Agora tenho vontade de ficar

Por Isabela Freitas

13 / maio / 2015

13.05 - coluna

Às vezes me sinto tão vulnerável. Como se um simples sopro de vento pudesse me levantar do chão e me quebrar ao meio. Não sei… Quando era mais nova, gostava de bater no peito e dizer que aqui dentro tudo era feito de gelo. Gostava de dizer para as pessoas que eu não me importava e que, para amolecer meu coração, era preciso muito. Mas muito mesmo. E eu não estava mentindo, realmente nada me impressionava. Sempre que digo isso, me lembro de uma música do Kid Abelha que diz: “Eu tenho pressa, tanta coisa me interessa… Mas nada tanto assim.”

Por um bom tempo esse foi o meu lema. Eu tinha pressa, queria viver plenamente cada pedacinho da vida. As pessoas passavam como imagens vistas pela janela do carro. Turvas, com pressa e sem muita distinção umas das outras. Poucas conseguiam chegar perto o bastante para que eu ficasse mais um pouquinho. Parasse de contar o tempo, de olhar o relógio. Poucas despertaram em mim o sentimento de pertencer a alguém. Ou a algum lugar.

Hoje posso dizer que me sinto à vontade em ficar. Em criar raízes. Em ter a minha casa, o meu lar. Hoje quero não ter tanta pressa assim. Quero me interessar e me manter interessada. Quero ter a liberdade de voltar sempre para o mesmo lugar. Quero voar alto para, no fim do dia, pousar.

Eu sinto. Me importo. Quero amar. Quero ser o melhor que posso ser para alguém. E, se isso é maturidade, seja bem-vinda, você demorou a chegar.

Tags , , .

Isabela Freitas é autora de Não se iluda, não e de Não se apega, não, o primeiro livro jovem nacional da Intrínseca. Em 2011, começou seu blog, que já soma mais de 130 milhões de visualizações. Estudante de Direito, pretende cursar Jornalismo um dia. Mora com os pais em Juiz de Fora (MG), onde nasceu.

VER TODAS AS COLUNAS

Comentários

6 Respostas para “Agora tenho vontade de ficar

  1. Linda! Amei o teu livro. Você fala da realidade a qual quase nenhuma garota quer ler ou escutar. E isso foi sempre o meu interesse. São as histórias que tem pé no chão que me encatam. Um dia eu quero escrever tão bem quanto você

  2. Texto muito bem escrito,está de parabéns Isabela Freitas 🙂

  3. Incrível descrição da chegada da maturidade. Pena que muitas vezes ela chega com algumas decepções e medo de arriscar tanto. Tudo é aprendizado afinal.

  4. Lindo, lindo! Aguardando o próximo livro com muito amor! ❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *