PASSOS NO TELHADO

Por Clarice Freire

27 / novembro / 2014

Coluna 14 - Passos no telhado

O menino sempre ouvia passos no telhado.

– Sempre escuto passos no telhado.

Contou em tom de confidência, por baixo do lençol. Olhava tão misterioso que tive que formular muito bem a minha pergunta. Os mistérios são fujões.

– Eu também. Nunca entendi por quê. Você sabe?

– Sei.

– Eu sempre quis saber…

Ele me olha provavelmente avaliando se sou digna de tal informação. Eu aguardo o julgamento.

– Quando eu era pequeno pensava que os passarinhos estavam gordos. Por isso faziam tanto barulho. Depois comecei a entender as coisas, desvendar a vida e hoje sei que são meus pensamentos invadindo a casa pra entrar em mim. Pelo telhado é mais fácil. Até porque a maioria deles chega sem ser convidado. Isso de dia, claro.

– E quando anoitece?

– À noite são os sonhos chegando de viagem. Eles passam o dia filmando coisas na rua. Quando  escurece, colocam um projetor por trás dos meus olhos.

E eu viro um cinema mudo.

Tags .

Clarice Freire nasceu no Recife, em 1988, e desde muito cedo aprendeu a usar as palavras para acalmar suas inquietações. Cresceu admirando os desenhos em lápis de cor da mãe, Lúcia, e os versos do pai, Wilson. Uma noite, ouviu falar que a lua era bela porque, mesmo sendo só areia, deixava refletir a luz de outro, e por isso as noites não são escuras. Daí veio a inspiração para o nome de sua página no Facebook, Pó de Lua, criada em 2011.
Clarice escreve, quinzenalmente, às quintas.

VER TODAS AS COLUNAS

Comentários

4 Respostas para “PASSOS NO TELHADO

  1. Clarice, que texto maravilhoso! Você e o seu poder de transfomar o meu dia através do que escreve! Obrigada e parabéns pelo trabalho maravilhoso.

  2. Perfeito, texto lindo, ela escreve espetacularmente bem. Amei!

  3. ah como você me encanta Clarice, e Essa editora maravilhosa, que tem os melhores autores.. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *