadas por mulheres.

 

1- Lily Allen – Smile

A melodia fofa disfarça a letra daquela que é uma das canções mais sarcásticas e malvadas dos últimos tempos. No videoclipe, a moça traída começa comendo chocolate e se lamentando, mas logo se recompõe e paga uns capangas para dar uma surra no ex-namorado e destruir o apartamento dele. Ela também põe laxante na bebida do infeliz e fica observando o efeito, enquanto come pipoca e ri.

E canta, de forma singela: “Quando te vejo chorar, isso me faz sorrir/ Sim, me faz sorrir/ Na pior das hipóteses, me sinto mal por um momento/ Mas então eu apenas sorrio/ Sigo em frente e sorrio.”

 

2- Beyoncé – Irreplaceable

A cantora começa o vídeo lixando as unhas e mandando o homem pegar suas coisas e ir embora. Desce as escadas, poderosa, e ainda tira onda: “Você consegue andar e falar ao mesmo tempo?” Menciona brevemente a traição, mas diz que não vai derramar uma lágrima por ele nem perder o sono. “Porque a verdade é que te substituir é fácil.” De fato, no final do clipe ela já recebe a visita de outro.

E passa o tempo inteiro cantando: “Para a esquerda, para a esquerda”, como um cobrador de ônibus que pede para o pessoal dar “um passinho para a frente, por gentileza”. Porque a fila anda.

 

3- Jazmine Sullivan – Bust Your Windows

Mais uma canção de vingança e destruição para alegrar as amigas. “Quebrei as janelas do seu carro”, ela confessa, com um olhar de pouquíssimo remorso. “E não, isso não curou meu coração partido/ Provavelmente sempre terei essas cicatrizes horríveis/ Mas no momento não me importo com isso.”

No videoclipe, a moça joga o relógio do homem no aquário, pinta os quadros dele com spray e quebra copos. “Você provavelmente vai dizer que é infantil/ Mas acho que mereço sorrir”, ela canta. No final, um alerta: “Você tem sorte de que foi só isso o que fiz.”

 

4- Carrie Underwood – Before He Cheats

Enquanto o namorado da cantora dança agarradinho com outra mulher e bebe um drinque de frutas (pois ele não aguenta tomar uísque), ela risca o carro chique dele, escreve o nome dela nos bancos de couro, estraçalha os faróis com um taco e fura os pneus. “Talvez, da próxima vez, ele pense antes de trair.” Mas ela explica: “É claro que não será comigo.”

A moça termina jogando as chaves do carro dentro do drinque de frutas e andando pelas ruas com o cabelo ao vento, enquanto lâmpadas explodem ao seu redor. (Isso é que é poder.)

 

5- Alanis Morissette – You Oughta Know

Neste clássico recente, a moça traída se refere diretamente ao novo casal, sem medir as palavras. “Ela teria um filho seu?/ Tenho certeza de que daria uma mãe excelente”, canta, raivosa. Declara também que, pelo visto, “o amor que você me deu e que nós construímos não foi o suficiente para que você fosse sincero./ E toda vez que você fala o nome dela/ Será que ela sabe que você disse que me abraçaria até a morte/ Até morrer/ Mas você ainda está vivo”.

É realmente revoltante, ainda mais por causa dos rumores de que a música foi escrita para um ex-namorado real de Alanis Morissette. Na música, ela diz que foi um tapa na cara ver quão rápido ele a substituíra, mas dispara, no finzinho, que “a piada que você levou para cama era eu/ E não vou desaparecer assim que você fechar os olhos, você sabe./ E cada vez que eu arranhar as costas de outro homem/ Espero que você sinta”.

 

6- Barbra Streisand – Don’t Rain on My Parade

É minha música de empoderamento favorita, extraída do musical A garota genial (Funny Girl, 1968, William Wyler). Embora o filme fale também de um relacionamento fracassado, a canção não diz respeito diretamente a uma traição, mas sim ao fato de que ninguém deve ser capaz de atrapalhar seus planos, seja um namorado, seja qualquer outra pessoa. Com sua voz potente, a cantora Barbra Streisand praticamente exige que ninguém traga uma nuvem para chover no seu desfile, ou seja, que a deixem em paz para brilhar — como diva que é. “Quem disse que você tem o direito de chover no meu desfile?”, ela pergunta, com um chapéu engraçado. E garante que vai marchar com sua banda, vai tocar tambor, e só se ela cansar é que vai deixar o sujeito participar um pouco. You go, girl.

 

7- Carly Simon – You’re So Vain

A alegria com que Carly Simon canta esta música casa perfeitamente com a letra mordaz, que a compositora diz se referir não a um homem específico, mas aos homens em geral. “Você é tão egocêntrico… Aposto que pensa que esta canção é para você”, entoa, com um sorriso. Ela se refere a um ex-namorado arrogante, fútil e egoísta, que “entra numa festa como se estivesse embarcando num iate, com o chapéu estrategicamente jogado de lado para cobrir um dos olhos e um cachecol cor de damasco”.

A cantora usa apenas uma estrofe para contar como foi o rompimento: “Você descartou todas as coisas que amava, e eu fui uma delas/ Eu tinha alguns sonhos; eles eram como nuvens no meu café.” O resto da música é só humilhação: ela o acusa de ficar se admirando no espelho e de se render a frivolidades como pegar um jatinho particular apenas para assistir a um eclipse. Diz que ele pertence a esse mundo fútil e ironiza: “Quando você não está [nesse mundo], é porque está com alguma espiã do submundo ou com a esposa de um dos seus melhores amigos.”

 

8- Nancy Sinatra – These Boots Are Made for Walking

Minha versão preferida desta música é o cover da banda de psychobilly The Meteors (www.youtube.com/watch?v=q2JoEBR1Ooo), pois destila raiva e um furor meio psicótico. A letra é direta, dirigida a um homem que enrola a namorada e vive dizendo que a ama, quando a realidade não condiz com o falatório. Ela exclama: “Você mente quando deveria estar dizendo a verdade/ E vive perdendo quando nem deveria apostar/ Você continua o mesmo quando deveria mudar.”

É um hino para cantar aos homens mais covardes e vacilões: “Você vive brincando quando não deveria/ E fica pensando que nunca vai se queimar/ Mas eu acabo de encontrar uma caixa de fósforos nova/ E o que ele sabe você não teve tempo de aprender.” A seguir, a mulher maltratada diz que o namorado não deveria ter mexido justamente com ela. ‘Essas botas são feitas para andar/ E é exatamente o que elas vão fazer/ Um dia desses, essas botas irão passar por cima de você.’

9- Taylor Swift – Picture to Burn + Shake It Off

Em “Picture to Burn”, após descobrir uma traição, a cantora percebe que o namorado ama mais a si mesmo do que a ela e resolve terminar. “Então vá, pode dizer para os seus amigos que sou louca e obcecada”, ela declara. E, nos versos seguintes, aproveita para falar umas verdades: “Odeio essa sua caminhonete velha que você nunca me deixa dirigir/ Você é um caipira desgraçado que nunca foi capaz de mentir/ Então me veja atear fogo a todo o tempo que perdi/ Para mim, agora, você é só mais uma foto para queimar.”

Com vistas a proporcionar uma dobradinha adequada aos propósitos desta lista, convém emendar com “Shake It Off”, uma lição de como aproveitar a recém-conquistada liberdade e tocar uma música na cabeça que diz: “Vai ficar tudo bem.” O clipe é autoexplicativo: Taylor Swift dança desajeitadamente e não se importa nem um pouco. Ela canta: “Pense apenas que, enquanto você sofre com os mentirosos e os traidores deste mundo,/ você podia estar dançando neste ritmo contagiante.”

 

10- Gloria Gaynor – I Will Survive

A música-tema do empoderamento feminino: primeiro, a cantora teve medo e passou noites sentindo pena de si mesma, achando que não conseguiria viver sem o homem que a abandonou. Então ela pensa em como foi enganada e se fortalece. Quando o homem por fim se arrepende e volta, ela canta: “Vá embora agora, saia já daqui/ Dê meia-volta, você não é mais bem-vindo/ Não foi você que quis me machucar com uma despedida?/ Achou que eu fosse desabar?/ Achou que eu fosse deitar e morrer?/ Oh, não, vou sobreviver…”.

 

**

 

Outras canções dignas de nota: “Stronger”, Britney Spears; “So What”, P!nk; “Roar”, Katy Perry; “What Doesn’t Kill You (Stronger)”, Kelly Clarkson; “I Found A Boy”, Adele; “Fighter”, Christina Aguilera; “Vou festejar”, Beth Carvalho.

Leia mais Vanessa Barbara

Cinco livros para entender

Cinco livros para entender

O grande livro do cinema: extras

O grande livro do cinema: extras

Comentários

6 Respostas para “Dez músicas para superar

  1. Acredito que a discografia da Melanie C também deva ser citada neate posto devido as maravilhosas pérolas de superação que vemsendo apresentadas pela cantora ao longo de seus álbuns. Escolhida comonaingle de estréia a poderosa Goin’ Down escrita para o também cantor Robbie Williams expõe a todos o ódio que veio expressar o sentimento de ver o ex amorado traidor acabado. Em outro momento de sua vida a cantora nos brinda com a máxima da lei do retorno em You’ll Get Yours entoando todos seus sentimentos em versos como: “Por todas as mentiras e suas manipulações/ Por todas as vezes que você me fez sentir como su nao fosse boa o suficiente/
    Você me enrolou e me derrubou para satifazer seu ego infantil /Por todas as vezes que você me fez sentir imprestável/ Por todo meu esforço / agora não me importo mais/
    O mínimo que vai ter parecer é que não há nada que você possa fazer porque / O que vai, volta / Aqui se faz, aqui se paga”.

  2. Uma lista só com músicas internacionais? Erraram feio ein

  3. Ximena Sariñana – Sin ti no puede eatar tan mal (o clipe é superação total); Gloria Trevi – 5 minutos; Gloria Trevi – Me río de tí;

  4. Esqueceu de “Cry me a river” de Justin Timberlake para Britney…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *