Notícias

Solidão e lembranças

8 / outubro / 2015

Outrora o maior detetive do planeta, Sherlock Holmes encontrou uma aposentadoria incomum. Aos 93 anos, ele abandonou seu lendário endereço na Baker Street, 221b, e passa os dias numa pacata fazenda em Sussex, no sudeste da Inglaterra. Como companhia, apenas a governanta e seu filho. Não há a figura do bom Dr. Watson em sua vida.

untitledA memória de Holmes não é a mesma. Buscando evitar que a idade leve consigo sua capacidade de dedução, o ex-detetive viaja o mundo em busca de qualquer solução que o ajude a equilibrar a inexorável luta contra o tempo. Sabendo das propriedades regeneradoras da geleia real, ele mantém uma criação de abelhas e conta com a ajuda do filho da governanta, Roger.

Holmes também registra em diários algumas de suas histórias, como Watson fazia no passado. É a última delas – o caso final do detetive – que Roger resolve ler para descobrir mais sobre o passado daquele senhor de cabelos brancos e olhos sagazes.

É nessa atmosfera que o autor Mitch Cullin retrata a aposentadoria de Sr. Holmes, que chega aos cinemas com a direção de Bill Condon (Amanhecer partes I e II), e estrelado pelo carismático Ian McKellen (O Hobbit, X-Men). Completam o elenco Laura Linney (O show de Truman), Hattie Morahan (A bússula de ouro) e Hiroyuki Sanada (O último samurai).

Confira o trailer do filme:

 

link-externoLeia um trecho de Sr. Holmes

Tags , , , , , .

Leia mais Notícias

Veja a primeira imagem de Não se apega, não na TV

Veja a primeira imagem de Não se apega, não na TV

A redenção de Johnny Depp

A redenção de Johnny Depp

Confira as fotos do lançamento de “Histórias das histórias que contei” no Rio de Janeiro

Confira as fotos do lançamento de “Histórias das histórias que contei” no Rio de Janeiro

Novo livro de Jojo Moyes ganha capa e data de lançamento

Novo livro de Jojo Moyes ganha capa e data de lançamento

Comentários

2 Respostas para “Solidão e lembranças

  1. Você esqueceram de dizer que o Hiroyuki Sanada tinha feito o sinistro papel do Dr. Hatake na série Helix, que fez um grande sucesso no Brasil e serviria muito melhor como uma referência da carreira dele do que o filme O último samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *