Diário de Isabela Freitas

Por Isabela Freitas

14 / janeiro / 2015

superar_fim_relacionamento

Me incomoda essa mania que nós temos de sempre querer insistir naquilo que já sabemos que não dá certo. Quem explica a nossa vontade de voltar para o famoso ”ex-namorado” e tentar consertar todos os erros do passado? Acho que um dos principais motivos para que isso ocorra ocasionalmente é o medo. É, medo. Medo de ficar sozinho, medo de sair à procura, medo de que o próximo seja pior ainda.

Para mim, terminar relacionamentos sempre foi algo normal. Me apaixono, vivo intensamente a paixão, enjoo, termino. É o ciclo da vida. Um dia vou achar alguém que não me deixe enjoar, alguém que mantenha, como na tradução literal daquela expressão do inglês, as borboletas do meu estômago alimentadas e felizes, alguém que tire meu ar e não me deixe respirar. Mas enquanto essa pessoa não aparece, eu sou feliz com términos. Eles significam renovação, significam que estou completando uma etapa, e estou pronta para outra. Pronta para cair na estrada e procurar aquilo que vai me fazer feliz.

Existem tantos livros na estante, por que tentar rasgar páginas, reescrever histórias, mudar o que era para acontecer? Descubra o prazer que as outras histórias podem te oferecer.

Termino relacionamentos com um sorriso no rosto e um “boa sorte” que não precisa ser dito. Desejo que meus ex-namorados e ex-companheiros de vida achem alguém que os faça tão feliz quanto eu fiz. Por que ter raiva? Apenas chegamos em uma encruzilhada onde eu prefiro o caminho da direita e ele acha mais fácil pegar o caminho da esquerda. Tudo bem. Quem sabe um dia esses caminhos não se cruzam novamente? Vai saber. Eu não sei, mas também não quero me prender a essa ideia.

O passado é passado por um bom motivo. Sei que é muito mais fácil apertar a discagem rápida do seu celular do que sair para conhecer novas pessoas. Sei que é muito mais seguro estar com alguém que você já conhece e sabe todos os defeitos do que estar com alguém totalmente desconhecido. Mas por que ir pelo caminho mais fácil e mais seguro? Não devemos ter medo de cair de cara no chão! Nós temos que superar esse medo de conhecer novas pessoas, de ter novas experiências e sentir novos perfumes. Não há sensação melhor do que a de se livrar de algo que nos retém. Sair com as amigas, se divertir, assistir a um filme e um dia, sem querer, topar com um cara incrível na rua e ficar pensando nele durante horas. A vida é assim, gosta de surpreender. Mas ela só vai te surpreender se você der essa chance a ela.

Términos não passam de novos começos. Para todo ponto final existe um novo parágrafo pronto para contar uma nova história.

 

Tags , , , , .

Isabela Freitas é autora de Não se iluda, não e de Não se apega, não, o primeiro livro jovem nacional da Intrínseca. Em 2011, começou seu blog, que já soma mais de 130 milhões de visualizações. Estudante de Direito, pretende cursar Jornalismo um dia. Mora com os pais em Juiz de Fora (MG), onde nasceu.

VER TODAS AS COLUNAS

Comentários

4 Respostas para “Diário de Isabela Freitas

  1. Sempre pensei assim, só não sabia como expressar. Amei o texto ele foi perfeitamente bem escrito se a Isabela tivesse posto uma vírgula a mais concerteza teria estragado, um pouco, o texto. Continuarei a acompanhar o Diário de Isabela Freitas e comprarei o livro.

  2. amei o livro,foi como uma terapia ,para superar as decepções que já vivi.
    Sei que Deus tem o melhor para os seus filhos espero somente nele e não no homem.
    Na b´blia diz salmo 119 versículo 8 Maldito é o homem que confia no outro.
    Então esperar alguma coisa do homem é só decepção,melhor esperar em Deus

  3. O livro tras palavras, frases, que te envolvem de uma form que é impossivel não querer ler mais e mais.
    Eu estava na minha prima que é apaixonada por livros e conversando ela me disse que uma amiga emprestou o livro e pediu que eu lesse 3 folhas, naquele momento me apaixonei porém não pude terminar e comentei com uma segunda prima que queria comprar o livro pois mal tinha lido e tinha amado. Essa prima comprou o livro e me presentiou, antes disso ela não se conteve e me confessou que comprou e leu porque adorou. Eu li o livro, e amei cada pagina, senti falta quando vi que ja estava nos agradecimentos. Parabéns a Isabela e a editora.

  4. Isabela Freitas qdo se tem 23 anos é fácil pensar assim, tbém o fiz… Aproveite enquanto pode!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *