IMUNIDADE

Por Clarice Freire

3 / julho / 2014

Coluna 1 - Imunidade

– E ele anda sempre assim, em todos os lugares?

– Sempre.

– Mas como é que pode? – indagou ele descruzando as pernas e virando para encará-la.

Incrível o efeito que o “ele” em questão fazia em seus olhos.

– Você não sabe de nada, não é? – não, ele não sabia de nada perto dela.

– Sei sim.

– Ele é muito maior do que você está vendo. Só fica assim pequenininho porque está muito longe.

Na mesma hora ele junta o polegar e o indicador, fechando apenas um dos olhos. Ele cabia direitinho entre os dois. Como podia ser assim tão grande como ela dizia?

– Ele não cabe entre seus dedos, bobo. Já te disse. Se você fizesse isso de verdade, ia se queimar feio.

– Ele também queima? – o menino se assustava cada vez mais com as revelações dela. Como era inteligente. Como sabia de tudo! Ele seria capaz de fazer perguntas o resto do dia só pra escutar suas explicações.

– Claro que queima! Vai dizer que você não sabia que ele é feito de fogo? Só fogo, em milhares de explosões, a galáxias de distância. Ele não passa de uma bola de fogo. Ou melhor, de uma estrela gigante.

– Estrela?! De dia?! – agora ele a tinha pegado – impossível! Você não sabe que as estrelas só aparecem à noite? Dã!

Ela o fitou impaciente e divertida ao mesmo tempo. Por que eles demoravam tanto para crescer?

– As estrelas estão no céu o tempo todo. De dia e à noite. A diferença do dia para a noite é que, como ele é muito maior que as outras, durante o dia, sua luz ofusca a das outras estrelas. Aí não dá pra ver as menores. O Sol é muito mais forte. Você já tentou acender uma lanterna com a luz acesa?

– Já.

– Fazia diferença?

– Não.

– E à noite? – ela se deliciava com sua superioridade intelectual.

– À noite minha lanterna é capaz de espantar qualquer monstro no quarto. – disse orgulhoso o menino, que guardava embaixo da cama sua arma mais poderosa contra barulhos no armário.
Monstros no quarto? Eles realmente não crescem nunca.

– É a mesma coisa com as estrelas. De dia, com uma luz tão forte, elas não aparecem. Mas basta ele se esconder, elas se acendem brilhantes, iluminando o céu.

– Que egoísta, ele. Quer aparecer mais que os outros.

– Nada disso. É por isso que ele se esconde sempre. Se não escurecesse, as estrelas não teriam a chance de brilharem também e nós nunca saberíamos que elas existem.

Silêncio. O menino pensava no que escutou ainda olhando para o alto. De esguelha, se aproxima dela no gramado onde os dois estavam deitados à sombra do pé de seriguela. Ela nem, nem…

– Entendi. Mas ainda não faz sentido.

Ela revira os olhos incrédula.

– O quê?!

– Mesmo de dia, seus olhos brilham como as estrelas à noite. Você é imune ao sol? – pergunta sinceramente o menino.

Ela, muda, não tinha resposta e volta a olhar o céu.

Tags .

Clarice Freire nasceu no Recife, em 1988, e desde muito cedo aprendeu a usar as palavras para acalmar suas inquietações. Cresceu admirando os desenhos em lápis de cor da mãe, Lúcia, e os versos do pai, Wilson. Uma noite, ouviu falar que a lua era bela porque, mesmo sendo só areia, deixava refletir a luz de outro, e por isso as noites não são escuras. Daí veio a inspiração para o nome de sua página no Facebook, Pó de Lua, criada em 2011.
Clarice escreve, quinzenalmente, às quintas.

VER TODAS AS COLUNAS

Comentários

14 Respostas para “IMUNIDADE

  1. Ai gente, que coisa mais linda.
    Parabéns pelo texto. E seja muito bem-vinda.

  2. Parabéns Clarice, pelo sucesso e reconhecimento de sua originalidade e criatividade! Acompanho sua página no facebook desde o comecinho e torço por vc! Grande beijo, Fabíola Simões

  3. Parabéns!!! Obrigada por brilhar, envolver e amar nosso mundo virtual!

  4. Mega fã!!! Parabéns Clarice!!! Se merece td o sucesso, te acompanho desde la dos post da @massafera onde conheci teu trabalho, e agora no face. mega beijuu e sucesso!

  5. Já era fã, agora sou ainda mais! Esse sucesso vem cada vez crescendo e sendo mais reconhecida, super merecido!!

  6. Os textos da Clarice são sempre perfeitinhos!!! Adooroo!!

  7. EU AMO esse texto Clarisse e perfeito doida pelo seu livro logo

  8. Como professora já me vi lendo para meus alunos e trabalhando o texto em múltiplos conteúdos. Parabéns!

  9. Que lindo, Clarisse! Sua sensibilidade encanta! Beijos

  10. Nossa muito perfeito os seus textos, uma escritora incrível !!
    Sou fã <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *