Volta ao meu mundo

Por Maurício Gomyde

21 / maio / 2015

coluna

(Roy Lichtenstein)

Já quis ser bombeiro e astronauta. Lavador de janela em arranha-céus. O explorador que daria a volta ao mundo em um triciclo, o campeão mundial de surf. A vida se resumia a ser o centroavante da seleção da Terra contra a dos alienígenas, na partida de futebol pelo controle do universo. O baterista que salvaria o show do Rush, após o vocalista perguntar ao microfone: “Alguém aí toca bateria? O nosso aqui atrás passou mal. Ou o cúmulo da ousadia: ter o dom de encostar em qualquer mulher para ela, então, se apaixonar instantaneamente por mim.

Toda essa fantasia só durou até a realidade começar a me dar tapas doídos na cara… Ser bombeiro embutia alta possibilidade de morrer jovem; eu não pisaria na lua nem se estudasse todos os dias da minha vida; lavar janelas, apesar da vista, não seria um bom meio de ganhar a vida. Mais: alienígenas não existem e, caso existissem, não aterrissariam para jogar futebol; e não há registro, em um bilhão de shows de rock ao longo da história, de um baterista da plateia ter sido chamado para salvar um set. Por fim, o tapa mais doído deles: noventa e nove vírgula nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove por cento das mulheres do mundo jamais se apaixonariam por mim.

As armadilhas do tempo, a correria do mundo e a dureza da alma têm este dom de trucidar sonhos e mágicos objetivos de vida, reduzindo-os a coisas estranhas como advocacia, engenharia ou odontologia. Não o advogado que defende o vilão dos quadrinhos. Não o engenheiro que projeta a máquina do tempo, muito menos o dentista da atriz de Hollywood. Apenas o profissional obcecado por colocar dinheiro em casa, para pagar contas que jamais teria não fosse ele um profissional obcecado apenas por colocar dinheiro em casa.

Mas a beleza da vida reside em sua capacidade de redenção com as pessoas que certa manhã, ainda na cama, decidem reclamar abertamente: “Porra, Vida, eu só tenho uma de você e isso é tudo o que tem a me oferecer?” A resposta para quem faz essa pergunta com sinceridade costuma ser: “A culpa é minha? Tem certeza? A vida é sua, você faz dela o que bem entender. E para de falar palavrão, seu inútil! Levanta esta bunda e vai lá apagar seus incêndios, pousar em seus planetas, lavar suas vidraças, montar sua banda, desafiar seus ET’s e… Olha para o outro lado da cama.”

E é este o exato instante, ao olhar para o outro lado da cama e sentir que não é preciso encostar em todas as mulheres do mundo, mas em apenas uma que valha por todas as outras, em que você percebe que ainda há tempo para viver histórias perdidas no tempo. As contas a pagar vão continuar ali, mas se decidir tentar diferente, de repente pode aparecer um vilão para você defender, ou até a máquina do tempo na sala da sua casa para levá-lo ao futuro.

Reencontrei tudo aquilo na literatura.

Cada um na sua.

E hoje sei que ainda há tempo suficiente para me tornar o campeão mundial de surfe. E, quem sabe, para dar a volta ao meu mundo em um triciclo…

Tags , .

Maurício Gomyde é autor de Surpreendente!. Paulista de nascimento, mas considera que a paixão pelo céu mais belo do mundo alterou seu DNA para brasiliense. Tem música no sangue, é baterista, cinco romances publicados e uma mochila cheia de histórias para contar. O primeiro livro pela Intrínseca sai em 2015.
Maurício escreve, quinzenalmente, às quartas.

VER TODAS AS COLUNAS

Comentários

30 Respostas para “Volta ao meu mundo

  1. Gostei muito da comparação e das imagens criadas. Show!

  2. Sou fã do Maurício há muuuito tempo. Os livros dele são lindos de viver e eu não vejo a hora de ler o que vocês vão lançar. Lindas palavras essas.

  3. Maurício Gomyde sempre surpreendente…Texto leve, engraçado, bem articulado e bom… Não me canso de ler Maurício Gomyde…

  4. Esse texto resume o que penso e sinto sobre o meu futuro… Tanto a fazer , conhecer e ser, mas talvez o sentido pra tudo isso,não preciso ir longe, está pertinho de mim!

  5. Adorei mais uma vez o texto do Gomyde. Ansiosa cada vez mais pelo livro.

  6. Parabéns pela coluna, Maurício! Me identifiquei demais com o texto. A felicidade é mais simples e está mais próxima do que muitas vezes somos levados a acreditar, um presente do presente. Forte abraço e muito sucesso!

  7. Adorei!!!!!! Fica a sugestão para um futuro livro só de crônicas…

  8. Excelente leitura garantida toda quinta!!!

  9. Maurício e suas palavras transbordando sentimentalismo! A vida pode não acontecer como esperamos, mas ainda é uma caixinha de surpresas. Sempre pronta para nos surpreender mais. Você é uma prova viva disso. Mal posso esperar pelo próximo livro!
    Beijos!

  10. Disse o que todo mundo tem medo, não de dizer, mas de viver. Parabéns!

  11. Como sempre, um belíssimo texto! Inspirador! Q bom q temos os escritores como Maurício pra nos permitir viajar em outros mundos e outras vidas. Ansiosa para ler mais um romance e botar em prática a conhecida frase “quem lê, viaja”!

  12. Você conseguiu retratar de forma muito simplista e profunda alguns dos meus amanheceres. Parabéns pelo artigo.

  13. Parabéns você conseguiu e consegue ser tudo basta querer… com seu dom da escrita cada dia nos alegra criando um personagem a cada livro, tem todas as mulheres ao seus pés e 3 em especial que te amam incondicionalmente. Obrigada por ser o cara!!!!

  14. Gostei do texto. É muito dificil as pessoas acreditarem nos seus sonhos. Pretendo ser escritora e achei que o autor foi muito feliz na ideia.

  15. Show! Ansioso pelo próximo livro. Maurício tem o dom de escrever como nós gostaríamos de ter vivido!!

  16. Bela estréia, Mau! Arrasou!
    Minha “audiência” da coluna é certa.
    Por enquanto sigo me esquivando de fazer a pergunta matinal à Dona Vida, pois sei que me responderá com um sonoro “Vai catar cocos, Malu”! E como AINDA não tenho coragem de me mudar para o litoral e cumprir minha missão, faço a colheita vez ou outra nos coqueiros-anões que encontro aqui pelo Cerrado mesmo! Um dia…

  17. Maurício Gomyde é daqueles autores despretensiosos que não quer provar nada, impor nada. Quer apenas contar uma história que mereça ser lida. E esta é a melhor coisa que o leitor pode esperar de seus livros: sempre uma boa história. Ponto.

  18. O Maurício é foda, com o perdão da palavra.

  19. Lindooooo. Sempre intrigante e emocionante teus textos Maurício. Não vejo a hora do novo livro

  20. Todos os livros e textos do Maurício são apaixonantes. Louca pra ler o próximo!

  21. Inspirador como sempre! ! Muito bom texto!!

  22. Quando a gente menos espera se vê tocado por um texto lindo!! Adorei!

  23. Mauricio tem o dom de escrever textos leves, simples e muito interessantes além dos seus 5 livros que nos prendem a atenção do começo ao fim, sem parar. Somo-me às tantas considerações feitas acima e, como todos, estou ansiosa para ter a oportunidade de ler seu próximo livro que, com certeza, será surpreendente !

  24. Uma certeza: reencontrei a Literatura nas histórias do Maurício 🙂 <3 (Em tempo: adoro aquela história do Journey ter encontrado um vocalista incrível via Youtube! Aliás, se o Pedro fosse cantor e não cineasta, esse poderia ser seu enredo Surpreendente rs)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *